sexta-feira, 25 de outubro de 2013

O DIA DO ENEM CHEGOU



Neste final de semana mais de 7 milhões de pessoas irão fazer as provas do ENEM (EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO) em todos Brasil. Sabemos o quanto esta prova tem se tornado importante nos últimos anos dado a importância que o Enem tem para que muitos possam adentrar a uma Universidade. Muitos alunos dedicaram tempo e estudo para se saírem bem nos exames.


Aqui no Ceará não foi diferente. O governo do Estado todos os anos foca muito para que os alunos da rede estadual se saiam bem. Porém, neste ano de 2013 extrapolou quanto aos incentivos para que o maior número de alunos pudessem participar. Nas escolas estaduais houve uma grande mobilização para que o Enem se tornasse, de fato, o foco. Os professores se envolveram de forma total na aplicação de simulados, aulões, no estudo de questões de provas do Enem de anos anteriores. Foi realmente muito importante tudo o que ocorreu até hoje, sexta-feira, para que haja êxito por parte dos estudantes do Ensino Médio.

Gostaria de encorajar todos a realmente se concentrarem nas provas para que obtenham excelentes resultados.

Nós, enquanto educadores, ficamos aqui na torcida desejando que todos possam obterem êxito.

Quero desejar boa sorte a todos os que irão prestar os exames do Enem. Mas quero, de maneira especial, desejar boa sorte aos nossos educandos de Pentecoste. Aos alunos da Escola Etelvina Gomes Bezerra, Tabelião Jose Ribeiro Guimarães e Alan Pinho Tabosa. 

Que estes dois dias sejam dias proveitosos para todos. 

Professor Valdeni Cruz

Adão e Eva existiram mesmo?





Adão e Eva existiram de fato; foram os primeiros humanos, não se pode negar isso. Não sabemos onde foram criados e nem quando, mas são tão reais quanto é real o gênero humano. Deus se apre¬sentou ao homem nas suas origens, ao homem real e não a um ser fictício. Adão e Eva são nomes de origem hebraica; representam os primeiros seres humanos.
A ciência, e não a Igreja, é quem deve dizer onde eles existiram e quando. Uma noticia publicada esta semana na famosa revista científica Science diz que os paleontólogos descobriram em 2005, na Geórgia, próximo do Mar Negro, um crâneo humano de 1,8 milhões de anos. Com base nos estudos dessa descoberta esses cientistas disseram que se reforça a hipótese de que a humanidade surgiu de uma única espécie. Com o avanço da ciência saberemos um dia onde surgiu o primeiro casal humano, isto é, os primeiros que receberam de Deus uma alma imortal, ou seja, Adão e Eva.
Não há necessidade de admitir que Adão tenha sido fisicamente mais belo e mais evoluído do que os homens da pré-história. O primeiro casal de que fala o Gênesis, pode ter tido uma configuração grosseira como mostram os fósseis. O que a Igreja ensina é que o primeiro casal vivia na amizade e comunhão com Deus (estado de santidade); é o que expressa a sua presença no jardim de Deus, o Eden. Adão tinha também o que se chama de estado de “justiça original”, que significa plena harmonia consigo mesmo (não tinha traumas, tristezas, problemas...), harmonia com a mulher, com Deus, com os animais e com a natureza. Com a desobediência a Deus, o pecado, perdeu a amizade de Deus a plena harmonia com a mulher, com Deus e com a natureza. A morte entrou na história humana pelo pecado (Rom 6,3). Jesus Cristo, o novo Adão, pela sua Encarnação e Paixão, veio recuperar o que o primeiro Adão perdeu, e nos dar a oportunidade de voltar ao Paraíso.

Fonte: Professor Felipe Aquino

Sobre Criação de município - Novos municípios geram incertezas


Belo Horizonte. A criação de novos municípios no País não é "necessariamente ruim nem boa", mas precisa ser feita com "critérios técnicos objetivos". A avaliação é da presidente Dilma Rousseff, que defendeu durante entrevista a uma rádio de Belo Horizonte ontem, a regulamentação desse tipo de iniciativa, mas declarou não saber se sancionará ou vetará o projeto que permite a criação de novas cidades aprovado semana passada pelo Senado.

