sábado, 20 de outubro de 2012

Prefeito poderá ser preso caso não divulgue situação financeira




Projeto de Lei quer que o gestor sofra a perda do cargo, além de responder por até três anos de detenção
Tramita na Câmara o Projeto de Lei 3973/12, do deputado Vitor Penido (DEM-MG), que torna crime de responsabilidade o não envio pelo prefeito à Câmara Municipal da mensagem com a demonstração da real situação contábil, financeira e orçamentária do município. Pelo texto, o prefeito deverá enviar a mensagem até 30 dias antes das convenções municipais.
A obrigação, porém, será restrita somente aos anos em que houver eleições municipais. O descumprimento da lei deverá fazer com que o gestor sofra a perda do cargo e inabilitação para o exercício de qualquer cargo ou função pública, além de responder por até três anos de detenção.
O autor esclarece que, além de prestigiar a transparência dos gastos públicos, a iniciativa favorece significativamente a lealdade entre os candidatos e o eleitorado, “muitas vezes sem a menor condição de avaliar a exequibilidade financeira dos projetos anunciados por aqueles”.
A proposta altera o Decreto-Lei 201/67, que define os crimes de responsabilidade dos prefeitos e vereadores. Penido acrescenta que o problema da falta de informações contábeis é mais tormentoso nos municípios onde sobretudo candidatos oposicionistas são levados a defender programas fictícios, por falta de acesso a dados que permitam a elaboração de propostas compatíveis com a real capacidade do erário.
Tramitação
Antes de ir a Plenário, o projeto deverá ser analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Agência Câmara

Evangelho do dia de hoje (Lucas 12,8-12)


Sábado, 20 de Outubro de 2012
28ª Semana Comum



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8“Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. 12Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

RADIO MAIS VOCÊ, A RÁDIO QUE É A SUA CARA


HOJE A PARTIR DO MEIO DIA, VOCÊ PODERÁ ACOMPANHAR O PROGRAMA A VOZ DO SINDSEP POR ESTA FREQUÊNCIA DE RÁDIO WEB

VOCÊ CLICA NO LINK ABAIXO E JÁ VAI DIREITO PARA O LINK DA RÁDIO.


AO OUVIR DEIXE SEUS COMENTÁRIOS A RESPEITO DA MESMA.






sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Projeto de poder do PT para o Brasil

Assintam este vídeos olha os desmandos desses caras de pau falando sobre seus desejos para destruir o Brasil.

Isso nos causa indignação.

Agora é lei: alimentação é um direito; Consea celebra com parceiros




O Diário Oficial da União publicou nesta sexta-feira (5) a promulgação da emenda constitucional 64, que inclui a alimentação entre os direitos sociais, fixados no artigo 6º da Constituição Federal.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi aprovada na quarta e promulgada pelo Congresso Nacional na quinta-feira (4), depois de duas vitoriosas votações na Câmara dos Deputados e duas no Senado Federal.

A campanha nacional pela inclusão da alimentação na Constituição foi liderada pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e teve a participação de entidades civis, movimentos sociais, órgãos públicos e privados, organizações não governamentais, artistas e cidadãos e cidadãs de todo o país.

O ator Marcos Winter, por exemplo, que foi conselheiro do Consea e que hoje faz parte do Movimento Humanos Direitos, enviou mensagem ao conselho celebrando a vitória da campanha. "As nobres e justas causas serão sempre nosso farol, parabéns a todos", escreveu ele.

Além de Marcos Winter, outros artistas participaram da campanha pela aprovação da PEC, como as atrizes Dira Paes, Bete Mendes, Maria Zilda, Camila Pitanga e Cristina Pereira e os atores Leonardo Vieira, Gilberto Miranda e Eduardo Tornaghi, além do cineasta José Padilha, diretor dos filmes Tropa de Elite e Garapa.

Outra personalidade que apoiou a campanha foi o escritor Ariano Suassuno, professor, dramaturgo, poeta, romancista e imortal da Academia Brasileira de Letras. Um abaixo assinado na página do Consea na Internet colheu mais de 50 mil assinaturas em quatro meses de campanha.


                                     Abaixo-Assinado


Os signatários abaixo identificados manifestam publicamente seu apoio à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 047/2003, em tramitação no Congresso Nacional.

A garantia do direito humano à alimentação adequada e saudável está expressa em vários tratados internacionais, ratificados pelo governo brasileiro, incluindo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1966, e a Cúpula Mundial de Alimentação, de 1996.

Nos referidos pactos, os chefes de Estado reafirmaram “o direito de toda a pessoa a ter acesso a alimentos seguros e nutritivos, em consonância com o direito à alimentação adequada e com o direito fundamental de toda pessoa de estar livre da fome”.

Considerando e apoiando estes compromissos pedimos a urgência da inclusão de referência explícita ao direito à alimentação no campo dos direitos fundamentais garantidos pela Constituição, conforme definido na PEC 047/2003 em tramitação na Câmara Federal.

Atenção: O abaixo-assinado é um site seguro. Para acessar você precisar ter instalado o Certificado Digital da Presidencia da Republica.
PEC 047/2003 - Alimentação como Direito Social

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do § 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Altera o art. 6º da Constituição Federal, para introduzir a alimentação como direito social.
Art. 1º O art. 6º da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.”

Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação.

Senado Federal, em 29 de abril de 2003

Senador José Sarney
Presidente do Senado Federal



Exposição de Motivos nº 002-2009/ Consea


Brasília, 19 de março de 2009.


