sábado, 19 de junho de 2010

Política

Ficha Limpa já embaralha alianças


A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de validar a Lei da Ficha Limpa para candidatos condenados antes de sua sanção embaralhou de vez a montagem dos palanques em Estados importantes como Rio, Distrito Federal e Maranhão, entre outros. Se candidatos e dirigentes dos maiores partidos já quebravam a cabeça para amarrar costuras eleitorais regionais, a interpretação dada pelo TSE à Lei da Ficha Limpa pode tirar do páreo fortes concorrentes e obrigou as direções partidárias a revisarem suas alianças e estratégias.

No Distrito Federal, o principal afetado poderá ser o ex-governador Joaquim Roriz (PSC), que renunciou ao mandato de senador para escapar de um processo de cassação. Líder nas pesquisas, vai tentar manter a candidatura, mas sua situação já provocou o primeiro efeito colateral importante. O atual governador, Rogério Rosso (PMDB), que não disputaria a eleição, reviu a posição e decidiu se lançar candidato e deve atrair o apoio de DEM, PSDB e PTB.

A petista também pode perder aliados importantes em outros Estados por conta da Lei da Ficha Limpa. No Rio, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) estuda a retirada da candidatura e sua substituição pelo deputado estadual Wagner Montes (PDT). No Pará o deputado Jader Barbalho (PMDB) lidera as pesquisas para o Senado e tinha sua eleição considerada certa. Agora corre o risco de ver sua campanha barrada pela Justiça.

O PSDB passa a ter problemas imediatos com palanques de apoio ao candidato José Serra em pelo menos três Estados. No Maranhão, os tucanos tinham acertado coligação com o PDT, cujo candidato é o ex-governador Jackson Lago, cassado em 2009 por decisão da Justiça. Em outros dois Estados, a ameaça recai diretamente sobre candidatos tucanos. Em Rondônia, o ex-senador Expedito Júnior, que concorre ao governo, poderá ter o registro negado. Na Paraíba, o ex-governador Cássio Cunha Lima lidera as pesquisas para o Senado e é o principal cabo eleitoral no Estado para Serra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


fonte: Diario do nordeste.

Sobre o Senado Federal

Sobre o Senado Federal



Quando foi criado o Senado?

O Senado foi instituído pela Constituição de 1824, tendo acontecido a reunião de instalação em maio de 1826, quatro anos depois de proclamada a independência do Brasil. Com a implantação da República em 1889 e da Assembléia Constituinte em 1890, o Senado Federal foi instalado com a promulgação da Constituição republicana de 1891.

Quais são as competências atuais do Senado Federal?

Desde a promulgação da Constituição da República Federativa do Brasil, em 1988, o Senado Federal tem a prerrogativa constitucional de fazer leis e de fiscalizar os atos do Poder Executivo. Compete privativamente ao Senado Federal (Constituição Federal – art. 52, Emendas Constitucionais nº19/98, EC nº23/99, nº42/2003 e nº45/2004):
◦Processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da República, os Ministros de Estado, os Ministros do Supremo Tribunal Federal - STF, o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União nos crimes de responsabilidade;
◦Aprovar, previamente, a indicação do Presidente da República de magistrados, Ministros do Tribunal de Contas da União, Governador de Território, Presidente e diretores do Banco Central, Procurador-Geral da República, Chefes de missão diplomática e titulares de outros cargos que a lei determinar;
◦Autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse dos entes federados;
◦Dispor sobre a regulamentação das agências executivas e reguladoras;
◦Suspender a execução, no todo ou em parte, de lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal (Constituição Federal - art. 52; Emendas Constitucionais nº19/98 e nº23/99).
 
Quem dirige o Senado Federal?

O Senado Federal é dirigido pela Mesa Diretora composta pelo Presidente, Primeiro e Segundo Vice-Presidentes e quatro Secretários. São indicados também, quatro suplentes de Secretários para substituir os titulares em caso de impedimento. Os senadores se reúnem, em sessão preparatória, para eleger os componentes da Mesa. A votação é secreta, por maioria de votos, presente a maioria dos senadores e assegurada, tanto quanto possível, a participação proporcional das representações partidárias ou dos blocos parlamentares com atuação na Casa (Regimento Interno do Senado Federal, arts.3º e 46).

Qual é a duração do mandato da Mesa Diretora do Senado Federal?

A duração do mandato da Mesa Diretora é de dois anos (Constituição Federal - art. 57, § 4º e Regimento Interno do Senado Federal - art. 59).

