sábado, 7 de maio de 2011

PROGRAMA A VOZ DO SINDSEP

Não perca daqui a pouco o PROGRAMA A VOZ DO SINDSEP pela FM 98,7. É logo mais a partir do meio dia.
Trataremos de diversos assuntos de interesse da população.
Você nosso ouvinte não pode perder.
Acompanhe pela internet
www.98fmpentecoste.com.br


Professor Valdeni Cruz

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Olá, caros leitores, Boa Tarde!!

Professor VALDENI CRUZ

Na manhã dessa sexta-feira, fui dar aula normalmente na Escola Vicente Feijó de Melo, onde trabalho como professor concursado do município desde o ano de 2002. Durante todos esses anos sou professor e exerço minha profissão em sala de aula. Até hoje não tenho em lembrança de que alguém tenha me chamado de irresponsável, mentiroso, desonesto, traidor, mal pagador, preguiçoso e muito menos de doente, pelo menos diante das pessoas e nem que eu tenha sabido até hoje, dito por ai para eu soubesse da boca de alguém. Na realidade ainda não fiz um checape total cabeça e nem do corpo todo, para saber se realmente tenho alguma doença séria, por isso não posso dizer pra ninguém se tenho alguma doença grave, ou algum problema de ordem psicológica.
Acontece que nessa manhã, estávamos eu e os membros do CAE (Conselho de Alimentação Escolar), reunidos na Secretaria de Educação, para conferir a prestação de contas dos meses de março e abril, quando fomos convocados pela Secretária de Educação, Lucilene Meneses, para participar de uma reunião convocada pelo prefeito para dar informações sobre um recurso extra do FUNDEB que entrou na conta do município no dia 29 de abril, quinta-feira passada no valor de 486.786,35C.
Nessa reunião, foi chamado para dar esclarecimentos o Senhor Arnold, assessor da educação, para dar informações sobre os recursos e dar justificativas pra os que estavam presentes na reunião. Na oportunidade estavam presentes diversos coordenadores pedagógicos, professores entre outros, pois estava acontecendo um curso com essas pessoas e se aproveitou a oportunidade para dar esses esclarecimentos.
Enquanto o Arnold ia dando suas informações eu ia fazendo observações da assembléia presente e todos pareciam atônitos, admirados e esperando uma reposta favorável ao rateio do dinheiro pra os professores. O Senhor Arnold, como sempre, munido de uma tabela de dados, começou a fazer comparações de dados, de números de alunos, de estimativa de recursos, das dificuldades e etc. Ao Finalizar as suas explicações, perguntou-se se haveria alguém que quisesse fazer alguma pergunta ou comentário a respeito do que havia sido exposto. Eu, portanto, fui o primeiro a fazer minhas considerações. Como não tenho receio de dizer o que penso, pois não devo nada a ninguém, para que possa ter medo de dizer qualquer coisa. Comecei dizendo o seguinte: Olhe primeiro de tudo, quando a Claudia Melo entrou aqui, nesse recinto, parece que havia entrado um bicho. Os olhares de reprovação tomaram conta de alguns. O senhor Prefeito imediatamente ficou de pé para tomar as dores. Disse que isso era uma coisa absurda, pois ninguém havia achado que era um bicho que tinha entrado ali e que ela era bem vinda, embora não tivesse sido convidada. Saiba os leitores que ela não sabia da reunião, veio por que ligamos pra ela.
Como continuei insistindo, dizendo que há pessoas que realmente agem dessa maneira e que nos ambiente de trabalho, quando ela chaga para dar alguma informação, alguns até se escondem.