E.M. nº 002-2009/CONSEA

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

 
 O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, reunido em plenária no dia 11 de março de 2009, decidiu dar início a uma ampla campanha nacional em prol da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 047/2003, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares, cujo objeto é a inclusão, no artigo 6º da  Constituição Federal, do direito humano à alimentação adequada e saudável.

 A garantia do direito humano à alimentação adequada e saudável está expressa em vários tratados internacionais, reconhecidos pelo governo brasileiro, incluindo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1966 e a Cúpula Mundial de Alimentação, de 1996, onde os chefes de Estado reafirmaram “o direito de toda a pessoa a ter acesso a alimentos seguros e nutritivos, em consonância com o direito à alimentação adequada e com o direito fundamental de toda pessoa de estar livre da fome”.

 Apesar do reconhecimento dos tratados internacionais, o Conselho avaliou a urgência da inclusão de referência explícita ao direito à alimentação no campo dos direitos fundamentais garantidos pela Constituição, o que consideramos irá fortalecer o conjunto das políticas públicas de segurança alimentar em andamento assim como assegurar para que não haja retrocessos na sua continuidade. É justamente pelo fato de ter implementado este conjunto de políticas que o Brasil têm sido mundialmente reconhecido pela sua capacidade de enfrentar a atual crise dos alimentos.


No sentido de concretizar este objetivo, o CONSEA está planejando uma ampla campanha/mobilização para a aprovação da PEC 047/2003, onde se pretende o envolvimento de diversos setores sociais e políticos. O objetivo da campanha é criar um grande movimento, com repercussão nacional, para que a PEC seja aprovada até do dia 16 de outubro de 2009, data em que se comemora o dia mundial da alimentação. Consideramos que este seria um extraordinário ganho para o Brasil, fruto da mobilização da sociedade e das ações do governo no combate à fome e à miséria no país.
Atualmente, a PEC 047/2003 está sendo analisada na Câmara dos Deputados, tendo sido aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) no dia 28 de fevereiro de 2007 e aguarda a instalação de uma Comissão Especial para a sua relatoria e futuros encaminhamentos. Ressalte-se também a tramitação em simultâneo da PEC 064/2007, de autoria do Deputado Nazareno Fonteles, que regulamenta matéria idêntica e que foi apensada à PEC 047/2003 para ser analisada em conjunto pela Comissão Especial a ser constituída.


Neste sentido, Senhor Presidente, sabedores do comprometimento de Vossa Excelência com esta questão, consideramos que seu apoio e envolvimento serão decisivos para o êxito desta campanha, cujos resultados serão o fortalecimento da política de segurança alimentar e nutricional e a garantia do direito humano à alimentação adequada e saudável para todos(as) os(as) brasileiros(as). Desta forma, coloco-me à disposição de V. Excelência para prestar esclarecimentos adicionais em audiência, tão logo seja possível.

Respeitosamente,

Renato S. Maluf
Presidente do CONSEA



Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos




A Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos tem como objetivo a aquisição de gêneros alimentícios básicos e a distribuição gratuita desses gêneros em forma de “cestas” de alimentos, com o intuito de atender, em caráter emergencial e complementar, famílias que se encontram em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Essa Ação busca atender grupos sociais que apresentam dificuldades para produzir ou obter alimentos, resultado de longos processos de exclusão social aos quais foram submetidos. A Ação de Distribuição de Alimentos beneficia também grupos que se encontram em situação de calamidade pública, em parceria com a Secretaria Nacional de Defesa Civil - SEDEC nas ações de assistência humanitária aos municípios em situação de calamidade, após parecer oficial da SEDEC.

Trata-se de uma política pública de caráter emergencial e complementar a outras estratégias para garantir o acesso contínuo aos alimentos. A Ação vem sendo executada desde 2003 e nasceu de uma parceria firmada com a Companhia Nacional de Abastecimento - Conab, que recebe recursos do MDS por meio de Termo de Cooperação para sua operacionalização.

São beneficiários da Ação de Distribuição de Alimentos a Grupos Populacionais Específicos os seguintes segmentos populacionais:

Famílias acampadas que aguardam acesso ao Plano Nacional de Reforma Agrária;
Povos indígenas;
Comunidades remanescentes de quilombos;
 Comunidades de terreiros;
Famílias atingidas pela construção de barragens;
Famílias de pescadores artesanais;
População de municípios que estejam em situação de emergência e/ou calamidade pública reconhecida pela Secretaria Nacional de Defesa Civil - Ministério da Integração Nacional


A Ação é realizada em parceria com as entidades e órgãos parceiros responsáveis pela interlocução com cada um desses grupos populacionais. São essas instituições que selecionam e indicam ao MDS as famílias que deverão ser atendidas, segundo critérios institucionais definidos, além de serem responsáveis também pela retirada das cestas dos armazéns da Conab.


Programa de Aquisição de Alimentos – PAA



O Programa de Aquisição de Alimentos - PAA, criado pelo art. 19 da Lei nº 10.696, de 02 de julho de 2003, no âmbito do Programa Fome Zero, possui duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar.

Para o alcance desses dois objetivos, o Programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial, pelos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e pela rede pública e filantrópica de ensino.

O PAA também contribui para a constituição de estoques públicos de alimentos produzidos por agricultores familiares e para a formação de estoques pelas organizações da agricultura familiar. Além disso, o Programa promove o abastecimento alimentar por meio de compras governamentais de alimentos; fortalece circuitos locais e regionais e redes de comercialização; valoriza a biodiversidade e a produção orgânica e agroecológica de alimentos; incentiva hábitos alimentares saudáveis e estimula o cooperativismo e o associativismo.

