sábado, 8 de setembro de 2012

A VIOLÊNCIA NOSSA DE CADA DIA


Observando os noticiário e analisando a conjuntura do mundo em que vivemos, podemos constatar quanto mal, perversidade, crueldade tem marcado a história da humanidade. Já se tornou natural a violência, seja ela em que grau for. Morte de inocentes, mortes com requintes de crueldade...Mata-se por brincadeira, diversão, inveja, medo e até por prazer. Já não se pode andar na rua, trabalhar, possuir bens ou não possuir nada. É perigoso fazer um passeio, ir a um shopping, ao cinema; já não se pode nem estar em casa tranquilo, pois em qualquer situação estamos sujeitos a sermos vítimas da violência. Foi-se o tempo em as pessoas poderiam exibir um pouco de luxo, andar tranquilamente sem a preocupação de ser assaltado ou morto. 

Situações como estas nos tem feito reféns do medo. Aqui mesmo em nossa cidade, que é considerada uma cidade pequena, estamos vivendo a cada dia essa onda de medo. Quase toda semana somos notificados que foram mortas mais de uma pessoa. A última foi agora quinta-feira. Um comerciante estando em seu ambiente de trabalho, por volta de 2 horas tarde, foi surpreendido por bandidos que desejavam assaltá-lo. Não tendo saída, o mesmo entrega o pouco dinheiro que conseguira com muito trabalho. Mesmo assim recebe tiros e morre. Tem sido assim no dia-a-dia do Brasil. O cidadão de bem é quem tem medo. Os bandidos é quem está dando a ordem. Por outro lado, o Estado que deveria oferecer segurança a população, tem se omitido e nos deixando a mercê. Estamos vivendo dias difíceis. 

A pergunta é: o que fazer? como resolver este alto índice de violência. Por onde começar? Muitas são as leis, muitos são os presídios, mais e mais policiais são convocados para dar segurança a sociedade. Porém, nada disso tem adiantado. 

Antigamente dizia-se que a causa dos problemas eram os pobres, mas hoje estamos vendo cada vez mais pessoas que não são pobres envolvidas no mundo crime, do tráfico, etc. O que está acontecendo afinal? 

Eu ousaria dizer que grande parte desses problemas estão na falta de humanização, na falta respeito, moral, ética... Muitos dos que deveriam ser espelho pra nós, na verdade são eles que nos escandalizam. Com isso vamos nos tornando cada vez mais levado pelo sentimento de vingança. Achamos que por não sermos vistos devemos atacar a quem quer que seja para poder satisfazer um sentimento de injustiça. Desse modo, muitos pensam que para ter ou ser alguém, deve eliminar aqueles que tem e assim justificar seus crimes. 

Nossa sociedade está doente. Se não for tratada, corre o riso de eliminar-se aos poucos. Se assim continuar, corremos o risco de fazer justiça com as próprias mãos. Aquela velha história: antes que ele me mate eu o mato. O medo nos faz tomar atitudes arriscadas e por causa disso vamos nos tornamos vítimas da situação. Pois, sabiamente já disseram: violência gera violência.

É preciso trabalhar todo dia os sentimentos de amor, respeito e tolerância. Do contrário, vamos nos tornando uma bomba-relógio e a qualquer hora poderá explodir.

É preciso semear os valores que há muito anda esquecido. É  preciso que a família trabalhe os valores fundamentais com sua prole para que estes, que vão ser a sociedade de amanhã, seja melhor, pois se continuar piorando, somos capazes de imaginar o que poderá vir a acontecer. 

Professor Valdeni Cruz
     

Você exerce sua cidadania? Saiba que ela vai além do voto


Jéssica Marçal

Da Redação


Arquivo
Dom Leonardo Steiner acredita em uma sociedade mais justa e fraterna a partir da valorização da política e da cidadania
Nesta sexta-feira, 7, o Brasil comemora o dia de sua independência.  A data é uma oportunidade para os brasileiros, 190 anos após terem adquirido sua autonomia, poderem refletir sobre como vêm exercendo sua cidadania.

O filósofo e professor de Filosofia da Universidade de Taubaté, César Augusto Eugênio, explicou que o sentido mais completo e inicial de cidadania está vinculado a um processo de participação política, capacidade de decisão e, sobretudo, construção de oportunidade para que essas decisões aconteçam.

Hoje, ele acredita que a cidadania está diretamente ligada à capacidade de organização do indivíduo para que sejam respeitados os seus direitos mais naturais.

Porém, ao olhar para a história do Brasil, o professor diz que o povo brasileiro não teve muita oportunidade de participar da construção da sua história. "A gente entra na República sem um exercício de cidadania propriamente dito, o que é bastante contraditório. Proclama-se a República e o primeiro presidente é um general de exército, que é o Marechal Deodoro da Fonseca", disse o professor.

Ele informou que, a partir disso, foram feitos esforços para promover a participação cidadã e que esse exercício de fato se concretizou após a ditadura militar, de 1985 em diante. “Nós temos que nos acostumar e nos conscientizar da importância que é participar, criar esses espaços de acompanhamento da gestão pública”.

Para o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steiner, a importância desse exercício de cidadania se justifica pelo fato de que as pessoas não são isoladas, mas pessoas de política, de relação. “Nós temos responsabilidade e, nesse sentido, na medida em que nós vamos valorizando a política e a nossa cidadania, vamos ajudando a construir uma sociedade mais justa e fraterna”.

O que é ser cidadão?

Dom Leonardo acredita que a primeira conduta de um verdadeiro cidadão é a participação ativa, levando em consideração a ética e o cuidado com o outro. "O cidadão consciente de seu papel procura se comportar de modo a contribuir para que os direitos, especialmente dos mais fracos e desamparados, sejam respeitados e exercidos e também que os deveres de todos sejam lealmente cumpridos".

