sábado, 25 de maio de 2013

CONTRA A SECA - Integração libera R$ 20 mi para o CE

Dos 184 municípios cearenses, 177 já decretaram situação de emergência por causa da estiagem
Brasília. O Ministério da Integração Nacional autorizou a transferência de R$ 20 milhões adicionais ao estado do Ceará. Os recursos destinam-se a ações de socorro e assistência às vítimas da seca, a pior a atingir a região do Semiárido, ou caatinga, nos últimos 50 anos.


Bezerra diz que o montante vai complementar os R$ 15 milhões liberados no ano passado para combater os efeitos da seca no Estado FOTO: DIVULGAÇÃO

Segundo a Portaria 206, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de ontem, o dinheiro será repassado ao Estado em uma única parcela, para aplicação em obras cujo prazo de execução não ultrapasse 365 dias, a contar da liberação dos recursos.

O montante vai complementar os R$ 15 milhões liberados em meados do ano passado para combater os efeitos da seca no Estado. De acordo com o coordenador da Defesa Civil estadual, coronel Sílvio Gilberto Tavares, deste total, R$ 10 milhões foram usados no fornecimento de água à população, um serviço prestado por empresas particulares contratadas pelo governo cearense. Com os R$ 5 milhões restantes e os R$ 20 milhões adicionais, a Defesa Civil pretende renovar os contratos com as empresas de carro-pipa, comprar e distribuir filtros e cestas básicas e limpar poços artesianos.

Dos 184 municípios cearenses, 177 já decretaram situação de emergência por causa da seca de chuvas. A população de parte delas é socorrida pelo Exército, já que, segundo o coronel Tavares, diante da gravidade da situação, a Defesa Civil, sozinha, teria muita dificuldade para atender a todas as localidades.

De acordo com Tavares, voltou a chover em algumas localidades, mas o volume é pequeno e a expectativa não é das melhores. "Torcemos para que a situação não piore, embora, no segundo semestre, a tendência é a chuva escassear", disse Tavares.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, anunciou ontem, em Fortaleza, que o governo federal e as indústrias fabricantes farão um "esforço concentrado" para distribuir, em até 60 dias, retroescavadeiras e motoniveladoras para as cidades do Semiárido que decretaram situação de emergência por causa da seca.

Sudene

A medida beneficiará também os municípios que estão na área da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Além disso, a entrega das máquinas, prevista no chamado PAC Equipamentos, será estendida para as localidades com mais de 50 mil habitantes prejudicadas pela estiagem.

As mudanças e o cronograma do programa foram anunciados por Vargas ontem durante o Encontro Estadual com Novos Prefeitos e Prefeitas do Ceará. Participaram os ministros Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Fernando Bezerra (Integração Nacional) e Leônidas Cristino (Secretaria de Portos). 

Fonte: Diário do Nordeste

PAPA FRANCISCO DIZ QUE OS FIÉIS DEVE GRITAR O NOME DE JESUS

OUVI BEM CATÓLICOS, O PAPA FRANCISCO FALOU AOS PRESENTES NA MISSA DE PENTECOSTES QUE, EM VEZ DE GRITAR SEU NOME (PAPA FRANCISCO), DEVERIAM A PARTIR DAQUELE MOMENTO GRITAR O NOME DE JESUS.

VATICANO, 22 Mai. 13 / 11:01 am (ACI/EWTN Noticias).- "Todos vocês na Praça gritaram ‘Francisco, Francisco, Papa Francisco... mas onde estava Jesus?’", questionou o Papa Francisco aos mais de 200 mil participantes na Vigília de Pentecostes com os movimentos eclesiais de todo o mundo, no último dia 18 de maio na Praça de São Pedro e lhes pediu que digam o nome de Jesus para ressaltar seu papel como o Vigário de Cristo na terra.
"Quero escutar que digam Jesus, Jesus é o Senhor, e está no meio de nós", sublinhou o Santo Padre e pediu que "a partir de agora, nada de Francisco, só Jesus, Está bem?".
Durante a homilia o Pontífice relatou como sua avó, foi a primeira em transmitir-lhe a fé, e insistiu em que a fé das pessoas começa na família. "Eu recebi minha primeira proclamação de Cristo desta mulher, da minha avó, isso é algo muito belo".
O Papa refletiu que "a primeira proclamação se dá no lar, com a família. Isto me faz pensar no amor de muitas mães e também avós na transmissão da fé", e exortou as mães a transmitir conscientemente a fé a seus filhos, porque "Deus põe ao nosso lado as pessoas que nos ajudam no nosso caminho de fé".