O orçamento do PAA é composto por recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS e do Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA.

A execução do Programa pode ser feita por meio de cinco modalidades: Compra com Doação Simultânea, Compra Direta, Apoio à Formação de Estoques, Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite e Compra Institucional.

O Programa vem sendo executado pelo Distrito Federal, estados e municípios conveniados com o MDS e pela Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, empresa pública, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa, responsável por gerir as políticas agrícolas e de abastecimento. Para execução do Programa, a Conab firma Termo de Cooperação com o MDS e com o MDA.

Recentemente, a Lei nº 10.696, de 2 de julho de 2003 foi alterada pela Lei nº 12.512, de 14 de outubro de 2011. Essa Lei, por sua vez, foi regulamentada pelo Decreto nº 7.775, de 4 de julho de 2012. Dentre as principais inovações dos recentes normativos está a previsão de execução do PAA mediante Termo de Adesão, dispensada a celebração de convênio. Esse novo instrumento irá, paulatinamente, substituir os atuais convênios, proporcionando maior continuidade e facilidade na execução do Programa. A nova forma de operação prevê a existência de um sistema informatizado, onde serão cadastrados todos os dados de execução pelos gestores locais, e a realização do pagamento pela União, por intermédio do MDS, diretamente ao agricultor familiar, que receberá o dinheiro por meio de um cartão bancário próprio para o recebimento dos recursos do PAA.

Pelo seu papel estratégico no combate à pobreza, o PAA é uma das ações que compõem o Plano Brasil Sem Miséria – BSM, em seu eixo Inclusão Produtiva Rural.

SISAN - Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional


O Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional—SISAN foi criado por meio da Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006 (LOSAN), com vistas a assegurar o direito humano à alimentação adequada. O SISAN tem por objetivos formular e implementar políticas e planos de segurança alimentar e nutricional, estimular a integração dos esforços entre governo e sociedade civil, bem como promover o acompanhamento, o monitoramento e a avaliação da segurança alimentar e nutricional no país.

Integram o SISAN:

a Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional — instância responsável pela indicação ao CONSEA das diretrizes e prioridades da Política e do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, bem como pela avaliação do SISAN (que reúne representantes da sociedade civil e do governo em âmbito federal, estadual e municipal);
o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional—CONSEA — órgão de assessoramento imediato ao Presidente da República, que articula governo e sociedade civil organizada; e
 a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional—CAISAN — instância de mobilização e alinhamento de órgãos governamentais federais para a convergência, transversalidade e monitoramento das políticas em Segurança Alimentar e Nutricional e também as políticas afetas ao tema, que tem por sua vez uma Secretaria-Executiva que organiza, articula e facilita a operacionalização de suas ações.

Órgãos e entidades de SAN da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
Instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, que manifestem interesse na adesão e que respeitem os critérios, princípios e diretrizes do SISAN.

Atualmente integram a CAISAN todos os 19 ministérios que participam do CONSEA, sob a coordenação do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Evangelho do dia de hoje (Lucas 12,1-7)


Sexta-Feira, 19 de Outubro de 2012
São Paulo da Cruz

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. 2Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido.
3Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados.
4Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. 5Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno.
Sim, eu vos digo, a este temei. 6Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. 7Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Lewandowski absolve todos os réus acusados de formação de quadrilha




Lewandowski absolve todos os réus acusados de formação de quadrilha
Dida Sampaio/AE
O revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, reviu o entendimento que havia adotado em votações anteriores sobre o crime de formação de quadrilha e absolveu todos os réus acusados por esse crime no processo. O voto de Levandowski, nesta quinta-feira, 18, livrou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e mais 12 réus neste capítulo e provocou uma reviravolta no resultado do julgamento do deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP).
Ex-presidente do PL, atual PR, Costa Neto havia sido condenado há duas semanas por formação de quadrilha com 6 votos a 4. Com o recuo do ministro, o placar fica empatado, o que pode favorecer o réu. A mudança também favoreceu o ex-tesoureiro do PL Jacinto Lamas, cujo placar no julgamento por esse crime resultou em empate. O julgamento será retomado na segunda-feira, 22, com os votos dos demais ministros.
Lewandowski adotou um entendimento teórico mais restrito para esse crime. Na opinião de Lewandowski, o que caracteriza a formação de quadrilha é a associação de mais de três pessoas, em caráter estável e que se reúne permanentemente, para a prática de uma série de crimes resultando na perturbação da paz pública."O que pretende a regra de proibição, na minha concepção, é inviabilizar sociedades montadas para o crime", disse.
Pelo novo entendimento do ministro, a formação de quadrilha estaria relacionada a outros crimes como sequestros e roubos tramados por um grupo. Além disso, o objetivo fundamental da quadrilha, sustentou o relator, seria o de sobrevivência com o fruto do crime.
Lewandowski completou que esse não seria o caso da quadrilha apontada pelo Ministério Público no processo do mensalão. "Não é uma associação ocasional, efêmera, para conseguir um determinado resultado, no caso, um apoio político de parlamentares", argumentou. O ministro enfatizou que quadrilha se distingue da coautoria de um crime.
Para balizar sua posição, Lewandowski citou as ministras Rosa Weber e Cármen Lúcia que, em julgamento de item anterior do processo, defenderam a mesma tese ao absolver os réus ligados ao PP e ao PL, incluindo Valdemar Costa Neto.
O ministro criticou duramente a denúncia feita pelo Ministério Público por usar o tipo penal de forma genérica. Para o ministro, a denúncia é tecnicamente "inadequada" por haver na mesma acusação pequenas quadrilhas, como é o caso dos partidos políticos, e uma quadrilha maior, supostamente comandada por José Dirceu.
Lewandwski chegou a contabilizar, tanto na denúncia quanto nas alegações finais, quantas vezes o Ministério Público usou distintos termos ao se referir ao grupo. No caso da denúncia, segundo o revisor, foram 54 vezes "formação de quadrilha" e 41 vezes a expressão "organização criminosa", além de também usar "associação criminosa". Segundo o ministro, "há uma clara distinção penal" entre os três termos. "Essa verdadeira miscelânia conceitual enfraqueceu, a meu ver, a acusação", disse.