Nessa hora o Prefeito ficou um pouco irritado e acabou dizendo: “ESSE RAPAZ É DOENTE”, confesso que fiquei surpreso, pelas razões que já mencionei anteriormente, mas tudo bem. Passando a reunião e refletindo sobre o acontecido, preciso dar aqui minha opinião sobre o tema.
Quero dizer para quem quer seja que quero continuar com essa doença que o Senhor Prefeito não citou qual era. Mas essa doença do qual o prefeito não citou é a doença de trabalhar honestamente desde pequeno; é a doença de respeitar as pessoas, a doença de saber que os outros têm o direito de me criticar, é a doença de saber que o que é público é bem de todos, é a doença de não me submeter aos caprichos de quem que seja porque recebi algum  favor e por isso eu tenho que enfiar a padiola num saco e concordar com tudo; sou doente sim, porque luto pra ser coerente com a verdade e comigo mesmo; sou doente porque não traí meus princípios até hoje; sou doente porque tudo que consegui foi trabalhando sol a sol; desejo que Deus me conceda mais uma porção dessa doença pra mim continuar fazendo o que tenho feito e agir como tenho agido.
Desse modo quero claramente dizer que não invejo a “SAÚDE” da qual algumas pessoas estejam acometidas. A saúde da desonestidade, da falta de caráter, da mentira, da fofoca, do apadrinhamento infame, este tipo de saúde eu rejeito e prefiro morrer do mal que minha doença me causa.
O que mais me deixa entristecido nessa história toda é ver inúmeros educadores, pessoas que deveriam se dar ao luxo de serem formadores de opiniões sendo manipulados. Deixarem-se sucumbir diante dos discursos fajutos de tais administradores. Isso é algo que dói. Daí se tira as conclusões para não vermos o mundo mudar. Como é que muda? Se quem tem a capacidade de mudar estão amarrado os pés e as mãos. Amarrados quando sendo educadores pedem pra sair da sala de aula, porque recebem uma gratificação, por isso por aquilo. Preferem calar a verdade em nome do pessoal. É por essas e tantas outras coisas que prefiro ter o título de doente pelo prefeito, pois desse modo não estou incluído entre os que estão dotados de saúde.
Às vezes vemos pessoas que até outro dia estava na sala de aula e de vez em quando estavam nos meus ouvidos buzinando: será que vai ter aumento, será vai ter isso, vai ter aquilo... E depois que virou a casaca, como diz o ditado, como saiu do lado dos que estão doentes, foram para uma coordenação ou pra uma diretoria, que é o lugar dos saudáveis, jogam pedras, fazem caras e bocas quando nos encontram. Pobres criaturas. Quanto tempo isso irá durará? Conte ai, um, dois, três anos... E ai o que aconteceu? Ora está de volta ao lugar onde detestava estar. Tudo nessa vida passa. O que não passa é o valor que damos a nós mesmos. A honra de um homem de verdade não passa, nem que pra isso ele passe fome, tenha que morar na rua, comer farinha com açúcar. Essa é a virtude que peço a Deus todo dia. O resto é resto e passa como o vento que sopra pela manhã. Sei das minhas limitações e defeitos, mas sei acima de tudo da capacidade que tenho de ser gente e fazer-me gente. Ando de cabeça erguida e de fato não tenho medo de nada. Porque comigo está aquele que é Deus. Ainda que eu ande pelo vale escuro, nada temerei...
Gente! Quero ser doente e até morrer do mal de não me submeter aos caprichos de quem quer que seja, nem muito menos enterrar os meus princípios.
Prefiro o câncer da honestidade, a lepra dos valores que tornam o homem honrado do que a saúde que leva ao desprezo universal.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Alunos de Quixadá recebem laptops