LITURGIA PARA O DIA DE HOJE, Sábado 25/05/13

7ª Semana do Tempo Comum 

Primeira Leitura (Eclo 17,1-13)


Leitura do Livro do Eclesiástico.
1Da terra Deus criou o homem, e o formou à sua imagem. 2E à terra o faz voltar novamente, embora o tenha revestido de poder, semelhante ao seu. 3Concedeu-lhe dias contados e tempo determinado, deu-lhe autoridade sobre tudo o que está sobre a terra. 4Em todo ser vivo infundiu o temor do homem, fazendo-o dominar sobre as feras e os pássaros.
5Deu aos homens discer­nimento, língua, olhos, ouvidos, e um coração para pensar; encheu-os de inteligência e de sabedoria. 6Deu-lhes ainda a ciência do espírito, encheu o seu coração de bom senso e mostrou-lhes o bem e o mal. 7Infundiu o seu temor em seus corações, mostrando-lhes as grandezas de suas obras. 8Concedeu-lhes que se gloriassem de suas maravilhas, louvassem o seu Nome Santo e proclamassem as grandezas de suas obras.
9Concedeu-lhes ainda a instrução e entregou-lhes por herança a lei da vida. 10Firmou com eles uma aliança eterna e mostrou-lhes sua justiça e seus julgamentos. 11Seus olhos viram as grandezas da sua glória e seus ouvidos ouviram a glória da sua voz. Ele lhes disse: “Tomai cuidado com tudo o que é injusto!” 12E a cada um deu mandamentos em relação a seu próximo. 13Os caminhos dos homens estão sempre diante do Senhor e não podem ficar ocultos a seus olhos.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 102)


— O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.
— O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.
— Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Porque sabe de que barro somos feitos, e se lembra de que apenas somos pó.
— Os dias do homem se parecem com a erva, ela floresce como a flor dos verdes campos; mas apenas sopra o vento ela se esvai, já nem sabemos onde era o seu lugar.
— Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme é de sempre e perdura para sempre; e também sua justiça se estende por gerações até os filhos de seus filhos, aos que guardam fielmente sua Aliança.

Evangelho (Mc 10,13-16)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 13traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. 14Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: “deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o Reino de Deus é dos que são como elas.
15Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele”. 16Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

MUITO OBRIGADO PELA SUA VISITA

Professor Valdeni Cruz

Caríssimos Leitores,

Gostaria de registrar aqui a minha gratidão a todos os que alguma vez visitaram este espaço digital. Durante estes três em que este Blog simples está no ar, já foi visitado quase 270 mil vezes. Parece um número pequeno mas, em se tratando de uma pessoa anônima e de uma página que não publica pornografia, não publica fofoca, que não publica coisas ruins, penso eu que é bastante salutar o número de visitas. Por outro lado, gostaria de citar os inúmeros acessos de todos os lugares do Brasil e também do exterior. Todos os dias temos uma média de 600 visitas. Sei que muitas dessas visitas é de nossa própria cidade, o que me faz ser muito responsável por aquilo que escrevo.
Muito obrigado por lerem e, ao mesmo tempo, por gostarem do conteúdo publicado. Muitos dos artigos postados são informações do Brasil já notificados em grandes sites, mas também há muita coisa que escrevo. Sou educador e, como sempre, estou muito voltado para o contexto educacional. Também sou uma pessoa que vivo minha fé Católica e isso também está muito presente em meus artigos. Gosto de filosofia, sociologia e de história e, portanto, todos os assuntos estão, de alguma forma, votados a estes contextos. 
Como cidadão sou atuante em Conselhos de fiscalização do município. Também, vez por outra, estou citando o que ocorre em nosso município. Sou sindicalista, o que muita vezes me faz olhar de forma direta para as questões dos direitos, já que é algo com o qual estou constantemente ligado. 
Mas, o que me impulsiona a continuar publicando é que mesmo sendo um blogger simples muitas pessoas dizem ler e que os leva a tirar conclusões. Muitos me parabenizam e dizem que gostou do que foi publicado. Alguns as vezes me sugerem que eu escreva, ou me relatam alguns artigos em eles consideram que eu tenha cometido alguns deslize, seja no conteúdo ou seja na gramática. Preciso dizer que fico feliz quando também me corrigem. Assim, aumenta a minha responsabilidade e o meu atrevimento em escrever numa página onde o mundo inteiro pode ver. Mesmo assim, ouso expressar minhas ideias.   
Enfim, este é um espaço onde posso expressar minha opinião, claro, sempre com muito respeito a quem quer que seja. Não tenho intenção de me promover, de atacar ou julgar ninguém. Tenho minhas convicções mas sei repeitar as ideias contrárias as minhas.
Espero continuar escrevendo alguma coisa que, se não servir pra nada, pelo menos ninguém se sinta mal ou atingido por aquilo que escrevo.  É um blog para que trás muita coisa para refletir, para pensar e para criticar...

7ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira 24/05/13

Evangelho (Mc 10,1-12)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2Alguns fari­seus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher.
3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fari­seus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moi­sés vos escreveu este mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne. 9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!”
10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto. 11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.

— Palavra da Salvação.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Evangelho de hoje, (Marcos 9,38-40) Quarta-Feira, 22 de Maio de 2013



7a. Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 38João disse a Jesus:
“Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue”.
39Jesus disse: “Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim. 40Quem não é contra nós é a nosso favor”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Educação de Fortaleza - Alunos passam de ano sem saber ler nem escrever


Avaliação da Secretaria mostra que 13.747 crianças do 3º ao 5º ano estão nessa situação, ou seja, 21% do total

Ao todo, 13.747 crianças do 3º ao 5º ano do ensino fundamental da rede de ensino pública de Fortaleza não sabem ler nem escrever. O quantitativo representa 21% dos 64 mil alunos do 3º ao 5º ano da rede. A avaliação foi feita no início do ano letivo, pela Secretaria Municipal de Educação (SME), que chegou ao diagnóstico por meio de uma análise de leitura e escrita realizada pelas próprias escolas.

Embora apresentem essas dificuldades, os estudantes acabam sendo aprovados. O Município reconhece as deficiências e admite que parte dos professores não tem tempo nem capacitação para esse acompanhamento FOTO: MARÍLIA CAMELO

Diante de dados como esses, a pergunta que cada um se faz é: Como estas crianças passaram de um ano para o outro sem saber ler nem escrever? A coordenadora do ensino fundamental da SME, Dóris Leão, explica que esta é uma recomendação do Ministério da Educação (MEC) para que as escolas não reprovem os estudantes desses três primeiros anos, criando um ciclo de alfabetização.

A orientação do MEC faz parte de uma proposta do Conselho Nacional de Educação (CNE) para a estruturação dos nove anos da educação fundamental. No entanto, ela explica que a partir do 4º ano, esses alunos podem ser reprovados, mas não devem. "O MEC entende que a reprovação pode causar consequências negativas para a criança, porque quando reprovada a criança cria traumas e dentre as consequências temos o aumento a evasão escolar".

Entretanto, a gestora explica, ainda, que isso não é um estímulo à aprovação automática. "Não podemos aprovar este aluno sem o compromisso de resgatá-lo ao longo do ano seguinte, porém, o que aconteceu em Fortaleza é que estes professores não tinham tempo, nem capacitação para isso. Temos um déficit dentro das nossas universidades no que tange o preparo para alfabetizar", explicou a coordenadora Dóris Leão.

Sobre a questão e os reais motivos que levaram a essa defasagem, o presidente do Conselho Municipal de Educação de Fortaleza, Raimundo Nonato Nogueira Lima, acredita que o fato de os estudantes chegarem ao 5 º ano sem as competências de leitura e escrita plenamente atingidas deve-se à falta do acompanhamento pedagógico - como apoio e "cobrança" aos professores - somado à orientação legal de que não deve haver retenção (reprovação) do 1º para o 2º ano.

"Além disso, as diretrizes municipais que também orientam a não retenção do 2º para o 3º ano, acarretam a ´desobrigação´ com a aprendizagem coerente com a idade e o ano cursado, levando adiante a discrepância entre o que deveria ter sido apreendido e o que de fato foi. E a ´bola de neve´ vai crescendo ano após ano", conclui o presidente.

Readequação

Como forma de sanar o problema, a SME vai realizar, a partir do mês de junho, em todas as escolas da rede pública de Fortaleza um programa de correção de fluxo escolar em alfabetização com alunos do 3º ao 5º ano do ensino fundamental.

A ação faz parte da estratégia traçada desde o início da atual gestão pelo secretário de Educação, Ivo Gomes, de elevar os índices de aprendizagem dos alunos. O objetivo do programa é alfabetizar 13.747 crianças do 3º ao 5º ano, de três e cinco meses. Conforme a SME, novas avaliações devem ser feitas com os alunos do 6º ao 9º ano.

Sobre essa medida da nova gestão, o presidente do Conselho aprova a política de correção de fluxo proposta. "É um caminho acertado e aponta para a real necessidade de intervenção no problema, bem como para obter resultados eficazes em um tempo determinado", relata.

Entretanto, ele acrescenta que, além desta medida, a SME tem o desafio de conformar uma política consistente de acompanhamento, que agregue formação, avaliação, acompanhamento e tomada de atitude frente aos resultados, reforçando as experiências exitosas e tratando com especial atenção os professores.

