sábado, 29 de outubro de 2011

Câncer de Lula é provocado por cigarro e bebida



Ao assumir a Presidência da República, Lula trocou o cigarro pelas cigarrilhas
Ao assumir a Presidência da República, Lula trocou o cigarro pelas cigarrilhas
Ex-presidente é surpreendido com diagnóstico de câncer na laringe, mas reage com otimismo e esperança Fernando Granato e Jussara Soares/Diário SP


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começa amanhã um  tratamento de quimio e radioterapia para combater um câncer de laringe. O diagnóstico foi divulgado neste sábado após uma série de exames realizados no Hospital Sírio-Libanês, na região central da capital. O tumor maligno tem entre 2 e 3 centímetros de diâmetro e está localizado próximo das cordas vocais, na parte superior da laringe (supraglote). Segundo informações do hospital, estaria restrito à laringe,  sem metástase, quando o tumor se espalha por outras regiões.  Este tipo de câncer tem como principal causa o fumo e o uso de álcool e atinge principalmente homens.

Acompanhando pela mulher Marisa Letícia, Lula deixou o hospital neste sábado, por volta das 20h, e foi para sua casa em São Bernardo do Campo, na região do ABC. Ele se internou às 8h da manhã para a realização de uma biópsia que vai apontar o tipo de tumor e a agressividade do câncer. O resultado ainda não foi divulgado.

O tratamento, que começa nesta segunda-feira, deve durar no máximo três meses. Serão três ciclos, com intervalos de 20 dias. Lula não precisará ficar internado neste período e irá ao hospital só para receber a medicação.

Sintomas / Há mais de duas semanas, Lula vinha apresentando rouquidão e dores de garganta. Na quinta-feira, durante a comemoração de seu aniversário de 66 anos, ele foi aconselhado pelo amigo e médico Roberto Kalil Filho a ir ao hospital para fazer exames de imagem. Na sexta-feira, Lula fez uma tomografia no pescoço que apontou o tumor.

O boletim médico foi divulgado às 11h pelo Sírio-Libanês.  A decisão de divulgar imediatamente o diagnóstico foi do próprio Lula. Por isso, amigos foram pegos de surpresa.

Segundo o médico gastroenterologista Raul Cutait, que faz parte da equipe do Sírio-Libanês e é amigo pessoal do ex-presidente, Lula reagiu ao resultado dos exames com serenidade. O médico disse ainda que Lula se alimentou e seu estado de saúde no geral é bom.

O ex-presidente passou a maior parte do tempo com a mulher, Marisa Letícia. Mas à tarde recebeu a visita do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que permaneceu por meia hora no hospital. Segundo o ministro, Lula usava máscara de oxigênio e falava com dificuldade. “Estive no aniversário dele na quinta-feira e todos pensavam que a rouquidão era porque ele fala muito e vem participando de muitas palestras”, observou Mantega. Agora, a recomendação dos médicos é para que o ex-presidente poupe a voz.

O médico que vai administrar as sessões de quimioterapia é o oncologista Artur Katz. Após os três ciclos de medicamentos, Lula passará por avaliação para saber se houve redução do tumor. Embora o câncer seja na garganta, Lula não terá a fala atingida durante o tratamento. As doses deverão causar a queda temporária de cabelos. Lula tinha viagens agendadas para o Rio Grande do Sul, Estados Unidos, República Dominicana e Venezuela em novembro.  Os compromissos devem ser adiados, segundo o amigo Paulo Okamoto.

Ex-presidente parou de fumar em 2010 depois de 50 anos
Após 50 anos de vício, Lula deixou de fumar no início de 2010, depois de ter uma crise hipertensiva.  Ao assumir a presidência, ele trocou o cigarro pelas cigarrilhas, mas ainda assim continuou fumando bastante. Por dia, eram cerca de duas cartelas. 

O ex-presidente, que nunca escondeu que gostava de beber cachaça, tem o perfil da população mais atingida pelo câncer de laringe, cujas vítimas são predominantemente homens.

De acordo o médico José Guilherme Vartanian, cirurgião oncologista da região da cabeça e pescoço do Hospital do Câncer A.C. Camargo, as chances de recuperação são próximas de 90% quando o câncer é diagnosticado precocemente.

A cirurgia só é indicada como último recurso, pois pode deixar sequelas graves para a fala e a deglutição de alimentos. “A radioterapia e a quimioterapia são tratamentos que preservam o órgão.” Porém, o médico acrescenta que dependendo da gravidade do tumor e as sessões da radioterapia também podem deixar sequelas, ainda que mais brandas. “A radioterapia pode causar enrijecimento do tecido da laringe. Além de atrapalhar a fala e a deglutição, pode causar tosse, falta de ar e  pneumonia.”

O Brasil é o segundo país com mais casos de câncer de laringe. E São Paulo tem uma das taxas mais altas  do mundo. A média mundial é de 5 casos para cada 100 mil homens. Enquanto que em São Paulo, a taxa chega a 15 ocorrências por 100 mil.  “A poluição ambiental contribui para o câncer de laringe.  Com o  perfil do ex-presidente não é raro ter este tipo de câncer”, diz o médico.

Diagnóstico é dado 7 meses após morte de José Alencar
Lula recebeu o diagnóstico de câncer sete meses após a morte de seu vice, José Alencar, pela mesma doença e dois anos depois de a presidente Dilma Rousseff – então chefe da Casa Civil – ter sido considerada livre de um linfoma. Lula acompanhou de perto o tratamento de ambos.

O caso de Dilma – câncer no sistema linfático – foi tornado público em abril de 2009 quando, aos 61 anos, ela retirou um tumor de 2,5 centímetros da axila esquerda. Por causa das sessões de quimio e radioterapia, ela perdeu o cabelo e chegou a usar peruca. Dilma também fez o tratamento  no Hospital Sírio-Libanês. Em setembro de 2009, ela foi considerada curada.

Já José Alencar acabou vencido pela doença aos 79 anos, em março deste ano, após uma batalha de 13 anos. A morte - por complicações de um câncer de abdômen e falência múltipla dos órgãos – pegou de surpresa a tanto a presidente Dilma quanto Lula, que estavam em Portugal.

http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/2556/Cancer+de+Lula+e+provocado+por+cigarro+e+bebida


Diagnosticado a tempo, câncer de laringe tem 90% de chance de cura


Renata Honorato e Beatriz Ferrari

O tumor de laringe, chamado carcinoma de células escamosas, é um tipo relativamente comum de câncer, explica Antonio Carlos Buzaid, chefe-geral do centro avançado de oncologia do Hospital São José. Quando diagnosticado em estágio inicial, as chances de cura são de até 90%. Até a fase intermediária, as chances caem para 60%.

Buzaid afirma ainda que o tumor de laringe localizado, como o do Lula, é altamente curável, já que o câncer não chegou a se espalhar pelo organismo. Conforme Buzaid, a maioria dos casos é diagnosticada no início por causa dos sintomas aparentes, como a rouquidão crônica. "O paciente percebe que continua rouco após três ou quatro semanas e procura um médico. Isso torna esse tipo de câncer de fácil diagnóstico", completa o oncologista.

Em geral, o câncer de garganta quando diagnosticado em seu estágio inicial é tratado através de radioterapia e, se pequeno, removido por meio de uma cirurgia a laser. Na fase intermediária, a doença é tratada com quimioterapia e, se necessário, radioterapia. Já nos estágios avançados o tratamento consiste em sessões de quimioterapia e, em uma segunda fase, quimioterapia aliada à radioterapia. Em todos os casos, inclusive nos mais avançados, os médicos evitam a cirurgia convencional por se tratar de um procedimento muito danoso. "Os pacientes podem ficar roucos para sempre", explica Buzaid. Os médicos do Hospital Sírio Libanês, que optaram pela quimioterapia no tratamento do ex-presidente Lula, afirmaram se tratar de um tumor pequeno, mas não informaram em que fase a doença foi diagnosticada.

Causas - O médico José Vartanian, cirurgião de cabeça e pescoço do Hospital Sírio Libanês, diz que o consumo de álcool pode aumentar em até dez vezes as chances de uma pessoa desenvolver câncer em órgãos como laringe e boca. Já o cigarro aumenta em até 25 vezes as chances do surgimento da doença. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, cerca de 2/3 dos tumores aparecem na corda vocal e 1/3 surgem na região localizada acima das cordas vocais.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O INFERNO EXISTE?