O plenário do Senado aprovou no dia 16 de outubro o Projeto de Lei Complementar 98/2002, que regulamenta a fusão, criação e desmembramento de municípios. Com as novas regras, 188 distritos passam a ter condição de se emancipar. Dilma explicou que o projeto de lei regulamenta a Emenda Constitucional nº 15, que congelou a criação de municípios até a definição de critérios nacionais.

Atualmente, existem 5.570 municípios no País e Dilma lembrou que o texto regulamenta uma emenda constitucional que vetou o surgimento de novas cidades. A presidente defendeu a regulamentação da questão porque, segundo ela, são necessários "critérios claros e objetivos".

"Há situações em que ela (criação) é francamente negativa. Ela diminui a renda dos outros municípios, cria municípios inviáveis, permite um jogo político de criação. Mas tem outros em que é necessário. Há municípios no Brasil maiores que estados nacionais europeus, por exemplo", observou.

Mas a presidente Dilma Rousseff lembrou que a criação de cidades não implicará mais recursos para o Estado onde estiverem os novos municípios. "Quando um município é criado, os recursos destinados ao Estado passam a ser divididos entre um número maior de prefeituras. Não há um acréscimo porque criaram um município, porque a população é a mesma. O Fundo de Participação dos Municípios vai ficar constante e vai haver uma redução proporcional ao número de municípios criados", declarou a petista.

"O Brasil é grande e tem realidades distintas. Não sei o que virá para eu sancionar. Tenho que olhar com todo critério, cuidado, mas acho necessário que tenha critérios técnicos objetivos, que impeçam esse processo de criação sem fundamentação, que é o que todo mundo critica", acrescentou a presidente. 

A um dia do Enem, estudantes devem ficar atentos ao horário e local de prova

Agência Brasil
Faltando um dia para o início das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os mais de 7,1 milhões de candidatos devem separar o material que precisam levar e garantir que estão com o endereço do local de prova.
O horário merece atenção especial. Os portões serão abertos às 12h e fechados às 13h, no horário de Brasília. Em 18 estados, o horário está diferente do da capital federal e os estudantes precisam acertar o relógio. É bom lembrar que nos finais de semana é menor o número de ônibus, trem e metrô circulando.
Para fazer a prova, é preciso apresentar documento de identidade com foto e ter em mãos uma caneta preta, revestida com material transparente, para preencher o cartão de respostas.
Neste sábado (26), serão aplicadas as provas de ciências humanas (história, geografia, filosofia e sociologia) e de ciências da natureza (química, física e biologia). No total, serão 90 questões e o estudante terá quatro horas e 30 minutos para fazer a prova e preencher o cartão de respostas.
Não é permitido ficar com aparelhos eletrônicos ligados durante a prova. Quem levar qualquer eletrônico, como celular e tablet, terá que guardar em um porta-objetos lacrado que ficará embaixo da carteira. O mesmo vale para materiais como lápis, livros e apostilas. Também não é permitido usar óculos escuros, boné, chapéus, gorros ou viseiras.
estudante só pode deixar o local de prova duas horas após o início do exame e 30 minutos antes do término do horário poderá sair com o caderno de provas. Quem descumprir essas regras, será eliminado.
Na redação, é preciso seguir a norma culta da língua portuguesa e ter atenção à concordância e a coesão do texto. A sugestão para a véspera da maratona de provas é que os candidatos relaxem para fazer o exame descansados.
O prazo final para receber o cartão de confirmação pelo correio, com o endereço do local de prova, terminou na sexta-feira (18). Quem não recebeu o cartão, deve acessar a página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e conferir as informações.
As provas serão aplicadas em 1.161 municípios, em mais de 15 mil locais de prova. Para o Enem, foram impressas 442 provas em braile para os candidatos cegos, 1.647 pessoas terão prova com letra ampliada e 5.849 vão receber a prova super ampliada. Os autistas e os que têm dislexia vão contar com o auxílio de leitores e transcritores. Haverá ainda intérprete de Libras e auxílio para transcrição.