DESMANDOS DE TODA ORDEM PELAS PREFEITURAS DO CEARÁ


Valdecy Alves Alves

PREFEITURAS DO INTERIOR DO CEARÁ - COMEÇAM O DESMONTE - mal passaram as eleições PRATICAM O EXECRÁVEL DESMONTE NO INTERIOR DO CEARÁ: transferências, demissões, exonerações, atraso de salários, ameaças de toda ordem aos servidores.... INADMISSÍVEL PUNIR PESSOAS POR TEREM EXERCIDO O DIREITO AO VOTO OU USAR A MÁQUINA PÚBLICA PARA VINGANÇA OU PARA PAGAR DÍVIDAS ELEITORAIS! Alguns exemplos: Irauçuba, Tamboril, Ipaumirim, Mucambo, Acaraú, Umari, Itapiúna... MAS TODAS AS PROVIDÊNCIAS SERÃO TOMADAS - JUNTO AOS PROMOTORES ELEITORAIS - JUNTO À PROCAP E AO TCM - A resposta do movimento sindical será dura, rápida e eficaz. Os violadores de hoje serão os fichas sujas de amanhã! PODEM CRER! QUEM VIVER VERÁ!

Depois das Eleições Quase 300 servidores temporários são dispensados em município do CE



A prefeitura de Barro, no interior do Ceará, demitiu nesta terça-feira (16) 260 servidores com contratos temporários). São professores, médicos, enfermeiros, dentistas, além de outros profissionais que foram surpreendidos com a notícia da suspensão dos contratos. De acordo com o procurador do município, Gilson Marques, a medida foi necessária para atender às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal, que determina o teto de 60% da receita do município para o pagamento de servidores. Segundo o procurador, uma auditoria interna constatou diversas irregularidades na contratação de funcionários temporários. Além disso, Gilson Marques afirma que nos oito primeiros meses de 2012, o município já tinha extrapolado em R$ 1,3 milhões o limite determinado pela legislação federal. "Neste caso, a Lei de Responsabilidade Fiscal e até a Constituição Federal mandam enxugar a folha de pagamento, dispensando servidores ocupantes de cargos comissionados, com contratos temporários e, em caso extremo até os funcionários efetivos do município. Resolvemos começar pelos temporários", afirma. Enquanto isso, a população reclama que postos de saúde e escolas funcionam de forma precária ou até fecharam. Na Escola de Ensino Fundamental e Médio Joaquim Alves Pereira, no distrito de Santo Antônio, que atende 200 alunos, todos os funcionários foram dispensados e a escola fechou. Um dos programas do Governo Federal, no município, o Pro-Jovem, que prepara adolescentes para o mercado de trabalho, também deixou de funcionar depois da dispensa de 15 funcionários. O Pro-jovem em Barro atendia 225 adolescente de 15 a 18 anos.

 Fonte: G1

Rádio Mais você

Click no link e passe a ouvir.

http://maisvoce.caster.fm/

Rádio Mais você


Radio Dashboard


Em 40 anos de missão na África, religiosa se diz realizada



Kelen Galvan
Da Redação


Arquivo pessoal
A superiora da Comunidade de Matola, Moçambique, Ir. Felicidade Maria Luis (esq.), Ir. Josenilde Pietrobon e Ir. Maricilla Pereira Marques
Uma vida de total dedicação ao povo africano. Assim é a vida de Irmã Josenilde Pietrobon, 73 anos, religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Consolata, que há 40 anos realiza um trabalho missionário em Moçambique.

Agora no Brasil para um período de descanso, a religiosa se diz ansiosa para retornar logo à África e continuar os inúmeros trabalhos que realiza. Enfermeira, catequista, artesã, evangelizadora... em terra de missão não há como realizar um trabalho apenas.

"A nossa vida não se limita a um setor específico porque o nosso fundador sempre dizia: 'primeiro elevem as pessoas como ser humano e depois é que vocês vão semear a semente do Reino na vida dessas pessoas'", explica a religiosa.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Entrevista com Irmã Josenilde


Em Moçambique desde 1972, a religiosa acompanhou o país em várias realidades difíceis, na guerra contra Portugal e em uma guerra civil que durou 17 anos. Mas em momento nenhum ela e as outras religiosas pensaram em "abandonar a missão", apesar de todo sofrimento vivido, e dos limites, que chegaram ao extremo, desde a alimentação até moradia.

A permanência insistente foi questionada pelo próprio povo. Mas a resposta era convicta: "Se nós vivemos os momentos felizes com vocês, porque vamos abandoná-los agora que é o momento de maior sofrimento para vocês e para nós? Nós queremos ficar com vocês!"

E foi essa atitude das religiosas que conquistou a confiança dos moçambicanos. "Ele diziam que, ' estas nos amam verdadeiramente, que poderiam ter uma vida melhor na sua terra, mas querem ficar aqui, é porque verdadeiramente é uma missão de Deus'".

Irmã Josenilde conta que a grande motivação para permanecer tantos anos na África sempre foi a certeza de estar fazendo a vontade de Deus.

