sábado, 30 de setembro de 2017

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO


Política



   É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que estamos vendo o centro do poder em Brasília. É lá que estão concentrados os representantes legais da corrupção do país. O resto são apenas reflexos externos do que acontece nas sombras dos gabinetes e dos corredores palacianos de Brasília.
    É com vergonha e tristeza que eu, como cidadão brasileiro, escrevo um artigo como este. Bem que eu queria expressar minhas ideias somente com realidades dignas de aplausos para o Brasil, mas isto ainda não é possível e de acordo com o que estamos vendo todos os dias é bem provável que ainda demore bastante.
   É doído para o trabalhador que labuta todos os dias para poder sustentar sua família, dá duro para construir uma nação, tenta ser correto para não contrariar as leis do país e, por outro lado, ver um bando de sanguessugas destruindo os sonhos de um povo que acredita que dias melhores possam surgir. Como é que você acha que se sente um trabalhador honesto diante de todos estes desmandos cometidos exatamente por quem deveria preservar os bens da nação? Bens estes que não são poucos. Pioramos nesses últimos anos, mas já fomos a sexta economia do mundo, mas estamos entre os primeiros em corrupção, pobreza, analfabetismo, miséria... Pior de tudo é saber que, de fato, poderíamos ser um país decente se tivéssemos representantes decentes. Pelo contrário, temos vergonha, repúdio e desprezo pelos nossos políticos. A maioria deles bem que poderia ser chamados de lixo da sociedade, pois o que eles fazem à surdina da noite é sujo, nojento...
   Vejo tudo isso como uma afronta aos mais de 200 milhões de brasileiros que com seu trabalho  e suor tem inchado os cofres públicos de recursos e que ao mesmo tempo ver seus esforços indo parar nas contas dos ladrões chamados de representantes do povo. Para ser mais claro, todos esses recursos sendo bem aplicados, em bem pouco tempo nos colocaria entre os primeiros países do mundo, no que diz respeito a riqueza e bem estar social do povo.
  Mas, mesmo assim, ainda cremos em dias melhores. Do contrario, estaríamos dando todas as cartas para que estes infelizes e criminosos nos destruam por completo.
Mas, saibam eles, estaremos nós, em qualquer lugar, fazendo nossa parte e, mais cedo ou mais tarde havemos de ver o castigo sendo aplicado a estes malditos que se dizem nossos representantes.

Professor Valdeni Cruz 

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Professor, veja alguns direitos que você tem e talvez não esteja recebendo ou nem saiba



Professores de estados e municípios têm vários direitos em seus planos de carreira ou mesmo conquistas legais baseadas em lutas nacionais. No entanto, muitos desses benefícios nem sempre são cumpridos por prefeitos e governadores.
No caso de não cumprimento de qualquer direito assegurado em lei é possível ao educador buscar amparo na Justiça. É quase certo ganhar a causa.
Na Tabela abaixo, alguns desses benefícios. Consulte a assessoria jurídica do seu sindicato ou mesmo um advogado particular sobre a questão. Se necessário, acione o Poder Judiciário.

Piso Nacional







Lei Federal 11.738/2008









Passou a vigorar em 2009 e todos os professores da Educação Básica de estados e municípios têm direito. É possível cobrar na Justiça os últimos 5 (cinco) anos não pagos ou diferenças, caso o prefeito ou governador não tenha aplicado o percentual de correção estipulado pelo MEC.