FIQUE POR DENTRO

Softwares vão auxiliar o aprendizado

A intervenção pedagógica tem o intuito de auxiliar na construção de competências e habilidades de leitura, escrita, desenvolvimento do raciocínio lógico matemático e resolução de problemas. A correção de fluxo escolar em alfabetização ocorrerá mediante a utilização de duas estratégias pedagógicas: o Software Luz do Saber e o Programa de Correção de Fluxo em Alfabetização do Ministério da Educação/ Grupo de Estudos em Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (Geempa).

O Software Luz do Saber é um recurso didático que contribui para a alfabetização e promove a inserção na cultura digital. Através dessa metodologia, o aluno participa de atividades no computador e no papel e de jogos que visam à interação com os colegas e com o professor.

THAYS LAVORREPÓRTER 
Fonte: Diário do Nordeste

terça-feira, 21 de maio de 2013

Enquanto o país ocupa o penúltimo lugar em ranking de educação, disseminam-se funk e violência em salas de aula


Segundo ranking realizado pela Pearson Internacional (referido em matéria de O GLOBO), o Brasil ocupou, em uma lista de 40 países, a penúltima colocação - a despeito de constituir a sexta economia do Mundo -, estando à frente apenas da Indonésia. Tal ranking utiliza informações de resultados de três testes aplicados a alunos do 5º e do 9º ano do ensino fundamental.
Os dados provém do PIAE (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), do TEIMC/TIMSS (Tendências de Estudo Internacional de Matemática e Ciência) e do PEIA/PIRLS (Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização). Tais índices abrangem resultados e habilidades matemáticas, científicas e de leitura.

Neste contexto, proliferam-se, nas escolas, demonstrações eróticas - quando não pornográficas - de funk, realizadas por menores de idade, agressões de alunos contra professores, brigas entre gangues e espancamentos realizados entre alunos. 

Ao mesmo tempo, noticiam-se, diariamente, fechamentos de escolas, redução em valores de investimentos na educação pública, acréscimo de violência no interior das escolas e no entorno, além de índices preocupantes no que toca aos resultados em aprendizagem. Infelizmente, as "novidades" acabam se restringindo ao lado negativo, não havendo melhorias, ainda que mínimas, no estado da educação pública. Infelizmente, poucos ainda podem entender esta situação, pois os índices de analfabetismo funcional, infelizmente, crescem e atingem níveis absurdos. Até quando perdurará esta situação?

Caio Barbosa é sociólogo.

EDUCAÇÃO DE PENTECOSTE - PROBLEMA


Professor Valdeni Cruz

Estes dias estive pensando sobre a realidade da educação em nosso Município. Há alguns dias atrás foram demitidos mais de 50 profissionais da educação. Todos vimos com tristeza as demissões arbitrárias, pois os mesmos não haviam recebido qualquer aviso prévio por escrito. Foram acima, foram abaixo e de repente, começa o processo de retorno aos postos de trabalho dos quais haviam sido demitidos. Achávamos nós que o motivo das demissões fosse realmente o inchaço da folha e que muitos desses profissionais temporários poderiam ser substituídos pelos efetivos.  Fica a pergunta: o que é que está acontecendo realmente na educação de Pentecoste? Se demitiram não era porque estavam certos das demissões? Então porque retornar estes profissionais? E porque que não voltaram todos? Penso eu estamos perdidos sem saber o que realmente está acontecendo. Agora o que me preocupa é que enquanto não se resolve os problemas existente e ainda estão a procura de outros. É projeto pra tudo quanto é lado. Agora, o mais novo projeto que querem implantar é um Projeto do Governo do Estado, que se chama Projeto Diretor de Turma. Projeto este que deverá se iniciar com as turmas de 6º e 9º ano. Para cada turma dessas séries deverá ter um professor encarregado de acompanhar esta turma em todos os sentidos. 
Este Projeto é bom na sua essência. O que não é bom é o não entendimento da realidade do Projeto. Estou falando com conhecimento de causa. Eu trabalhei três anos no Projeto na Escola Etelvina Gomes Bezerra. No Estado, os professores tem 1/3 de planejamento e são 5 aulas diárias. O professor do Estado tem 5 horas dedicadas ao projeto. No município querem implantar o projeto mas não implantaram ainda 1/3 de planejamento, os alunos só tem 4 aulas diárias e na sexta-feira só tem 2 aulas. Pergunta: que disciplina sairia do currículo? E a demanda de professores que vai precisar para assumir as aulas dos professores que estão engajados o projeto? A questão é que se comprometem com coisas com as quais não tem conhecimento. A reposta pelas quais as coisas não certo está em não terem ciências se o que estão pensando e coerente e também não pensam nas prioridades que ainda não estão acontecendo.
Ora, se estão demitindo profissionais por causa da folha de pagamento que está alta, como é que querem implantar um projeto que demanda aumento de profissionais? Me parece um pouco sem sentido. Uma coisa é certa: enquanto não houver seriedade naquilo que se quer fazer, vamos estar sempre a nos lamentar com problemas vindouros.

