sábado, 9 de outubro de 2010

Enviado por Lucia Hippolito - 
6.10.2010
 | 10h46m
ELEIÇÕES 2010

Algumas impressões sobre a campanha presidencial


As eleições de 2010 seriam dificílimas, quem quer que fosse o candidato da oposição. Uma conjunção de fatores "nunca antes" reunidos na História do país desequilibrava a balança, desde o primeiro momento, para a candidatura do governo.
Esses fatores são: democracia, moeda estável, controle da inflação, crescimento econômico e Lei de Responsabilidade Fiscal.
Já tivemos democracia com hiperinflação e moeda fraca, democracia com estagnação e ausência de controle sobre gastos de governadores e prefeitos.
Já tivemos ditadura com crescimento, ditadura com hiperinflação e com estagnação.
Mas nunca esses fatores se juntaram num mesmo período. Como agora.
Assim, o ambiente sempre esteve favorável a uma candidatura governista.
Mas em 2010 acrescentamos ainda dois outros trunfos importantissimos para o governo:
1. o mais formidável cabo eleitoral de que se tem notícia. Um presidente em fim de (segundo!) mandato, navegando em 80% de popularidade, dono de inegável carisma a contato direto com as massas. Um presidente que não teve o menor escrúpulo em afrontar as leis do país, de debochar da opinião pública ("Nós somos a opinião pública", bradou ele em cima de um palanque), de usar despudoradamente a máquina do governo, de se aliar ao coronelismo mais deletério, mais perverso e obsoleto. Tudo para eleger sua candidata. E em primeiro turno.
2. uma máquina de fazer votos, que é o Bolsa-Família.
Pronto. Foi só contratar um marqueteiro muito competente e deixar que a campanha caminhasse, sem expor muito a candidata, que é cintura dura.
A campanha do governo foi extremamente bem feita, tanto no rádio quanto na TV. O slogan Para o Brasil seguir mudando é muito inteligente, porque se apropria da ideia da continuidade e da ideia de mudança, deixando pouco espaço para a oposição se apresentar como alternativa.
Não fossem os escândalos de corrupção na Casa Civil, envolvendo o braço direito de Dilma Rousseff.
Não fosse o presidente Lula perder as estribeiras e vociferar contra tudo e contra todos, criando atritos desnecessários com a imprensa, com a classe média e querendo "extirpar" da vida pública um partido político legalmente constituído.
Não fosse a prepotência e a arrogância de José Dirceu na Bahia, avisando que vai voltar poderoso e que o PT vai mandar no governo Dilma, talvez a eleição tivesse terminado no primeiro turno.
Isso porque o tempo todo a oposição contribuiu fortemente para que quase não houvesse campanha.
Oposição incompetente. Vamos combinar que temos uma das oposições mais incompetentes da história da República.
Derrotados em 2002, os tucanos ficaram acuados, envergonhados das conquistas dos oito anos de mandato de Fernando Henrique, vestiram a carapuça de "vendedores do patrimônio do povo brasileiro", não souberam honrar o legado que receberam, não souberam popularizar as conquistas do Plano Real, do telefone celular, da Bolsa-Escola.
Durante o escândalo do mensalão, não quiseram sujar os punhos de renda e esperaram que a imprensa fizesse o trabalho que era da oposição. Estavam certos de que a presidência da República lhes cairia no colo por gravidade.
Mas, ao contrário do que pensam certos áulicos do lulismo, a imprensa não é um partido político, e seu papel não é substituir a oposição.
Nem com a derrota de 2006 aprenderam a fazer oposição. Resultado, chegaram a 2010 como sempre: divididos, erráticos, sem projeto e sem proposta.
A campanha tucana é ruim, o slogan O Brasil pode mais precisa vir acompanhado de explicação.
A escolha do vice foi uma história de horrores, para terminar na solução mais inadequada que se pode imaginar. O vice escolhido não agregou um único voto.
Campanha paroquial. Serra e Dilma fizeram, no primeiro turno, uma campanha para prefeito. Era mutirão de catarata para cá, construção de casas populares para lá. Nada que um bom prefeito não possa propor.
Projeto para o país? Nenhum. Política de ciência e tecnologia articulada com universidades e empresas? Nada. Política industrial? Coisa nenhuma. Política externa? Ninguém sabe, ninguém viu.
Numa perversa manipulação da desinformação de boa parte do eleitorado, as duas campanhas alegam que "o povão não está interessado nessas coisas". Maldade. Perversidade. Exploração da ignorância alheia.
A decepção dos petistas por não terem liquidado a fatura no primeiro turno estava estampada nos rostos de Dilma e Michel Temer no próprio domingo. Pareciam nocauteados. "Onde foi que erramos?", pareciam se perguntar.
Agora é corrigir os erros e partir para o segundo turno. As duas campanhas vão se esmerar para conseguir os votos de Marina Silva, um considerável patrimônio de 20% do eleitorado.
Vamos acompanhar. E cobrar compromissos dos dois candidatos. Chega de demagogia barata.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Olá!!! Vamos trocar um pouco as idéias.