Onde fica o Senado Federal?

O Senado Federal está instalado no Palácio do Congresso Nacional, em Brasília. Endereço: Senado Federal, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF, CEP 70165-900 Fone: (61) 3311-4141.

Quantos são os senadores e como eles são eleitos?

O Senado Federal compõe-se de 81 senadores. Ao todo, são eleitos três senadores por estado, incluindo o Distrito Federal. Os senadores são eleitos segundo o princípio do voto majoritário, com mandato de oito anos. A representação de cada estado e do Distrito Federal é renovada de quatro em quatro anos, alternadamente, por um e dois terços. Cada senador é eleito com dois suplentes (Constituição Federal - art. 46).

O que é exigido para o cidadão se tornar um senador?

É necessário estar inscrito em partido político, ter nacionalidade brasileira, ter o pleno exercício dos direitos políticos, possuir alistamento eleitoral, possuir domicílio eleitoral na circunscrição e ter idade mínima de trinta e cinco anos (Constituição Federal - art. 14, § 3º).

O que é mandato parlamentar do senador?

É o poder político outorgado pela sociedade a um cidadão para que esse a represente no Senado Federal.

Qual a duração do mandato do senador?

A duração do mandato do senador é de oito anos. Ele corresponde a duas Legislaturas.

O que é uma Legislatura?

Corresponde ao período de quatro anos composto por quatro sessões legislativas. Uma sessão legislativa corresponde ao tempo de trabalho parlamentar durante o ano.

Como se renova a composição do Senado Federal?

O Senado Federal se renova parcialmente a cada quatro anos. A regra alterna essa renovação em 1/3 e 2/3 dos senadores. Nessa última eleição, de 2006, foram renovados 1/3 dos senadores, ou seja, 27 novos representantes foram indicados para o Senado Federal.

O que é período legislativo ordinário?

São dois ao longo de um ano: o primeiro de 2 de fevereiro a 17 de julho; e o segundo, de 1º de agosto a 22 de dezembro (Constituição Federal - art. 57; Emendas Constitucionais nº50/2006).


O que é sessão legislativa?

São dois períodos ao longo de um ano: o primeiro, de 2 de fevereiro, ou primeiro dia útil subseqüente, a 17 de julho; e o segundo, de 1º de agosto a 22 de dezembro (Constituição Federal - art. 57; Emendas Constitucionais nº19/1998, nº32/2001 e nº50/2006).

Qual é o quorum mínimo para o início de uma sessão?

Para iniciar uma sessão é preciso que estejam, no Plenário, pelo menos, quatro senadores, ou seja, um vigésimo da composição do Senado Federal (Regimento Interno do Senado Federal - art. 155, § 4º).

Quais são os tipos de sessão que ocorrem no Senado Federal?

As sessões do Senado Federal podem ser Deliberativas (ordinárias ou extraordinárias), Não-deliberativas e Especiais.

◦Sessão Deliberativa Ordinária - é uma sessão destinada à votação de matérias legislativas, realizada de segunda a quinta-feira às quatorze horas e às sextas-feiras às nove horas, quando houver Ordem do Dia previamente designada (Regimento Interno do Senado Federal - art. 154 § 1º e Resolução nº37/95).

◦Sessão Deliberativa Extraordinária - é uma sessão destinada à votação de matérias legislativas, realizada em horários diversos do fixado para sessões ordinárias. O Presidente do Senado pode convocar, em qualquer tempo, sessão deliberativa extraordinária quando, a seu juízo e ouvida as lideranças partidárias, as circunstâncias o recomendarem ou haja necessidade de deliberação urgente (Regimento Interno do Senado Federal - art. 154 e Resolução nº37/95).

◦Sessão Não-Deliberativa - é uma sessão onde não há processo de votação e sim o pronunciamento de discursos, comunicações, leitura de proposições e outros assuntos de interesse político e parlamentar (Regimento Interno do Senado Federal- art. 154 § 4º e Resolução nº37/95).

◦Sessão Especial - é uma sessão que ocorre na "Hora do Expediente" (primeira hora da sessão deliberativa) e destina-se a comemorações ou homenagens a altas personalidades a juízo do Presidente ou por deliberação do Plenário, mediante requerimento de seis Senadores (Regimento Interno do Senado Federal - art. 154 § 5º e RS 37/95).
 
Se o presidente não estiver presente, quem preside as sessões?