Horário-Pedagógico





Lei Federal 11.738/2008





No máximo 2/3 da jornada semanal devem ser cumpridos em sala de aula. O outro 1/3 restante é para atividades extra-classe, como elaboração e correção de provas etc. Caso o professor esteja cumprindo uma aula a mais em sala, poderá cobrar em dinheiro por esse excedente.
Adicional por Tempo de Serviço


Lei Municipal ou Estadual




A regra geral é que a cada 5 (cinco) anos o salário-base cresce num determinado percentual, que pode variar de Estado para município. A Justiça deve ser acionada caso isto esteja sendo descumprido.
Abono de Férias




Lei Municipal ou Estadual






Deve incidir sobre o total de dias de férias do professor, em geral 45 dias. Em muitos estados e municípios, prefeitos e governadores pagam esse abono apenas sobre 30 dias. Neste caso, os outros 15 dias podem ser reclamados na Justiça levando-se em conta os últimos 5 anos.
Regência de Classe





Lei Municipal ou Estadual







Tipo de gratificação pelo exercício da docência em sala de aula. Corresponde a um percentual calculado sobre o salário-base do professor e deve ser reajustada automaticamente toda vez que o salário-base subir. Caso isto não ocorra, a Justiça pode ser acionada.
Mudança de Nível





Lei Municipal ou Estadual







Tipo de ascensão onde o professor cresce dentro de sua mesma classe. Caso o docente tenha completado o tempo necessário para passar de um nível a outro e essa mudança não tenha ocorrido, é possível recorrer à Justiça para recuperar o prejuízo. E com as devidas correções.
Mudança de Classe




Lei Municipal ou Estadual






Tipo de ascensão onde o professor passa de uma classe a outra. Caso o docente tenha o pré-requisito necessário para passar de uma classe a outra e isso não tenha ocorrido, é possível recorrer à Justiça para recuperar o prejuízo. E também com as devidas correções.
Gratificação de Localidade ou por Risco de Morte

Lei Municipal ou Estadual





Benefício devido ao professor que trabalhe em localidade de difícil acesso ou que ofereça algum tipo de perigo a sua integridade física. Caso não esteja sendo cumprido, a Justiça pode ser acionada.


Fonte: https://www.soescola.com/2017/05/professor-veja-alguns-direitos-que-voce-tem-e-talvez-nao-esteja-recebendo-ou-nem-saiba-conheca.html

terça-feira, 12 de setembro de 2017

NOTA DE ESCLARECIMENTO



Boa noite a todos!


Resultado de imagem para fotos de valdeni cruzGostaria de me dirigir nesta noite a todos os servidores Filiados e aos que acompanham o trabalho do Sindsep e deste servidor que aqui escreve e que por vontade dos servidores, assumi essa missão de ficar a frente desta entidade Sindical como Presidente, até 2020.

Reconheço diante de todos as minhas limitações, tanto de conhecimento, quanto de competência para conduzir com toda eficácia um trabalho tão árduo, como é o de representar o grande de servidores que o Sindsep tem hoje em Pentecoste, com as mais diversas realidades. Tenho total consciência de que o que se espera de mim está muito além do que posso, enquanto ser humano, corresponder, mas, posso garantir que não me falta vontade e decisão de fazer o que tiver ao meu alcance para que os servidores possam ter seus direitos respeitados. Isso tem sido feito das mais diversas formas, seja por meio do diálogo ou pelas vias judiciais, mediante a TAC (Termo de Ajuste de Conduta) ou por Processos propriamente dito.

Assumi a Presidência do Sindsep no dia 27 de Agosto de 2015, num dos momentos mais difíceis da entidade. Naquele momento o Sindsep viveu um problema de ordem interna e até que tudo se resolvesse, a ponto do Sindsep poder continuar o seu papel, levaram em torno de 5 meses. Naquela época, fui visto como golpista, impostor, mesmo por aqueles que faziam parte da diretoria da entidade. Porem, minhas convicções eram tão firmes que com o passar dos meses tudo foi clareando e toda a diretoria entendeu tudo o que estava ocorrendo. Tendo a diretoria tomado consciência da gravidade do problema, resolveu tomar a atitude que deveria ter sido tomada, até mesmo o de afastar dirigentes. Também decidiram que diante dos fatos, quem deveria assumir a Diretoria interinamente deveria ser eu. Assumi essa missão com orgulho? Nada, mas com muita responsabilidade e humildade diante de tamanha responsabilidade e da falta de credibilidade da entidade naquele momento. Uma vez recebendo essa confiança, tive que me desdobrar para dar o melhor de mim. Mesmo inexperiente desde o primeiro momento não medi esforços para fazer aquilo que estava ao alcance do sindicato. Um dos fatos mais importante naquela época foi fazer uma parceria com o Ministério Público para que as centenas de pessoas que fizeram o Concurso Público em 2014 e que foram aprovados, assumissem o cargo. O que temos a alegria de dizer que ocorreu. Foi muito além de nossas expectativas. Todos os classificados foram aprovados e um grande número de classificáveis.

