sábado, 4 de outubro de 2014

PROGRAMA A VOZ DO SINDSEP - AO MEIO DIA NA DIFUSORA VALE DO CURU


BOM DIA A TODOS
PROGRAMA A VOZ DO SINDSEP
Olá, caro amigos aqui do Faceboock!!
Gostaria de convidar vocês para logo mais ao meio dia para ouvirem o Programa A VOZ DO SINDSEP que vai ao ar neste sábado pela Rádio Difusora Vale do Curu.
Na pauta de hoje trataremos de assuntos como:
Eleições 2014
Sessão da Câmara desta quinta-feira
A questão do salário mínimo que entrou em cena novamente
Outros assuntos que farão parte do debate neste sábado.
Hoje começa ao meio dia, visto que o horário eleitoral já acabou.
Contamos com sua honrosa audiência.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Eleições 2014 - análise política

Valdeni Cruz

-->


Estamos exatamente a dois dias das eleições de 2014. Domingo, dia 5 de outubro, a maioria dos brasileiros que tem acima dos 16 anos, devem exercer seu direito democrático de votar. Direito este que conquistamos a duras penas.
Durante os meses de julho agosto e setembro os candidatos a Presidência, ao Senado, a Governos de Estado, Câmara Legislativas Federais e Estaduais, estiveram pelas cidades e ruas deste país tentando ganhar a simpatia dos eleitores. O corpo a corpo, os discursos acalorados, com vigor ou vazios, ecoaram por este Brasil a fora, seja pela TV Rádio, Internet, entre outros. Uma campanha que começou de uma forma e com o passar do tempo assumiu outras características.
Em agosto de 2014, o Candidato a Presidência da República, Eduardo Campo sofre um acidente de avião e morre. O mesmo tinha em torno de 8% das intenções de votos. Assume o lugar dele a Vice de Eduardo, Marina Silva. A partir dai a campanha assume outra cara. Esta candidata surpreendeu a todos da noite para o dia, causando temor às duas outras candidaturas até então apontadas como possíveis para a disputa em primeiro e segundo turno. A chegada da Marina e a consequente subida nas pesquisas levaram a campanha a outro nível. A presidenta Dilma, antes da morte de Campo, mesmo estando com um alto índice de rejeição, estava muito folgada em relação ao outro Candidato, Aécio Neves. Sendo assim, os marqueteiros tiveram que entrar em campo para tentar barrar a o crescimento de Marina. Quem está acompanhando de Perto pode perceber que o PT criou uma espécie de terrorismo em torno de Marina. Com estas estratégias Marina teve uma queda nas pesquisas, permitindo que Dilma tivesse um leve crescimento e também, o que também permitiu uma leve subida de Aécio.
Quanto aos discursos da campanha não se percebe muitas novidades. Dilma, que está no poder, repete o mantra de seu governo. No meu governo eu fiz isso, no meu governo eu fiz aquilo, ou ainda, quem fez vai continuar fazendo, mas deixa de lado ou pouco toca no assunto sobre as causas da corrupção que toma conta do país. Nos últimos dias uma avalanche de denúncias de corrupção tem tomado conta dos meios de comunicação, o que complica ainda mais a vida da Presidente a um passo das eleições. Entretanto, parece que mesmo com tantas denuncias, há alterações que comprometa a imagem da Presidenta de forma eu lhe cause grandes prejuízos. Isso se justifica em grande parte pelas politicas públicas e, maneira direita, o Bolsa Famílias, O minha casa minha vida e outros Programas de Governo. Estes são os fatos que fazem com que a Presidenta se mantenha ainda na frente dos demais candidatos.
Já Aécio tenta a todo custo convencer a população de que a candidatura dele é a única capaz de mudar o Brasil e de derrubar o PT que está no poder há quase 12 anos. O mesmo começou nas pesquisas com números muito baixos. Isso se deve ao fato dele não ter uma projeção nacional. Seu campo de atuação até então era no Senado e seu campo político era em Minas Gerais onde o mesmo governou por 2 mandatos tendo altos índices de aceitação. No decorrer da campanha o candidato tenta firmar uma ideia mais pessoal assumindo uma posição mais firme em relação a campanha de suas adversárias. O que se percebe nesse fim de campanha é que Aécio teve uma leve subida, mas mesmo assim não ameaça a disputa entre Marina e Dilma.
Já Marina, que foi deputada Federal, Senadora e Ministra de Lula é bem mais conhecida e que nas eleições de 2010 chegou a receber mais de 20 milhões de votos. Ao assumir a posição de candidata voltou aos holofotes e ao mesmo tempo, o desejo do povo em querer que ela se torne Presidenta.
Em relação à Marina as criticas partem principalmente do Governo Dilma. Esta tem jogado pesado no sentido de tentar desqualificá-la. Nas propagandas de TV chega a dizer que Marina irá acabar com o Bolsa Família, acabar com o Pré-sal. A verdade é que muitas pessoas tem baixado a guarda diante desses fatos e tem mudado de opinião, como temos visto nas últimas pesquisas.
Enfim, chegou a hora da decisão. Povo brasileiro irá às urnas e fará sua parte. Se estão conscientes e certos de sua decisão, ninguém sabe. O que se sabe é que alguém será eleito e que assumirá os rumos do país pelos próximos 4 anos.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Eleições: orientações ao eleitor