Quando por algum motivo o Presidente do Senado não está presente, assume a condução da sessão o Primeiro Vice-Presidente. Se esse também estiver indisponível, assume então o Segundo Vice-Presidente e assim, sucessivamente o Primeiro, o Segundo, o Terceiro e o Quarto Secretários. Há também a possibilidade de que a presidência da sessão plenária possa ser assumida pelo senador mais idoso (Regimento Interno do Senado Federal - art. 46, § 4º).

Quais são os motivos para reunião em conjunto do Senado e da Câmara dos Deputados?

Está previsto na Constituição a realização de sessões em conjunto entre o Senado Federal e a Câmara dos Deputados nos seguintes casos: inauguração da sessão legislativa; elaboração do regimento comum e regulamentação de serviços comuns às duas Casas; Posse do Presidente e do Vice-Presidente da República e recepção de Chefe de Estado Estrangeiro, bem como para receber e deliberar a respeito dos vetos do Presidente da República (Constituição Federal - art.57, §3º).

Em quais situações o Senado Federal pode ser convocado extraordinariamente e quem tem poderes para isso?

O Presidente do Senado Federal pode convocar extraordinariamente o Senado em caso de decretação de estado de defesa ou de intervenção federal, de pedido de autorização para a decretação de estado de sítio e para o compromisso e a posse do Presidente e do Vice-Presidente da República.

O Presidente da República, os Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, ou a maioria dos parlamentares de ambas as Casas, em caso de urgência ou interesse público relevante (Constituição Federal - art.57, §6º).

O que são as Comissões Parlamentares do Senado Federal?

As Comissões Parlamentares são consideradas órgãos técnicos de apoio ao processo legislativo. Elas são formadas por senadores e se destinam, principalmente, a examinar e emitir relatórios a respeito dos projetos de lei que estão em tramitação na Casa. Podem ser permanentes, temporárias e especiais. Um dos tipos mais conhecidos de Comissão Parlamentar é a CPI - Comissão parlamentar de Inquérito, que tem por objetivo a apuração de denúncias e irregularidades (Constituição Federal - art. 58).

Quais são as Comissões permanentes do Senado Federal?

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) - Composta por 27 Senadores titulares e 27 suplentes, analisa matérias econômicas e financeiras, direito agrário, política agrícola, de crédito, câmbio, etc., além de aprovar a escolha dos ministros do TCU, do presidente e dos diretores do Banco Central. Também é sua atribuição emitir parecer sobre pedido de autorização para operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal. Suas reuniões acontecem às terças-feiras, dez horas.

Comissão de Serviços de Infra-Estrutura (CI) - Composta por 23 Senadores titulares e 23 suplentes, a CI emite parecer acerca das matérias que versam sobre transporte terrestre, marítimo e aéreo; sobre obras públicas em geral, minas, recursos geológicos e hídricos e serviços de telecomunicações. As reuniões acontecem às terças-feiras, quatorze horas.

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) - Composta por 23 Senadores titulares e 23 suplentes, manifesta-se a respeito da constitucionalidade, juridicidade e regimentalidade das matérias; da criação de Estados e Territórios, estado de defesa e de sítio, intervenção federal, segurança pública, perda de mandato de Senador e escolha de Ministros do STF, dos Tribunais Superiores e de Governador de Território. Reúne-se às quartas-feiras, dez horas.

Comissão de Assuntos Sociais (CAS) - Composta por 21 Senadores titulares e 21 suplentes, a CAS opina sobre relações de trabalho, organização do sistema nacional de emprego e condição para o exercício de profissões, seguridade social, previdência e assistência social, proteção e defesa da saúde, controle e fiscalização de medicamentos, saneamento e alimentos, bem como sobre normas gerais de proteção ao meio ambiente. As reuniões acontecem às quintas-feiras, onze horas e trinta minutos.

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) - Composta por 19 Senadores titulares e 19 suplentes, trata de proposições referentes aos atos e relações internacionais, Ministério das Relações Exteriores, comércio exterior; indicação de nome para chefe de missão diplomática de caráter permanente junto a governos estrangeiros, organizações internacionais; autorização para que o Presidente ou o Vice-Presidente da República se ausente do País por mais de quinze dias, etc. Reúne-se às quintas-feiras, dez horas.

Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) - Composta por 27 Senadores e 27 suplentes, a CE analisa normas gerais da educação, cultura, ensino e desportos, diretrizes e bases da educação nacional, salário-educação, comunicação, imprensa, criações científicas e tecnológicas, informática, além de conceder outorga, renovação de concessão, permissão e autorização para serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens. As reuniões são às quartas-feiras, onze horas e trinta minutos.

Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) - Composta por 17 Senadores titulares e 17 suplentes, exerce a fiscalização e o controle dos atos do Poder Executivo, incluindo os da administração indireta, podendo atuar em colaboração com as comissões permanentes e temporárias, incluídas as comissões parlamentares de inquérito. Manifesta-se sobre assuntos atinentes à defesa do meio ambiente e de defesa do consumidor. Reúne-se às terças-feiras, onze horas e trinta minutos.

Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) - Composta por 19 Senadores titulares e 19 suplentes, a CDH manifesta-se a respeito da garantia e promoção dos direitos humanos, direitos da mulher, proteção à família, à infância, à juventude e aos idosos; opina ainda a respeito da proteção e integração social das pessoas portadoras de deficiências, bem como da fiscalização, acompanhamento, avaliação e controle das políticas governamentais para esses setores. As reuniões acontecem às terças-feiras, doze horas.

Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) - Composta por 17 Senadores e 17 suplentes, a CDR opina sobre as proposições referentes às desigualdades regionais, estaduais e municipais; sobre os programas, projetos, investimentos e incentivos econômicos e sociais destinados ao desenvolvimento daquelas áreas; e sobre aquelas matérias que tratem das políticas relativas ao turismo. As reuniões ocorrem às quartas-feiras, quatorze horas.
Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) – Composta por 17 titulares e 17 suplentes manifesta-se a respeito do desenvolvimento científico, tecnológico e inovação tecnológica; política nacional de ciência, tecnologia, inovação, comunicação e informática; organização institucional do setor; acordos de cooperação e inovação com outros países e organismos internacionais na área;propriedade intelectual;criações científicas e tecnológicas, informática, atividades nucleares de qualquer natureza, transporte e utilização de materiais radioativos, apoio e estímulo à pesquisa e criação de tecnologia;comunicação, imprensa, radiodifusão, televisão, outorga e renovação de concessão, permissão e autorização para serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens; regulamentação, controle e questões éticas referentes a pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico, inovação tecnológica, comunicação e informática e outros assuntos correlatos. Reuni-se às quartas-feiras, oito e quarenta e cinco (Resolução do Senado nº. 1/2007).

Comissão de Agricultura e Reforma e Agrária (CRA) - Composta por 17 Senadores titulares e 17 suplentes, a CRA manifesta-se sobre o planejamento, acompanhamento e execução da política agrícola, fundiária e pecuária; sobre o abastecimento, a agricultura e a segurança familiar, a silvicultura, a aqüicultura e a pesca; sobre a fiscalização e a comercialização de produtos e insumos, vigilância e defesa sanitária animal e vegetal; sobre tributação da atividade rural, alienação ou concessão de terras públicas, bem como a respeito das políticas de desenvolvimento tecnológico e de organização do ensino rural. Reúne-se às quintas-feiras, doze horas.

Senadores elogiam decisão do TSE sobre alcance da Lei da Ficha Limpa

Senadores elogiam decisão do TSE sobre alcance da Lei da Ficha Limpa



Conforme entendimento do Tribunal Superior Eleitoral, também estão impedidos de candidatar os condenados por órgão colegiado do Judiciário antes da sanção da nova legislação, que entrou em vigor no dia 7 deste mês.
Pedro Simon afirma que medida acabará com impunidade no país. Arthur Virgílio consultou o tribunal se norma valeria nas eleições deste ano