Evangelho de hoje (Marcos 9,30-37) Terça-Feira, 21 de Maio de 2013



7a. Semana Comum



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessaram a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão, mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”.
32Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “Que discutíeis pelo caminho?” 34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior.
35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” 36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: 37“Quem acolher em meu nome uma dessas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas aquele que me enviou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Bolsa Família: Movimentação nas agências começa a se normalizar


Redação Web 
Após circulação de boato nas redes sociais sobre uma suposta suspensão do Programa Bolsa Família, a movimentação nas agências lotéricas e postos da Caixa Econômica Federal (CEF) de Fortaleza começa a se normalizar.
Em uma lotérica e no posto da Caixa localizados na Av. Duque de Caxias, no Centro da Capital, as filas longas faziam parte do cotidiano de atendimento. Dentre as pessoas que aguardavam especificamente para retirada do Bolsa Família, poucas o faziam por medo do cancelamento do Programa e consequente suspensão do auxílio.
Filas estavam longas, mas não graças ao boato Foto: Andressa Souza
Esse foi o caso da dona de casa Karina Alvino, de 28 anos. Mãe de quatro filhos, a mulher ficou sabendo do boato na manhã do último sábado (18) em um terminal de ônibus e "correu para a Caixa", conta. Segundo ela, a agência já se encontrava lotada de pessoas na mesma situação que a dela. A preocupação da dona de casa só aumentou quando tentou retirar o benefício, mas o cartão de saque apresentava erro. "Vim saber que tudo era um boato só hoje", disse Karina, cujo dinheiro referente ao auxílio ela já sabe que foi depositado normalmente na conta.
Já a manicure Aline Martins, de 32 anos, aguardava na fila da lotérica porque era o dia certo para o recebimento do Bolsa Família. "Eu ouvi comentários que ia acabar, mas não acreditei", revela a mulher. Moradora de Paraipaba, Aline veio a Fortaleza sacar o benefício porque a cidade onde reside só dispõe de uma única agência, que se encontrava lotada. "Mas ninguém sabia informar o porquê", adiciona a manicure.
A doméstica Maria Bezerra conseguiu sacar o benefício normalmente Foto: Andressa Souza
Houve também beneficiários que nem ao menos souberam dos rumores. A doméstica Maria Bezerra, de 35 anos, tomou conhecimento do boato somente ao chegar na lotérica para sacar o benefício na data em que costuma fazer todos os meses. "Moro só com meu filho, esse dinheiro é uma ajuda para pagar água e alimentação", conta, aliviada ao saber que os comentários não tinham fundamento.
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) esclareceu, por meio de nota, que não há qualquer veracidade nas informações relativas à suspensão ou interrupção dos pagamentos do Programa Bolsa Família. Além disso, reafirmou que o auxílio terá continuidade, garantindo a manutenção no calendário de pagamentos divulgado anteriormente e que não há qualquer possibilidade de alteração em suas regras.
Fonte: Diário do Nordeste

Papa Francisco - Só o Espírito Santo “pode suscitar a diversidade, a pluralidade, a multiplicidade e, ao mesmo tempo, realizar a unidade”, disse Francisco