 PROGRAMA FEDERAL
Localizada no Sítio Nova Aurora, em Quixadá, escola estadual recebe projeto de Inclusão digital
Clique para AmpliarQuixadá Adolescentes da zona rural de Quixadá não têm apenas lápis,
Alunos testam e aprovam a novidade de utilizar laptops durante às aulas. Em breve, terão acesso à internet
canetas, borrachas, livros e cadernos sobre suas carteiras. Desde a última terça-feira, eles passaram a utilizar também computadores portáteis, laptops, na sala de aula. São alunos da Escola José Martins Rodrigues. A unidade de ensino da rede estadual é uma das primeiras contempladas com o programa piloto do Governo Federal "Um Computador por Aluno" (Prouca). O lançamento oficial aconteceu na escola sede integrada por mais três polo educacionais.

Preliminarmente 184 alunos da escola sede passam a utilizar o novo acessório tecnológico nas aulas. Em seguida o acesso à rede mundial de computadores (web) será estendido às comunidades de Custódio, Sabonete e Riacho Verde, onde estudam as outras turmas do ensino médio. Mais 209 alunos serão beneficiados. Eles aguardam a implantação da conexão virtual do projeto coordenado pelo Instituto UFC Virtual. Enquanto o sinal não chega, se deslocam à escola sede para aproveitarem o novo incremento didático.

Foram quatro meses de adaptação à novidade. Professores e gestores dos Núcleos de Tecnologia na Educação (NTE) foram capacitados pelo Instituto UFC Virtual. Conforme a professora do NTE de Quixadá, Meyre Menezes Lino, o projeto piloto pretende criar e socializar novas formas de utilização das tecnologias digitais nas escolas públicas brasileiras.

Enquete
Novidade

"Depois do fogo, da roda, a internet e é uma das maiores invenções da humanidade. Compartilhar essa tecnologia é um feito" Valdery Sampaio, 32 ANOS, Professor de História

"Dentro e fora da escola, aulas assim ajudam a ensinar e a fazer amizades por meio da internet. Eu não imaginava algo assim" Roberta Araújo Sobrinho, 15 anos, Aluna

Alex PimentelColaborador

http://diariodonordeste.globo.com

BISPOS APROVAM CRIAÇÃO DA COMISSÃO PARA A JUVENTUDE

Os bispos que participam da 49ª Assembleia da CNBB acabam de aprovar a criação de uma Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude. Com a decisão, os assuntos de juventude que eram tratos num dos Setores da Comissão para o Laicato ficam sob a responsabilidade da nova Comissão.
A proposta de uma Comissão exclusiva para a Juventude foi um pedido dos bispos referenciais da Juventude nos 17 regionais da CNBB e defendida na Assembleia pelo bispo auxiliar de Campo Grande (MS), dom Eduardo Pinheiro, atual responsável pelo Setor Juventude da CNBB.
Um dos principais argumentos usados por dom Eduardo foi a opção da Igreja no Brasil pela urgente evangelização da juventude, expressa no Documento 85 da CNBB “Evangelização da Juventude”.

fonte: CNBB

BOA NOITE!

Quinta-feira,28/04/2011, entrou na conta do fundeb do município de pentecoste, um valor extra de 486.786,35C, que é refente ao ajuste de contas do ano de 2010. Entende-se,  que de acordo com a resolução do MEC, deve-se ratear esse dinheiro entre os profissionais do magisterio que estiverem em sla de aula no ano de 2010. Algusn desavisados acham que esse dinheiro deve ser mantido na conta até o final do ano. Não se justifica esse pensamento visto que se fosse dessa forma o próprio MEC só passaria essa recurso no final do ano.Nós servidores estamos atentos ao desenrolar dessa situação e esperamos que o mais rápido possível seja dada uma resposta para os profissionais do magistério, que é merecedor desse recurso.
Convacamos a todos os servidores a se apossarem do que é seu. Não aceitamos que tentem nos enrolar  com conversa fiada. Os professores estão dipostos a tomarem a atitude necessária para o que é seu venha pro  seu bolso.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Brasil sem Miséria: foco será 16,267 milhões de brasileiros que vivem na extrema pobreza