Anular o voto como protesto. Votar tendo por base pesquisas eleitorais. Votar sem conhecer bem as propostas do candidato. Tais questões são esclarecidas neste artigo. Leia e compartilhe.

altAmados irmãos em Cristo Jesus,
Todos se submetam às autoridades que exercem o poder, pois não existe autoridade que não venha de Deus, e as autoridades que existem foram estabelecidas por Deus. Portanto, quem se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e tais rebeldes atrairão sobre si a condenação. [...] Sabeis em que momento estamos: já é hora de despertardes do sono. Agora, a salvação está mais perto de nós do que quando abraçamos a fé. A noite está quase passando, o dia vem chegando... (Romanos 13, 1-2, 11-12a).
Estamos na reta final do período das eleições. No próximo domingo, dia 05 de outubro de 2014, é chegada a hora de eleger quem deve estar representando o povo brasileiro nas diversas posições de comando e decisão do país. O eleitor brasileiro estará se dirigindo às urnas para escolher candidatos para cinco (05) cargos públicos:
  • Presidente da República;
  • Governador;
  • Senador;
  • Deputado Federal; e
  • Deputado Estadual.
A Renovação Carismática Católica do Brasil, através de sua ação profética, tem buscado motivar uma participação mais ativa de seus membros nas realidades temporais da nossa nação Brasileira, em especial, no campo político. Portanto, agora é chegada a hora de mostrar à nossa pátria que “... um filho teu não foge à luta!”, dirigindo-se à urna e declarando o seu voto.
Na intenção de oferecer critérios sólidos para escolher os candidatos, apresentamos, a seguir, algumas considerações a serem lembradas:
1. Não deixe de votar.  Há um falso conceito de que se mais de 50% do total de votos for nulo, a eleição perde o efeito e deve ser convocado um novo pleito. Entretanto, isso não é verdade. Neste caso, tais votos apenas não serão considerados válidos para o resultado final. Por exemplo: em um pleito envolvendo a participação de 100 eleitores, o candidato precisará de 51 votos válidos para ser eleito. Mas se 60 eleitores votarem em branco ou anularem seu voto, apenas 40 votos serão considerados válidos e, dessa forma, estará eleito quem receber 21 votos.
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, deixa claro no portal do TSE que o voto nulo não é considerado para o resultado das eleições.  É no artigo 224 da Lei Eleitoral que se encontra o trecho que causa todo esse mal entendido: “Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 a 40 dias.”  Contudo, a nulidade a qual a Lei se refere é a nulidade da votação (por irregularidades e outros) e não a anulação do voto pelo eleitor.
2. Você não perde o voto se o seu candidato perder a eleição.  O país ganha com a participação democrática de cada cidadão que dá a sua opinião. Afinal, eleição não é uma loteria esportiva e não há prêmio para quem votar em candidato que é eleito. Por isso, não se deixe influenciar pelas pesquisas eleitorais para decidir o seu voto.
Muitas pessoas, não querendo perder o voto ou querendo praticar o voto útil, decidem com base nas pesquisas eleitorais. Com isso não se dão conta de quão grave é tal critério, pois estarão dando mais importância às pesquisas, do que a própria capacidade de escolher um candidato político. Vote de acordo com a sua consciência e nada mais.
2. Leve em consideração o passado, as promessas e o partido do candidato.  Para o passado é sempre bom examinar a inserção do candidato na sua própria comunidade ou nas ações de promoção humana e cunho social. Verifique desde quando o candidato se interessa pela causa do povo, participando gratuitamente em iniciativas que demonstrem o seu real comprometimento com o bem comum. Se ele já foi parlamentar, deve-se examinar como era a sua atuação na casa legislativa e como ele votava nas questões relativas à vida e à família.
Quanto às promessas, é fundamental que ele tenha um projeto de governo ou um plano de mandato. Candidato que não sabe ou não consegue escrever uma proposta, provavelmente, tem pouca condição de atuar naquilo que se propõe. Nesse caso, defender a vida desde a concepção até a sua morte natural é prerrogativa essencial para merecer o voto de um carismático.  Compromissos sobre as questões de vida e família são fundamentais, preferencialmente feitas em declarações por escrito e assinadas.
Por fim, quanto ao partido do candidato, é preciso lembrar que a Igreja, justamente por ser católica, isto é, universal, não pode estar confinada a um partido político. Ela “não se confunde de modo algum com a comunidade política[1]” e admite que os cidadãos tenham “opiniões legítimas, mas discordantes entre si, sobre a organização da realidade temporal”.[2]
Isso não significa, porém, que os fiéis católicos podem filiar-se a qualquer partido. Há partidos que abusam da pluralidade de opinião para defender atentados contra a lei moral, como o aborto e o casamento de pessoas do mesmo sexo. “Faz parte da missão da Igreja emitir juízo moral também sobre as realidades que dizem respeito à ordem política, quando o exijam os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas.”[3]
Deus ilumine a todos os eleitores e os discernimentos que deverão conduzir às escolhas dos políticos que irão decidir o futuro de nosso país.
Ministério Fé e Política RCCBRASIL
Notas:
[1] Concílio Vaticano II, Constituição Pastoral “Gaudium et Spes”, n. 76.
[2] Concílio Vaticano II, Constituição Pastoral “Gaudium et Spes”, n. 75.
[3] Catecismo da Igreja Católica, n 2246, citando “Gaudium et Spes”, n. 76.