O professor César prefere não adotar o termo “bom cidadão”, porque, para ele, ou uma pessoa é cidadão ou não é. “Eu não posso pensar como cidadão uma pessoa que vai destruir o bem público. A cidadania é uma conquista, não é algo dado, então não existe um ‘mau cidadão’, porque se eu não consigo entender algo que vai além de mim para o bem comum, então isso não é ser cidadão”.
Luis Cláudio Barreira
"O que queremos para o nosso País? Não podemos achar que esperaremos pelos outros, a nossa parte deve ser feita", diz o jornalista Reinaldo César

Da mesma forma, o jornalista Reinaldo César acredita que não existem cidadãos ruins, mas sim a falta de formação capaz de transformar a mentalidade das pessoas para que a cidadania floresça. 

“O cidadão de fato, e por direito, é aquele que tem a coragem de inserir-se como protagonista na sua história e na daqueles com os quais  ele encontra em sua caminhada, é aquele que não fica resmungando e diz que tudo vai mal, é aquele que não se intimida e avança sem medo e sem receios e acredita que sua ação pode mudar a direção dos acontecimentos”.

Cidadão na prática

Se ainda há brasileiros que não exercem sua cidadania na prática, o filósofo acredita que, embora o processo seja longo, há esperança, uma vez que a cidadania está em cosntrução. Para ele, a mentalidade das pessoas tem mudado, de forma que elas estão cada vez mais se conscientizando para buscar a transformação da sociedade.

“Por ser professor, eu aposto bastante no papel da educação, mas também aposto bastante no papel da Igreja, dos meios de comunicação para a construção dessa cidadania”, afirmou César.

Já Reinaldo contou que sempre foi participativo, como pessoa cidadã e como jornalista, mesmo tendo se deparado, no dia a dia, com pessoas desanimadas e desacreditadas.

O jornalista acredita que as eleições municipais, em 7 de outubro deste ano, constituem um bom período para que cada um possa exercer o seu papel de cidadão a partir, inclusive, do acompanhamento das atividades pós-eleitorais.

"O que queremos para o nosso País? Não podemos achar que esperaremos pelos outros, a nossa parte deve ser feita agora, amanhã e depois, todos os dias", concluiu o jornalista.

Fonte: Canção Nova Notícias

Evangelho de hoje (Mateus 1,18-23)


Sábado, 8 de Setembro de 2012
Natividade de Nossa Senhora



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.
19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.
22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Mano promete conversa por desgaste de Neymar e o vê incomodado

Neymar foi perseguido pela torcida paulista que o chamou de pipoqueiro. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
Neymar foi perseguido pela torcida paulista que o chamou de "pipoqueiro"
                                                                             Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
DIEGO GARCIA
FÁBIO DE MELLO CASTANHO
Direto de São Paulo



O técnico Mano Menezes se mostrou bastante incomodado com o comportamento da torcida paulista nesta sexta-feira, durante duelo contra a África do Sul, no Estádio do Morumbi, que terminou com vitória magra por 1 a 0. O treinador condenou os gritos de "pipoqueiro" direcionados ao camisa 11, o vê incomodado pelas críticas e prometeu uma reunião para lidar com o recente desgaste do atleta, que vem sofrendo com o excesso de jogos.
"Ele não é uma máquina e vai ter desgaste, tem que ter recuperações e uma série de coisas que não consegue fazer adequadamente na minha opinião. Ele construiu essa imagem com seu mérito e acho que com maturidade envolvendo todas as partes podemos cuidar disso", analisou Mano, quando questionado se conversaria com Muricy Ramalho, técnico do Santos, sobre o tema.
O treinador ainda lamentou as vaias ao camisa 11, que viveu tarde infeliz e nada pode fazer para ajudar a Seleção a realizar uma grande partida contra a África do Sul. "Ele é o melhor jogador brasileiro e não podemos ver ele sendo tratado como foi hoje, senão vamos o perder. Temos que ganhar jogadores próximos a ele e é isso que tentamos construir", disse Mano.
"Ele perdeu 2 kg por problema estomacal, gastrointestinal, ficou fora de jogo do Santos e foi para preservar desgaste maior, segunda ele joga também. Não precisava tirá-lo para sentir o que externamente foi claro para todos. Deixamos claro que entendemos, não teve reação forte quanto a isso, mas é lógico que incomoda né, você sofre, todos sofremos com isso. Pelo menos os que tentam construir algo sofrem", continuou o treinador brasileiro.
Após o triunfo por 1 a 0, consolidado com gol de Hulk aos 30min do segundo tempo, o Brasil viaja a Recife para realizar mais um duelo amistoso na temporada. Desta vez, a rival será a China, em confronto marcado para a próxima segunda-feira.

QUINTA-FEIRA, 6 DE SETEMBRO DE 2012


Pressão para apoiar nome do PT

Clima de tensão na Câmara Municipal, ontem. Vereadores aproveitaram a primeira sessão da semana para apresentar algumas denúncias contra o Governo municipal, relacionadas a processos licitatórios e uso da máquina pública para beneficiar alguns vereadores e o candidato do PT à Prefeitura da Capital, Elmano de Freitas. Os vereadores esqueceram até a disputa pela instalação ou não da CPI do Bolsa Família, motivo de intensos debates e de troca de insultos na última semana.

Vereador Plácido Filho com o gravador à frente do microfone para ampliar o áudio do diálogo entre uma representante do sindicato do pessoal terceirizado da Prefeitura de Fortaleza e o chefe do distrito de saúde da Regional I, sobre como evitar as demissões de contratados vinculados a alguns vereadores Fotos: Kid Júnior

O fato que praticamente dominou as discussões de ontem foi levado pelo líder da oposição, vereador Plácido Filho (PDT). Ele ocupou a tribuna para reproduzir gravações de áudio em que, segundo ele, comprovam as pressões que os servidores terceirizados da Prefeitura estariam sofrendo para trabalhar na campanha de vereadores ligados à prefeita Luizianne Lins e apoiarem o candidato do PT, Elmano de Freitas.

A denúncia já era de conhecimento de alguns candidatos a prefeito de Fortaleza, tanto que o senador Inácio Arruda (PCdoB), durante visita ao Legislativo Municipal, na semana passada, informou sobre o fato, que foi apresentado por Plácido Filho, ontem, durante os trabalhos ordinários da Casa.

Apoiar

Em uma gravação, o chefe do distrito de saúde da Regional I, Eymard Bezerra Maia, explica a uma dirigente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Seeaconce), que se passava por uma filha de empregado da Prefeitura, que para ter o seu contrato mantido, ele teria que apoiar um dos vereadores que estão do lado de Elmano de Freitas.