Posted: 03 May 2011 11:53 AM PDT
A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, divulga a linha da extrema pobreza a ser adotada pelo governo federal para identificar o número de famílias que serão atendidas pelo programa de superação da extrema pobreza, o Brasil sem Miséria. Foto: Antonio Cruz/ABr
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a partir dos dados do Censo 2010, identificou no Brasil 16.267.197 de pessoas que vivem com renda per capta mensal de até R$ 70. Essa é a linha da extrema pobreza definida pelo governo federal, que embasará o programa Brasil sem Miséria, a ser lançado nas próximas semanas pela presidenta Dilma Rousseff. O anúncio foi feito nesta terça-feira (3/5), em Brasília, pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, ao afirmar que a meta do governo é erradicar, nos próximos quatro anos, a miséria no país.
Os dados do IBGE apontam que os 16,267 milhões de brasileiros extremamente pobres – 8,5% da população – estão concentrados principalmente na região Nordeste, totalizando 9,61 milhões de pessoas (59,1%), sendo a maioria no campo (56,4%).
Dos extremamente pobres nas áreas urbanas (8,67 milhões), pouco mais da metade vive no Nordeste (52,6%) e cerca de um em cada quatro na região Sudeste (24,7%). De um total de 29,83 milhões de brasileiros residentes no campo, cerca de um quarto se encontra na extrema pobreza (25,5%), totalizando 7,59 milhões de pessoas. As regiões Norte e Nordeste apresentam valores relativos próximos (35,7% e 35,4%, respectivamente) de população rural extremamente pobre.

Pesquisa da FGV mostra queda da pobreza em 8 anos

Nesta terça-feira (3/5), o economista-chefe do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), professor Marcelo Neri, divulgou no Rio de Janeiro a pesquisa “Desigualdade de Renda na Década”, onde aponta que a pobreza caiu 16% em 2010 e atingiu a marca de 67,3% desde a implantação do Plano Real.
O relatório da pesquisa diz que “a queda de pobreza entre setembro de 2009 e setembro de 2010 foi de 11,82%. De dezembro de 2009 a dezembro de 2010 a pobreza caiu 16,3%, sendo 8,7% nos quatro últimos meses. Pelo computo só da PME (Pesquisa Mensal de Emprego) a pobreza cai 50,64% entre dezembro de 2002 e dezembro de 2009″. E continua: “já na combinação PME-PNAD (Pesquisa Nacional de Amostras a Domicílio) a pobreza cai 51,9% na Era Lula.”
Segundo a PNAD, entre 2001 e 2009, aponta o documento preparado pelo economista, a renda per capita média brasileira subiu 23,7% em termos reais. Isto é, descontando a inflação e o crescimento populacional, o desempenho médio esteve longe de ser um grande espetáculo do crescimento. A renda dos 10% mais pobres no Brasil subiu 69,08% no período. Este ganho cai paulatinamente na medida em que nos aproximamos do topo da distribuição, atingindo 12,8% entre os 10% mais ricos, taxa de crescimento mais próxima da média que a dos pobres.