Tivemos alguns momentos reunidos com a Gestão de Dra. Ivoneide para impedir que o Terço de Planejamento não fosse por água abaixo, bem como para tratar de outros assuntos importantes, o que conseguimos por meio do diálogo e quando não, o Ministério Público foi nosso caminho. Assim também tem sido agora.  

Passados o período de mandato interino, chegou o período de novas eleições do Sindsep. Depois de muita conversa dos servidores e da Diretoria, chegou-se ao consenso que o meu nome deveria ser defendido como candidato a Presidente. A eleição ocorreu e fui eleito, juntamente com toda a Diretoria, com 99% dos votos válidos. Lembrando que meu nome foi defendido juntamente com mais 30 pessoas para compor a Diretoria. Sendo 15 membros titulares e 15 suplentes. Desde o momento que assumimos esse novo mandato não temos medido esforços para representar bem a entidade. Sendo assim, quero agradecer a todos os que têm depositado confiança nessa entidade. Agradeço também aqueles que por vezes fazem suas considerações sobre a atuação do sindicato. Estamos cientes de que não podemos esperar a unanimidade sobre a maneira como temos atuado. Porem, afirmamos que toda a nossa atuação tem sido para corresponder aos anseios dos servidores. Afirmamos também que não tem sido fácil. Temos reunido os servidores em assembleias e tomados decisões coletivas. Haja visto que fizemos 5 assembleias entre 28 de julho e 10 de agosto. Assembleias que tinham como pauta o não pagamento das férias dos professores e vários outros servidores. E que por causa dessas decisões a gente pode ser aplaudido ou apedrejado; podemos ser compreendidos ou não. Faz parte, mas o que não pode ser dito é que temos feito corpo mole. Todos sabem que não é, nunca foi e nunca será fácil enfrentar quem está no poder. Que às vezes parece que vamos ser engolidos. Entretanto, ninguém, pelo menos até este momento, poderá dizer que este presidente tem sito intransigente. Tenho sim, tentado ser conciliador. Tenho sim, tentado evitar o confronto desnecessário. Lembro a todos que as decisões do Sindicato não é tomada por este Presidente individualmente, mas tenho um grupo de pessoas para decidir, que é a Diretoria. É ela que direciona as nossas ações. Eu não tenho poder de decidir por mim mesmo. Meu papel é o de analisar os prós e os contras e tentar ponderar as ações. Afinal, se escolhe uma pessoa para ficar a frente porque se acredita que ele tenha o mínimo de credibilidade e discernimento diante das situações. 

Gostaria de dizer também que durante os anos aprendi a não agir por meus impulsos. Que o melhor é analisar os pros e os contras e só depois de ruminar tudo tomar uma decisão. Não me deixo levar por discursos radicais de quem quer que seja. Podem até não concordarem, mas não abro mão de conversar, de tentar resolver as coisas pela via da diplomacia. Quem quiser ser radical que seja.  Não sou dono da verdade e nem tenho pretensão de ser o sabido, o importante... Nada. Só quero dar minha contribuição para que tenhamos dias melhores. 