Na gravação de quase quatro minutos, o representante da Prefeitura diz que o “único” jeito de a pessoa conseguir o cargo de volta seria “procurar o político que está apoiando o Elmano de Freitas, que está do lado da prefeita”. Segundo ele, esse método estaria acontecendo com todos os terceirizados da Prefeitura, que “convidava" essas pessoas para rescindirem os contrato com o IDGS (Instituto de Desenvolvimento e Gestão da Saúde)por conta dos apoios que tinham antigamente, “por conta das famigeradas grades. Provavelmente o seu pai foi colocado com o Casimiro 'Filho' ou por um vereador que não está apoiando o Elmano, está apoiando o tal do Roberto Cláudio ou está apoiando outro candidato. Então, como o IDGS tem e sabe, está chamando. Eu já soube de outras pessoas”, diz Eymard Bezerra na gravação.

Chantagem

Em outro áudio obtido pelo Diário do Nordeste, o próprio líder da prefeita, o vereador Ronivaldo Maia (PT), confirma que ações desse tipo aconteciam na administração. Durante conversa que teve com uma sindicalista (ela prefere não ter sua identidade revelada), o petista chega a dizer que nunca concordou em se “empregar assim”, mas que o problema é que, quando se chega ao poder, “a chantagem é grande”. Ainda segundo a gravação, Ronivaldo diz que não estaria tirando os terceirizados no horário de trabalho para fazer bandeiraço para o candidato da PT, Elmano, somente depois do horário de serviço desses.

“A gente não faz assim. Às vezes, é um chefe local, mas essa orientação não existe. A gente manda dizer: 'cuidado, só pode fazer campanha depois do horário do trabalho'", diz o parlamentar, ao ser questionado pela sindicalista sobre as orientações de mandar as pessoas trabalharem para a campanha petista.

Demitidos

Na tribuna da Casa, ao ser abordado pela oposição sobre esses posicionamentos da Prefeitura, o vereador chegou a questionar seus pares se esta prática foi inventada na gestão da prefeita Luizianne Lins ou se já existia. Segundo Plácido Filho, pelo menos 180 terceirizados ligados ao vereador Walter Cavalcante (PMDB) teriam sido demitidos e que isso seria caso para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar as irregularidades durante esta eleição. Outros parlamentares pediram uma intervenção do procurador eleitoral, Márcio Andrade Torres, no caso.

A presidente do Seeaconce, Maria da Penha Mesquita de Sousa, disse que a reclamação é feita por todos os terceirizados da Prefeitura, e que, recentemente, somente em uma escola da Regional III, onze pessoas foram demitidas por não apoiarem candidatos aliados da prefeita Luizianne Lins. “A gente sabe de onde vem as demissões. Elas vêm do gabinete da prefeita, é o (Waldemir) Catanho quem está por trás disso. É ele quem manda demitir as pessoas dessa forma”, reclamou.

Estarrecido

Os vereadores de oposição criticaram as denúncias que chegaram até a Casa e se disseram surpresos com os fatos. “Estou estarrecido com tudo isso. É uma heresia de gestão. Precisamos de uma intervenção urgente na Prefeitura de Fortaleza. Precisamos acionar a Polícia Federal”, disse o vereador de oposição, Ciro Albuquerque (PTC), ao ficar sabendo das denúncias. “Impor, encurralar o povo, isso é imoral. Esta é uma administração falida, de cultura política atrasada. É sim um coronel de saia”, criticou Salmito Filho (PSB).

“A prefeita deveria demitir era o pai do Leonelzinho (Alencar) que não vai trabalhar e agora ganhou férias. Ronivaldo, Acrísio e Guilherme, que não vem trabalhar, não foi assim que o Lula ensinou, Está na hora de vocês criarem vergonha na cara. Vamos impugnar essa candidatura imoral”, atacou Toinha Rocha (PSOL). Ronivaldo Maia, por sua vez, disse à imprensa que as gravações eram “montagens” e chamou o candidato do PSB à Prefeitura de Fortaleza de “aprendiz de coronel”.

O presidente da Mesa Diretora, Acrísio Sena (PT), que também é citado em uma das gravações foi vaiado pelos manifestantes que lotaram a parte do auditório que está servindo de galeria onde acontecia a sessão, quando tentou avisar a Plácido Filho que seu tempo estaria se esgotando e este revidou. “Vossa Excelência já armou o barraco, está criando suspeição sobre a Mesa Diretora? A cena da última semana não terá nenhuma conivência da minha parte”, gritou Acrísio que durante toda a discussão permaneceu na presidência dos trabalhos da sessão de ontem. Ele se referia à discussão sobre a CPI do Bolsa Família.

Peemedebista levanta suspeitas sobre licitação para parte do transporte

O vereador Paulo Gomes (PMDB), presidente da Comissão de Transporte da Câmara Municipal, levou ao plenário da Câmara, ontem, denúncias de possíveis irregularidades em processos licitatórios da Prefeitura. De acordo com ele, em audiência pública realizada na semana passada, para avaliar a licitação do transporte público complementar, a Prefeitura tentou "burlar" a participação de membros do colegiado, deixando para avisar sobre a reunião somente 24 horas antes do ocorrido, sem que os mesmos soubessem o teor das discussões.

Taxistas manifestantes reclamando ações do Governo municipal para solucionar problemas de interesse da categoria. Eles chegaram cedo à Câmara Municipal e estimularam o pronunciamento do vereador peemedebista Paulo Gomes

Ainda segundo o peemedebista, estranhamente, a Prefeitura passou os últimos quatro anos sem renovar a licença do transporte alternativo de Fortaleza e somente agora, durante as eleições quer realizar a licitação, que poderá beneficiar apenas o grupo, que apoia a candidatura de Elmano de Freitas (PT). "Como presidente da comissão fiquei indignado porque eles tentaram burlar minha presença, mas nós fomos para o evento. Inúmeras denúncias já nos chegaram sobre o terrorismo que a Prefeitura vem fazendo para que as pessoas possam manter suas vagas. Estão forçando elas a ficarem do lado do Elmano", disse.