NOTA: Transcrevemos na íntegra o mail recebido de F. S. sendo a nossa argumentação apresentada a negrito. Veja o que a doutrina da existência de um inferno de fogo causa aos que observam do lado de fora o cristianismo: - Não é novidade nenhuma que a doutrina da existência de um inferno de fogo tenha, ao longo dos tempos, causado as mais variadas reacções naqueles que a conhecem ou que, simplesmente, a ouvem. Não é também novidade que tanto dentro como fora do cristianismo exista uma certa aversão a tudo o que diga respeito a condenação vindoura. Vivemos cada vez mais numa "sociedade asséptica" onde toda e qualquer noção de sofrimento é vista como reprovável, absurda, mesmo condenável. Neste caso não hesitamos em estabelecer a mesma medida que condenamos, isto é, condenamos os que advogam a doutrina da condenação. Este estado de espírito não somente reina fora do cristianismo como também, infelizmente, dentro dele. Vários sectores da igreja instituída já não hesitam unicamente em negar a existência do inferno, como também vão mais longe ao afirmar que, no fim dos tempos, todos serão igualmente salvos independentemente do que tenham feito em vida. O INFERNO EXISTE? F. S. A Igreja Católica passou 2000 anos descrevendo o inferno como um lugar cheio de fogo e tortura. Os protestantes ainda se apegam a essa ideia e é assim que ele foi mostrado aos pastores de Fátima durante uma das supostas aparições da Virgem. Agora a Igreja diz que o sofrimento é apenas a ausência de Deus, o arrependimento por se ter escolhido a opção errada. Não uma condenação, mas uma escolha individual. Resposta: Em relação ao inferno, a Igreja ao longo dos tempos só tem afirmado o que os documentos que servem de autoridade em matéria de fé (a Bíblia) afirmam acerca dele (Marcos 9.43; Mateus 8.12, 14.42, 50; Isaías 33.14; Apocalipse 20.15; etc...). Se a Igreja não o fizesse, então qual seria o padrão segundo o qual ela apresentaria a sua doutrina? Se ela apenas apresentasse partes da Bíblia como autoridade, então porque pregar a salvação, o amor de Deus, ou mesmo o paraíso. Ou aceitamos tudo ou não aceitamos nada. Não podemos é aceitar só o que nos interessa. Devemos também denunciar que a autoridade da Igreja só é aceitável enquanto Ela está submissa à autoridade da Palavra de Deus. Infelizmente nem sempre isso aconteceu. Pecado é o que a Bíblia diz que é pecado, não a Igreja; inferno é o que a Bíblia diz que é inferno, não a Igreja. Se a Igreja diz que o inferno é apenas a ausência de Deus, então o mundo é o inferno, ou seja, o inferno é aqui e agora, o que contraria o que as Escrituras descrevem como sendo o inferno. O inferno é a condenação resultante de uma escolha individual. Ninguém escolhe directamente o inferno. Simplesmente ao rejeitarem Deus, os indivíduos estão, indirectamente, a escolher o inferno. Ninguém escolhe directamente ter um cancro do pulmão. Mas ao decidir acender um cigarro estou, indirectamente, a escolher ter mais probabilidades de o contrair. Este é o castigo de uma acção tomada livre e espontaneamente, pois poderia ter escolhido o seu contrário. Se só ao chegar lá os pecadores vão realmente entender que estavam errados, como afirmar que a escolha foi consciente e informada? Pelo contrário, em Lucas 16:19-31 conta-se a parábola do rico no inferno que pede que seus irmãos ainda vivos sejam sejam avisados do que lhe aconteceu para que não acabem como ele, o que lhe é negado. A explicação, ridícula, é a de que, se não acreditaram em Abraão e nos profetas, também não vão acreditar se os mortos lhes aparecerem (por que não?!). Conclui-se que seus irmãos não sabiam do risco que corriam (mesmo porque, para os judeus, a noção de céu e inferno era um tanto confusa). E não é permitido ajudá-los. Deixem que se danem. Note-se que o condenado tinha bom coração. Ele poderia perfeitamente desejar que seus irmãos sofressem também. Outro absurdo é que Lázaro, o pobre, foi para o céu após uma vida de sofrimento enquanto que o rico foi para o inferno após uma vida de prazeres. Em outras palavras, por um instante de sofrimento, uma eternidade no céu e, por um instante de prazer, uma eternidade no inferno. Uma punição infinitamente desproporcional por uma falta cometida por quem não tinha total consciência de seus actos. E uma recompensa também desproporcional por uma vida de sofrimentos não necessariamente escolhida pelo sofredor e sim imposta a ele. O castigo eterno é uma punição grande demais para faltas tão pequenas. Como podem leis absolutas ser aplicadas a seres finitos, limitados e nem um pouco absolutos como nós? Se Lúcifer, um ser de luz, um puro espírito, face a face com Deus, pôde errar, por que simples criaturas materiais devem ser tratadas do mesmo modo que ele? Onde está nosso livre arbítrio se nosso espírito está aprisionado nesta carcaça de carne, numa luta constante contra o apodrecimento? Se nossa visão das coisas é limitada pelos nossos sentidos limitados e nossos instintos animais? Se uma decisão inabalável pode ser destruída por uma enxaqueca ou uma diarreia? Resposta: Não creio que os pecadores só vão realizar que estavam errados quando chegarem ao inferno. A Bíblia diz-nos o contrário. Ela diz-nos que a rejeição de Deus é deliberada e consciente e rejeitar Deus é rejeitar o que Ele diz; e o que Ele diz é a sua Lei. Segundo a epístola aos Romanos (capítulo 2, versículos 13 a 15), os que nunca ouviram falar do Evangelho (denominados gentios) são culpados - menos do que os que o conhecem - pelo facto de possuírem a norma da Lei divina inscrita tanto nos seus corações, como nas suas consciências, como nas suas mentes. Tudo o que compõe o ser humano (afectos, mente, consciência) faz prova da Lei de Deus, pois o ser humano foi criado à sua imagem. Daí que, embora imperfeitamente, o Homem tenha uma certa noção do que o bom e o mau, do que está certo e errado. Instintivamente o ser humano - como ser moral - sabe que existem certas acções tomadas que não são as mais correctas. Mesmo as crianças se apercebem disso. Isto não faria sentido nenhum se o Homem não possuísse uma certa noção de certo e errado. Toda a Natureza é regida por leis. O ser humano é também regido por elas. Mas devemos fazer uma distinção entre a lei da natureza e a lei da natureza humana. Da mesma maneira que os corpos são governados pela lei da gravidade e do crescimento, assim a natureza humana é governada por outra lei, a lei da natureza humana - com a diferença de que os corpos não podem nunca contrariar por si mesmos se hão de cair ou crescer, mas a natureza humana pode escolher se obedece ou não. Como um organismo, o ser humano está sujeito a leis biológicas que, como os animais, não pode desobedecer. Isto é, não pode desobedecer a leis que são igualmente compartilhadas por outros seres. Todavia, a lei que é peculiar ao ser humano, a lei que não é compartilhada por outros seres vivos, animais ou vegetais, é precisamente aquela que ele pode desobedecer se quiser (este argumento só é válido se considerarmos o ser humano algo mais que um animal). Também devemos considerar que se o próprio Filho de Deus apresentou a mensagem e foi crucificado por aqueles que uma semana antes o proclamavam como rei, porque é que, se os mortos aparecessem para pregar o Evangelho, seriam eles mais credíveis. Não colocaríamos estas aparições na mesma gaveta de ilusões em que colocamos a noção de milagres? Por outro lado não concordo que o rico protagonista na parábola de Jesus tivesse tão bom coração como isso. Se lermos com atenção a passagem em questão Jesus refere que o pobre Lázaro jazia à porta de um rico que vivia todos os dias regalada e esplendidamente. Que bom coração é este que não atende às necessidades do seu próximo? Devemos tomar também em atenção o género literário em questão. Jesus contava uma parábola, uma história fictícia para veicular uma lição, uma verdade. Se eu contar uma história começada por "No tempo em que os animais falavam..." afim de transmitir uma lição moral (como o fez Essopo), seria desonesto não a aceitar sob o pretexto de que os animais nunca falaram, logo, a história, ou a sua conclusão, não pode ser verdadeira. Devemos atentar também para o facto de que Jesus contou esta história após a troça dos Judeus que demonstravam ser avarentos (verso 14) e arrogantes (verso 15) advertindo-os para o facto de que não é o dinheiro que é a raiz de todos os males, mas o amor pelo dinheiro. Além do mais, os irmãos do rico sabiam o risco que corriam, não somente pelo que Jesus afirma no verso 16, mas também pelo argumento apresentado no parágrafo anterior. Quanto à condenação infinita por pecados finitos creio que o problema reside na noção que temos de pecado. Pecado não é somente o mal que comentemos em relação a seres finitos, mas, muito mais que isso, é a desobediência a um ser infinito. Assim como uma infinita compaixão concede felicidade infinita, uma justiça infinita demanda um castigo infinito. Como uma conversão confinada no espaço e no tempo - logo finita - é recompensada com uma felicidade infinita, assim um pecado confinado no espaço e no tempo - logo finito - é castigado com uma punição infinita. Isto porque o Ser que as atribui é Ele mesmo infinito. A nossa dúvida provém da capacidade finita de compreender o infinito. O mundo que a Igreja descreve é como uma arena onde somos jogados para lutar contra os leões, mas com armas limitadas e contra a nossa vontade. Obrigados a participar de um jogo mortal, com regras injustas, obscuras e mutáveis e que nos foram impostas. E ainda temos que louvar o promotor do jogo. Kafka não faria melhor. Um livre arbítrio bem entendido deveria começar pela escolha entre nascer ou não, receber este "presente" do "amor" de Deus ou escapar dele, de uma vida de sofrimentos que talvez seja seguida de uma tortura eterna que nós "escolhemos por vontade própria". Em que medida uma criança é responsável pela educação que recebe e pelo meio social e familiar em que é criada, o que vai determinar que tipo de adulto será mais tarde? Que grau de responsabilidade tem ela por estes factores que não estão sob seu controle? Mesmo que lhe falem de céu e inferno, será que ela está em condições de entender, qualquer que tenha sido sua educação? Será que lhe apresentam provas tão convincentes que ela não possa alegar que não viu motivos para crer? O livre arbítrio é, na verdade, a possibilidade que Deus nos deu de irmos para o Inferno. Um pai que realmente ama seus filhos não apenas os alerta sobre o perigo mas também acaba com ele. Um pai amoroso não cria novos perigos propositadamente. Resposta: A conclusão de uma descrição é sempre dependente dos nossos preconceitos e compreensão. Isso aconteceu com Jesus que dividiu o povo. Para uns era um homem bom; para outros era um