A população em extrema pobreza por sexo

A distribuição da população em extrema pobreza por sexo, segundo o IBGE, revela que há uma distribuição homogênea entre homens e mulheres, com leve superioridade da presença feminina (50,5%). Já quando há um cruzamento por cor ou raça, o Censo 2010 aponta que a grande maioria dessas pessoas é preta ou parda (70,8%). Quanto à presença de indígenas, que totalizam 817.963 pessoas no país, 326.375 se encontram em extrema pobreza, representando praticamente quatro em cada dez indígenas (39,9%). Entre os brancos, esse percentual é de 4,7%; para as pessoas que se declararam amarelas, 8,6%; e entre pretos e pardos somados, 11,9% (10,0% e 12,2%, respectivamente).
As informações referentes às faixas etárias mostram que entre os extremamente pobres, cerca de metade se encontra com idade até 19 anos (50,9%). As crianças até 14 anos representam cerca de quatro em cada dez indivíduos nessa faixa de renda (39,9%), sendo 39% nas áreas urbanas e 41% nas áreas rurais.
Entre os 16,267 milhões em extrema pobreza, 4,8 milhões não tem nenhuma renda e 11,4 milhões tem rendimento per capita de R$ 1 a R$ 70. Para levantar o número de brasileiros em extrema pobreza, o IBGE levou em consideração, além do rendimento, outras condições como a existência de banheiros nas casas, acesso à rede de esgoto e água e energia elétrica. O Instituto considerou, ainda, se os integrantes da família são analfabetos ou idosos.
Apesar de os dados serem preliminares, o MDS acredita que grande parte da população em situação de extrema pobreza já é beneficiária de programas de transferência de renda. Ainda assim, informou a secretária extraordinária de Erradicação da Extrema Pobreza, Ana Fonseca, essas pessoas não conseguem ultrapassar a linha da extrema pobreza e ter acesso aos serviços públicos, como os de saúde, educação, moradia e transporte.
A ministra Tereza Campello informou que é nesse sentido que o governo atuará ao definir a parcela extremamente pobre da população como prioritária. O programa Brasil sem Miséria terá como eixos o aumento e qualificação dos programas de transferência de renda, a ampliação dos serviços públicos e a inserção produtiva. Para isso, combinará programas já existentes, como o Bolsa Família, aos recém lançados Pronatec eRede Cegonha e a novas ações que serão apresentadas em breve.
“Pretendemos ir até essa população e não fazer um chamado. Vamos garantir que o Estado chegue a essas pessoas”, antecipou.
Ainda de acordo com a ministra, o governo já se articulou com os estados e em breve conversará com os municípios, em um esforço para que todo o Brasil se envolva na meta de erradicar a miséria. O plano prevê ainda ações articuladas com a iniciativa privada e a sociedade civil, “em uma força tarefa para acabar com a pobreza extrema”. A ideia, continuou a ministra, é que sendo bem sucedido, o programa Brasil sem Miséria deixe de existir em quatro anos.
“É um plano para todo o Brasil. Acreditamos que de fato será possível erradicar a extrema pobreza no governo da presidenta Dilma. É uma meta ousada, um plano complexo, por isso é preciso o envolvimento de todo o país. A ideia é que a gente possa dar conta desse grande desafio”, concluiu.
Fonte: Blog do Palácio do Planalto.

O QUE É SER UM BOM POLÍTICO?

 Sempre aparece alguém falando que gosta desse ou daquele político porque "ele tem carisma", outros falam que "ele gosta de pobre". Fico me perguntando se não é mais importante eleger pelas qualidades morais e administrativas, ou o eleitor quer o político para namorar ou trabalhar em novela?. O mundo tá cheio de líderes carismáticos que levam muitas das nações ao caos, os grandes ditadores são exemplo disso; há lideres religiosos, que com o tal carisma, manipulam mentes dos seguidores. Outra indagação que faço, é que gostar de pobre para mim, é cuidar que os mesmos tenham acesso aos serviços públicos de saúde, educação, saneamento, lazer, etc; de dar oportunidade para saírem das condições de miséria e ascenderem na vida, é cuidar para que o dinheiro público não seja desviado. Dar tampinha nas costas, pagar cachaça, comer galinha, não resolvem a vida da comunidade, isso é o "gostar de enganar o pobre".
É o que mais vimos em sítio do quinto nos últimos anos, são destes políticos que acham que ser popular é ser alegre com as pessoas é ser bom, popularidade não enchem barriga de ninguém, o povo cansou de enganação, queremos políticos que trabalhem e não ladrões da consciência do povo. Estão falando em políticos do passado. Será que as pessoas vão cometer mais esse erro?