Atualmente, segundo disse, o sistema de transporte complementar atua com duas cooperativas, mas a gestão da Etufor, na pessoa do secretário Ademar Gondim, quer fazer monopólio com apenas uma empresa.

Vagas

Paulo Gomes disse ainda que o sistema de Vans tem direito ainda a abertura de mais 64 vagas, que de acordo com ele, será entregue a apenas um dos dois grupos. "Pedimos o material sobre a licitação à Prefeitura e eles não disponibilizaram. Pedi uma reunião para amanhã (hoje), às 14hs,e vamos falar com o Ministério Público para intervir nisso, porque as Vans estão irregulares desde 2008, por incompetência da Prefeitura", reclamou.

No final da sessão de ontem, o peemedebista, através de requerimento nominal, solicitou à Casa para cientificar o Ministério Público sobre o modelo de licitação para o transporte coletivo alternativo de Fortaleza, pela "falta de lisura e transparência" na licitação, o que foi acatado pelo presidente Acrísio Sena (PT). O presidente da comissão do Transporte disse ainda em suas denúncias que pessoas correm o risco de serem demitidas por não fazerem parte de tal grupo. Outro questionamento levantado por ele foi o acúmulo de funções de Ademar Gondim, que está à frente dos trabalhos da Etufor e AMC.

Defesa

No início da noite de ontem, a assessoria da Prefeitura encaminhou uma nota à redação do Diário do Nordeste, para lamentar "que o período eleitoral seja usado para a prática do denuncismo vazio, sem a devida apuração e comprovação. Nas várias eleições ocorridas no período das duas gestões da prefeita Luizianne Lins nunca registrou-se qualquer irregularidade neste sentido. A Prefeitura de Fortaleza informa que produziu, no primeiro semestre deste ano, assim como em anos eleitorais passados, uma cartilha com orientações para seus servidores (de carreiras, comissionados e terceirizados) sobre o que é permitido e vetado durante o período eleitoral. O documento foi distribuído para todos os servidores, além de ser disponibilizado no Portal da Prefeitura". Ressaltando que os setores jurídicos e Procuradoria do Município, estão à disposição para sanar dúvidas dos servidores, conclui que administração "não compactua com este tipo de prática e que, caso haja confirmação de quaisquer denúncias, será a primeira a agir no sentido de apurar todos os fatos".

Via Diário do Nordeste

SER DIGNO É TUDO NA VIDA DE UMA PESSOA



Imagem do Google
Porque será que é tão difícil ser livre país que se intitula democrático? Estas perguntas vez por outra vêm a minha mente. Hoje ela retornou. Ontem, ao participar de um encontro político, num dos bairros de nossa cidade, pude entender isso mais uma vez. Como qualquer pessoa, fui ao local do evento para ver, conversar... Seria tranquila minha presença se não fosse à postura de algumas pessoas que ao visualizar minha humilde pessoa.

Vi claramente os olhares de alguns que ao cruzarem seu olhar com minha presença, davam a entender como se eu não fosse bem vindo ali. Era como se dissesse: o que ele faz aqui? Ele não é de outro partido? Veio ver a multidão? Então tai. Claro, não estou aqui para me fazer de vítima, até porque isso não tem parte comigo, mas, quero somente fazer uma reflexão. Está escrito em algum lugar que alguém, por assumir publicamente que torce por outro time, tem outra religião, tem outras ideias políticas que não a de outros e que por causa disso não possa dividir o mesmo espaço? Não seria isso uma espécie de Bulling? Atitudes como estas geraram guerras, preconceitos e matança. Tudo começa pela falta de tolerância, de civilidade, de educação, de respeito para com aquele que pensa e ver as coisas de um modo diferente. Tudo começa com uma palavra, um sorriso irônico. Para alguns, isso não vale nada. Porém, há pessoas mais sensíveis onde atitudes como estas gerem problemas psicológicos, depressão, sentimento de medo e de incapacidade.   

No caso da política, muitas pessoas estão se sentindo coagidas. São colocadas na parede dentro de repartições publicas e ameaçadas a votarem no candidato ou candidata indicada. Se a pessoa demonstra alguma reação contraria, é tida como ingrata, como digna de penalidades. Desse modo, a pessoa passa a ser convocada para ir aos encontros como uma espécie de demonstração de adesão ao projeto dos tais senhores feudais de nosso tempo. A pessoa, claro, sentindo-se miúda diante do senhor (a) feudal, obriga-se a ir para frente dos palanques gritarem a todo pulmão, para que todos vejam e diga: olha como ela torce pelo nosso candidato. Não seria isso uma espécie de assédio moral disfarçado? E se por acaso os senhores feudais não conseguirem ver a pobre pessoinha aos gritos e com uma bandeira erguida, logo procurará saber por que ela não foi. A pobre pessoa, sem muitos argumentos, dirá: eu estava lá naquele cantinho esquerdo, ou ainda, eu estava lá atrás. Você acha que isto é uma coisa normal?

Atitudes como estas aconteciam com frequência no tempo dos coronéis, quando estes sabendo que os pobres eleitores tinham votado contra, levavam açoites de capatazes e às vezes até poderiam ser mortos. Não podem ser consideradas como os capatazes dos coronéis, as pessoas que tem esse comportamento de intimidar o pobre eleitor?

Outro dia conversando rapidamente com autoridade máxima governamental desse município, fui interpelado pelo mesmo, que disse assim: você não vota na candidata tal? E eu, olhando pra ele com sinceridade, disse: não. Eu não voto em sua candidata. Disse isso sem prepotência ou querendo provocar raiva ou descontentamento à sua pessoa. Com esta atitude, quis apenas mostrar que temos, de fato, a liberdade de optarmos por nossas ideias e por aquilo que consideramos melhor. Isso não significa dizer que eu tenha aversão a esta autoridade. Muito pelo contrário, tem meu respeito.

Para alguns, um momento como este poderia ser usado para prejudicar a pessoa ou ainda para tirar proveito, como alguns fazem. Agindo assim, não significa dizer que eu seja um exemplo de perfeição, ética, moral ou coisa parecida, mas significa dizer que temos que ter o mínimo de dignidade para com nossa própria pessoa.