HOMILIA DE PAPA FRANCISCO NESTA MANHÃ DE SEXTA-FEIRA, 25 DE OUTUBRO DE 2012

O Papa Francisco afirma que reconhecer os próprios  pecados diante de Deus é uma graça
Liliane Borges
Da Redação, com Rádio Vaticano
Papa destaca que reconhecer-se pecador diante de Deus é uma graça.
O Pontífice afirma que ao confessar, devemos ser como as crianças: concretos e simples / Foto: Arquivo
A  confissão dos pecados feita com humildade é o que a Igreja pede a todos nós, declarou o Papa Francisco, na homilia realizada nesta sexta-feira, 25, na Casa Santa Marta, no Vaticano.
O Pontífice centrou o seu discurso no sacramento da reconciliação (confissão), encorajando a todos a não esconder os próprios pecados, mas confessá-los com sinceridade.
A partir da Carta de São Paulo aos Romanos – liturgia de hoje – o Papa destaca a coragem do apóstolo em  reconhecer publicamente que em sua carne “não habita o bem”, e por isso não faz o bem que gostaria, mas o mal. Francisco ressalta que isso acontece na vida de todo o cristão, e por esse motivo o sacramento da reconciliação é um grande auxílio.
“E esta é a luta dos cristãos. É a nossa luta de todos os dias. E nós nem sempre temos a coragem de falar como Paulo sobre essa luta. Sempre procuramos uma via de justificação. Mas sim, somos todos pecadores”, afirmou o Papa. Ele assegura que se não reconhecemos os nosso pecados, não poderemos alcançar o perdão de Deus.
“Alguns dizem: ‘Ah, eu me confesso com Deus’. Mas assim é fácil é como confessar-se por e-mail. Deus está longe e não há um face a face”, alertou o Papa ao falar sobre a indisposição que muitos católicos têm em procurar um confessor.
Por outro lado, destaca Francisco, alguns dizem confessar-se com facilidade, “mas ao falar de seus pecados o fazem de modo tão distante que  seria melhor não ter se confessado”.
Francisco alerta que confessar-se não significa ir a uma consulta com um psiquiatra, e nem ir a uma sala de tortura,  é simplesmente dizer ao Senhor: “eu sou pecador”. E a presença de um irmão (sacerdote), diz o Papa, é um modo de ser concreto na confissão.
“Os pequenos têm sabedoria. Quando uma criança se confessa, nunca diz uma coisa geral. ‘Padre, eu fiz isso, eu fiz aquilo à minha tia, para aquele eu disse essa palavra’, e dizem a palavra. São concretos, hein? Eles possuem aquela simplicidade da verdade”, ressalta o Papa. Segundo o Pontífice, os adultos tem a tendência de esconder sempre os próprios pecados.
Ao concluir a homilia, o Papa Francisco destacou que ter vergonha dos próprios pecados  diante de Deus é uma graça. “Pensemos em Pedro quando, depois do milagre de Jesus no lago, disse: ‘Mas, Senhor, afasta-te de mim, eu sou pecador’. Ele se envergonha de seus pecados diante da santidade de Jesus Cristo”, explicou o Papa.