Kelen Galvan
Da Redação
fieis_pentecostes
Fiéis lotaram a Praça de São Pedro, no Vaticano, para a Missa de Pentecostes neste domingo, 19 (Foto: L’Osservatore Romano)
Na Festa de Pentecostes, celebrada neste domingo, 19, o Papa Francisco presidiu uma Missa na Praça de São Pedro, no Vaticano, na presença de representantes de movimentos e novas comunidades.
O Santo Padre destacou que a liturgia de hoje é uma grande súplica, que a Igreja juntamente com Jesus eleva ao Pai, para que se renove a efusão do Espírito Santo.
E ressaltou três palavras relacionadas à ação do Espírito: novidade, harmonia e missão.
Francisco comentou que a novidade sempre nos causa um pouco de receio, porque nos sentimos mais seguros com aquilo que já conhecemos, que é possível programar e controlar. Segundo ele, muitas vezes, também agimos assim quando se trata de Deus. “Seguimo-Lo e acolhemo-Lo, mas até um certo ponto; sentimos dificuldade em abandonar-nos a Ele com plena confiança”, disse.
Entretanto, explicou o Papa, em toda a história da salvação, quando Deus se revela, Ele sempre traz novidade, e pede que confiemos totalmente Nele. “Estamos abertos às ‘surpresas de Deus’?”, questionou Francisco, ou estamos fechados, com medo, à novidade do Espirito Santo?
papa_pentecostes
“O Espírito Santo é a alma da missão”, é Ele que impulsiona a Igreja, que faz os fiéis entrarem no “mistério do Deus vivo, disse o Papa (Foto: L’Osservatore Romano)
O Papa afirmou que “a novidade que Deus traz à nossa vida é verdadeiramente o que nos realiza, o que nos dá a verdadeira alegria, a verdadeira serenidade, porque Deus nos ama e quer apenas o nosso bem”.
A segunda palavra é a “harmonia”. Francisco explicou que, a primeira vista, o Espírito Santo parece criar desordem na Igreja, por trazer a diversidade de dons e carismas, mas isso não é verdade. “Sob a sua ação, tudo isso é uma grande riqueza, porque o Espírito Santo é o Espírito de unidade, que não significa uniformidade, mas a recondução do todo à harmonia”, afirmou.
O Santo Padre falou ainda que se tentarmos fazer a diversidade ou a unidade sem o Espírito Santo, acabamos trazendo a divisão ou a homogeinização. “Se, pelo contrário, nos deixamos guiar pelo Espírito, a riqueza, a variedade, a diversidade nunca dão origem ao conflito, porque Ele nos impele a viver a variedade na comunhão da Igreja”.
“Só Ele pode suscitar a diversidade, a pluralidade, a multiplicidade e, ao mesmo tempo, realizar a unidade”, afirmou o Pontífice.
Por fim, o Papa refletiu sobre a terceira palavra: “missão”.
Francisco explicou que “o Espírito Santo é a alma da missão”, é Ele que impulsiona a Igreja, que faz os fiéis entrarem no “mistério do Deus vivo” e os impele a abrir as portas e sair para anunciar e testemunhar a “vida boa do Evangelho”, comunicar a “alegria da fé, do encontro com Cristo”.
O Santo Padre disse ainda que o Pentecostes ocorrido no Cenáculo em Jerusalém, há quase dois mil anos, não é um fato distante, mas um acontecimento que “nos alcança e se torna experiência viva em cada um de nós”.
“O Espírito Santo é o dom por excelência de Cristo ressuscitado aos seus Apóstolos, mas Ele quer que chegue a todos”, enfatizou Francisco.
E concluiu afirmando que, também hoje, a Igreja o invoca juntamente com Maria: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor”!
Fonte: Canção Nova Notícias

Evangelho de hoje, (Marcos 9,14-29) Segunda-Feira, 20 de Maio de 2013



7a. Semana Comum



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14descendo Jesus do monte com Pedro, Tiago e João e chegando perto dos outros discípulos, viram que estavam rodeados por uma grande multidão. Alguns mestres da Lei estavam discutindo com eles.
15Logo que a multidão viu Jesus, ficou surpresa e correu para saudá-lo. 16Jesus perguntou aos discípulos: “Que discutis com eles?” 17Alguém na multidão respondeu: “Mestre, eu trouxe a ti meu filho que tem um espírito mudo. 18Cada vez que o espírito o ataca, joga-o no chão e ele começa a espumar, range os dentes e fica completamente rijo. Eu pedi aos teus discípulos para expulsarem o espírito, mas eles não conseguiram”.
19Jesus disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando terei de suportar-vos? Trazei aqui o menino”. 20E levaram-lhe o menino. Quando o espírito viu Jesus, sacudiu violentamente o menino, que caiu no chão e começou a rolar e a espumar pela boca.
21Jesus perguntou ao pai: “Desde quando ele está assim?” O pai respondeu: “Desde criança. 22E muitas vezes, o espírito já o lançou no fogo e na água para matá-lo. Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos”.
23Jesus disse: “Se podes!... Tudo é possível para quem tem fé”. 24O pai do menino disse em alta voz: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”. 25Jesus viu que a multidão acorria para junto dele. Então ordenou ao espírito impuro: “Espírito mudo e surdo, eu te ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele”.
26O espírito sacudiu o menino com violência, deu um grito e saiu. O menino ficou como morto, e por isso todos diziam: “Ele morreu!” 27Mas Jesus pegou a mão do menino, levantou-o e o menino ficou de pé.
28Depois que Jesus entrou em casa, os discípulos lhe perguntaram a sós: “Por que nós não conseguimos expulsar o espírito?” 29Jesus respondeu: “Essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