Mas infelizmente, nosso povo, aqueles que estão do lado do A, do B ou do  C, com atitudes como estas e que não respeita aos outros, são pessoas pequenas, que tentam tirar proveito em cima de coisas pequenas. Esse tipo de pessoas tende a se decepcionarem por não conseguirem aquilo que almejam. Nada que se consegue por meio suborno, bajulação ou por causarem prejuízo a outros, vão muito longe em suas expectativas.  Seus planos maquiavélicos por si só se destroem e pior, atinge a própria pessoa. Eu já vi muita gente decepcionada por não serem correspondidos em suas expectativas.

Portanto, meus caros amigos leitores, sejamos acima de tudo, grandes o suficiente para ver a alegria e a felicidade do outros e não nos mordermos de inveja. Saiba de uma coisa: aquilo que Deus determinou para alguém pode ter certeza que ela dará e ao que tentar ter ou ser alguma coisa e não sendo nem podendo, mesmo que venha a ter, se não for digno, ruirá por terra. Veja os exemplos e concordará comigo.

Professor Valdeni Cruz

Evangelho desta sexta-feira (Lucas 5,33-39)


Sexta-Feira, 7 de Setembro de 2012
22ª Semana Comum



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 33os fariseus e os mestres da Lei disseram a Jesus: “Os discípulos de João, e também os discípulos dos fariseus, jejuam com frequência e fazem orações. Mas os teus discípulos comem e bebem”. 34Jesus, porém, lhes disse: “Os convidados de um casamento podem fazer jejum enquanto o noivo está com eles? 35Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, naqueles dias, eles jejuarão”.
36Jesus contou-lhes ainda uma parábola: “Ninguém tira retalho de roupa nova para fazer remendo em roupa velha; senão vai rasgar a roupa nova, e o retalho novo não combinará com a roupa velha. 37Ninguém põe vinho novo em odres velhos; porque, senão, o vinho novo arrebenta os odres velhos e se derrama; e os odres se perdem. 38Vinho novo deve ser posto em odres novos. 39E ninguém, depois de beber vinho velho, deseja vinho novo; porque diz: o velho é melhor”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Dilma anuncia corte de 16,2% na conta de energia



Em pronunciamento de cerca de 11 minutos realizado na noite desta quinta-feira em cadeia nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff anunciou a redução em 16,2% das tarifas de energia elétrica cobrada dos consumidores residenciais e de até 28% na eletricidade paga pelas indústrias. A Medida Provisória com as mudanças será assinada na próxima terça-feira e entrará em vigor em janeiro de 2013.

Dilma não detalhou como o governo conseguirá baixar as tarifas nesses porcentuais, mas a expectativa é de que haja cortes em tributos federais e encargos setoriais que incidem nas contas de luz, além da renovação das concessões de geração que vencem a partir de 2015. A presidente afirmou, no entanto, que a redução para as indústrias será maior porque os custos de distribuição da alta tensão já são naturalmente menores.

"Vamos anunciar a mais forte redução de que se tem notícia nesse País nas tarifas de energia das indústrias e dos consumidores domésticos", disse ela no vídeo. "Os ganhos, sem dúvida, serão usados tanto para a redução de preços dos produtos para consumidores brasileiros, como para a exportação. A queda vai ajudar também de forma especial industriais em dificuldades evitando demissão de funcionários", completou.

Dilma destacou que o Brasil está incorporando a palavra "competitividade" ao tripé de desenvolvimento do País, composto por crescimento, estabilidade e inclusão. "Estamos lançando bases concretas para sermos no médio e longo prazo um dos países com melhor infraestrutura, com melhor tecnologia industrial, melhor eficiência produtiva e menor custo de produção", acrescentou a presidente.

Ela citou os investimentos em rodovias e ferrovias anunciados no mês passado, que somam R$ 133 bilhões em concessões de novos trechos que serão operados pela iniciativa privada. Dilma reafirmou que o governo ainda irá anunciar medidas semelhantes para portos e aeroportos e criticou o modelo de privatizações do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

"Esse conjunto de medidas significa um novo tipo de parceria entre o poder público e a iniciativa privada, ao contrário do antigo e questionável modelo de privatizações que torrou o patrimônio público para pagar dívida, e que gerou monopólio e baixa eficiência. O nosso modelo vai assegurar o mais baixo preço de frete possível", concluiu.

GOVERNADORES MAIS UMA VEZ CONTRA A LEI DO PISO


FETAMCE E CONFETAM PETICIONAM JUNTO AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EM DEFESA DA LEI DO PISO - ATACANDO OS FUNDAMENTOS DA ADI 4848, AJUIZADA PELOS GOVERNADORES DO RIO GRANDE DO SUL, SANTA CATARINA, MATO GROSSO DO SUL, GOIÁS, PIAUÍ E RORAIMA

Dr. Valdecy Alves, Advogado 

JUNTAMENTE COM A CONFETAM E PRESIDENTES DE FEDERAÇÕES DE MUNICIPAIS DE TODO O BRASIL
NO PRÉDIO DO MEC EM BRASÍLIA EM DEFESA DA LEI DO PISO

Mais uma vez os governadores atacam a lei do Piso, ajuizando a ADI 4848/2012, no último dia 04/09/2012.  Assinam a petição os seguintes governadores:

1) Mato Grosso do Sul:   André Puccinelli
2) Goiás:                            Marconi Ferreira Perillo Junior
3) Piauí:                             Wilson Nunes Martins
4) Rio Grande do Sul:      Tarso Fernando Herz Genro
5) Roraima:                       José de Anchieta Junior
6) Santa Catarina:            João Raimundo Colombo

O andamento da ADI 4848/2012, com todas as petições, dos governadores, da CONFETAM e da FETAMCE, podem ser acessadas no link abaixo, depois clica em ver peças  eletrônicas:


NÃO HÁ TRABALLHO DECENTE QUANDO O PISO E A CARREIRA DOS PROFESORRES NÃO SÃO RESPEITADOS
CAMINHADA DA FETAMCE PELAS RUAS DE FORTALEZA EM AGOSTO DE 2012

Os governadores alegam que o artigo 5º, parágrafo único da Lei Federal nº 11738/2008, viola os seguintes artigos da Constituição Federal:

1) Artigo 25 e seu parágrafo 1º;
2) Artigo 37 e incisos X e XIII;
3) Artigo 61, § 1º, II, "a" e "c";
4) Artigo 165, III;
5) Artigo 169, § 1º I e II;
6) Artigo 206, VIII;
7) Artigo 60, III, do ADCT.