Dilma desapropria oito imóveis rurais em seis estados para reforma agrária

O governo federal oficializou nesta sexta-feira a desapropriação de oito propriedades rurais em seis estados do país. Os decretos, assinados pela presidente Dilma Rousseff e publicados na edição de hoje do Diário Oficial da União, declaram as áreas, que serão usadas na reforma agrária, como de interesse social. 
De acordo com a publicação no Diário Oficial da União, ficam desapropriadas as fazendas Butiá, em Rio Negrinho (SC); Tropical, em Paulistânea (SP); Eldorado, em Morro do Chapéu (BA); Santa Tereza II, em Silvanópolis (TO); Baixa do Cumbe, Jurema Branca, Lagoa dos Torrões e Cajazeira Fazenda Baixa do Cumbe, Jurema Branca, nas cidades de Lagoa dos Torrões e Cajazeira (SE); Barroca Funda, em Tobias Barreto (SE); Panamá/Salina/Santa Rosa, em Panamá (GO); e Serrote da Porteira, em Sítio do Quinto (BA). 
O anúncio ocorre depois de o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, afirmar, no último dia 17, que o governo irá editar 100 decretos de desapropriação até o final do ano.
Os 100 imóveis rurais somam 200 mil hectares, o equivalente a 200 mil campos de futebol, e receberão 5 mil famílias, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A maior parte dos beneficiários está na região Nordeste.
O anúncio, feito durante lançamento do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - Brasil Agroecológico, foi precedido de atos em diferentes regiões do país em defesa da reforma agrária.
Trabalhadores rurais e peritos do Incra protestaram contra a paralisação da desapropriação de terras. Eles alegam que o governo não assinou nenhum decreto de desapropriação em 2013, sendo o menor índice desde 1992, quando foram publicados quatro decretos.

Evangelho desta sexta-feira

Evangelho (Lc 12,54-59)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 54Jesus dizia às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. 55Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. 56Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? 57Por que não julgais por vós mesmos o que é justo?
58Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. 59Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Luta contra o mal exige paciência e resistência, afirma Papa

“Deus está ao nosso lado, a fé n’Ele é a força, e a oração é a expressão da fé”, afirmou o Papa no Angelus
Da Redação, com Rádio Vaticano
“A luta contra o mal é dura e longa, requer paciência e resistência”, afirmou o Papa Francisco no Angelus deste domingo, 20, data em que a Igreja celebra o Dia Mundial das Missões.
O Santo Padre destacou que essa luta deve se levada adiante todos os dias, mas os fiéis não estão sozinhos nesse combate. “Deus está ao nosso lado, a fé n’Ele é a força, e a oração é a expressão da fé”.
E ao recordar o Evangelho deste domingo, que conta a parábola da viúva que pede ajuda insistente a um juiz desonesto, para que lhe faça justiça, o Papa afirma:
“Clamar dia e noite’ a Deus! Impressiona-nos esta imagem da oração. Mas vamos nos perguntar: por que Deus quer isso? Ele já não conhece as nossas necessidades? Que sentido tem “insistir” com Deus? Esta é uma boa pergunta, que nos faz aprofundar um aspecto muito importante da fé: Deus nos convida a rezar com insistência não porque não sabe do que precisamos, ou porque não nos ouve. Pelo contrário, Ele ouve sempre e sabe tudo sobre nós, com amor”.