A Lei dA Ficha Limpa, que entrou em vigor no dia 7, impedirá, já nas eleições deste ano, o registro de candidatos condenados por órgão colegiado da Justiça antes da sanção. A decisão sobre o alcance do texto foi tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na quinta-feira e deve pôr fim à polêmica relacionada à lei, que amplia de três para oito anos o prazo de inelegibilidade para os condenados por crimes graves como improbidade administrativa, lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e participação em organização criminosa. — Acho a decisão do TSE sensacional. Vocês vão ver, a partir de agora, como as coisas vão mudar. Terminou a impunidade no Brasil — comemorou o senador Pedro Simon (PMDB-RS).
Francisco Dornelles (PP-RJ) disse não ter ficado surpreso com a decisão do TSE. Ele foi autor de uma emenda ao projeto que substituiu a expressão "tenham sido condenados" por "que forem condenados" ao longo do texto, modificação que pôs em dúvida o alcance da lei.
— Desde o início, sempre afirmei que a mudança introduzida pelo Senado foi uma mudança de redação, que não alterava o mérito do projeto — disse Francisco Dornelles, ao explicar que sua intenção foi uniformizar o tempo verbal usado no projeto.
Logo após a lei entrar em vigor, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), apresentou consulta ao TSE indagando se a norma já valeria para as eleições de 2010. O tribunal entendeu que sim, porque a lei começou a vigorar antes do início do processo eleitoral.
Essa compreensão partiu do relator da consulta, ministro Hamilton Carvalhido, e só foi contestada pelo ministro Marco Aurélio Mello, para quem o processo eleitoral teve início com a realização das convenções partidárias.
Marco Aurélio também se manifestou contrariamente à consulta do deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) quanto à possibilidade de a Lei Complementar 135/10 impedir a candidatura de condenados por decisão colegiada da Justiça antes de sua vigência.
O relator da consulta, ministro Arnaldo Versiani, sustentou que a lei tem aplicação imediata e atinge a todos no momento da formalização do pedido de registro de candidatura junto à Justiça Eleitoral.

Senador(es) Relacionado(s):

Arthur Virgílio

Pedro Simon

Fonte: SENADO FEDERAL

quarta-feira, 16 de junho de 2010

DEPUTADOS CEARENSES QUE RESPODEM PROCESSOS

Sete deputados federais cearenses respondem a processos no STF


O campeão cearense da lista é o deputado José Gerardo Arruda (PMDB), condenado no último mês de maio pelo STF, que responde a duas ações penais e a quatro inquéritos por crime de responsabilidade
O Congresso em Foco divulgou, nesta segunda-feira, 14, a lista completa dos parlamentares que respondem a processos no Supremo Tribunal Federal (STF) em todo o País. No Ceará, entre os 22 deputados federais, sete acumulam pendências na Corte Suprema.
O campeão cearense da lista é o deputado José Gerardo Arruda (PMDB), condenado no último mês de maio pelo STF, que responde a duas ações penais e a quatro inquéritos por crime de responsabilidade.
Os deputados Aníbal Gomes (PMDB), Ciro Gomes (PSB), José Linhares (PP), Leo Alcântara (PR), Manoel Salviano (PSDB) e Marcelo Teixeira (PR) também apareceram na lista e são alvo de investigações no STF.
De acordo com o Congresso em Foco, para os juristas, há uma diferença entre inquérito, fase em que o parlamentar é considerado suspeito de ter praticado ato ilícito, e se reúnem elementos para se propor ou não uma ação penal; e as ações penais, às quais o congressista responde na condição de réu, após aceita a denúncia pelo Supremo.
O Congresso em Foco procurou os parlamentares citados e recebeu esclarecimentos de dois deputados cearenses. Aníbal Gomes afirmou que, em relação ao processo de ação penal 347, que refere-se à prestação de contas de recursos recebidos em 1990 por um Hospital em Acaraú, município em que ele era prefeito, o Hospital é uma instituição privada, do qual ele não fazia parte de seus quadros, e que na época não havia nenhum vínculo com a prefeitura, mas que, mesmo assim, o Ministério Público entrou com ação querendo vincular o deputado àquela prestação de contas.
Sobre o Inquérito 1396, que trata do homicídio do ex- prefeito de Acaraú, João Jaime Ferreira Gomes Filho, Aníbal Gomes disse que, por conta de ‘politicagem regional’, procuraram envolvê-lo no caso. Segundo ele, o Ministério Público Federal na época, pediu imediatamente o arquivamento, por ausência total de provas, e, hoje, o processo encontra-se no Supremo Tribunal Federal, para novamente ser arquivado pelo mesmo motivo. 'A prova maior de minha inocência é que, após este triste episódio, o povo ceaerense já me reelegeu três vezes, ficando sempre entre os mais votados em meu Estado', ressaltou o parlamentar.
O deputado Manoel Salviano também respondeu a equipe do Congresso em Foco e alegou que responde injustamente ao Inquérito 2876, por apropriação indébita, e que já entrou com um mandado de segurança para excluir seu nome do procedimento. De acordo com o parlamentar, a acusação se refere a autos de infração da Previdência sobre uma empresa da qual é sócio e está licenciado desde 2000.
'Sou sócio, mas não o responsável pela empresa. A responsabilidade cabe ao gerente administrativo da empresa, uma indústria farmacêutica', afirmou o deputado. 'Não foi apropriação indébita. O fiscal achou que a empresa deveria recolher o INSS dos prestadores de serviço da área de transportes. A empresa recolheu, mas não repassou. O débito está sendo pago de forma parcelada', detalhou Manoel Salviano.