Por que só 04 anos após a lei do piso entrar em vigor descobriram tantas inconstitucionalidades num só artigo? Por que dos 27 Estados apenas 06 alegam tais inconstitucionalidades? Ainda querem que os professores de todo o Brasil devolvam tudo que ganharam a mais caso ganhem a ação, pois segundo eles deveria o reajuste do piso ser pelo INPC, não pelo reajuste do valor aluno, o que provocaria redução salarial. SALÁRIO É IRREDUTÍVEL!
NO PLENÁRIO DO STF NO DIA DO JULGAMENTO DA ADI 4167 - QUE JULGOU O PISO CONSTITUCIONAL
À MINHA ESQUERDA GRAÇA COSTA PRESIDENTA DA CONFEDERAÇÃO DOS MUNICIPAIS DO BRASIL
À MINHA DIREITA VILANI - REPRESENTANTE DA FEDERAÇAO DOS MUNICIPAIS DO CEARÁ
MAIS UMA VEZ ENTIDADES QUE SEMPRE ESTTVERAM NA LUTA EM DEFESA DO PISO E DA CARREIRA


Tanto a FETAMCE, Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará, www.fetamce.org.br, como a CONFETAM, Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Brasil www.confetam.org.br, precisaram peticionar com urgência, habilitando-se como amicus curiae, pois o pedido de liminar é para ser despachado antes da defesa da União e do Congresso nacional. 

A tese dos governadores é cheia de maldade, de sofismas, de má-fé e de deslealdade processual. Até o presente, a defesa da FETAMCE e da CONFETAM são as únicas e primeiras defesas, que serão lidas pelo Ministro Joaquim Barbosa, que dará algum despacho,
 porém não sem antes ler a defesa que fizemos com muito orgulho para as citadas entidades. De ressaltar que na ADI 4167, ambas também peticionaram!

Não há como aceitar ser inconstitucional o piso ser reajustado pelo valor aluno, de forma a passar ser reajustado pelo INPC, o que redundaria em prejuízos imensos para professores e enriquecimento ilícito para gestores que não têm qualquer compromisso com a educação de qualidade e com direitos fundamentais dos profissionais do magistério.

ELES QUEREM OS RECURSOS DO FUNDEB PARA ELES! NÃO ESTÃO NEM AÍ COM O DIREITO À EDUCAÇÃO! Chegou a hora de todo o movimento sindical do Brasil e profissionais do magistério se unirem na defesa à proteção aos seus direitos sociais e ao direito humano do aluno ter acesso a uma política educacional realmente de qualidade. Sem baixar a guarda nos Municípios, nos Estados, no Congresso Nacional e na outra ADI, que já julgou o piso constitucional. A guerra se divide em mil batalhas, mas os professores são milhões! Têm um exército muito maior e sãoo compromissados com o Estado de direito e com a democracia. A LUTA, TODOS, POIS!

FONTE:

Independência do Brasil


História da Independência do Brasil, Dom Pedro I, Grito do Ipiranga, 7 de setembro, História do Brasil Império,
Dia da Independência, transformações políticas, econômicas e sociais, dependência da Inglaterra no Brasil
Independência do Brasil

Independência ou morte

Introdução

A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.

Dia do Fico

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta idéia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."

O processo de independência

Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembléia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o " cumpra-se ", ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.
O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembléia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
Estas notícias chegaram as mãos de D. Pedro quando este estava em viagem de Santos para São Paulo. Próximo ao riacho do Ipiranga, levantou a espada e gritou : " Independência ou Morte !". Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.

 Bandeira do Brasil Império. Primeira bandeira brasileira após a Independência.



Pós Independência

Os primeiros países que reconheceram a independência do Brasil foram os Estados Unidos e o México. Portugal exigiu do Brasil o pagamento de 2 milhões de libras esterlinas para reconhecer a independência de sua ex-colônia. Sem este dinheiro, D. Pedro recorreu a um empréstimo da Inglaterra.
Embora tenha sido de grande valor, este fato histórico não provocou rupturas sociais no Brasil. O povo mais pobre se quer acompanhou ou entendeu o significado da independência. A estrutura agrária continuou a mesma, a escravidão se manteve e a distribuição de renda continuou desigual. A elite agrária, que deu suporte D. Pedro I, foi a camada que mais se beneficiou.




Celso de Mello condena três do Banco Rural e absolve ex-dirigente


Dos 37 réus do processo, oito já foram condenados e dois absolvidos.
Com o próximo voto, Supremo concluirá votação do item gestão fraudulenta.


Mariana Oliveira e Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello votou nesta quinta-feira (6), durante sessão de julgamento do processo do mensalão, pela condenação, por gestão fraudulenta, da acionista e ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello, do ex-vice-presidente José Roberto Salgado e do atual vice, Vinícius Samarane. Mello também decidiu absolver a ex-vice Ayanna Tenório.
Os quatro foram acusados de conceder empréstimos fictícios ao PT e ao grupo de Marcos Valério, apontado como o operador do esquema de compra de votos no Congresso em troca de apoio ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva.
Para Celso de Mello, as provas constantes nos autos do processo do mensalão demonstram que os dirigentes do Banco Rural formaram um “núcleo criminoso”.
“O exame da denúncia formulada pelo Ministério Público e também o exame da defesa fornecida pelos réus convence-me de que se formou na cúpula dirigente do Banco Rural verdadeiro núcleo criminoso, estruturado e organizado mediante divisão funcional de tarefa, com coordenação consciente de vontade, permitindo que os agentes atuassem consertadamente com finalidades específicas, com o intuito de obter vantagens."
Com o voto de Mello, Kátia Rabello e Salgado somam nove votos pela condenação. Já decidiram que os dois são culpados de fraudes no comando do banco os ministros Joaquim Barbosa, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes , Marco Aurélio Mello e Celso de Mello.
Assim como a maioria dos ministros da corte, Celso de Mello decidiu inocentar a ex-vice-presidente Ayanna Tenório por falta de provas. Oito ministros decidiram pela absolvição dela- o único que entendeu que ela devia ser condenada foi o relator Joaquim Barbosa. Em relação ao atual vice-presidente, Vinícius Samarane, sete ministros já votaram pela condenação dele e dois pela absolvição - Marco Aurélio e Lewandowski.