blasfemo e desordeiro. Segundo o velho adágio "Se o teu filho tem fome, não lhe dês um peixe, mas uma cana de pesca", é muito mais amoroso prepará-lo e dar-lhe a oportunidade de aprender a lutar do que lhe satisfazer uma necessidade imediata. Seria muito ingrato da parte do filho reclamar com o seu pai porque o pôs no jogo da vida, ou que lhe foi imposto o esforço da luta. Quando a criança crescer e compreender o amor do seu pai, ela vai-lhe agradecer o ter-lhe dado a oportunidade de viver e lutar pela sua felicidade. Se moralmente não crescer, vai constantemente culpar o seu progenitor e lamentar o dia do seu nascimento. Assim aconteceu com Jó (Livro de Jó 3.1-3) até que compreendeu que Deus lhe queria ensinar algo (Jó 42.5). Assim é na arena da vida. Enquanto não compreendermos o amor de Deus vê-lo-emos como um ser terrível, cruel e vingativo. O presente de Deus não é um presente envenenado, pois só os vivos poderão poderão compreendê-lo. Quanto ao livre arbítrio convém esclarecer que o homem só é livre dentro dos limites da sua própria natureza. É uma conclusão lógica do argumento que visa escapar ao juízo infinito visto que somos finitos. Se aceita que somos finitos, terá igualmente aceitar que a sua liberdade também o é. De outra maneira seríamos como Deus (é este o pecado original, querer ser como Deus), completamente livres e autónomos. Um leão tem a capacidade física de comer vegetais e, todavia, não o faz. Porquê? Porque não é a sua natureza. Ele é carnívoro. Só quer carne, apesar de poder escolher e ter a capacidade de ingerir vegetais. Assim é o ser humano: livre dentro dos limites da sua própria natureza. Ele gosta da natureza do pecado (cobiça, egoísmo, glutonaria, luxúria, dinheiro, amor-próprio) sem gostar dos seus frutos (condenação, inferno, morte); não gosta da natureza de Deus (santidade, obediência), mas gosta dos seus frutos (amor, paz, felicidade, paraíso). Como seres naturalmente inclinados a satisfazer a nossa sede de pecado (pecado é aquilo que a Bíblia diz ser pecado, independência de Deus, e não propriamente tudo aquilo que a Igreja afirma ser), tentamos ter "uma no papo e outra no saco". Fazermos o que nos apetece, sem querer prestar contas a ninguém. Como nas uniões de facto: ter o prazer de um casamento, sem assumirmos as suas responsabilidades. A "tortura eterna" não é uma escolha directa, mas uma consequência directa de actos deliberados contra Deus. Não somos responsáveis pelas influências que sofremos, mas pelas decisões que tomamos. Num sentido prático, vemos famílias onde os filhos tiveram a mesma educação em que uns seguiram um caminho e outros outro. Uns tomaram uma decisão e outros outra completamente diferente. A tentação moderna é precisamente a "tentação da inocência" (Pascal Bruckner). Nada é mais difícil do que ser livre, mestre e criador do seu próprio destino. Nada é mais esmagador do que a responsabilidade que nos acorrenta às consequências dos nossos actos. Como desfrutar da independência esquivando-nos dos nossos deveres? Através de duas escapatórias: o infantilismo e a vitimização, essas doenças do indivíduo contemporâneo. Por um lado o adulto, estragado pela sociedade de consumo, querendo guardar os privilégios da infância residindo num estado de divertimento permanente. Por outro lado o mártir, mesmo que não sofra de nenhum mal a não ser o de existir. O culto do maldito no conforto. O indivíduo contemporâneo excessivamente preocupado com a sua independência, mas que reclama, simultaneamente cuidados e assistência. Daí a exigência moderna de evacuar das consciências todas as referências a inferno e condenação e, tal como Adão, culpar Deus pela existência dos factores que nos levam à desobediência: " a mulher que me deste fez-me pecar". Suponhamos que o inferno exista. Uma pessoa só pode ir para lá se decidir, de livre e espontânea vontade, cometer actos que ela sabe, de plena consciência, que vão levá-la ao castigo eterno. Quem tomaria tal decisão, sabendo de todas as consequências de seus actos? Mesmo que alguém afirme: "Eu quero ir para o inferno!", não podemos acreditar em que esta pessoa saiba do que está falando. Para que sua escolha fosse válida, ela teria que ser levada ao inferno, ver e sentir o que significa ir para lá e só então decidir. Entretanto, tudo o que temos são lendas para assustar os crédulos. A Igreja afirma que a escolha é nossa, que somos nós que decidimos e não Deus; isto é uma ofensa à nossa (ainda que limitada) inteligência. Admitir a existência do inferno significa admitir que o Deus infinitamente misericordioso é também infinitamente vingativo. Resposta: Quantos vivem na luxúria sabendo qual pode ser a consequência dos seus actos? Não posso igualmente estar de acordo com aqueles que processam as tabaqueiras por estas não advertirem explicitamente que o tabaco pode matar e causar doenças. E mesmo perante esse facto, as pessoas continuam a fumar. Porque seria diferente com o inferno? Também afirmar a existência do inferno significa admitir um Deus infinitamente justo. A vingança de Deus não deve ser compreendida segundo os padrões humanos em que a vingança é má. Geralmente porque se prende com motivos egoístas. Vingança é simplesmente retribuição. Também Deus não perde a cabeça quando se zanga. Daí o admitir a ira de Deus: santa, sem pecado. No entanto, um Deus infinitamente vingativo é também infinitamente amoroso. Ele não precisa da humanidade para nada, pois é perfeito e auto-suficiente. Deus não sofre de falta de afecto. Mas mesmo assim, decidiu dar-nos a hipótese da reconciliação. Se eu pudesse saber o que realmente constitui o inferno, teria que lá ter estado. Mas assim, a história de Jesus do rico e de Lázaro não mais faria sentido. Uma das conclusões é que as barreiras que separam o inferno do paraíso e da esfera terrestres são intransponíveis. Dizer que Deus é injusto por não nos deixar experimentar para ver é o mesmo que dizer que os nossos pais são injustos quando fazem tudo para nos livrar da droga sem que a experimentemos. No entanto, temos bastante informação disponível. Assim é com o inferno: temos toda a documentação disponível. Não seria bom de um Deus amoroso não nos prevenir de tal facto. Algumas citações: "Qual é o propósito de um castigo eterno depois do fim do mundo? Se não serve para recuperar os pecadores ou como advertência para os demais, trata-se de simples vingança e é moralmente incorrecto"(1) "Nosso tempo de vida é limitado e nós somos limitados, o que limita a quantidade de pecados que podemos cometer. Mas o castigo do inferno é infinito, o que o torna infinitamente injusto" (2) "Deus diz: "Faça o que você quiser mas, se escolher errado, você será torturado no inferno por toda a eternidade". Isto não é liberdade de escolha. Equivale a um homem que diz a sua namorada: "Faça o que você quiser mas, se escolher me deixar, eu vou atrás de você e estouro seus miolos". Quando um homem diz isto, nós o chamamos de psicopata e exigimos sua prisão. Quando Deus diz isto, nós dizemos que ele nos ama e construímos igrejas em seu louvor" (3) "Acredite em Jesus sem provas e evidências ou seja torturado eternamente. Ameaças em lugar de argumentos. Os homens inteligentes são os pecadores e os crédulos, os santos. O inferno é o lugar para onde os covardes enviam os heróis" (4) Diz a Bíblia: Marcos 16:15-16: "Então Jesus disse-lhes: "Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia para toda a humanidade. Quem acreditar e for baptizado, será salvo. Quem não acreditar, será condenado". João 15:06: "Quem não fica unido a mim será jogado fora como um ramo, e secará. Esses ramos são ajuntados, jogados no fogo e queimados." Mensagem: acredite sem questionar ou queime no inferno para sempre. Isto são Boas Novas ou o decreto de um tirano? Se Jesus manda perdoar os inimigos e oferecer a outra face, como ele poderia condenar ao castigo eterno alguém que honestamente não viu motivos para acreditar nele? O que ele responderia se isto lhe fosse perguntado pelo penitente na hora do Juízo Final? Ou ele não é obrigado a seguir seus próprios mandamentos? Muitos crentes se dizem "salvos" porque "aceitaram Jesus como seu salvador" e acham que não precisam fazer mais nada, já que eles se agarram ao Evangelho segundo João, que diz que o importante é a fé e não as boas obras, que os ateus irão para o inferno por mais virtuosos que sejam. Boa parte dos crentes parece considerar o Juízo Final como o momento da vingança, o momento em que serão glorificados diante de todos e irão para o céu enquanto a escumalha, os descrentes, os infiéis, serão jogados no inferno. Os católicos também já foram assim, como se vê por estas duas citações: "Para que os santos possam desfrutar de sua beatitude e da graça de Deus mais abundantemente, lhes é permitido ver o sofrimento dos condenados no inferno" (5) "Ah, que cena magnífica! Como eu vou rir e ser feliz e exultar quando eu vir esses filósofos tão sábios, que ensinam que os deuses são indiferentes e que os homens não tem alma, assando e torrando diante de seus discípulos no inferno" (6) Outros crentes dizem que não há desculpa para quem não quer "aceitar Jesus", já que a Bíblia está ao alcance de todos e as igrejas estão por toda a parte, de portas abertas. Dizem que têm pena dos que serão condenados mas que é a escolha deles. E que os milhões de descrentes terão uma surpresa muito desagradável no final dos tempos. Por mais que digam o contrário, a impressão que se tem ao ouví-los é de que estão esfregando as mãos de felicidade, na expectativa do dia da vingança. Como disse Mark Twain, "as pessoas que me dizem que eu vou para o inferno e que elas vão para o céu de certa forma me deixam feliz por não estarmos indo para o mesmo lugar". F. S. ________________________________ Fontes: (1) Lord Byron, "Detached Thoughts", no.96 (1821- 22) em "Byron's Letters and Journals", vol. 9, 1979. (2) Dennis McKinsey, "Biblical Errancy - My two pamphlets". (3) William C. Easttom II (4) Lemuel K. Washburn, "Is The Bible Worth Reading And Other Essays" (5) Tomás de Aquino, 1225-1274, "Summa Theologica" (6) Tertuliano, "De Spectaculis" Conclusão: O nosso tempo conta-nos uma estranha fábula: a de uma sociedade dedicada ao hedonismo em que qualquer contrariedade é chocante, para a qual tudo se torna a causa de irritação e suplício. Para ela, a infelicidade não é só a infelicidade, mas o fracasso da felicidade. Com o pensamento moderno, o prazer e o bem-estar são reabilitados e o sofrimento posto de lado como um arcaísmo. Inferno é sofrer; castigo é sofrer; sofrer é sofrer. Assim, a felicidade não só constitui a maior indústria dos dias de hoje, como é também a nova ordem moral: daí que a depressão prolifere. J. P. http://semperreformanda.no.sapo.pt/Resposta_a_um_leitor.htm