"Eu sinto que essa é a minha vocação, é a essa vocação que Cristo me chamou, a Ele me consagrei, e consagrando-me a Ele, me consagrei ao povo que ele colocou nas minhas mãos. Minha missão é para a vida. Não é uma missão por um ano, cinco anos, dez anos, mas é por toda a vida. Se eu devo permanecer ali e ali morrer, eu estou realizando ali a minha vocação religiosa missionária", afirma.
Arquivo
Ir. Maria Gregória Tontini, enfermeira, trabalhando na Missão de Maúa no Centro de Saúde
Evangelizar um povo de cultura tão diferente é um desafio, e segundo a religiosa, a maior dificuldade vivida, atualmente, pelos missionários é exatamente o fato destes levarem sua cultura e procurarem fazer com que o povo viva de acordo com ela. A religiosa explica que nós temos que ser abertos à cultura deles, e depois, aos poucos, elevá-la. "Aos poucos, cristianizar a cultura deles, o seu modo de ser e de fazer".

Irmã Josenilde destaca que suas superioras sempre orientavam os missionários que iam para terras distantes a, ao menos por um ano, apenas escutar, observar, perguntar para tentar compreender, mas não dizer nada, não se posicionar. Apenas procurar descobrir o que aquele povo necessita e dar a eles o que eles precisam. Só assim, aos poucos, eles irão sentir a necessidade de se abrir a Deus.

A dedicação aos moçambicanos é grande e a religiosa afirma que se sente realizada. "Na minha vida talvez possa fazer pouco, mas na minha oferta de cada dia, na minha oração, no meu testemunho, no anúncio da Palavra de Deus, mesmo ensinando a fazer trabalhos manuais, que possam melhorar a sua vida [do povo], eu me sinto realizada na minha vocação".

Mas o sentimento de realização não vem apenas desse empenho. Irmã Josenilde explica que o segredo dessa felicidade está em "dar tempo a Deus, na oração, dar tempo para a própria formação e dar tempo aos irmãos, em tudo aquilo que eles precisam".

Ela destaca que não é pelo fato de se ter muitas atividades para fazer que precisamos deixar a vida de oração de lado. Ao contrário, é preciso sim ser generoso e disponível em tudo, mas é preciso ser mais generoso consigo mesmo, procurando junto de Deus aquilo que se quer ser junto ao povo.

"Não é tanto falar, falar e falar, mas falar desse povo ao próprio Deus, a Jesus Cristo, aos pés do Sacrário, nas nossas horas de oração e de reflexão. Nós precisamos cultivar a nós mesmos, nesse sentido, porque senão nós não temos nada para dar aos outros depois", ressalta Irmã Josenilde. 

Fonte: Canção Nova Notícias

Evangelho do dia de hoje (Lucas 10,1-9)


Quinta-Feira, 18 de Outubro de 2012
São Lucas, evangelista


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita.
3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘o Reino de Deus está próximo de vós’”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ESCUTE A PROGRAMAÇÃO DA RADIO MAIS VOCÊ.

Quer ouvir uma boa música? Então não perca tempo. Entre no sit http://maisvoce.caster.fm/ e escute.
Uma radio votada pra você que gosta de refletir, cantar e encher seu coração de paz.

Professor Valdeni Cruz

Demissões em Pentecoste


Pentecoste:
DEMISSÕES APÓS PLEITO ELEITORAL É FRAUDE
Chegou ao meu conhecimento hoje, que o prefeito municipal de Pentecoste estaria demitindo servidores que não teriam votado em sua candidata no pleito 2012.

Na qualidade de vereadora e principalmente de eleitora deste município, eu não poderia deixar de manifestar-me acerca do assunto. Demissões neste período além de se constituir perseguição politica é também conduta vedada segundo a legislação eleitoral.

É preciso que o povo de Pentecoste reflita sobre atitudes de cunho perseguidor e ilegal tal qual demitir áqueles que recusam cabresto. Até pergunta-se: Porque em vez de demitir o prefeito não realiza concurso público?

Segundo o artigo 73, V, da Lei 9.504/97 e artigo 50 V da resolução do TSE 23.370/2011 é proibido, sob pena de nulidade de pleno direito, nos três meses que antecedem o pleito eleitoral até a posse dos eleitos a "nomeação, contratação, demissão, remoção, transferência ou exoneração de servidor público".

Diga-se ainda, que o TSE firmou entendimento de que as contratações e demissões de servidores temporários também são vedadas pela Lei no prazo des restrição. 

O TSE também entende que não é proibido neste periodo a realização de concurso público, mas somente a nomeação de servidor.

Sendo cidadã deste município quero externar meu profundo desprezo a atos desta natureza, ressaltando ainda que o prefeito está demitindo com data retroativa a primeiro de outubro de 2012, isto é, despreza até os dias trabalhados pelo servidor.

Será este o Pentecoste que queremos? É este o rumo certo?

Vereadora Dra. Valéria.

Justiça condena José Genoino e Delúbio Soares a 4 anos de prisão

 
 
 
 
 
 
Da Redação

O ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares foram condenados a quatro anos de prisão cada um pela Justiça Federal em Minas Gerais pelo crime de falsidade ideológica, em um processo que é um desdobramento do mensalão.

Os petistas e executivos do banco BMG foram considerados culpados pela montagem de empréstimos fictícios e falsos ao PT e ao grupo do publicitário Marcos Valério nos anos de 2003 e 2004.