Veja lista dos deputados com os respectivos processos:



AÇÕES PENAIS

Aníbal Gomes (PMDB-CE)

Ação Penal 347 Crimes de ‘lavagem’ ou ocultação de bens, direitos ou valores

Data de autuação: 03/09/2003


Zé Gerardo (PMDB-CE)

Ação Penal 403 Crime de responsabilidade

Data de autuação: 14/03/2006

Ação Penal 434 Crime de responsabilidade

Data de autuação: 25/06/2007


INQUÉRITOS


Aníbal Gomes (PMDB-CE)

Inquérito 1396 Natureza não informada

Data de autuação: 27/07/1998

Ciro Gomes (PSB-CE)

Inquérito 2954 Crime de injúria

Data de autuação: 26/04/2010

Inquérito 2956 Crime eleitoral e injúria

Data de autuação: 30/04/2010


José Linhares (PP-CE)

Inquérito 2720 Investigação penal

Data de autuação: 23/05/2008


Leo Alcântara (PR-CE)

Inquérito 2689 Crime contra o sistema financeiro nacional e crime de competência

Data de autuação: 03/03/2008


Manoel Salviano (PSDB-CE)

Inquérito 2477 Crime de responsabilidade

Data de autuação: 07/03/2007

Inquérito 2876 Apropriação indébita

Data de autuação: 26/10/2009


Marcelo Teixeira (PR-CE)

Inquérito 2279 Crime de lavagem e contra a ordem tributária

Data de autuação: 06/12/2005


Zé Gerardo (PMDB-CE)

Inquérito 2307 Crime de responsabilidade 15/05/2006

Inquérito 2336 Crime de responsabilidade 22/06/2006

Inquérito 2847 Crime de responsabilidade 03/09/2009

Inquérito 2846 Crime de responsabilidade 03/09/2009


Redação O POVO Online com informações do Congresso em Foco

AGUARDEM!!!!!!!!!!

Pentecoste breviemnte vai tremer!!!

AGUARDE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 15 de junho de 2010

BRASIL VENCE COREIA DO NORTE

Brasil vence Coreia do Norte "jogando só" no 2º tempo na estreia da Copa.
 
O Brasil venceu a Coreia do Norte por 2 a 1 e começou a Copa do Mundo de 2010 com uma vitória apertada. Depois de um primeiro tempo apático, com quase nenhuma chance de gol, a seleção brasileira achou no lado direito a solução de todos os problemas. Na primeira, Maicon recebeu belo passe de Elano e praticamente junto à linha de fundo abriu o placar. Pouco tempo depois, Robinho deu a bola para Elano, que aumentou a vantagem.

A vitória dá a chance ao Brasil de se classificar já na próxima rodada. Basta vencer a Costa do Marfim neste domingo e torcer para que a Coreia do Norte vença Portugal ou segure o empate. Assim, o time garantiria a classificação para as oitavas de final sem a necessidade de nenhum resultado contra Portugal. A igualdade garantiria, até mesmo, a liderança antecipada.

O jogo começou bom para o Brasil. O time parecia impor bem o seu ritmo para cima da Coreia do Norte, inicialmente assustada dentro de campo. Aos 3 minutos, Robinho já pedalava e dava rolinho. Quatro minutos depois, pedalou mais uma vez e chutou, mas sem direação. Aos 12 minutos, Elano aproveitou rebote do chute de Maicon e chutou em cima do goleiro norte-coreano.

A partir daí os asiáticos pareciam mais calmos dentro de campo. Tanto que aos 15 minutos Jong Kyonk chutou da entrada da área, não chegou a assustar Júlio César, mas mostrou que o time saberia lidar com a pressão. A reposta brasileira veio aos 20 minutos, com Robinho. O santista recebeu passe da Kaká, mas chutou fraco, em cima do goleiro. Seis minutos depois, Maicon chutou mais uma vez depois de receber a bola pela direita e chutou em cima do goleiro.

O primeiro tempo acabava, e o problema da Era Dunga imperava dentro de campo. Não conseguir criar jogadas ofensivas quando o time adversário fica com dez no campo de defesa. O time foi para o vestiário sob vaias mais fortes do que as vuvuzelas e com uma apresentação que não agradou apenas aos norte-coreanos.