Dia do Servidor Público Brasileiro – 28/10/2011 - Como Está a Valorização? Como estão as Condições de Trabalho? Como Está seu Vencimento Base e demais Direitos Sociais... PRESENTE – FUTURO E DESAFIOS – MESMO ASSIM PARABÉNS!



O DIA DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL – QUEM CRIOU – QUANDO FOI CRIADO E CONCEITO DO QUE SEJA SERVIDOR

FOI CRIADO pelo Presidente Getúlio Vargas no dia 28 de outubro, através do  DECRETO-LEI Nº 1.713 – DE 28 DE OUTUBRO DE 1939 –ESTATUTO DOS FUNCIONÁRIOS PUBLICOS CIVIS DA UNIÃO, que assim previa em seu artigo 266 (http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/24/1939/1713.htm ):

Art. 266. O dia 28 de outubro será consagrado ao "Funcionário público".

O mais moderno conceito do que seja servidor público pode ser encontrado no regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais,  Estatuto do Servidor  Federal, transcrito para todos as leis estaduais, leis orgânicas e estatutos dos servidores de cada município brasileiro. Consta nos primeiros artigos da Lei Federal nº 8.112/90 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8112cons.htm):

 Art. 1o  Esta Lei institui o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias, inclusive as em regime especial, e das fundações públicas federais.

Art. 2o  Para os efeitos desta Lei, servidor é a pessoa legalmente investida em cargo público.

Art. 3o  Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor.

Parágrafo único.  Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados por lei, com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou em comissão.


Portanto, servidor é o concursado, pois o concurso é modalidade de licitação, que tem sido violada, para contratação dos melhores, cujo conhecimento se mede pelo nível de classificação no edital de resultado do concurso, para ser investido em cargo público, que são as atribuições e responsabilidades previstas pela lei que criou o cargo e constantes no edital de concurso, com denominação própria (médico,professor,vigia, gari,enfermeira, motorista...) cada cargo com seu respectivo piso, de caráter efetivo ou comissionado, este dizendo respeito às atribuições de direção (diretor de escola...), chefia (chefe de gabinete...)  e assessoramento (procurador geral do município...).
 
PORQUE O SERVIDOR PÚBLICO É TÃO IMPORTANTE PARA SOCIEDADE E PARA O ESTADO?

A República Federativa do Brasil é o próprio Estado Brasileiro, cuja finalidade está na própria Constituição Federal:

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
I - Soberania.;
II - a cidadania;
III - a dignidade da pessoa humana;

O primeiro artigo da Constituição Federal impõe quais os fundamentos do Estado Brasileiro, para que serve, para que foi criado. E foi criado para garantir, dentre outros:

A cidadania é o conhecimento do direito e o cumprimento dos deveres por aquele que habita a cidade, como na antiga pólis grega, estando em pleno uso e gozo de todos os seus direitos. Ter acesso à educação,  saúde, cobrar segurança, etc. Quem educa?  Todos os funcionários da educação, seja da folha dos 60% ou dos 40%. Quem cuida da efetivação da saúde? O médico, o auxiliar de serviços gerais, o motorista da ambulância, a enfermeira, o agente de endemias...   Segurança,  trabalho de guardas, vigias, agentes de trânsito, policiais...