Em nosso dia a dia, explicou o Francisco, o Senhor está ao nosso lado.  “Nós lutamos com ele ao lado, e a nossa arma é precisamente a oração, que nos faz sentir a sua presença, a sua misericórdia, a sua ajuda”.
Entretanto, a luta contra o mal é longa e difícil, exige paciência e resistência, afirmou o Papa. “Como Moisés, que tinha que levantar os braços para fazer vencer o seu povo (cf. Ex 17,8-13 )”
Jesus nos garante a vitória, destacou o Papa, mas pergunta: “O Filho do homem quando vier, encontrará fé sobre a terra?’ (Lc 18:08 ). Se você apaga a fé, desliga a oração, nós caminhamos nas trevas, nos perdemos no caminho da vida”, disse o Papa.
Francisco continuou dizendo que devemos aprender da viúva do Evangelho a rezar sempre, sem se cansar:
“Era notável esta viúva! Ela sabia lutar pelos seus filhos! E penso em tantas mulheres que lutam por sua família, que rezam, que não se cansam jamais. Uma recordação, hoje, todos nós, a essas mulheres que com o seu comportamtento nos dão um verdadeiro testemunho de fé, de coragem, um modelo de oração. Uma recordação a elas! Rezar sempre, mas não para convencer o Senhor com a força da palavras! Ele sabe melhor do que nós do que precisamos! A oração perseverante é ao invés a expressão de fé em um Deus que nos chama a lutar com ele, cada dia, cada momento, para vencer o mal com o bem”.
Qual a missão da Igreja?
Após a oração do Angelus o Papa Francisco recordou que neste domingo comemoramos o Dia Mundial das Missões. Qual é a missão da Igreja, perguntou? Difundir em todo o mundo a chama da fé, que Jesus acendeu no mundo: a fé em Deus, que é Pai, Amor, Misericórdia.
O método da missão cristã, acrescentou, não é fazer proselitismo, mas o da chama compartilhada que aquece a alma.
O Pontífice agradeceu a todos aqueles que, através da oração e da ajuda concreta apóiam o trabalho missionário, em especial, a preocupação do Bispo de Roma pela difusão do Evangelho.
“Neste dia estamos próximos a todos os missionários e missionárias, que trabalham muito sem fazer barulho, e dão a vida. Como a italiana Afra Martinelli, que trabalhou por muitos anos na Nigéria: dias atrás, foi assassinada, num assalto; todos choraram, cristãos e muçulmanos. Ela proclamou o Evangelho com a vida, com o trabalho que realizou, um centro de educação; assim espalhar a chama da fé, combateu o bom combate!”
Em seguida o Santo Padre recordou Stefano Sándor, que neste sábado foi beatificado em Budapeste. “Ele era um salesiano leigo, exemplar no serviço aos jovens, no oratório e na educação profissional. Quando o regime comunista fechou todas as obras católicas, – disse o Papa – ele enfrentou a perseguição com coragem, e foi morto aos 39 anos. Vamos nos unir à ação de graças da Família Salesiana e da Igreja húngara.
Terremoto nas Filipinas
O Papa também expressou sua proximidade às populações das Filipinas, atingidas por um terremoto ocorrido na terça-feira, 15. O tremor foi considerado o mais forte do país nos últimos 20 anos.
Francisco convidou todos os fiéis a rezarem por “aquela querida nação, que recentemente sofreu diversas calamidades”.