Fonte: http://www.rccbrasil.org.br/institucional/index.php/artigos/998-eleicoes-orientacoes-ao-eleitor

BLOG ATINGE MEIO MILHÃO DE VISITAS

Valdeni Cruz

Quero agradecer a todos que de qualquer deste país ou do resto clicaram neste Sit. Atingimos nesta data meio milhão de vistas.

Como já disse antes, é um sit simples, sem sensacionalismo, pornografia ou coisa sem sentido, mas que algum modo, tem sido visto por muitas pessoas.
Diariamente temos uma média de 700 a 800 visitas.

Muitos obrigado!

Continue visitando. Deixe suas críticas, seus elogios e sugestões.

Gráfico de visualizações de página do Blogger



Visualizações de página de hoje
374
Visualizações de página de ontem
550
Visualizações de página do mês passado
16.353
Histórico de todas as visualizações de página
500.100



segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Papa: Anjos têm a missão de nos proteger na luta contra satanás


missa29setembro
Satanás apresenta as coisas como se fossem boas, mas a sua intenção é destruir o homem, até mesmo com motivações “humanísticas”. Os anjos lutam contra o diabo e nos defendem. Isto foi, em síntese, o que disse o Papa Francisco na homilia da Missa celebrada esta manhã na Casa Santa Marta, no dia em que a Igreja celebra a Festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael.
As leituras do dias nos apresentam imagens muito fortes: a visão da glória de Deus narrada pelo Profeta Daniel com o Filho do Homem, Jesus Cristo, diante do Pai; a luta do Arcanjo Miguel e os seus anjos contra “o grande dragão, a serpente antiga, aquele que é chamado diabo” e “seduz toda a terra habitada”, mas é derrotado, como afirma o Apocalipse; e o Evangelho em que Jesus diz a Natanael: ‘Verás o céu aberto e os anjos de Deus subir e descer sobre o Filho do homem”. O Papa Francisco fala da “luta entre o demônio e Deus”:
Mas esta luta ocorre depois que Satanás procura destruir a mulher que está para parir o filho. Satanás sempre procura destruir o homem: o homem que Daniel via ali, na glória, e que Jesus dizia a Natanael que viria na gloria. Desde o início a Bíblia nos fala disto: desta sedução de Satanás para destruir. Por inveja. Nós lemos no Salmo 8: ‘Tu fizeste o homem superior aos anjos’, e esta inteligência tão grande do anjo não podia suportar esta humilhação, que uma criatura inferior fosse feita superior; e buscava destruí-la”.
Satanás, portanto, procura destruir a humanidade, a todos nós:
Tantos projetos, exceto os próprios pecados, mas tantos projetos de desumanização do homem são obra dele; simplesmente porque odeia o homem. É astuto: está escrito na primeira página do Gênesis; é astuto. Apresenta as coisas como se fossem boas. Mas a sua intenção é a destruição. E os anjos nos defendem. Defendem o homem e defendem o Homem-Deus, o Homem superior, Jesus Cristo que é a perfeição da humanidade, o mais perfeito. Por isto a Igreja honra os anjos, porque são aqueles que estarão na glória de Deus – estão na gloria de Deus – porque defendem o grande mistério escondido de Deus, isto é, que o Verbo veio na carne”.
“A missão do povo de Deus – afirmou o Papa – é guardar em si mesmo o homem: o homem Jesus”, pois “é o Homem que dá vida a todos os homens”. Ao contrário, nos seus projetos de destruição, Satanás inventa “explicações humanísticas que vão justamente contra o homem, contra a humanidade e contra Deus”:
“A luta é uma realidade cotidiana, na vida cristã: no nosso coração, na nossa vida, na nossa família, no nosso povo, nas nossas igrejas… Se não se luta, seremos derrotados. Mas o Senhor deu esta missão principalmente aos anjos, de lutar e vencer. E o canto final do Apocalipse, após esta luta, é tão bonito: ‘Agora se cumpriu a salvação, a força e o Reino de nosso Deus e o poder do seu Cristo, porque foi precipitado o acusador dos nossos irmãos, aquele que os acusava diante do nosso Deus dia e noite”.
O Papa, por fim, convida a rezar aos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael e a recitar “aquela oração antiga, mas tão bonita, do Arcanjo Miguel, para que continue a lutar para defender o maior mistério da humanidade: que o Verbo se fez homem, morreu e ressuscitou. Este é o nosso tesouro. Que ele continue a lutar para guardá-lo”.

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...