Na sentença, a juíza Camila Velano, da 4ª Vara da Justiça Federal, diz que empréstimos milionários feitos às empresas de Valério foram irregulares, sem verificar normas do Banco Central.

Os petistas foram condenados porque assinaram os empréstimos.

Luiz Fernando Pacheco, defensor de José Genoino, diz que recorrerá da decisão por entender que há "contradição" em relação à denúncia do mensalão.

"Discordamos dessa acusação não apresentada na ação penal 470 [do mensalão]", diz.

Os advogados de Cristiano Paz, Rogério Tolentino e Ramon Hollerbach também disseram que recorrerão da decisão.

O BMG disse que "não vai se pronunciar no momento". Celso Vilardi, advogado de Delúbio, disse que não se manifestaria antes de ler a sentença e o advogado de Valério não foi localizado.
 
www.regiaonoroeste.com

No Cerá foi assim - Pra aqueles que têm memória curtíssima. Cearenses comem Calango para não morrer de fome 1983.


Essa foto é o Chico Marcolino da Ilha - Apuiarés - Ce  

 

Na primeira dezena de agosto de 1983, o governador do Ceará, Gonzaga Mota, assustou-me ao revelar uma estatística escandalosa apurada por sua Secretaria de Saúde: por causa da seca que mais uma vez castigava o Estado, estavam morrendo, antes de completar um mês, 250 crianças por cada mil nascidas vivas. A informação ganhou, no dia seguinte, a primeira página do Jornal do Brasil. Era o começo de uma escalada que me levaria ao epicentro do flagelo nordestino.

Repórter do JB baseado no Ceará, acostumado a escrever notícias sobre as "prolongadas estiagens", como os livros técnicos denominam a seca, fui ao encontro dela, literalmente. Apoiado pelas lentes e pela alta sensibilidade do fotógrafo Delfim Vieira, dirigi meu fusca até Lagoa do Juvenal, um povoado entre as cidades cearenses de Maranguape e Canindé. Ali, revoltados porque o Governo não lhes pagara, como prometera, os 15 mil cruzeiros mensais do Programa de Emergência - o Bolsa Família da época -, eles saquearam o comércio daquela e de outras vilas. A foto da revolta foi para a primeira página.

Mal o sol do dia seguinte botou a cara no horizonte, tomamos de novo o rumo do sertão. Chegamos a Irauçuba, por onde passa a rodovia BR-222 em direção ao Piauí e onde ainda hoje o povo vive de teimoso. O fusquinha vermelho entrou em uma estrada que mais era uma vereda, ladeada pela caatinga cinzenta. Vinte minutos e muita buraqueira depois, surgiu uma casa de pau a pique. De lá saíram uma senhora idosa e um garoto de 15-16 anos. Era perto de 11 horas, o sol estava a pino. "O que vocês comeram hoje?" E eles: "Ainda vamos comer o que sobrou de ontem, uns pedaços de punaré". Delfim não acreditou quando viu na panela os restos de um rato do mato, cozido e misturado com farinha. A mulher e o menino contaram que comer punaré, era comum em tempos de seca. Mais uma notícia com chamada na capa do JB.

Na noite de 21 de agosto, a TV Verdes Mares, afiliada cearense da Rede Globo, mostrou o prefeito de Apuiarés, Fábio Alves, pedindo socorro por um motivo incrível: "Aqui, o povo está comendo calango". Amanhecemos lá. E na zona urbana de Apuiarés, não mais que 500 m adiante da praça principal da cidade, deparamo-nos com um sertanejo de uns 50 anos - parecendo ter 70 - com o rosto precocemente enrugado. Usando uma baladeira, tipo de atiradeira muito utilizada no Ceará, ele acabara de abater uma lagartixa de uns 20 cm de comprimento. "O que vai fazer com isso?", perguntamos. "Vou fazer um torresmo e depois comer." E testemunhamos todo o rudimentar e deprimente processo culinário que se seguiu.

A foto de Delfim Vieira, mostrando o sertanejo cearense segurando o calango, correu o mundo. Foi para a primeira página do Jornal do Brasil, que publicara, na véspera, uma foto do ministro da Fazenda, Delfim Neto, jantando no famoso restaurante Maxim's, em Paris. As duas fotos renderam charges de Ziraldo e Chico Caruso. Na do Chico, um brinde transoceânico: o sertanejo erguendo o seu calango, o ministro a sua taça de champanhe.

A história do calango mobilizou a solidariedade nacional. E internacional. Uma igreja Batista holandesa despachou de Rotterdam para Fortaleza 20 contêineres cheios de roupas. E depois mandou uma equipe de tevê que passou uma semana a documentar, nos sertões de Canindé, a entrega de tudo. A BBC também veio e cumpriu praticamente o mesmo roteiro. A seca estava, então, globalizada.

No Brasil, coordenado por José Antônio do Nascimento Brito, vice-presidente do Jornal do Brasil, um grupo de empresários passou a transferir, mensalmente, uma ajuda financeira que socorreu 649 famílias cearenses. Cada empresário apadrinhou uma família. E cada família, algumas com até 15 filhos, posou para uma foto enviada a seu padrinho. Por sua vez, José Milton Dallari, titular da Superintendência Nacional de Abastecimento (SUNAB), depois de ver pessoalmente o drama da seca no Ceará, sensibilizou-se e, sob forte emoção, mobilizou a indústria farmacêutica, que enviou contêineres com remédios para todas as doenças. Detalhe, toda essa ajuda veio aos meus cuidados.