Até a publicação desta reportagem, ainda faltava o voto de um ministro sobre as acusações de gestão fraudulenta: o do presidente do STF, Ayres Britto. Até a proclamação do resultado, no final do julgamento, qualquer um dos ministros ainda pode mudar o voto.
A gestão fraudulenta é prevista na lei de crimes contra o sistema financeiro e pode resultar em prisão de 3 a 12 anos. A dosimetria da pena (cálculo de quanto tempo cada condenado ficará preso) será feita ao final do julgamento.
Embora com decisão parcial sobre a cúpula do banco, 8 dos 37 réus do processo já foram condenados, sendo três da cúpula do Banco Rural e cinco deles na análise do item sobre desvio de recursos públicos (veja como cada ministro votou): o deputado e ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha, o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, Marcos Valério e os sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz.
Além de Ayanna Tenório, foi absolvido o ex-ministro Luiz Gushiken.
As acusações
Segundo a denúncia, o Banco Rural repassou R$ 29 milhões às empresas de Marcos Valério e R$ 3 milhões ao PT por meio de empréstimos fictícios.

Para o MP, Kátia e Salgado autorizaram empréstimos sem analisar as garantias. Ainda conforme a Procuradoria, Ayanna Tenório autorizou a renovação de empréstimos, e Samarane omitiu do sistema do Banco Central os dados sobre os saques de dinheiro feitos pelo grupo de Valério.
Durante a leitura do voto de Celso de Mello, que abordou o papel dos juízes no julgamento, o ministro Joaquim Barbosa afirmou que foi vítima de ataques “velados e covardes” por ser relator do processo do mensalão. “Espero que nunca esqueçamos os ataques de que fui objeto durante esses sete anos. Ataques velados, covardes, mas sempre tendo como pano de fundo este processo”, disse.
Argumentos desta quinta
Para Celso de Mello, Banco Rural realizou empréstimos "simulados" a agências de Marcos Valério e ao PT, e que omitiu as irregularidades mediante "artifícios fraudulentos".

“Os empréstimos eram concedidos e renovados sem observadas das cautelas mínimas do Banco Central para a verificação da capacidade financeira [dos tomadores do crédito]”, disse.
Ao absolver Ayanna Tenório e Vinicius Samarane, Marco Aurélio afirmou que o Supremo não pode “condenar por presunção”. Segundo o ministro, os réus não podem ser punidos apenas por ocuparem na época cargos de direção, sem provas de que tenham cometido irregularidades.
“Reafirmo a fé mais uma vez no direito posto, a fé no julgamento a partir dos elementos coligidos da prova lograda pelo Ministério Público, não cabendo generalizar. Não cabendo partir para uma nova doutrina que seria a admissão do crime por presunção”, disse.
O ministro Marco Aurélio criticou ainda o voto criticando a metodologia de voto por itens da denúncia.
“Eu diria, no jargão carioca, 'haja coração', ante o fatiamento da apreciação das diversas imputações formalizadas pelo Ministério Público. Continuo convencido de que o ideal seria termos mais vogais, uma visão conjunta do processo, uma visão conjunta do que elaborado pelo relator e pelo revisor”, afirmou.
O ministro Gilmar Mendes, que votou antes, destacou que houve "extensivo rol de irregularidades" no Banco Rural. Segundo o magistrado, o empréstimo para o PT foi realizado sem garantias de que o partido pagaria a dívida.
"Não tenho dúvida quanto à caracterização dos elementos que levam à configuração do crime aqui imputado de gestão fraudulenta, com efetiva participação dos réus nos fatos", disse o ministro Gilmar Mendes em sua argumentação.
Outros ministros
Ao votar nesta quarta, o ministro Luiz Fux afirmou que a gestão do Banco Rural era "tenebrosa". "Na verdade, infelizmente, a entidade bancária serviu de uma verdadeira lavanderia de dinheiro, esse deveria ser o nome, nem gestão fraudulenta, nem gestão temerária, deveria ser gestão tenebrosa", disse.

Para Dias Toffoli, que também apresentou sua argumentação na quarta, há provas de que a cúpula do banco não cumpriu as regras do Banco Central. "Houve inequívoca prática de condutas divorciadas das normas e regulamentos que cocernem à atividade bancária",argumentou Toffoli.
Assim como Fux, a ministra Rosa Weber entendeu que só Kátia, Salgado e Samarane, que detinham o poder das decisões da instituição, cometeram o crime. Ainda sobre Samarane, ela viu papel menor do executivo nas fraudes e antecipou que a dosimetria deveria levar em conta a questão.
"Mal comparando, nos crimes de guerra, em geral punem-se os generais estrategistas. No mesmo modo, nos crimes administrativos, a culpa recai sobre seus administradores. Desse modo, no crime com a utilização da empresa, o autor é o dirigente ou os dirigentes que podem impedir que a ação ocorra."
Revisor e relator
O revisor Ricardo Lewandowski disse que "não ficou convencido" da participação de Ayanna e, segundo ele, Samarane era "um mero empregado".

Ao analisar a conduta de Kátia Rabello e José Roberto Salgado na segunda (3), Lewandowski disse que o Banco Rural tentou "ludibriar" o Banco Central. Ele comparou a concessão dos empréstimos a um negócio "de pai para filho".
Relator da ação penal, o ministro Joaquim Barbosa falou na semana passada e afirmou que os empréstimos ao PT e a Marcos Valério não foram contabilizados nos registros oficiais do Banco Rural e que a cobrança foi feita somente depois do escândalo.
O ministro-relator afirmou ainda que o crime de gestão fraudulenta foi praticado em concurso de pessoas, por todos os quatro ex-dirigentes do Banco Rural.
“Com efeito, é preciso lembrar que o crime foi praticado em concurso de pessoas, numa ação orquestrada [...] típica de um grupo criminoso. Pela divisão de tarefas, cabe a cada qual cumprir determinadas funções.”