Discurso do Papa à delegação luterana – 21/10/2013

Discurso do Papa à delegação luterana - 21/10/2013
DISCURSO
Audiência à delegação da Federação Luterana Mundial e aos membros da comissão luterano-católica para a unidade
Segunda-feira, 21 de outubro de 2013
Boletim da Santa Sé
Tradução: Jéssica Marçal
Queridos irmãos e irmãs luteranos e queridos irmãos católicos,
Com prazer dou as boas vindas a todos vocês, Delegação da Federação Luterana Mundial e Representantes da Comissão para a Unidade luterano-católica. Este encontro segue aquele, muito cordial e de bom grado, que tive com o senhor, estimado bispo Younan, e com o Secretário da Federação Luterana Mundial, Reverendo Junge, em ocasião da celebração do início do meu ministério como Bispo de Roma.
Olho com sentido de profunda gratidão ao Senhor Jesus Cristo, aos numerosos passos que as relações entre luteranos a católicos deram nas últimas décadas, e não somente através do diálogo teológico, mas também mediante a colaboração fraterna em múltiplos âmbitos pastorais e, sobretudo, no empenho em progredir no ecumenismo espiritual. Este último constitui, em certo sentido, a alma do nosso caminho rumo à plena comunhão e nos permite colher desde já alguns frutos, mesmo se imperfeitos: à medida que nos aproximamos com humildade de espírito do Nosso Senhor Jesus Cristo, estamos seguros de nos aproximarmos também entre nós e à medida que invocamos ao Senhor o dom da unidade, estamos certos de que Ele nos tomará pela mão e será nosso guia. É necessário deixar-se levar pelas mãos do Senhor Jesus Cristo.
Este ano, como resultado do diálogo teológico, que completa agora 50 anos, e em vista da comemoração do quinto centenário da Reforma, foi publicado o texto da Comissão para a Unidade luterano-católica, de significativo título: “Do conflito à comunhão. A interpretação luterano-católica da Reforma em 2017”. Parece-me realmente importante para todos o esforço de se colocar em diálogo sobre a realidade histórica da Reforma, sobre as consequências e sobre respostas que a essa são dadas. Católicos e luteranos possam pedir perdão pelo mal causado uns aos outros e pelas culpas cometidas diante de Deus e, juntos, alegrarem-se pela nostalgia de unidade que o Senhor despertou nos nossos corações e que nos faz olhar adiante com um olhar de esperança.
À luz do caminho destas décadas e de tantos exemplos de comunhão fraterna entre luteranos e católicos dos quais somos testemunhas, confortado pela confiança na graça que nos é doada no Senhor Jesus Cristo, estou certo de que saberemos levar adiante o nosso caminho de diálogo e de comunhão, abordando também as questões fundamentais, bem como nas divergências que surgem em campo antropológico e ético. Certo, as dificuldades não faltam e não faltarão, vão requerer ainda paciência, diálogo, compreensão recíproca, mas não se assustem! Saibam bem – como muitas vezes nos recordou Bento XVI – que a unidade não é primeiramente fruto do nosso esforço, mas da ação do Espírito Santo ao qual ocorre abrir os nossos corações com confiança para que nos conduza sobre os caminhos da reconciliação e da comunhão.
O Beato João Paulo II perguntava-se: “Como anunciar o Evangelho da reconciliação sem ao mesmo tempo empenhar-se em trabalhar pela reconciliação dos cristãos? (Cart. Apost. Ut unum sint, 98). A oração fiel e constante nas nossas comunidades possa apoiar o diálogo teológico, a renovação da vida e a conversão dos corações, a fim de que, com a ajuda de Deus Uno e Trino, possamos caminhar rumo ao cumprimento do desejo do Filho, Jesus Cristo: que todos sejam um. Obrigado.

Evangelho desta terça-feira, 22 de Outubro de 2013

Evangelho (Lc 12,35-38)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Ciências Humanas focam nos mestrados profissionais em rede nacional para qualificar professores

Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Quinta, 17 de Outubro de 2013 20:17
Tendo como inspiração o Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (Profmat) – primeiro curso de formação continuada stricto sensu no formato semipresencial aprovado pela Capes em 2010 – as áreas que compõem a grande área Ciências Humanas estão engajadas na criação de cursos semelhantes, que atendam ao objetivo de qualificar os professores das redes públicas de ensino fundamental e médio em todo o Brasil.
17out13-EntrevTrienal-FL 1554
Carlos Fico da Silva Junior, coordenador da área de História (Foto: Felipe Lima - CCS/Capes)
ProfHistória
Para Carlos Fico da Silva Junior, coordenador da área de História, que recentemente teve aprovada a proposta de criação de curso de mestrado profissional em rede nacional, falou sobre a importância da recomendação. "Nós já tínhamos há muitos anos essa vontade de, a partir do sistema de pós-graduação, de algum modo, atuar também na qualificação dos nossos alunos que saem da graduação e vão lecionar na educação básica. Montamos esse projeto com o apoio de diversas universidades do Brasil inteiro. Ele vai ser implementado brevemente e a gente está muito esperançoso de que isso interfira positivamente na formação continuada dos professores de história", ressalta.
O professor Fico disse ainda que a maioria dos alunos dos cursos de graduação em história vão trabalhar justamente na área de ensino e, até recentemente, não tinham oportunidade de uma formação continuada e o ProfHistória vai atuar exatamente nesse sentido.
ProfGeo
Já o professor João Lima Santanna Neto, coordenador da área de Geografia, conta que nesse triênio houve longa discussão a respeito dos mestrados profissionais e também do mestrado em rede, o chamado ProfGeo. "Estamos iniciando as conversas com vários profissionais de ensino de geografia nas universidades e logo que a gente voltar às atividades no ano que vem, a partir de fevereiro, nós já vamos começar a organizar esse cronograma, fazendo uma primeira reunião em Brasília, para criar esse primeiro programa de mestrado profissional em rede", conta. Neto reconhece que a maior parte dos profissionais formados na graduação vai para o magistério e que, desta forma, o ProfGeo virá no sentido de ajudar na melhoria da formação profissional dos professores de ensino básico do país.
16out13-EntrevTrienal-GF 1398
João Lima Santanna Neto, coordenador da área de Geografia (Foto: Guilherme Feijó - CCS/Capes)