Navegando pela net, encontrei esse pequeno artigo que dá a idéia do que possa ser um bom político. E achei interessantíssimo. Na realidade é exatamente o que acontece em nossa cidade, no nosso país. O bom político é aquele cara simpático, que come galinha pé duro la no interior, que bebe cachaça no bar com o Zezinho, com raimundinho, com os inhos todos...É aquele que vai lá naqula comunidade e com cara de taxo sai pelas mesinhas e distribui aquela sinpatia discimulada apra aquela pessoinha simples que desiludida da vida e quando tal cara de pal dando um sorriso dissimulado acredita no infeliz. Isso parece anedota mas é a mais pura verdade. Esses cretinos se aproveitam da pobreza, da necessidade, da falta de instrução desse povo pra ludibriar e tentar dar o golpe comprando os votos desses pobres de diversas formas.
Fico indignado com esses caras de pau que tem por ai. Pessoas que não se pode dar a menor possibilidade que já sabemos qual será o resultado. Gente precisamos deixar de ser bobos. Até quando vamos permitir que infelizes com essas qualidade norteiem nosso futuro? Dizemos que estamos mais rigorosos em nossas escolhas mas não posso concordar que isso esteja acontecendo de fato. Ainda falta muito. É verdade que as pessoas já estão mais esclarecidas, mas mesmo, assim se deixam comprar com facilidade.
O que me deixa mais triste não é o fato de ver pessoas sendo enganadas, mas das pessoas que se deixam enganar. Que perdem seu caráter em nome de uns poucos tostões e ainda que se oferecem para praticas de crimes de toda ordem. Quantos casos desse tipo nós não ouvimos falar? O fulano de tal é uma pessoas tão boa, mas está no meio dos escândalos. 
Mas será que existe um político a altura? Será que existe alguém que de fato seja comprometido com  o povo? Quem?
Esta é uma pergunta difícil difícil de responder. Por outro lado, não existiria político ruim se os cidadãos entendessem seu papel na sociedade. Se ele tomasse consciência que aquele político é empregado dele. Se não ficasse apenas revoltado e pagando o preço pelo descaso que sofre, mas que passasse a interagir, buscando informações, interferindo nas realidade sociais que da qual ele faz parte... Somente assim aprendemos a identificar aqueles que se comprometem de fato com a causa do povo. Portanto, o que nos falta é o compromisso conosco mesmo. Dai seriamos nós mesmos os beneficiados e não viveríamos apenas reclamando dos males que nos acarretam todos os dias por não termos tido uma boa escolha ou por não fazermos o que devemos para melhorar nossa realidade.

Professor Valdeny Cruz    

OAB pede que STF declare validade da Ficha Limpa

imagePostado por: Raul Rodrigues 
Autoria: Estado 
Ophir Cavalcante ajuizou ação no STF
O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, ajuizou nesta terça-feira, 3, ação na qual pede que o Supremo Tribunal Federal (STF) declare a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa. Na ação, o Conselho Federal da OAB quer que o STF esclareça como a lei vai funcionar a partir das eleições de 2012.
Com 29 páginas, a Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) detalha o entendimento da OAB sobre a validade da lei, que não feriria a Constituição ao proibir a candidatura de políticos com pendências judiciais. Na avaliação da OAB, as dúvidas sobre a interpretação da lei geram ambiente de “insegurança jurídica” para as eleições de 2012 e por isso precisa ser esclarecida.
Em março, os ministros do STF concluíram que a Lei da Ficha Limpa não valeu em 2010 porque foi aprovada com menos de um ano de antecedência ao pleito. A decisão, na avaliação do ministro Luiz Fux, que desempatou a votação, atendia a regra da Constituição Federal segundo a qual uma norma com mudanças no processo eleitoral deve ser aprovada pelo menos um ano antes da eleição.
Agora, a Corte terá de votar pela validade ou não da Lei para as próximas eleições e decidir se políticos condenados antes da lei entrar em vigor podem ter candidatura futura barrada. Além disso, terão de votar também se o impedimento é válido mesmo a quem ainda não foi condenados de forma definitiva pela Justiça.