A dignidade da pessoa Humana, que só existe quando os direitos mínimos, os fundamentais, contidos do artigo 5º ao artigo 17 da Constituição Federal, principalmente os previstos no artigo 5º e seus 78 incisos, são respeitados. POIS INERENTES A PRÓPRIA DIGNIDADE

A soberania, garantida, em caso de guerra, pelo exército. Direitos que só têm a possibilidade de existirem no mundo sociológico,  quando servidores públicos agem ou deixam de agir, no exercício de suas funções.

Além do previsto no artigo 1º, da Lei Maior, há os objetivos fundamentais do Estado Brasileiro, previstos no artigo 3º e incisos, TODOS MATERIALIZADOS GRAÇAS  ÁS FUNÇÕES EXERCIDAS PELOS SERVIDORES PÚBLICOS, SEJAM FEDERAIS, ESTADUAIS OU MUNICIPAIS. Eis o que consta no artigo 3º:


Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II - garantir o desenvolvimento nacional;
 III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

 
Portanto, valores como a liberdade, a justiça e a solidariedade, são frutos do trabalho de servidores públicos, como também garantir o desenvolvimento nacional, erradicação da pobreza, o fim da marginalização, a redução das desigualdades sociais em todo o Brasil, promovendo o bem de todos, sem qualquer preconceito ou discriminação.

TODOS OS OBJETIVOS ACIMA, FRUTOS DE POLÍTICAS PÚBLICAS, QUE SÓ PODEM SER EFETIVADAS ATRAVÉS DO TRABALHO DO SERVIDOR PÚBLICO.

EIS O PORQUÊ DA IMPORTÂNCIA DOS SERVIDORES, POIS ATRAVÉS DO SERVIDOR, TODOS OS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS, UNIVERSAIS  OU NÃO,  BEM COMO SEUS EFEITOS, TORNAM-SE REALIDADE. O ESTADO ENCONTRANDO ATRAVÉS DOS SERVIDORES SUA RAZÃO DE EXISTIR E A SOCIEDADE NECESSITANDO DE FORMA UMBILICAL DE TAIS POLÍTICAS PÚBLICAS, EIS PORQUE FUNDOU, PARTICIPA E PAGA TRIBUTOS PARA O DITO ESTADO, COMPOSTO PELOS 03 PODERES: Poder Executivo, Legislativo e Judiciário.

Mas o servidor, tão fundamental para o Estado e para Sociedade, é valorizado conforme sua fundamental importância?


VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR

A valorização do servidor se materializa, no mínimo,  através de:

Justo Vencimento: o valor mínimo como salário base que deve ser pago para qualquer cargo. Do gari ao professor! O que se tem? Que os vencimentos não são anualmente reajustados. Um enfermeiro pode ganhar R$ 1.200,00 num município, R$ 2.000,00 noutro município e até R$ 4.000,00 num terceiro local... o que é uma distorção. Outro problema comum é ocorrer nivelamento por  baixo, isto é, todos passam a ganhar o salário mínimo, independentemente de tempo de serviço, se tem 1º grau completo, 2º grau ou formação técnica.

DESTACANDO-SE O CASO DOS PROFESSORES, QUE TEM DIREITO A UM PISO NACIONAL, AINDA POR SEM CUMPRIDO. Seja por sabotagem dos municípios, seja pela intervenção desastrosa do MEC.  O vencimento nem sempre justo e indevidamente reajustado. CATEGORIA QUE DEVERÁ SER A LOCOMOTIVA DE TODA A LUTA NO BRASIL  A PARTIR DE JANEIRO DE 2012, POIS É A QUE SOFRE MAIOR VIOLAÇÃO!

Condições de Trabalho: gari sem botas, laboratórios médicos sem equipamento, hospitais sem ambulância, escolas com carteiras e banheiros quebrados, agentes de endemias sem luvas, professores sem computadores, merendeiras sem equipamento de proteção, não concessão de transporte, não pagamento de auxílio alimentação...

Carreira: No Estado do Ceará a maioria dos municípios só elaborou planos de carreira para os profissionais da educação, mesmo assim de forma parcial, violando o direito ao correto piso e a correção realmente prevista em lei. Poucos municípios criaram os planos de carreira para os servidores da saúde e da carreira técnico administrativa. Tratam servidor como despesa, não como fundamental gente de todas as políticas públicas! SE O ENTE FEDERAL GANHA ALGUM PRÊMIO POR ALGUMA POLÍTICA PÚBLICA EFICAZ, O MÉRITO É SOMENTE DO CHEFE DO PODER EXECUTIVO. SE AS POLÍTICAS FRACASSAM, HÁ SÓ UM CULPADO: OS SERVIDORES!

Respeito aos Direitos Sociais: em grande parte não apenas violados, como sofrendo ataque de extinção. Direitos como FGTS (para celetista), insalubridade, licença interesse particular, licença para acompanhar parente doente, licença prêmio, anuênio... NEGADOS A MAIORIA DOS SERVIDORES. Mas o pior é a tentativa de extinguir direitos adquiridos, aproveitando-se de reformas administrativas ou reforma da Lei Orgânica ou da Constituição, como: anuênio, licença prêmio, quinquênio, etc.

IMPORTANTE DESTACAR  que a maioria dos regimes próprios de previdência, inúmeros estão deficitários e as soluções sempre a melhor para as administrações incompetentes e sem compromisso. Lembrando que previdência social é direito humano fundamental, garantidor do direito à vida. Há fraudes até  quanto aos recolhimentos para o regime geral de previdência, gerido pelo INSS.

O direito social à GREVE além de estar sendo desrespeitado pelo Poder Executivo, sofre vergonhoso ataque do Poder Judiciário, chegando, inclusive a ser criminalizado. SITUAÇÃO QUE DEVE-SE  REVERTER, pois é direito social, ferramenta de luta dos trabalhadores. Conquista centenária que cobrou a vida de trabalhadores de todos os continentes para ser reconhecido nos últimos séculos!

LIBERDADE SINDICAL: Como parte do movimento sindical, a maioria, livre, autônoma e atuante  tem mobilizado a categoria... TEM SOFRIDO TODA FORMA DE PERSEGUIÇÃO, PELOS 03 PODERES DA REPÚBLICA. O Poder Executivo perseguindo entidades e seus dirigentes das mais variadas formas; O Poder Legislativo aprovando leis absurdas que reduzem direitos das entidades sindicais e seus dirigentes; omissão do Ministério Público, hesitação, quando não omissão do Poder Judiciário em dar as garantias constitucionais protetoras da liberdade e da autonomia sindical, DIREITO HUMANO COM CARÁTER DE FUNDAMENTAL!


O PRESENTE: De arregaçar as mangas da camisa para luta e de fortalecer as entidades sindicais.  Luta para manter o direito; mantido o direito para implementar;  Implementando,  buscar do retroativo.  SEMPRE ENCONTRANDO UM PODER JUDICIÁRIO LENTO, DE JURISDIÇÃO INSATISFATÓRIA, HESITANTE, INCAPAZ ATÉ MESMO DE FAZER CUMPRIR SUAS DECISÕES EM AÇÕES DE EXECUÇÃO.  Necessidade de fortalecer a luta política, que varia da nota de repúdio à paralisação de advertência; da ocupação da sede do governo à greve mais radical.  JUDICIALIZANDO  O QUE DEVE SER JUDICIALIZADO E EXERCENDO PRESSÃO JUNTO AO PODER JUDICIÁRIO POR RESULTADO, RAPIDEZ E QUALIDADE DA JURISDIÇÃO.

O FUTURO: Agindo-se no presente como se deve agir,  garantindo a  manutenção dos direitos sociais fundamentais, sua implementação e ampliação. PARA QUE OCORRENDO A VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES, OS FUNDAMENTOS DA REPÚBLICA, ATRAVÉS DE TODAS AS POLÍTICAS PÚBLICAS, TORNEM-SE REALIDADE, COMO PREVISTO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Logo um futuro de luta, organizados, para cumprir os mandamentos constitucionais.

C O N C L U S Ã O: Apesar de tudo, PARABÉNS A TODOS OS SERVIDORES E SERVIDORAS MUNICIPAIS, ESTADUAIS E FEDERAIS  DO BRASIL! Pois indispensável à existência e fundamentação do próprio Estado e ao bem-estar da sociedade! PARA ISSO DEVE TER DIREITO À FORMAÇÃO CONTÍNUA, CONDIÇÕES ADEQUADAS DE TRABALHO E À PLENA VALORIZAÇÃO!