Nesses últimos dias estivemos tentando a todo custo reverter à atitude da Prefeitura de descontar os dias que os professores ficaram paralisados entre 07 e 10 de agosto. Foram 20 dias de negociação. Não foi possível somente entre sindicato e gestão se chegar ao acordo. Desse modo, se buscou o Ministério Público para intermediar o diálogo. Diante do Ministério Público foi firmado compromisso de que os Professores teriam seus valores restituídos mediante a recuperação dos dias não trabalhados. Outro ponto discutido na sala do Promotor foi quanto o não pagamento do terço de férias de vários servidores que deveriam ter recebido junto com o pagamento de agosto. Na ocasião, a gestão disse que pagaria na sexta, caso tivesse dinheiro suficiente. Caso contrário, seria pago no dia 11, o que se confirmou. Porem, não poderíamos imaginar que a prefeitura não pagaria a todos os que estão em atraso. Não podíamos adivinhar que seria assim. Portanto, não se pode acusar o Sindsep de não ter feito sua parte corretamente. Se o pagamento foi feito hoje, se fará os devidos questionamentos posteriormente. Quanto às datas de recuperação dos professores será dito amanha.
Desse modo, gostaria de pedir desculpas a todos se por acaso não tenho correspondido os anseios dos servidores como esperam. Porem, me coloco ainda mais a disposição desse trabalho que não é fácil. Enquanto vocês servidores confiarem em mim e na equipe que está comigo, estarei pronto para o que der e vier, mas aviso, não aceito manipulação e a discordância vazia e barata. Também não sou fantoche, nem me deixo levar pela ventania das ilusões. Tenho minhas convicções e delas não abro mão. Não me apego a cargo e para entregar tudo não conto pipoca. Também não abro mão da paz de espírito por nada. Digo mais: estou pronto para o que der e vier. A minha vida toda foi desafios. Se eles aumentam ou diminuem, é apenas consequência.

Finalmente, obrigado todos por estarmos juntos nessa luta sem fim...

Professor Valdeni Cruz – Presidente do Sindsep


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

SINDSEP CONSEGUE NEGOCIAR COM A PREFEITURA DE PENTECOSTE, RESTITUIÇÃO DOS DIAS PARALISADOS PELOS SERVIDORES ENTRE 07 E 10 DE AGOSTO



Nenhum texto alternativo automático disponível.
Imagem/Google

NOTA OFICIAL DO PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO

Gostaríamos de informar a todos que o bom senso venceu. Depois de um longo processo de negociação, entre o Sindsep Pentecoste, Administração Municipal e também a contribuição do Nosso Promotor de Justiça, que intermediou a negociação, Dr. Jairo Pequeno, chegamos num consenso que será favorável, tanto a administração quanto aos servidores mas, acima de tudo, ganha os educandos que não ficarão sem sua carga horária de aulas. Portanto, os dias paralisados e descontados dos Professores, serão restituídos. 

Acontecerá da Seguinte Forma: O Sr. Secretário de Educação, na segunda-feira, deverá dar as datas a serem recuperados dos dias faltados. A medida que forem sendo recuperados, também serão repassados para a conta do servidor. Sendo assim, firmamos o compromisso enquanto sindicato de cumprir com o que fora acordado. Também ficou certo de que o TERÇO DE FÉRIAS DO PESSOAL que não receberam, ficará para sexta, caso tenham recursos suficientes. Se não será na segunda-feira dia 11.


Desse modo, queremos aqui manifestar nossos agradecimentos a Gestão Municipal por ter chegado a essa compreensão e sensibilidade. Também agradecemos a contribuição de nosso Promotor por nos orientar e nos aconselhar da melhor forma. Que estejamos cada vez mais determinados a construir pontes que nos levam ao melhor para todos. 

Da parte do Sindsep fica nosso compromisso de seguirmos adiante firmes no sentido de defender os Servidores em todas as suas instâncias. Usando sempre do mais alto nível de ética e de responsabilidade moral. Compreendendo e respeitando as instâncias e as responsabilidades de cada instituição, sejam elas do governo ou da justiça.

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. SERÁ?