Para coordenar a distribuição de tanta colaboração, foi necessária a criação da Associação Novos Clarões (ANC), constituída de casais do movimento Encontro de Casais com Cristo. A ANC cadastrou nas regiões de Bonito, Bonitinho e Serrinha dos Aragão, nos sertões de Canindé, aquelas 649 famílias, que passaram a receber, mensalmente, cestas básicas e, ainda, a assistência de médicos de clínica geral, pediatras, obstetras, ginecologistas, oftalmologistas e dentistas, todos voluntários. As visitas mensais da ANC, que aconteciam sempre aos sábados, viraram um acontecimento para aquelas comunidades sertanejas.

Passaram-se 27 anos. Hoje, o Ceará enfrenta, novamente, uma seca. A estação de chuvas deste ano registrou pluviometria muito abaixo da média, como haviam previsto os institutos de monitoramento do clima. Consequência econômica da seca de hoje: a safra agrícola, estimada em janeiro em 1,4 milhão de toneladas de grãos (600 mil toneladas só de milho), será de menos de 500 mil toneladas. Consequência social: outra vez, há carros-pipa distribuindo água potável às populações isoladas. Mas não houve e nem há notícia de gente morrendo de fome; não há frentes de serviço; não há registros de pessoas comendo ratos ou calangos.

Não foi só por causa do Bolsa Família que as consequências sociais da nova seca deixaram de ser trágicas e graves como as da "prolongada estiagem" de 1983. Nem só porque o Banco do Nordeste criou, ampliou e consolidou, em cinco anos, em toda a região, o Crediamigo, promotor de uma revolução nos povoados mais pobres dos sertões da região. O Crediamigo financia, com inadimplência perto de zero, micro e pequenas iniciativas empresariais, como uma carrocinha para a venda de picolé ou uma máquina de costura - o que fez aumentar o consumo e os negócios entre os que eram desassistidos.

Esses instrumentos foram e são importantes para a mudança que houve nos últimos anos no panorama econômico e social do Nordeste e que aconteceu por outras atitudes. Exemplo: o Governo do Ceará concebeu e executa, desde o início dos anos 1990, uma política de recursos hídricos que serviu de modelo para outros Estados. Foram construídas várias grandes e médias barragens, uma das quais, a do Castanhão, tem capacidade para represar 6,5 bilhões de m³ de água. Uma rede de canais a céu aberto e de adutoras está unindo as bacias hidrográficas mais importantes do Estado. O maior desses canais - o que liga o Castanhão ao Porto do Pecém, com quase 400 km de extensão, que garante o abastecimento das cidades da Região Metropolitana de Fortaleza - está na sua quinta e última etapa, devendo ficar pronto em meados do próximo ano.

Outros Estados nordestinos tomaram o mesmo caminho. Em 1983, eu, com minhas reportagens sobre a seca no Jornal do Brasil, e o Fernando Gabeira, que produziu uma extensa reportagem abordando o mesmo tema na revista IstoÉ, dividimos o primeiro Prêmio BNB de Imprensa. Hoje, felizmente, a seca - sem produzir a tragédia humana de 27 anos atrás - deixou de ser pauta prioritária das redações. O Prêmio BNB de Imprensa trata, agora, de revelar o sucesso de micro e pequenas empresas que já se matricularam no comércio exterior, e de homenagear os avanços tecnológicos da indústria nordestina, seus complexos portuários, a expansão de sua fruticultura, o aumento de suas exportações, os investimentos na geração de energia limpa, como a eólica, e na formação e na qualificação da mão de obra.

Que seja a seca - quando ela acontecer, como agora - um evento natural com o qual os nordestinos aprenderam a conviver. De tudo o que vi, restou-me a certeza de que, de 1983 até aqui, o nordestino deixou de ser um bicho sabido. E virou um sábio.

Foto e texto: Delfim Vieira (Jornal do Brasil- 1983)

Avançando na Luta em 2012!] SINDSEP PENTECOSTE TERÁ ELEIÇÕES‏

O Sindsep Pentecoste  passará por eleições dia 10 de novembro de 2012 para compor sua nova Diretoria Executiva e Conselho Fiscal. 
O requerimento do Registro de Chapas deverá ser protocolada na Secretaria do Sindicato entre os dias 08 e 22 de outubro de 2012 em horário comercial com a Comissão Eleitoral.
No dia da eleição, os servidores filiados poderão votar na urna fixa ou numa das  08 (oito) urnas volantes que terão seu intinerário será fixado previamente pela Comissão Eleitoral. 

Publicado pelo Sindsep Pentecoste

Evangelho do dia de hoje (Lucas 11,42-46)


Quarta-Feira, 17 de Outubro de 2012
Santo Inácio de Antioquia


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse o Senhor: 42“Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo. 43Ai de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, e de serdes cumprimentados nas praças públicas. 44Ai de vós, porque sois como túmulos que não se veem, sobre os quais os homens andam sem saber”.
45Um mestre da Lei tomou a palavra e disse: “Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!” 46Jesus respondeu: “Ai de vós também, mestres da Lei, porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis, e vós mesmos não tocais nessas cargas, nem com um só dedo”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Professor também merece um lugar ao sol


Professor merece descansar e alegrar-se.
Também merece ter o seu lugar ao sol.
Merece ser respeitado e bem tratado.
Professor merece ser reconhecido e valorizado.
Merece ter as suas opiniões levada em conta.

Enquanto muitos brasileiros são estimulados por suas próprias famílias a seguirem determinada profissão, aquelas consideradas de maior “prestígio”, aqueles que optam em ser Professores o fazem sem o alarde e nem o apoio de ninguém.
Escolhem por conta própria um caminho que muitos não tem coragem e nem disposição para trilhar.