Na volta para o segundo tempo, sem nenhuma alteração, o time voltou ainda com o domínio da bola, mas com problemas para chegar com perigo ao gol de Myong Guk. A primeira chance aconteceu aos 5 minutos, em uma cobrança de falta. Michel Bastos chutou com força e muito efeito, mas para fora do gol.

Dois minutos depois, em ótima jogada pela direita, o Brasil abriu o placar. Elano passou para Maicon, que passou em velocidade e arriscou um chute quase sem ângulo, colado à linha de fundo. Se antes o efeito da Jabulani era problema, naquele instante, virou solução. O goleiro Myong Guk caiu sem entender como aquela bola havia entrado. As câmeras mostraram efeitos mirabolantes que acabaram dando mais tranquilidade para o Brasil.

O Brasil trocava passes e mostrava tranquilidade dentro de campo. A Coreia do Norte tentava algumas jogadas a longa distância, mas não chegava a assustar. Foi aí que Robinho achou um buraco perfeito da entrada da área e deu um passe para Elano, que entrava sozinho na área. O meio-campo tocou de chapa, para o fundo da rede e sem nenhuma chance para Myong Guk. Por coincidência, o camisa sete já seria substituído antes de fazer o gol e acabou deixando o campo para a entrada de Daniel Alves.

Depois, quando o time já se tranquilizava com a vitória, quando Yun Nam foi para dentro da área e chutou forte sem chances para Júlio César. Apesar da derrota, os coreanos comemoravam como se fosse estivessem triunfando no Ellis Park.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta a Costa do Marfim, também às 15h30, no domingo, e a Coreia do Norte joga contra Portugal.
Fonte: Abril.com

PRA RIR MAS É VERDADE, PENSE NISSO.

APRENDA A CHAMAR A POLÍCIA!...

Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa.
Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro.
Como minha casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internas nas portas, não fiquei muito preocupado, mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali,espiando tranqüilamente.
Liguei baixinho para a polícia, informei a situação e o meu endereço. Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa. Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível.

Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma:

-Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal. Não precisa mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardada em casa para estas situações. O tiro fez um estrago danado no cara!

Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo.

Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado.

Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante da Polícia.

No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse:

-Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão.

Eu respondi:

- Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma viatura disponível.





Itatira






Igreja diz que transe coletivo em escola no Ceará é 'fenômeno psicológico'


Publicada em 14/06/2010 às 19h49m

Leonardo Guandeline

SÃO PAULO - A Igreja Católica classificou como 'fenômeno psicológico' o transe coletivo em pelo menos 25 alunos de uma escola do distrito de Cachoeira, em Itatira, no Ceará. Num único dia, 25 tiveram de receber atendimento médico no hospital da cidade vizinha de Canindé. As alunas, com idades de 12 a 19 anos, começam a se debater, chutam e viram os olhos. Elas dizem que estão vendo um jovem que estudou na mesma escola e morreu afogado há cerca de 7 anos. ( Veja imagens no site da TV Verdes Mares )
O transe coletivo levou a direção da escola a suspender as aulas por 3 dias a pedido do padre e parapsicólogo José Helio Correia de Freitas. De acordo com o religioso, que esteve em Itatira na última quarta-feira dando uma palestra e atendendo os casos, o tipo de manifestação as adolescentes tiveram é uma expressão do inconsciente.
- Há todo um contexto de cidade pequena do interior, com superstições em relação a essa rapaz que morreu afogado. Toda essa crendice, aliada à assombrações e rituais 'exorcistas' que algumas igrejas insistem em praticar, gerou essa histeria coletiva - salienta o padre.
- Essas crianças são muito simples, humildes, e ficaram assustadas com tudo isso. É tudo uma fantasia involuntaria, uma força orgânica que gerou sintomas como palpitação no coração, fraqueza nas pernas e outros sintomas nessas meninas.
Toda essa crendice, aliada à assombrações e rituais 'exorcistas' que algumas igrejas insistem em praticar, gerou essa histeria coletiva.
Ainda na quarta-feira o padre Freitas conversou com todas as adolescentes que apresentaram os sintomas após uma palestra. Enquanto Freira falava aos alunos, uma jovem começou a passar mal e outras também tiveram os mesmos sintomas.
O religioso, através da conversa, realizou um trabalho parapsicológico com as vítimas, uma espécie de hipnose.
- Trabalhei a partir da parapsciologia e psicologia, aplicando técnicas de pronto-socorro. A intenção foi tirá-las do mundo consciente, hipnótico. Realizamos uma espécie de hipnose, com estímulos positivos através da conversa - ressalta José Helio Correia de Freitas.
O primeiro caso foi registrado no começo deste mês. As alunas relatam o que viram e sentiram durante o transe.
- Ele é moreno, alto. Quando está em outras meninas fica olhando para a gente e dizendo 'Vou te pegar'. Elas falam grosso, diferente - diz a estudante Jéssica da Silva.
- Ele veste uniforme. É moreno, alto, a calça dele é azul. Ele fala com a gente - diz Beatriz Nascimento, que chegou a ferir com as unhas um rapaz que tentou socorrê-la.
O padre disse que as adolescentes agora terão de ter um acompanhamento psicológico.