Professor Valdeni Cruz

Hoje é o dia que se comemora a Independência do BRASIL. A pergunta que se faz é: O BRASIL É MESMO INDEPENDENTE? TEMOS MESMO O QUE SE COMEMORAR NA CONJUNTURA? NÃO SERIA A HORA DE NÓS MANIFESTARMOS NOSSA REVOLTA CONTRA ESSE SISTEMA MALDITO QUE TEM OPRIMIDO A TODOS E A TODAS?

Nenhum texto alternativo automático disponível.

No dia 7 de Setembro de 1822 foi proclamada a independência do Brasil, porém ficamos sendo governados por um Imperador que criou uma Constituição ao seu modo para poder manipular as pessoas dominando-as e submetendo-as aos seus próprios caprichos. Torturou, esquartejou e cometeu diversas barbaridades em nome do poder. Hoje o pais está mergulhado no mar de corrupção e dominado por todo tipo de criminosos. Criminosos políticos, criminosos do tráfico, criminosos da justiça e em todos escalões. Isso é independência? Que independência é essa onde eu não posso caminhar pelas ruas tranquilamente nem a boquinha da noite, não posso comparar um bem, não posso ir a cinema, a um shopping tranquilamente, estou sujeito a assaltos e até mesmo a morrer. Mas também estamos sujeitos aos assaltos cometidos por nossos representantes políticos, quando nos roubam a esperança, a cidadania, o acesso aos bens públicos, quando nos negam um salário digno, uma moradia digna, saúde digna e etc. Não seria querer aplaudir a própria ignorância? Que liberdade é essa que não se pode dizer a verdade? Que não se pode manifestar suas ideias e suas críticas? É assim que acontece, embora exista alguns lutando com todas as forças contra esse sistema que tenta nos apagar.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Se concorda ou discorda, deixe seus cometários...

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

SERVIDOR DE PENTECOSTE FAZ DESABAFO APÓS TER SEUS DIREITOS NEGADOS



Quero aqui externar minha indignação contra esta gestão municipal que é injusta e mal intencionada. Vejam de acordo com o PCC do magistério Art. 61 e Estatuto do servidor Art. 49 e 53, que concede direito ao servidor (o auxilio deslocamento) pra quem se desloca e realiza despesas para a execução de serviços ou melhor exercer sua função. Fiz um requerimento e protocolado no setor pessoal deste município em março/2017 onde a Sra. Lila me disse que aguardasse uma resposta e que o setor teria três meses pra essa resposta. Tendo percorrido esse tempo retornei hoje, apos dois meses ao tempo previsto, o Sr. Paulo (que trabalha no setor Jurídico) me informou que não teria direito e nem havia mais esse direito ao funcionário e até porque o mesmo fez o concurso e poderia ser lotado em qualquer lugar do município. Falei a ele que poderia ser lotado em qualquer lugar, desde que o município der condições para o deslocamento.Disse também que a gestão está negando meu direito concedido em lei, mas eu sei onde buscar e fazer com que meus direitos sejam respeitados e que iria falar com o promotor. Me disse que era um direito meu falar com o promotor. Pedi por escrito seu parecer, sua resposta e disse que na próxima semana daria.


O que se observa que a gestão quando é pra punir usa o que está na Lei e quando é pra dar o direito não há Lei para conceder. 



Nós servidores não podemos ficar de braços cruzados esperando a boa vontade deles, mas ir em busca e fazer com que os direitos sejam cumpridos, é inaceitável e porque esse povo sempre nega direitos? Gente, temos a liberdade e o dever de lutar por nossos direitos, assumir nossa cidadania, como vamos educar e formar cidadãos se não buscamos nossos próprios direitos?