Enfrentamos todos os dias muitas adversidades, as quais não fomos preparados e nem alertados na Universidade.
Mas, lembre-se:
Você faz o que muitos não tem coragem de fazer.
Você vai onde ninguém quer ir!
Você fala o que ninguém ousa falar!
Você tem a vontade e persistência que falta em muitos políticos!
Você é a definição da palavra RESILIÊNCIA
O Professor é o único indivíduo que tem a capacidade de reinventar-se todos os dias
Você não se conforma com o óbvio e nem desiste com o inesperado.

Obrigada a todos os meus Professores que nunca desistiram de mim. Que souberam desafiar-me e a não me conformar com migalhas e me instigaram a sempre fazer mais e melhor.

Obrigada por sempre terem dito o que eu precisava ouvir .

Obrigada por me corrigirem e chamar a minha atenção.

Obrigada por não terem tido pena de mim quando eu fracassava.

Obrigada a todos os Professores  que estão fazendo a diferença na vida de centenas de milhares de crianças, jovens  e adultos.

KIT-GAY ENTRA NA DISPUTA ELEITORAL EM SÃO PAULO

Com 'kit-gay', Haddad quer colar em Serra rótulo de intolerância

Com 'kit-gay', Haddad quer colar em Serra rótulo de intolerância

Guerra dos sexos

Ainda que o marketing de Fernando Haddad hesite, o "kit-gay" passará a ser abordado pela campanha petista na tentativa de colar na candidatura de José Serra o rótulo da intolerância contra as minorias.

Por ora distante da propaganda na TV, o tema tomou conta da ofensiva do PT nas redes sociais e levou o núcleo da Diversidade Tucana, que reúne ativistas LGBT filiados ao PSDB, a se posicionar, refutando elo do ex-governador com Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus.

Onde pega Serristas, contudo, afirmam que introduziram o tema como parte da estratégia de desconstrução da gestão de Haddad no MEC. "Não vamos entrar no conteúdo. O que importa é mostrar o despreparo na condução do ministério", diz um membro do QG tucano.
Prevenção Para se blindar de ataques, Serra lembra que implantou em 2005, quando prefeito, a Coordenadoria da Diversidade Sexual, vinculada à Secretaria de Participações e Parcerias.

No papel Em seu programa de governo, a ser anunciado hoje, o candidato tucano também inseriu trecho em que promete "ampliar políticas públicas de inclusão e proteção à cidadania e contra todas as formas de preconceito com foco na valorização da diversidade e no combate à violência homofóbica".

Menos Em conversa com Dilma Rousseff, Lula analisou o desempenho de Eduardo Campos projetando 2014. Avaliou que o governador, se quiser pleitear a Presidência, precisará amarrar o PSB, já que em cidades como Belo Horizonte e Campinas o partido seria "sublegenda'' do PSDB, que lançará Aécio Neves.

Autonomia Já interlocutores de Dilma se mostram surpresos com o PSB, que ainda não reivindicou mais espaço no governo após o bom resultado nas urnas. Acreditam que a sigla prepara desembarque da base aliada, já que os atuais ministérios --Portos e Integração Nacional-- são periféricos.

Dúvida Impulsionado pela votação à prefeitura, Gabriel Chalita já se posiciona, nos bastidores, para 2014. A movimentação preocupa Paulo Skaf, que recebera de Michel Temer garantia da legenda para governador.

Muita calma... Ministros do STF corroboram entendimento de que não haverá prisões imediatas ao fim do julgamento do mensalão. Ainda que o relator Joaquim Barbosa endosse esse pedido, feito pelo Ministério Público, a maioria da corte entende que as penas só devem ser cumpridas após a publicação do acórdão.

... nessa hora O que o Supremo pode fazer é decretar, na sentença, a suspensão dos prazos de prescrição. Com isso, quando os réus finalmente forem cumprir pena, não haveria risco de elas se tornarem inócuas.

Novo round 1 Além dos desentendimentos que protagonizam, Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski devem travar discussões também no CNJ, do qual agora são presidente e vice-presidente, respectivamente, segundo a expectativa de ministros da corte.

Novo round 2 Enquanto Barbosa defende uma atuação mais ativa do órgão, Lewandowski, tende a ter uma visão mais corporativista.

Tribo Observadores da campanha em Manaus dizem que os ataques de Lula a Arthur Virgílio beneficiaram o tucano no final da campanha. Nas redes sociais, o ex-senador passou a ser comparado ao índio Ajuricaba, símbolo da resistência da tribo manaó aos portugueses no Amazonas no século 18.

*

TIROTEIO

A voz de Eduardo Paes no PMDB sempre foi muda, ainda mais quando parte para a piada de propor a República dos Guardanapos.

DO EX-DEPUTADO GEDDEL VIEIRA LIMA, em resposta ao prefeito do Rio, que sugeriu o governador Sérgio Cabral para substituir Temer como vice de Dilma

*

CONTRAPONTO

Pro netinho e pro vovô

Os candidatos a prefeito de Manaus, sem exceção, se comprometeram no primeiro turno a manter um programa, implementado na gestão de Amazonino Mendes na capital do Amazonas, batizado de Leite do Meu Filho.

Quando fazia corpo a corpo nas ruas, Serafim Corrêa (PSB), que já ocupou a prefeitura, era constantemente cobrado por eleitores a continuar o projeto. Mas foi surpreendido por um mendigo numa caminhada.

--Prometa instituir o programa Viagra do Meu Velho! Aí é certeza que o senhor ganha a eleição!

Serafim riu, mas não se comprometeu com a proposta.

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...