domingo, 19 de maio de 2013

Dia de Pentecostes


Dia de PentecostesPentecostes, do grego, pentekosté, é o quinquagésimo dia após a Páscoa. Comemora-se o envio do Espírito Santo à Igreja. A partir da Ascensão de Cristo, os discípulos e a comunidade não tinham mais a presença física do Mestre.
Em cumprimento à promessa de Jesus, o Espírito foi enviado sobre os apóstolos. Dessa forma, Cristo continua presente na Igreja, que é continuadora da sua missão.
A origem do Pentecostes vem do Antigo Testamento, uma celebração da colheita (Êxodo 23, 14), dia de alegria e ação de graças, portanto, uma festa agrária.
Nesta, o povo oferecia a Deus os primeiros frutos que a terra tinha produzido. Mais tarde, tornou-se também a festa da renovação da Aliança do Sinai (Ex 19, 1-16).
No Novo Testamento, o Pentecostes está relatado no livro dos Atos dos Apóstolos 2, 1-13. Como era costume, os discípulos, juntamente com Maria, mãe de Jesus, estavam reunidos para a celebração do Pentecostes judaico.
De acordo com o relato, durante a celebração, ouviu-se um ruído, "como se soprasse um vento impetuoso". "Línguas de fogo" pousaram sobre os apóstolos e todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar em diversas línguas.
Pentecostes é a coroação da Páscoa de Cristo. Nele, acontece a plenificação da Páscoa, pois a vinda do Espírito sobre os discípulos manifesta a riqueza da vida nova do Ressuscitado no coração, na vida e na missão dos discípulos.
Podemos notar a importância de Pentecostes nas palavras do Patriarca Atenágoras (1948-1972): "Sem o Espírito Santo, Deus está distante, o Cristo permanece no passado, o evangelho uma letra morta, a Igreja uma simples organização, a autoridade um poder, a missão uma propaganda, o culto um arcaísmo, e a ação moral uma ação de escravos".
O Espírito traz presente o Ressuscitado à sua Igreja e lhe garante a vida e a eficácia da missão.
Dada sua importância, a celebração do Domingo de Pentecostes inicia-se com uma vigília, no sábado. É a preparação para a vinda do Espírito Santo, que comunica seus dons à Igreja nascente.
O Pentecostes é, portanto, a celebração da efusão do Espírito Santo. Os sinais externos, descritos no livro dos Atos dos Apóstolos, são uma confirmação da descida do Espírito: ruídos vindos do céu, vento forte e chamas de fogo.
Para os cristãos, o Pentecostes marca o nascimento da Igreja e sua vocação para a missão universal.
Fonte: www.comshalom.org

PAPA FRANCISCO NA VIGÍLIA DE PENTECOSTE - Mais de 200 mil fiéis participaram da Vigília de Pentecostes na Praça de São Pedro, no Vaticano