Isso tinha que ser no Ceara?

É bom ter cuidado. Se essa mania pega por ai... Deus nos acuda.
Já pensou um monte de alunos ficando possuídos sei la de que por ai. Se já são do jeito que são sem estarem em transe ou possuídos... 
Isso para os professores lidar com essa nova realidade. 

LULA APROVA REAJUSTE DOS APOSENTADOS QUE GANHAM ACIMA DO MINIMO

Lula aprova reajuste de 7,72% aos aposentados



Após três horas de reunião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aprovou nesta terça-feira (15) o reajuste de 7,7% aos aposentados que ganham acima do salário mínimo (R$ 510). Para conceder o aumento, o presidente autorizou um corte de R$ 1,6 bilhão no orçamento, além dos R$ 10 bilhões que já haviam sido congelados neste ano. O aumento irá beneficiar 9 milhões de aposentados.
O fim do fator previdenciário (cálculo que leva em conta o tempo de contribuição e a expectativa de vida) foi vetado, como já havia sido antecipado. A mudança na regra, no entanto, não foi discutida.
A decisão ocorreu em meio a uma reunião entre Lula, assessores econômicos e os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, da Previdência, Eduardo Gabas, da Fazenda, Guido Mantega, das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra. Segundo Mantega, o corte adicional será em emendas parlamentares (em custeios) e não em investimentos. Ele afirmou, no entanto, que a redução "irá doer".
A discussão em torno do aumento aos aposentados começou em dezembro do ano passado, quando Lula editou a Medida Provisória 475/09 para dar reajuste de 6,14% aos aposentados que ganham mais de um salário mínimo.
..Isso porque os idosos que ganham um salário mínimo tiveram os benefícios reajustados acima da inflação durante o governo Lula, graças aos reajustes no mínimo. Já os que ganham mais de um salário, tiveram apenas reposição da inflação no período, o que gerou a reivindicação do reajuste para os aposentados que ganham acima do mínimo e que não tiveram a reposição das perdas.
De acordo com cálculos do governo, o reajuste de 7% aos aposentados custaria aos cofres públicos cerca de R$ 7,8 bilhões por ano. No caso da proposta original, de aumento de 6,14%, o custo à União seria de R$ 6,7 bilhões. Já o reajuste de 7,71% custaria aos cofres públicos mais R$ 600 milhões por ano (além dos 7,8 bilhões).

Fonte: Olhar Direto

Ola!!!! Bom dia a todos!!!!!!!!

Estamos começando mais um dia e de maneira especial, estamos na espectativa do jogo do Brasil. Antes, porem estamos acompanhando os desfechos das noticias que toamam conta dos jornais, revista, sites e outras fontes de informação, diversos acontecimentos.

A cada dia ficamos aqui na espectativa de que tenhamos melhores acontecimentos, pois na maioria das vezes temos ficado frustrados com tantas informações que mais entristecem do animam. No entanto, não podemos ficar calados ou acomodados. Devemos levantar nossas cabeças e seguir em frente dando nossa colaboração para que as coisas melhorem.    

JUIZ DE PENTECOSTE DETERMINA AO MUNICÍPIO DE PENTECOSTE A CUMPRIR EXECUÇÃO DE SENTENÇA QUE GARANTE SALÁRIO MÍNIMO AOS SERVIDORES DE PENTECOSTE MESMO COM CARGA HORARIA REDUZIDA

Caríssimos companheiros e companheiras, boa tarde! É com imensa satisfação que o SINDSEP (Sindicato dos Servidores Municipais ...