As eleições se foram e ficou os comentários diversos por parte de militantes e de cabos eleitorais. Alguns eufóricos e outros caóticos. Uma coisa é certa, muita coisa mudou. Sabemos que ainda houve muita sujeira: compra de votos entre outros. Porém, o povo do Ceará demonstrou um pouco do que possa vir a ser a liberdade e o uso da vontade própria. Derrubamos Chefe político que há mais de 20 anos não saia do poder e de repente, quando ninguém imaginava ele perde o poder. E, o que mais me intrigou é dele ter dito que vai abandonar a vida política. No mínimo estranho. Passou a vida toda sendo político e não disse isso antes. O fato de perder uma política o deixa inconformado e raivoso com o povo que o elegeu por todos esses anos. É no mínimo uma ingratidão. Por isso é  motivo de grande felicidade, podermos ver alguem tão arrogante dando adeus aos cargos públicos, já que não contribuia como deveria por rixa política. Pois então chegou a hora de outros assumirem. 
É isso ai povo brasileiro. Já passou o tempo de termos aquela dependência mediócre que tivemos durante séculos. Agora é hora de nos utilizarmos dessa liberdade que temos para botar de uma vez por todas todos esses infortúnios que vivemos em nossa sociedade para longe de nós. Nós podemos tudo quando queremos. Portanto, queiramos nós o melhor para nossa vida e para a vida dos nossos num futuro bem próximo.    

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

UM POUCO DE CRITICA SOCIAL

Gabriel O Pensador - Até Quando?



Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta

Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve

Você e pode e você deve, pode crer



Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver

Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu

Num quer dizer que você tenha que sofrer



Até quando você vai ficar usando rédea

Rindo da própria tragédia?

Até quando você vai ficar usando rédea

Pobre, rico ou classe média?

Até quando você vai levar cascudo mudo?

Muda, muda essa postura

Até quando você vai ficando mudo?

Muda que o medo é um modo de fazer censura



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente

Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente

Você tenta ser contente, não vê que é revoltante

Você tá sem emprego e sua filha tá gestante

Você se faz de surdo, não vê que é absurdo

Você que é inocente foi preso em flagrante

É tudo flagrante

É tudo flagrante



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



A polícia matou o estudante

Falou que era bandido, chamou de traficante

A justiça prendeu o pé-rapado

Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



A polícia só existe pra manter você na lei

Lei do silêncio, lei do mais fraco:

Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco



A programação existe pra manter você na frente

Na frente da TV, que é pra te entreter

Que pra você não ver que programado é você



Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar

O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar

E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar

Aquilo que o mundo me pede não é mundo que me dá



Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar

Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar

Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar

Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar



Escola, esmola

Favela, cadeia

Sem terra, enterra

Sem renda, se renda. Não, não!



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai levando porrada, porrada?

Até quando você vai ser saco de pancada?



Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente

A gente muda o mundo na mudança da mente

E quando a mente muda a gente anda pra frente

E quando a gente manda ninguém manda na gente



Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura

Na mudança de postura a gente fica mais seguro

Na mudança do presente a gente molda o futuro



Até quando você vai levando porrada?

Até quando vai ficar sem fazer nada?

Até quando você vai ficar de saco de pancada?

Até quando você vai levando?

ATE QUANDO VAMOS FICAR VENDO TANTO DESCASO SOCIAL E NÃO TEMOS ATITUDE NENHUMA?

domingo, 3 de outubro de 2010

ELEIÇOES DE 2010

Pois é, teremos segundo turno para a disputa presidencial. Eu particularmente, não sou um Dilmista, mas temos de concordar que o segundo e pra dar uma pisa maior na Serra. Malvadeza. Como podemos perceber parece que teremos uma mudança substancial no Brasil, que diz respeito aos novos deputados federais e os novos senadores. Queira Deus permita que tudo ocorra de maneira positiva para o bem do Brasil.  

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...