Rádio Vaticano
papa2
“Não encontramos a fé no abstrato, mas é sempre um pessoa que prega, que nos diz quem é Jesus, que dá a fé”, disse o Papa (Foto: L’Osservatore Romano)
A Vigília Pentecostes realizada na tarde de sábado, 18, na Praça São Pedro, no Vaticano, superou as expectativas e reuniu cerca de 200 mil pessoas.
Depois de horas de festa, música e testemunhos, chegou o momento tão aguardado: a presença do Papa Francisco, que depois de percorrer a Praça por meia-hora para saudar os presentes, respondeu a quatro perguntas sobre vários temas.
A primeira dizia respeito a como alcançar a certeza da fé. Como fez em outras ocasiões, Francisco contou a sua experiência em família e do anúncio que recebeu de sua avó paterna. “O primeiro anúncio é feito em casa”, recordou, citando a importância das mães e das avós na transmissão da fé: “Não encontramos a fé no abstrato, mas é sempre um pessoa que prega, que nos diz quem é Jesus, que dá a fé…”.
O Papa descreveu o dia em que sentiu o chamado para se tornar sacerdote. Era o dia 21 de setembro de 1953, aos 17 anos, “Dia do estudante” na Argentina. Antes de ir a uma festa, passou em frente a uma paróquia e sentiu a necessidade de se confessar. Depois dessa experiência, “algo mudou”, “eu não era mais o mesmo”. “A verdade era que alguém me esperava. O Senhor sempre nos espera!” Estudar a fé é importante, disse, mas mais importante é o encontro com Jesus.
O anúncio da fé foi o tema da segunda pergunta, à qual o Pontífice respondeu com três palavras: Jesus, que é o fulcro da mensagem; a oração e o testemunho.
“Gostaria de fazer uma pequena observação, mas fraternalmente, entre nós: Todos vocês gritaram ‘Francisco, Papa Francisco’… Mas Jesus, onde estava? Eu gostaria que vocês gritassem ‘Jesus, Jesus é o Senhor e está no meio de nós!’ A partir de agora, nada de ‘Francisco’: é Jesus, eh?”
A terceira pergunta foi sobre como viver uma Igreja pobre e para os pobres. O Papa recordou mais uma vez que é a Igreja não é um movimento político nem uma ONG. “O valor da Igreja fundamentalmente é viver o Evangelho e testemunhar a nossa fé. A crise não é somente econômica ou cultural, mas é a crise do homem. O homem é a imagem de Deus, por isso é uma crise profunda.”
Nesses momentos, advertiu, existe a tentação de nos fechar nos nossos problemas, no nosso pequeno, na nossa comunidade. Mas a Igreja deve sair de si mesma rumo às periferias existenciais. “Hoje vivemos a cultura do descartável. Pensar que hoje as crianças que não têm o que comer não fazem notícia. Isto é grave. Isto é grave. Não podemos ficar tranquilos. Não podemos ser aqueles cristãos bem educados, que falam de coisas teológicas enquanto tomam chá, tranquilos: não. Devemos nos tornar cristãos corajosos e ir em busca daqueles que são a carne de Cristo. Quando damos esmola, olhamos nos olhos de quem a pede? Tocamos a sua mão ou lançamos a moeda? A pobreza, para nós cristãos, não é uma categoria sociológica ou filosófica ou cultural: é uma categoria teologal.”
O Pontífice contou a história de um rabino do século XII que narra a construção da Torre de Babel, onde os tijolos eram mais importantes do que os construtores. Quando um tijolo se quebrava, era um drama e o operário era punido. Mas se um operário se machucava, isso não era um problema. “Isso acontece hoje: se os investimentos nos bancos caem, é uma tragédia. Mas se as pessoas morrem de fome, não têm o que comer ou não têm saúde, não é um problema! Esta é a nossa crise de hoje! E o testemunho de uma Igreja pobre para os pobres vai contra esta mentalidade.”
Enfim, a quarta e última pergunta: como ajudar nossos irmãos que sofrem por testemunhar Cristo?
Para anunciar o Evangelho, respondeu, são necessárias duas virtudes: a coragem e a paciência. Os que sofrem estão na Igreja da paciência. “Deve-se precisar que muitas vezes esses conflitos não têm uma origem religiosa; frequentemente têm outras causas de tipo social e político, e infelizmente as pertenças religiosas são usadas como gasolina no fogo. Todo homem e toda mulher devem ser livres na sua confissão religiosa, qualquer que seja. Por que? Porque aquele homem e aquela mulher são filhos de Deus.”

Fonte: Canção Nova Notícias

Quase 200 mil pessoas acompanham a missa de Pentecostes no Vaticano


Fiéis se reuniram na Praça de São Pedro Foto: AP
Fiéis se reuniram na Praça de São Pedro
Foto: AP
 Quase 200 mil fiéis se reuniram neste domingo na praça de São Pedro, segundo o Vaticano, para acompanhar a missa de Pentecostes celebrada pelo Papa Francisco, que alertou para o perigo de divisões dentro da Igreja.
"Quando queremos criar a diversidade e nos fechamos em nossas particularidades, criamos a divisão", afirmou o Papa para a multidão, que contava com a forte presença dos membros de movimentos religiosos reunidos desde sábado para um encontro organizado pelo novo "ministério" para a "Nova Evangelização".
"É a Igreja a que me aporta ao Cristo e que me leva ao Cristo, os caminhos paralelos são tão perigosos", advertiu na homilia. "Quando alguém se aventura além da doutrina da comunidade da Igreja, que não permanece em seu interior, não está unido ao Deus de Jesus Cristo", completou.
Membros de vários movimentos, como o Comunhão e Libertação e os Legionários de Cristo, entre outros, chegaram ao Vaticano procedentes de todo o mundo para participar neste grande encontro de Pentecostes organizado como parte do "Ano da Fé" pelo ministério para a Nova Evangelização, criado em 2010 por Bento XVI.
Ao fim da missa, o Papa pronunciou ao meio-dia a tradicional Regina Caeli: "Queria agradecer a todos os movimentos, todas as associações, as comunidades e grupos eclesiásticos. Sois um dom e uma riqueza para a Igreja", disse.
AFPAFP - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização.
 

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO

Política    É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que esta...