ProFilo

Danilo Marcondes de Souza Filho, coordenador da área de Filosofia, diz que a área está muito interessada nessa linha de desenvolvimento. "Inclusive discutimos com os coordenadores dos programas a possibilidade de abrir linhas de pesquisa e até mestrados no ensino de filosofia para a qualificação dos professores do ensino médio. Isso é uma prioridade para nós, porque como tem sido discutido aqui na Capes, isso tem impacto nos diferentes níveis: a qualidade no ensino médio se reflete na graduação, a graduação se reflete na pós-graduação. A educação é um sistema, se você separar vai ter problemas".
16out13-EntrevTrienal-GF 1454
Danilo Marcondes de Souza Filho, coordenador da área de Filosofia (Foto: Guilherme Feijó - CCS/Capes)
Danilo Filho disse que a área está discutindo a criação de um mestrado profissional em rede nacional – o ProFilo, ou um mestrado mais geral em humanidades. "Particularmente, seria interessante o de filosofia. Acho que há especificidades na filosofia, há uma discussão em andamento e já lancei essa ideia aos coordenadores. Acredito que devemos amadurecer e encaminhar essa proposta para a Capes já no ano que vem. É uma prioridade para nós."
17out13-EntrevTrienal-FL 1538
Jacob Carlos Lima, coordenador da área de Sociologia (Foto: Felipe Lima - CCS/Capes)
Humanidades
Áreas que não estão diretamente ligadas às licenciaturas se articulam para criação de cursos que reuniriam as áreas de Ciência Política, Sociologia e Antropologia. Jacob Carlos Lima, coordenador da área de Sociologia diz que as áreas estão conversando sobre a proposta de um mestrado profissional em ciências sociais abrangendo as três disciplinas. "A Sociedade Brasileira de Sociologia já se propôs a isso e nós estamos organizando uma comissão para fazer uma proposta. É provável que a gente apresente logo uma proposta de mestrado em rede de ciências sociais, voltado para o ensino, já que hoje a sociologia é uma disciplina do ensino médio e grande parte dos professores que a ensinam não tem formação específica na área", afirma.
Lia Zanotta, coordenadora da área de Antropologia, ressalta que a melhor opção para a área é a criação de um mestrado profissional em rede para a área de ciências sociais. "Com a participação de professores que pudessem coordenar em conjunto as disciplinas de sociologia, ciência política de antropologia. Nós até chegamos a conversar, os três coordenadores, para que, assim que acabe essa Avaliação Trienal, a gente organize um pequeno grupo para constituir essa proposta."
17out13-EntrevTrienal-FL 1517
Lia Zanotta, coordenadora da área de Antropologia (Foto: Felipe Lima - CCS/Capes)
Para Zanotta, da maneira que a forma do ensino médio está posta, há uma predominância da sociologia. "Mas como aquele que é sociólogo, professor de ciências sociais, é mais englobante que a sociologia, pois permite uma interdisciplinaridade com antropologia e ciência política, a ideia é, portanto, que a gente faça um mestrado profissional em ciências sociais, mas que realmente englobe as três disciplinas", completa.
16out13-EntrevTrienal-GF 1430
André Luiz Marenco dos Santos, coordenador da área de Ciência Política e Relações Internacionais (Foto: Guilherme Feijó - CCS/Capes)
Para André Luiz Marenco dos Santos, coordenador da área de Ciência Política e Relações Internacionais, a iniciativa é extremamente oportuna. "Penso que é possível, pelo menos, dois tipos de formatos diferentes para um mestrado em rede em humanidades. Um, talvez mais amplo, dedicado a uma formação mais humanística, uma formação em questões sociais, políticas e econômicas, mas, sobretudo, eu acho que talvez um mestrado em rede dedicado a formar quadros para a administração escolar pública", sugere.
O professor diz que há uma grande questão hoje no país que é a expansão das políticas públicas e os correspondentes recursos orçamentários. Para as políticas sociais a grande questão é a qualidade. "O problema crucial é a questão da qualidade das políticas públicas e isso supõe a qualidade dos gestores, a qualidade dos formadores e avaliadores de políticas. Seria de grande relevância a criação de um mestrado em rede na área de humanidades que possa juntar ciência política, economia, administração, sociologia, serviço social e outras áreas, dedicado a formar funcionários públicos, analistas de políticas públicas. O interessante é que esse mestrado em rede pudesse ter como clientela não só os funcionários públicos, mas também os indivíduos que eventualmente possam pensar uma carreira no setor público", concluiu.
17out13-EntrevTrienal-FL 1529
Clarilza Prado de Sousa, coordenadora da área de Educação (Foto: Felipe Lima - CCS/Capes)
Educação
Para Clarilza Prado de Sousa, coordenadora da área de Educação, há possibilidade de mestrado profissional em rede quando se fala em gestão da escola, formação de professores de 1ª a 4ª série, assuntos específicos da área de educação. "O que nós estamos preocupados é que esses mestrados profissionais existentes capacitem o professor que depois volta para a escola. Se o gestor da escola, o coordenador pedagógico não estiver preparado para receber esses professores e integrar essa formação ao currículo da escola, o professor capacitado não consegue trabalhar. A visão que nós temos é que na educação básica o professor não é isolado, não é como na universidade, que o professor da aula sozinho. Na escola, ele é orientado, coordenado, pela equipe de professores coordenadores", reforça.