Justiça dá prazo de 72 horas para MEC responder ação contra Enem


Após pedido do Ministério Público de anulação do exame, juiz solicitou explicações a Ministério da Educação até segunda-feira



A Justiça Federal no Ceará deu prazo de 72 horas ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) para que se manifeste sobre o pedido do Ministério Público Federal de anulação total ou parcial das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aplicadas no último fim de semana.
O MPF-CE propôs uma ação civil pública pedindo que o Enem fosse cancelado ou que as questões que vazaram na fase de pré-teste do exame por meio de apostila distribuído pelo Colégio Christus, de Fortaleza, fossem anuladas. O juiz federal Luiz Praxedes Viera da Silva só se manifestará após o prazo estipulado, que termina na manhã de segunda-feira.

O MEC e o Inep informaram que já estão preparando a defesa e entregarão as informações no prazo determinado pela Justiça.

O pedido de anulação foi feito após a notícia de que estudantes do colégio cearense receberam uma apostila, semanas antes da prova do Enem, com 14 questões idênticas às do exame nacional. Os itens fizeram parte de um pré-teste do Enem, do qual alunos do Christus  participaram em outubro de 2010. De acordo com o procurador, como os alunos tiveram acesso antecipado às questões, o exame deveria ser anulado porque houve violação do princípio da isonomia.

O MEC anulou as provas de 639 alunos do ensino médio do Christus, mas a reportagem do iG mostra que pelo menos outros 320 faziam cursinho no local. Todos tiveram acesso a apostila.

O pré-teste é feito pelo Inep para avaliar se as questões em análise são válidas e qual é o grau de dificuldade de cada uma. Os cadernos de questões do pré-teste deveriam ter sido devolvidos após a aplicação e incinerados pelo Inep. A Polícia Federal investiga se houve fraude na aplicação do pré-teste. O Ministério da Educação decidiu cancelar as provas do Enem dos alunos do Christus. Eles terão uma nova chance de fazer o exame no fim de novembro.

* com Agência Brasil

CNBB divulga nota por uma "Reforma Política: urgente e inadiável"





Os Bispos reafirmam a posição da conferência sobre a
necessidade uma reforma política


CNBB

Os bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reunidos em sua sede nacional em Brasília desde terça-feira, 25, divulgaram nesta quinta-feira, 27, encerramento da reunião, uma nota intitulada “Reforma Política: urgente e inadiável”.

No texto, os bispos reafirmam a posição da Conferência de que é preciso trabalhar para que a Reforma de fato aconteça no país, porém, destaca que deve ultrapassar uma simples reforma eleitoral para que a nação colha os frutos necessários.

“Se feita de forma a ultrapassar os limites de uma simples reforma eleitoral, ela se torna um caminho seguro para coibir a corrupção e sua abominável impunidade que corroem instituições do Estado brasileiro e a vida do povo”, diz um trecho do texto.

Em coletiva de imprensa, a presidência da CNBB, por meio do seu presidente, Dom Raymundo Damasceno Assis, reafirmou a posição da entidade expressa no texto. “Não estamos apenas pleiteando uma reforma eleitoral, mas uma reforma que nós consideramos urgente e inadiável e desejamos que a sociedade assuma essa bandeira de exigir e cobrar uma reforma política verdadeira em nosso país”.


Leia o texto na íntegra

A Reforma Política é uma urgência inadiável em nosso país. Se feita de forma a ultrapassar os limites de uma simples reforma eleitoral, ela se torna um caminho seguro para coibir a corrupção e sua abominável impunidade, que corroem instituições do Estado brasileiro e a vida do povo.

A expectativa de sua efetiva realização, assegurada pela Presidente Dilma Rousseff, em seu discurso de posse, e pelas imediatas iniciativas da Câmara e do Senado de constituírem comissões para esse fim, está se exaurindo diante da lentidão e falta de vontade política com que o Congresso Nacional tem discutido o tema. Por isso, o Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília, de 25 a 27 de outubro, manifesta perplexidade e indignação, em sintonia com o clamor que vem das recentes marchas contra a corrupção, e conclama a todos a exigirem dos parlamentares efetivo empenho na aprovação de uma reforma política ampla e com participação popular.

A sociedade brasileira não pode ser frustrada neste seu direito. Projetos de leis de iniciativa popular exitosos, como as leis 9.840/1999, contra a corrupção eleitoral, e 135/2010, denominada Ficha Limpa, são a prova do quanto nosso povo quer pôr fim à chaga da corrupção no Brasil. Confiamos que o Supremo Tribunal Federal decidirá pela constitucionalidade desta última a fim de que seja aplicada já nas próximas eleições.

Neste contexto, a CNBB reitera o que disse em seu documento Por uma reforma do Estado com participação popular: “A reforma política de que o país necessita com urgência, não pode se limitar a regras eleitorais, e dentro delas ao funcionamento dos partidos. Ela precisa atingir o âmago da estrutura do poder e a forma de exercê-lo, tendo como critério básico inspirador, a participação popular. Trata-se de reaproximar o poder e colocá-lo ao alcance da influência viável e eficaz da cidadania” (Doc. 91, n. 101).

O momento exige, portanto, a retomada do diálogo entre os atores da sociedade civil e os legisladores, na perspectiva de incorporação de propostas concretas já construídas. Do contrário, o Congresso se omitirá, outorgando ao Judiciário a responsabilidade de decidir sobre questões que cabem, primordialmente, ao Legislativo.

O fortalecimento da democracia direta passa pela regulamentação do artigo 14 da Constituição Federal, que trata dos plebiscitos, referendos e leis de iniciativa popular. Além disso, a reforma política não pode adiar medidas que moralizem o financiamento das campanhas eleitorais, assegurem candidaturas de “Fichas Limpas”, criem mecanismos para revogação de mandatos e garantam a fidelidade partidária.

A CNBB considera indispensável, também, dar novos passos que ampliem a aplicação da Ficha Limpa, de modo a atingir cargos comissionados do Parlamento e outros Poderes da Federação. O Executivo e o Judiciário são corresponsáveis por um Poder Serviço dignamente cidadão.

Movidos pela busca do bem comum e pela fé cristã, que nos faz “esperar contra toda esperança” (Rm 4,18), confiamos que estes apelos sejam ouvidos pelos Parlamentares.

Nossa Senhora Aparecida, Mãe dos brasileiros, inspire nossos dirigentes e nos alcance de seu Filho a vitória que almejamos.

Brasília, 27 de outubro de 2011.

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida-SP
Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís do Maranhão-MA
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília-DF
Secretário Geral da CNBB

Canção Nova Notícias

Discurso do Papa participantes do Encontro de Assis, no Vaticano


Boletim da sala de imprensa da Santa Sé
(Tradução Leonardo Moreira, equipe CN Notícias)

Discurso
Aos participantes da Jornada de reflexão, Diálogo e Oração pela Paz e Justiça no Mundo
Sala Clementina
Sexta-feira, 28 de outubro de 2011


Distintos Convidados,
Queridos Amigos,

Acolho-vos, nesta manhã, no Palácio Apostólico e agradeço-vos mais uma vez por vosso desejo de participar na  Jornada de Reflexão, Diálogo e Oração pela Paz e Justiça no Mundo, realizada ontem, em Assis, 25 anos depois daquele histórico primeiro encontro.

Em certo sentido, este encontro é representativo dos bilhões de homens e mulheres que, em todo o nosso mundo, estão ativamente engajados na promoção da justiça e da paz. É também um sinal da amizade e fraternidade que floresceu como fruto dos esforços de muitos pioneiros neste tipo de diálogo. Possa esta amizade continuar a crescer entre os seguidores das religiões do mundo e com os homens e mulheres de boa vontade em toda parte.

Agradeço aos meus irmãos e irmãs cristãos por sua presença fraternal. Agradeço também aos representantes do povo judeu, que são particularmente próximos a nós, e a todos vós, distintos representantes das religiões do mundo. Eu sei que muitos de vós tendes vindo de longe e empreenderam uma viagem exigente. Expresso a minha gratidão também para com aqueles que representam as pessoas de boa vontade que não seguem uma tradição religiosa, mas estão comprometidas com a busca da verdade. Eles estiveram dispostos a compartilhar conosco desta peregrinação como um sinal de seu desejo de trabalhar juntos para construir um mundo melhor.

Olhando para trás, podemos apreciar a visão do falecido Papa João Paulo II em convocar o primeiro encontro de Assis, e a necessidade contínua de homens e mulheres de diferentes religiões testemunharem que a viagem do espírito é sempre um caminho de paz.