Aqui também quero expor outra falha desta gestão, desde sexta-feira (dia 25/08), que dezenas de estudantes no turno da manhã da nossa escola(Domingos da Cunha Braga), localidade Umburanas estão impossibilitados de estudar por falta de transporte. O ônibus que faz a rota Minguá Terra, Pedra Branca Terra e Ferrão e até a sede do município, ônibus este que também faz a rota no turno tarde transportando os estudantes do Ensino Médio, está quebrado e ainda não foi concertado. Enquanto isto os estudantes perdendo aulas, funcionários sendo obrigados pagar transporte particular, pagando até R$ 5,00, só a inda por exemplo. E a Secretaria de Educação mandando comunicado à gestão da escola, que os funcionário tem que ir trabalhar, cumprir sua obrigação. E a obrigação deles estão fazendo?

Por que já não tem um transporte pra substituir os ônibus que quebram? Esse problema já aconteceu no primeiro semestre por vários dias. E ai vai repetir isso quantas vezes durante o ano letivo? Ah, outra falha desta gestão, fecham escolas com o discurso que a Crede não quer mais turmas multisseriadas, levando alunos pra uma escola maior, juntam turmas, multisseriado. Como por ex. (juntou as turmas 8º ano 15 alunos e 9º ano com 16 anos, ficando uma turma com mais de trinta alunos), como trabalhar nesta turma ministrando aulas com dois conteúdo diferentes? Qual será a qualidade e aprendizagem dos educandos? Só umas verdades, desculpa se ofendi alguém.








Fonte: https://www.facebook.com/lucio.sousa.5492/posts/794791757366489 - Lúcio Sousa


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

PENTECOSTE, 144 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA




VAMOS CONHECER UM POUCO DE NOSSA REALIDADE

Código do Município
2310704
Gentílico
pentecostense
Prefeito

JOAO BOSCO PESSOA TABOSA


Resultado de imagem para FOTOS DE PENTECOSTE/CE


População no último censo 35.400 pessoas (2010)
Estimativa em 2016 era de 36.928
Densidade demográfica
25,68 hab/km²


Resultado de imagem para FOTOS AÉRIAS DE PENTECOSTE/CE

Católica apostólica romana é em torno de 30 mil pessoas e restante sendo distribuídos em maior número de evangélicos e outras
Trabalho e Rendimento

Em 2015, o salário médio mensal era de 1.5 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 12.0%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 103 de 184 e 35 de 184, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 4821 de 5570 e 2817 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 53.9% da população nessas condições, o que o colocava na posição 91 de 184 dentre as cidades do estado e na posição 650 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Salário médio mensal dos trabalhadores formais
1,5 salários mínimos
Pessoal ocupado
4.430 pessoas
População ocupada
12 %
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo
53,9 %
Salário médio mensal dos trabalhadores formais


Educação

Em 2015, os alunos dos anos inicias da rede pública da cidade tiveram nota média de 5.8 no IDEB. Para os alunos dos anos finais, essa nota foi de 4.6. Na comparação com cidades do mesmo estado, a nota dos alunos dos anos iniciais colocava esta cidade na posição 74 de 184. Considerando a nota dos alunos dos anos finais, a posição passava a 72 de 184. A taxa de escolarização (para pessoas de 6 a 14 anos) foi de 97.3 em 2010. Isso posicionava o município na posição 103 de 184 dentre as cidades do estado e na posição 3221 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Economia

Em 2014, tinha um PIB per capita de R$ 8588.80. Na comparação com os demais municípios do estado, sua posição era de 54 de 184. Já na comparação com cidades do Brasil todo, sua colocação era de 3940 de 5570. Em 2015, tinha 95.1% do seu orçamento proveniente de fontes externas. Em comparação às outras cidades do estado, estava na posição 42 de 184 e, quando comparado a cidades do Brasil todo, ficava em 831 de 5570.

Saúde

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 13.51 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.4 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 78 de 184 e 143 de 184, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 2376 de 5570 e 3606 de 5570, respectivamente.

Território e Ambiente

Apresenta 27.1% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 93.3% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 6.3% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 48 de 184, 67 de 184 e 55 de 184, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 3247 de 5570, 1147 de 5570 e 3246 de 5570, respectivamente.


Informações: IBGE

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO

Política    É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que esta...