Desigualdade no Brasil atinge o menor nível em 2010 desde 1960

Como a pesquisa conta apenas com dados de regiões metropolitanas a queda pode ser maior
Estudo da Fundação Getúlio Vargas divulgado nesta terça-feira mostrou que a desigualdade brasileira, medida pelo índice de Gini, chegou ao menor nível desde 1960. Os cálculos foram feitos pelo economista Marcelo Neri.
Segundo as contas de Neri, em 2010, o índice de Gini (que varia de zero a um, sendo um o grau maior de desigualdade possível) foi de 0,5304. Em 1990, pico da série, a desigualdade foi de 0,6091. Em 1960, o índice estava em 0,5367.
O índice de Gini mede o grau de desigualdade na distribuição pessoal da renda, especialmente no rendimento do trabalho, e da participação do rendimento do trabalho na renda nacional.
O economista usou os dados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE para 2010, e comparou com o Censo de 1960.
Como a primeira pesquisa trabalha apenas com dados de regiões metropolitanas, Neri estima que a queda na desigualdade pode ser ainda maior, já que as áreas rurais e as cidades pequenas têm avançado em termos de renda num ritmo melhor do que as grandes capitais. Dados definitivos para 2010 ainda não foram divulgados pelo IBGE.
Para ele, a volta ao patamar de 1960 é uma boa notícia, mas não significa que a desigualdade hoje seja aceitável. "O nível de desigualdade em 1960 já era muito alto. Estamos melhorando, mas países ricos com baixa desigualdade apresentam índice de Gini próximo a 0,400. Ainda estamos longe disso."
PROGRAMA
O programa de erradicação da pobreza extrema do governo federal terá a missão de tirar em quatro anos, 16,2 milhões de brasileiros da miséria. Essa é a quantidade de pessoas que segundo a ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social) afirmou ontem, tem hoje no país uma renda inferior a RS 70 por mês – linha de miséria que anunciou ela, será adotada pelo plano.

Para chegar ao número de miseráveis, foram cruzados diferentes dados do último Censo feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esse 16,2 milhões representam cerca de 8,5% da população total brasileira. É pouco superior, por exemplo, que a quantidade de pessoas que morreram no estado do Rio de Janeiro.

Os miseráveis estão mais presentes no Nordeste, onde representam 18,1%.

Código Florestal deverá ser votado hoje sob regime de urgência

Governo ainda articula para alterar o relatório do deputado Aldo Rebelo, que prevê vantagens a propriedades menores


O governo federal tentará até os últimos minutos do dia de hoje convencer o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) a alterar o seu relatório sobre a revisão do Código Florestal. A discordância fundamental está no fato de que o texto prevê liberações de reconstituição de reservas a propriedades pequenas, o que não significa, necessariamente, propriedades de pequenos produtores, entende o governo.

Ontem à noite, o governo conseguiu aprovar a determinação de urgência para o tema, que o leva a votação necessariamente hoje. O regime de urgência faz com que o texto passe à frente de Medidas Provisórias que atualmente trancam a pauta da Câmara dos Deputados.

O texto, porém, ainda não é consensual. Às 14 horas, está prevista uma reunião da bancada do PT para avaliar os últimos detalhes sobre o texto. Até ontem, o governo e a bancada eram contra a manutenção de favorecimentos a quem tenha imóveis com até quatro módulos fiscais – ou seja, propriedades pequenas.

A bancada do PT, liderada pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP), diz ter recebido uma sinalização positiva de Rebelo ontem, de que ele estaria disposto ainda a dialogar sobre o tema. Ontem, em reunião no Palácio do Planalto com o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, e o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, Rebelo afirmou que o tema, para ele, era questão de vida ou morte.

A aprovação do regime de urgência para o tema, porém, é um voto de confiança da bancada do governo na “boa-vontade” do relator. Se Rebelo não alterar o seu texto final, porém, a base governista poderá propor emendas ao seu texto, para serem apreciadas ainda hoje em plenário.

Texto visto e revisto

O relatório do Código Florestal que vai hoje ao plenário da Câmara reforma texto anterior de 1965. O projeto atual começou a ser debatido em julho de 2008 e tem principalmente duas metas, segundo Rebelo: trazer o texto à luz da realidade, já que o texto atual colocaria mais de 90% dos agricultores na ilegalidade, e preservar o ambiente brasileiro.