Encontros deste tipo são necessariamente excepcionais e pouco freqüentes, mas são uma expressão viva do fato de que todos os dias, em todo o mundo, pessoas de diferentes tradições religiosas vivem e trabalham juntas em harmonia. É certamente significativo para a causa da paz que tantos homens e mulheres, inspirados por suas convicções mais profundas, estejam empenhados em trabalhar para o bem da família humana.

Desta forma, tenho certeza de que o encontro de ontem deu-nos uma noção de o quanto seja genuíno o nosso desejo de contribuir para o bem de todos os nossos companheiros seres humano e o quanto temos a compartilhar um com o outro.

À medida que seguimos nossos caminhos separados, busquemos força nesta experiência e, onde quer que estejamos, continuemos a atualizá-la no nosso caminho que conduz à verdade, a peregrinação que conduz à paz. Agradeço a todos vós de todo o meu coração!



OAB promete 'tomar providências' sobre xenofobia após Enem


Fortaleza - Depois de vários comentários nas redes sociais criticando os nordestinos por conta do vazamento de questões que podem levar à anulação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Ceará, promete "tomar providências". "Nós não podemos permitir em pleno século 21, com a valorização da cidadania, com a valorização dos direitos humanos, que essas pessoas fiquem denegrindo a imagem de regiões, de pessoas", disse nesta sexta-feira o vice-presidente da Ordem, José Julio da Ponte Neto.

Ele garante que OAB irá realizar um levantamento para identificar os responsáveis pelos casos de preconceito regional e que irá entrar com uma representação criminal na Justiça contra os usuários. "Não é a primeira vez que nós fazemos isso, houve um caso semelhante em 2009 e agora nós tomaremos a mesma atitude da época" garantiu.

Na quinta-feira o Ministério da Educação (MEC) confirmou que 14 questões que estavam em apostila distribuída a alunos do Colégio Christus, de Fortaleza, foram copiadas de dois dos 32 cadernos de pré-teste do Enem aplicado no ano passado na escola. Essas mesmas questões foram cobradas na prova do Enem ocorrida no último fim de semana. Por determinação do MEC, somente os 639 alunos do colégio terão de refazer a prova, em nova dada agendada para novembro.


No Facebook foram publicadas imagens que mostrariam questões de um simulado idênticas a perguntas do Enem 2011
No Facebook foram publicadas imagens que mostrariam questões de um simulado idênticas a perguntas do Enem 2011Para o presidente da Comissão de Educação da OAB-CE, Edimir Martins, a decisão do MEC de cancelar o Enem apenas para os 639 alunos do colégio "fere a constituição federal do Brasil". Eles questiona as garantias de que outras escolas não tiveram o mesmo acesso as 14 questões, tal como o Colégio Christus, em Fortaleza. "E no próximo ano? Nós vamos ter os mesmos problemas? Cadê a segurança que deve a administração pública nos garantir enquanto cidadãos?", disse.




Manifestações preconceituosas

A possibilidade de a prova do Enem ser cancelada para todo o Brasil gerou revolta em estudantes. Nas redes sociais, a repercussão foi grande e teve comentários preconceituosos.

Por meio do Twitter, depois de ser criada a hashtag Enem Cancelado, que acabou gerando inúmeras manifestações em função de mais um erro com o Enem, estudantes demonstraram revolta. Muitos alunos postaram comentários preconceituosos com o ocorrido no Ceará, estendendo seus xingamentos a toda a região Nordeste do Brasil.

MP cobra anulação do Enem

O Ministério Público Federal do Ceará (MPF-CE) entrou com uma ação na Justiça para anular a edição de 2011 do Enem. Outra opção apresentada pelo MP, caso não seja feita a suspensão do exame, é a anulação das questões iguais às da prova que os alunos da escola de Fortaleza tiveram acesso semanas antes ao certame.

De acordo com o MP, a ação "tendente a corrigir a violação ao princípio da isonomia no concurso do Enem 2011, de modo a assegurar a continuidade do certame com todos os candidatos em igualdade jurídica de condições na disputa". Sobre a possibilidade de se anular apenas as questões que vazaram, o procurador da República Oscar Costa Filho escreveu na ação que seria uma alternativa legítima, à medida que "os efeitos operar-se-ão uniformemente a todos os candidatos no âmbito nacional, restando implementada assim a igualdade almejada."

Segundo o procurador, é preciso levar em conta que outros estudantes podem ter acessado essas apostilas antes do Enem. "A rigor, não é passível a mensuração da quantidade de candidatos que tiveram acesso às referidas questões, quer pertencentes à instituição de ensino privada mencionada, quer pertencentes a quaisquer outras instituições", escreveu.

O MEC informou que vai recorrer, caso a ação seja aceita pela Justiça. Segundo a pasta, o procurador do ministério, Mauro Chaves Filho, e a Advocacia-Geral da União (AGU) vão reagir à ação "com a procuração de mais de 4 milhões de estudantes que não tiveram problema com a prova".

Homenagem deste blog ao Funcionário Público

Funcionários lutando por direitos
Funcionário Publico é aquele que faz funcionar os serviços públicos. Prestam serviços a sociedade. É direito nosso termos serviços de qualidade, visto que para isso pagamos caro por meio de nossos impostos. Porém, para que esses serviços aconteça de forma satisfatória é necessário que esses profissionais seja reconhecidos, não só financeiramente. Eles precisam de respeito, de condições de trabalho digno que lhes permitam prestarem um bom serviço. Sem esse reconhecimento, o melhor funcionário não poderá prestar o serviço satisfatório.
É normal em quase todos os lugares do mundo sabermos de lutas que acontecem entre trabalhadores e governos para que esses direitos sejam reconhecidos. Nesse caso entram os sindicatos que são os representante legais da categoria dos trabalhadores com o intuito de amenizar essa desigualdade e muita vezes a humilhação que trabalhadores sofrem.
Hoje, dia do Funcionário Público deve ser um dia de reflexão. Dia em que se deve pensar se estes que trabalham no serviço público estão satisfeitos com seus salários. É verdade que existem categorias de servidores público que são bem remunerados, mas há outras categorias que com o que recebe mal dá pra ir sobrevivendo. Sendo que os mesmos não tem direito a nada mais do esse mísero salário, que como todos sabem, muitas vezes não chega a um salário mínimo. 
Em Pentecoste, por exemplo, a maioria dos Funcionários Públicos recebem em torno de um salário mínimo e ainda existem os que não chegam a receber nem isso. 
Precisamos estar cientes desses problemas para não acharmos que estamos vivendo num mar de rosas quando na verdade estamos sendo sufocados de todos os lados. Primeiro por essa demagogia de alguns. Dizem que estão fazendo tudo e mais um pouco. Na realidade é apenas discursos demagógico. Precisamos entender que na verdade nossos funcionários são poucos valorizados e mal remunerados. 
É hora que corremos atras do que é nosso, dos nossos diretos. Se nós não nos valorizarmos dificilmente encontraremos um gestor, seja ele na instância que for que nos valorize.  Todos sempre dizem que não podem melhorar o salários desses que trabalham fazendo a máquina pública acontecer, por inúmeros motivos.
Que o dia de hoje sirva para a reflexão. Todos precisamos saber que esse país funciona por causa do trabalho dessa multidão de trabalhadores espalhados pelo Brasil.
Lutemos todos juntos para que a injustiça dê lugar a decência, ao respeito e a dignidade. 

Parabéns Funcionário Público. Você é um guerreiro. Não desanimes por nada.

Professor Valdeni Cruz      

Inflação do aluguel volta a desacelerar em outubro


Em um ano, IGP-M subiu 6,95%, e contratos de moradia terão menor aumento do ano

Os preços voltaram a dar trégua no país em outubro e subiram 0,53%, segundo o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). O resultado é menor do que o visto em setembro (0,65%) e traz uma boa notícia para quem mora de aluguel: os contratos que vencem neste mês e serão renovados terão o menor reajuste do ano, de 6,95%.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (28) pela FGV (Fundação Getúlio Vargas). Os aluguéis vencidos em setembro tiveram aumentos de 7,46%. Em agosto, esse número estava em 8%.

Em uma conta simples, vale dizer que quem pagava R$ 1.000 de aluguel em setembro do ano passado, neste ano veria a conta passar para pouco mais de R$ 1.074. No caso dos que reajustaram o aluguel no mês seguinte, em outubro, os R$ 1.000 virariam R$ 1.069,50 agora.