Dilma deve anunciar redução na tarifa de energia nesta quinta; estimativa é de 16% de queda


A presidente Dilma Rousseff vai dizer nesta quinta-feira (6), em seu pronunciamento sobre a Independência, que o país já voltou a crescer e que seu governo adotará medidas para reativar a economia, entre elas a redução das tarifas de energia elétrica. A queda nas tarifas para os consumidores residenciais vai chegar na casa dos 15% se prevalecer número defendido por uma ala do governo. De acordo com a Folha de S, Paulo, a presidente Dilma definiu o índice em 16,2% e chegou a gravar a primeira versão de seu pronunciamento com este número. Para o setor industrial, a redução deve variar de 12% a 28% - a média deve ficar na casa dos 20%. Ainda segundo a Folha, a medida será anunciada formalmente na próxima terça, em encontro da presidente com um grupo de empresários no Palácio do Planalto.

Evangelho do dia de hoje (Lucas 5,1-11)


Quinta-Feira, 6 de Setembro de 2012
22ª Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naqueles tempo, 1Jesus estava na margem do lago de Genesaré, e a multidão apertava-se a seu redor para ouvir a palavra de Deus. 2Jesus viu duas barcas paradas na margem do lago. Os pescadores haviam desembarcado e lavavam as redes. 3Subindo numa das barcas, que era de Simão, pediu que se afastasse um pouco da margem. Depois sentou-se e, da barca, ensinava as multidões.
4Quando acabou de falar, disse a Simão: “Avança para águas mais profundas, e lançai vossas redes para a pesca”. 5Simão respondeu: “Mestre, nós trabalhamos a noite inteira e nada pescamos. Mas, em atenção à tua palavra, vou lançar as redes”. 6Assim fizeram, e apanharam tamanha quantidade de peixes que as redes se rompiam. 7Então fizeram sinal aos companheiros da outra barca, para que viessem ajudá-los. Eles vieram, e encheram as duas barcas, a ponto de quase afundarem.
8Ao ver aquilo, Simão Pedro atirou-se aos pés de Jesus, dizendo: “Senhor, afasta-te de mim, porque sou um pecador!” 9É que o espanto se apoderara de Simão e de todos os seus companheiros, por causa da pesca que acabavam de fazer. 10Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram sócios de Simão, também ficaram espantados. Jesus, porém, disse a Simão: “Não tenhas medo! De hoje em diante tu serás pescador de homens”. 11Então levaram as barcas para a margem, deixaram tudo e seguiram a Jesus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

ESCOLA ETELVINA - PROJETO: QUEBRANDO PRECONCEITOS - HOMOFOBIA



ESCOLA ETELVINA GOMES

BEZERRA


Logomarca da Escola Etelvina Gomes Bezerra

Estou trabalhando um projeto que tem por objetivo romper com o preconceito e o tema que eu estou desenvolvendo em sala é a HOMOFOBIA.
O assunto, mesmo estando bastante presente nas mídias, ainda é muito difícil de ser trabalhado nas escolas. As vezes o problema está com o próprio educador.
Esses dias trabalhei esse tema com os alunos do 1º, 2ª e 3º ano do Ensino Médio. Tem sido uma experiência valiosa trabalhar esse assunto. 
Quando começamos a falar sobre o assunto, muitos ficam meio cabreiros, mas no decorrer da aula tudo vai clareando.
O objetivo de trabalhar o tema, nada mais é do que despertar nos alunos para a responsabilidade de respeitarmos as diferenças, seja pela religião, seja porque ele gosta de um estilo de música diferente e da mesma forma, também pela opção sexual do outro.
Durante a aula trabalho dois pequenos vídeos que retratam a realidade dos homossexuais na sociedade brasileira, do preconceito, da discriminação que eles ainda sofrem. 
Os vídeos nos levam a fazer uma reflexão para percebermos como estamos agindo para com aqueles que fazem parte da sociedade, estão juntos conosco mas que muitas vezes rejeitamos e em alguns casos, como temos acompanhado, eles chegam  sofrer violência física e psicológica e até mesmo a morte.
No decorrer da aula deixo o alunos livres para dizerem o que querem. Quando surge uma opinião a gente tenta amadurecer aquele pensamento e os outros entram na conversa e tudo vai tomando uma outra direção.
As aulas em momento algum tem caráter tendencioso ou apologia a esses ou aquele comportamento sexual. Como disse ante, o tema é levado a sala para a reflexão.
Quero agradecer a todos os alunos do 1º, 2º e 3º ano Ens. Médio, que foram maravilhosos durante a aula, expondo seus sentimentos e procurando contribuir no andamento da aula da maneira mais agradável.
Parabéns a todos vocês. 

Sou feliz por ter alunos como vocês.

PROFESSOR VALDENI CRUZ 

Instituto seleciona jovens para bolsas de Ensino Médio


Até o próximo dia 14 de setembro, o Instituto Queiroz Jereissati estará selecionando 20 alunos que estejam cursando o 9° ano do Ensino Fundamental na rede pública de Fortaleza para uma bolsa de estudos em uma escola particular. Os selecionados integrarão a 3ª turma do Projeto Caminhos, desenvolvido pelo IQJ há 5 anos.
Além da bolsa de estudos, será ofertado aos 20 bolsistas um curso de inglês, material didático e escolar, vale-transporte e alimentação, fardamento e orientação pedagógica.
Perfil
Para concorrer às bolsas, o aluno tem de ter, no máximo, 15 anos até 31 de dezembro e pertençam a famílias com renda per capita familiar de até um salário mínimo. O aluno também deve ter ótimo desempenho nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.
Para se inscrever, o aluno deve preencher o formulário de inscrição que está disponível na própria instituição de ensino. Serão aceitas mil inscrições e a seleção será feita a partir de provas de Matemática, Português, Redação, um teste para avaliação de potencial de aprendizagem e dinâmica de grupo. Será feita, também, uma entrevista individual e visita domiciliar.
Mais informações pelo telefone 3252.1885.
Fonte:Diário do Nordeste

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO

Política    É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que esta...