Porém, o texto inicial de Rebelo, segundo lideranças parlamentares, trazia mais vantagens aos produtores rurais do que aos ambientalistas ou aos pequenos agroprodutores. Ao longo das últimas semanas, o governo fechou posição sobre temas mais próximos da pauta ambiental e conseguiu mudanças significativas no texto de Rebelo.

Até ontem, porém, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, ainda afirmava que o texto do relator ainda estava “muito longe” daquilo que o governo queria. O deputado Sarney Filho (PV-MA), que votou contra o regime de urgência para o tema, disse que detalhes no texto de Rebelo poderiam fazer todas as conquistas dos ambientalistas virem abaixo.

Riscos que vão a plenário

O governo que alterar ainda hoje o texto de Rebelo para evitar o risco de rachas no plenário da Câmara que comprometam a votação. Ainda ontem, parte do próprio PT era contra o texto. A bancada paulista via risco de ganho significativo de popularidade do deputado Rebelo e comprometimento da base eleitoral de petistas no Estado.

Essa mesma bancada do PT, porém, sabe que se um texto não consensual chegar ao Congresso hoje, abre-se o espaço para que forças dos distintos lados interessados no tema atuem para levar a votação a um rumo diferente daquele que o governo deseja.

Os ruralistas, por exemplo, já possuem uma série de emendas prontas – muitas delas com trechos que foram subtraídos do relatório inicial de Aldo Rebelo – para serem apreciadas pelo presidente da Câmara, Marco Maia, hoje mesmo. Dessa forma, as emendas correm o risco de ir a voto em plenário e, portanto, de conseguir derrubar a vontade do governo.

terça-feira, 3 de maio de 2011

OLA!!!




CAROS LEITORES,


Temos uma enquete ao lado onde você pode dar sua opinião a respeito dos prováveis nomes para a disputa da prefeitura de Pentecoste.
Vote! Dê sua contribuição para que possamos amadurecer nossas idéias sobre quem poderia ser uma boa opção para comandar o nosso município.



Professor Valdeni Cruz  

segunda-feira, 2 de maio de 2011

BOA NOITE CAROS LEITORES!!!

Mais uma semana se inicia e estamos nós aqui na luta novamente. Amanhecemos o dia com a noticia da morte de Osama Bin Laden, que era uma questão de honra para os Estados Unidos. Mas será realmente é uma vitória, a morte do Lider dos terroristas? Será que isso não irá gerar uma onda de ataques pelo mundo? São perguntas que ficam no ar.
Creio que o  mundo esteja precisando urgente da paz. Porém, essa paz não pode ser construída sob o fardo da guerra que todos dias  mata aos montes. É preciso se pensar na vitória por meio da luta sem armas, mas utilizar-se das armas da compreensão, harmonia, amor, respeito para se pacificar o mundo de guerra que está dentro nós mesmos... Temos visto perto de nós muitas guerras, seja pelo desafeto de algumas pessoas por outras, seja pela falta de compaixão pelo próximo, são inúmeras as razões que vivenciamos no nosso dia-a-dia.
A paz tem apenas três letras e qualquer criança aprende a pronunciar sem muito esforço. Entretanto, para se viver a paz de fato, é preciso muito mais do que boa vontade. É um longo caminho que se percorre para se atingir essa virtude. A paz não pode ser considerada somente como ausência de guerra, pois estando em guerra podemos estar em paz. A paz é conquistada pelo desejo de promover o bem, a harmonia. É preciso perder para poder ganhar. O que devemos perder para ganhar? Perder a arrogância, a avareza de achar que não precisamos dos outros; de nos acharmos muito bons, melhores do que outros. Enquanto acharmos que a paz se constrói sozinha teremos um mundo pegando fogo ao nosso redor e se não tomarmos uma atitude firme é possível que nós possamos sucumbir diante dos desafios.
Devemos fazer o que for possível para podermos experimentar um mundo melhor e mais justo. Devemos sair de nosso mundo do qual não conseguimos ver nada além daquilo que conhecemos ser o melhor. 
Professor Valdeni Cruz.       

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...