O IGP-M é um índice de inflação que considera os aumentos de preços dos bens e serviços no país e é usado no cálculo de reajuste de tarifas de serviços públicos como energia elétrica e TV por assinatura e de contratos de aluguéis. Só na cidade de São Paulo, praticamente 9 em cada 10 contratos usam o indicador como base para os reajustes.

O período de coleta de preços para cálculo do IGP-M de agosto foi do dia 21 de setembro a 20 de outubro.

A inflação aumentou em quase todos os meses no país, exceto em junho (quando houve queda de 0,18% nos preços) e em julho (-0,12%). A atual desaceleração aponta para possíveis novas quedas.

Todos os componentes do IGP-M desaceleraram neste mês, com grande peso dos alimentos. A comida ficou 0,09% mais barata, após subir 0,95% no mês anterior. O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) subiu 0,26% neste mês, frente a 0,59% no anterior.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) avançou 0,68%, ante 0,74% no mês passado. Essa fatia do indicador de inflação considera os custos das matérias-primas, tanto no campo quanto na indústria. Para os dois setores, os preços ficaram mais baratos.

Somente a construção encareceu: o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) teve alta de 0,20%, comparado a 0,14% antes.

http://noticias.r7.com

Lucas 6,12-19


Sexta-feira, 28 de outubro de 2011

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

12Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. 13Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos: 14Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; 16Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor.
17Jesus desceu da montanha com eles e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judeia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. 18Vieram para ouvir Jesus e serem curados de suas doenças. E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus também foram curados. 19A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Homenagem ao Dia dos Servidores Públicos




“Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão” (Paulo Freire)

Nestes tempos de mercado, de neoliberalismo feroz, de individualismo grotesco, que leva o homem à solidão, à angústia e ao desespero; de procura do sucesso a qualquer preço; de perda do sentido e procura de acumular coisas e virar escravos dela, morrendo de trabalhar; neste tempo de velocidade, de violência e medo, somos nós, Servidores Públicos, afinal, protagonistas da nossa história, da luta pela cidadania.

Os servidores públicos somos trabalhadores do povo, da nação brasileira e longe de sermos os vilões deste novo tempo, somos também protagonistas do processo de democratização real da sociedade.

Todos nós, servidores, que fazemos pulsar esse sentimento de bem servir, de estar sempre pontual e presente, podemos trazer para o cotidiano de nosso trabalho boas características que tanto se preza em um profissional consciente e responsável. É na força da união, no companheirismo e nas amizades sadias que construimos a felicidade que tanto almejamos.
Escolhemos conscientemente esta profissão; trabalhemos, pois, com a liberdade de que somos felizes e prezamos o que fazemos.


FETAMCE

DIA DO FUNCIONÁRIO PÚBLICO





No dia 28 de outubro comemora-se o dia do funcionário público. A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.
Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.
As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.
Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.
Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.
Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.
Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.
Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade. É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja,
 aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganha para prestar serviços a toda comunidade.


Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

QUERES ASSISTIR A UM BOM FILME? ENTÃO ESSE É ESPETACULAR

Evangelho - Lc 13,31-35



Não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 13,31-35
31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se 
e disseram a Jesus: 
'Tu deves ir embora daqui, 
porque Herodes quer te matar.' 
32Jesus disse: 'Ide dizer a essa raposa: 
eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; 
e no terceiro dia terminarei o meu trabalho. 
33Entretanto, preciso caminhar hoje, 
amanhã e depois de amanhã, 
porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém. 
34Jerusalém, Jerusalém! 
Tu que matas os profetas 
e apedrejas os que te foram enviados! 
Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, 
como a galinha reúne os pintainhos debaixo das asas, 
mas tu não quiseste! 
35Eis que vossa casa ficará abandonada. 
Eu vos digo: não me vereis mais, 
até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: 
Bendito aquele que vem em nome do Senhor.' 
Palavra da Salvação. 

Como é corrigido o Enem


Redação do DIARIOPERNAMBUCO.COM.BR

Meses de preparação, muitos dias de estudo, unhas roídas, tudo isso para chegar ao momento decisivo da prova. Dois dias, 10 horas, 180 questões, 5,3 milhões de candidatos e apenas uma chance de se dar bem. Pronto, agora já foi. Não adianta pensar naquela questão que você acha que errou ou no que poderia ter acrescentado na redação. Agora, é esperar a correção e torcer para que tudo tenha valido a pena.

A correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é coisa séria. O órgão que organiza o exame, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), corrige as provas do Enem com base na Teoria de Resposta ao Item, ou TRI, um modelo diferente do convencional utilizado em provas de vestibular, no qual quem acerta mais ganha mais pontos.

O TRI foca a questão e não a prova como um todo. Cada pergunta é construída levando em conta três parâmetros: a discriminação, a dificuldade e o acerto casual (o famoso “chute”). O parâmetro de discriminação faz com que pessoas com habilidades diferentes tenham também chances diferentes de acertar. O segundo parâmetro determina o grau de dificuldade do que você acertou ou errou e o parâmetro do acerto casual é uma prevenção contra o “chute”. Ele funciona analisando a consistência nas suas respostas, isto é, se você acerta uma questão muito mais difícil do que a média dos seus acertos, o TRI reconhece o acerto da questão mais complexa como casual e isso tem influência na sua nota final.

Em resumo, o TRI mede a proficiência – o conhecimento – do aluno e não quantas informações ele decorou. O aluno com a média mais coerente terá uma maior nota e mesmo que dois alunos acertem o mesmo número de questões, dificilmente terão o mesmo valor no resultado. É por isso que, mesmo com o gabarito em mãos, não é possível saber qual é a sua nota.

REDAÇÃO

Além das questões objetivas, a redação do Enem também segue um rigoroso processo de correção. São avaliadas cinco competências diferentes: domínio da norma culta escrita, compreensão do que foi pedido, interpretação dos dados, construção da argumentação e a solução do que foi proposto. Dois professores corrigem a redação separadamente. Caso haja uma diferença de mais de 300 pontos, um terceiro técnico avalia novamente e dá a nota final, que pode variar de zero a 1 mil. 

Ragga Drops

Taxa de desemprego é a menor para setembro desde 2002


Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
A taxa de desemprego em setembro ficou em 6% nas seis principais regiões metropolitanas do país, de acordo com os números da Pesquisa Mensal de Emprego divulgados hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice é o mesmo verificado em agosto, e é 0,2 ponto percentual menor do que a taxa de setembro de 2010, o que, segundo o IBGE, configura um quadro de estabilidade. O índice também é o menor estimado para um mês de setembro desde março de 2002.
Em setembro, a população desocupada, em torno de 1,5 milhão de pessoas, ficou estável em relação à do mês anterior, e também apresentou estabilidade quando comparada à de setembro do ano passado.
Já a população ocupada, estimada em 22,7 milhões em setembro, não registrou variação significativa em relação ao total de agosto, mas teve um aumento de 1,7% ante o de setembro de 2010.
Também não houve variação, na comparação com agosto, no número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado, estimado em 11 milhões em setembro. Já em relação a setembro de 2010, houve uma elevação de 6,7%, o que representa um acréscimo de 691 mil postos de trabalho com carteira assinada.
Os dados da pesquisa do IBGE mostram ainda que de agosto para setembro houve uma queda de 1,8% no rendimento médio real habitual dos trabalhadores, que se situou em R$ 1.607,60. Ante setembro do ano passado, porém, o poder de compra dos ocupados ficou estável.
Entre as seis regiões metropolitanas onde a pesquisa do IBGE é realizada (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre), apenas o Rio registrou em setembro variação significativa na taxa de desocupação em relação ao mês anterior, passando de 5,1% para 5,7%. Já na comparação com setembro de 2010, houve estabilidade nos níveis regionais, com exceção da taxa do Recife, onde foi registrada uma queda de 2,4 pontos percentuais (de 8,8% para 6,4%).
Da Agência Brasil

JUIZ DE PENTECOSTE DETERMINA AO MUNICÍPIO DE PENTECOSTE A CUMPRIR EXECUÇÃO DE SENTENÇA QUE GARANTE SALÁRIO MÍNIMO AOS SERVIDORES DE PENTECOSTE MESMO COM CARGA HORARIA REDUZIDA

Caríssimos companheiros e companheiras, boa tarde! É com imensa satisfação que o SINDSEP (Sindicato dos Servidores Municipais ...