Clarilza Sousa diz que os mestrados profissionais da área de educação estão buscando isso, preparar os professores, os coordenadores, orientadores, supervisores, os diretores e os próprios técnicos da secretaria de educação para interagir com esses professores formados na pós-graduação.
Prof-Carmen-Neves-GF-02-web
Carmem Moreira de Castro Neves, diretora de Formação de Professores da Educação Básica (Foto: Guilherme Feijó - CCS/Capes)
Capes
A diretora de Formação de Professores da Educação Básica, Carmem Moreira de Castro Neves, reforça que o grande desafio da educação brasileira hoje é a melhoria da educação básica, o que passa pela formação de professores. "O mestrado profissional é uma resposta muito eficiente e eficaz para os problemas que o professor tem no dia-a-dia, ao mesmo tempo em que ele amplia seus conhecimentos e competências docentes. Então, o Mestrado Profissional é esse diálogo entre teoria e prática, que promove uma formação continuada do professor em um nível crescente de complexidade, ao mesmo tempo em que permite a esse professor já interferir positivamente em sala de aula", explica.
Carmem Neves destaca o impacto positivo que essas iniciativas possuem na capacitação dos docentes da educação básica. "É, por isso que os professores, de modo geral, veem com grande expectativa o mestrado profissional, porque eles sabem que ao mesmo tempo em que eles estarão elevando sua proficiência na didática, nas metodologias, no conhecimento relativo à área que ele trabalha, estarão também colhendo bons frutos com os seus alunos", conclui.
Pedro Matos, Fabiana Santos e Gisele Novais



Evangelho de hoje, 21 de Outubro de 2013

Evangelho (Lc 12,13-21)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”.
14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”.
16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita.17Ele pensava consigo mesmo: ‘Que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que vou fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens.19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”. 

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...