sábado, 21 de maio de 2011

CONFIRA O PROGRAMA VOZ DO SINDSEP DE HOJE.

Gostaria de pedir que deixassem os seus comentários sobre o programa. É muito importante que você dê sua sugestão.
Diga o que falta, o que torna o programa chato...Tenha certeza que levaremos em consideração as suas sugestões.
Dê dicas de assuntos que você gostaria que fosse comentado durante o programa para que agente possa fazer um programa cada vez  mais parecido com a cara do nosso povo.
Você poderá ouvir o programa que está na janela ao lado. É só clicar e ouvir.

Professor Valdeni Cruz

Daqui a pouco o programa A VOZ DO SINDSEP, NA FM 98,7

Não perca daqui a pouco o programa a voz do SINDSEP. Hoje teremos a presença da vereadora Dr. Valéria e da Claudia Melo, Presidente do Sindsep.
Contamos com a sua audiência.
Na pauta do dia iremos tratar:
Da sessão da Câmara nessa quinta-feira;
Concurso Público;
Corrupção;
O papel do vereador;
Punições para quem não cumpre as leis desse país;
Liberdade de Expressão;
Depoimento da professora Amanda Gurgel (RN)
Participaçao;
Analfabetismo Político;
Votação da Lei Orgânica do município;
Lei Orçamentária, entre outros assuntos.
Participe pelotelefone 33521278
Clic e ouça
Também pode enviar seu email para
inedlav@hotmail.com
manopcruz@gmail.com
Envi sua mensagem e agente faz suas considerações no ar.
www.98fmpentecoste.com.br


  Professor Valdeni Cruz

BOM DIA!!!

Olá, caros leitos!


Quero agradecer a todos os leitores desse Blog. Sinto-me honrado pela sua disposição em entrar nesse espaço humilde de comunicação. Creio que de alguma forma ele lhe fale alguma coisa. Não é atoa que dos 17 mil acessos. Porém, me sinto na responsabilidade de publicar matérias que contribua para o bem da sociedade. Agradeço aos comentários que vem sendo feitos em algumas matérias e aqui de modo particular, aos comentarista da matéria que publiquei a respeito da colocação do Prefeito desse município em me chamar de doente. Obrigado mesmo, pois ninguém me incitou a agir de modo contrário. Fico feliz.
As repostas sábias, muitas vezes, são aquelas que fazem as pessoas silenciar e pensar. Quando falamos sem pensar corremos o risco de sermos enganados.
Professor Valdeni Cruz       

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A importancia da religião na socialização

A influência da religião na vida das pessoas é notória. Na maioria dos casos essa influência é positiva trazendo transformações no mundo das pessoas. Em casos raros, como em algumas religiões fundamentalistas, isso não tem sido muito benéfico.
Vou me limitar a tratar da religião cristã, defiindo-a como todas àquelas que reconhecem a Cristo como Senhor e Salvador e pregam os seus princípios. Bem sobre esses princípios todos nós, de uma forma ou de outra conhecemos: amor, solidariedade, justiça, etc. Êpa! Aqui a justiça é vista ligada a misericórdia, ou seja, faz-se justiça com vistas a recuperar as pessoas
 e não a destruí-las. Não deveria ser assim no sistema prisional?
Comunidades onde se faz presente a Igreja tende a diminuir a violência. Testemunhos de ex-traficantes tem deixado perplexo muitos sociólogos e psicólogos. A forma como as pessoas mudam de procedimento é simplesmente admirável. Pela fé (a ciência já a reconhece como importante fator na cura de enfermidades) pessoas encontram forças para mudar de atitude, mudar devida.
Ninguém é violento por opção. As pessoas se tornam violentas por vários motivos: revolta, decepção, falta de apoio, desesperança, entre outros. Veja o exemplo de uma criança que vê seu coleguinha calçar um tênis de "marca" que foi anunciado na TV. Ele também desperta o mesmo desejo, mas sendo pobre e sem perspectiva nenhuma, fica decepcionado e às vezes revoltado e, por falta de orientação (estrutura familiar desfaçelada) acaba por cometir um delito. Como diz o ditado: "um abismo puxa outro" e do delito à violência.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Depoimento da professora Amanda Gurgel

Assistam o discurso dessa professora do Rio Grande do norte diante da secretária de educação e dos Deputados. Esse é discurso que todos nós devemos nos apropriar porque é uma verdade a nível de Brasil.
Nossos deputados deveriam ter vergonha na cara e fazerem alguma coisa que mude de fato a educação de nosso país
Creio que todos os professores deveriam usar esse discurso sempre que necessário, pois de fato é uma vergonha, um professor receber o salário que recebe e as autoridades quererem que sejam resultados na melhoria na Educação.


Parabéns a essa professora.
Esse miseráveis de paletó ou sem, são responsáveis pelo o que o país vive.
Professor Valdeni Cruz


Corrupção: o mal público

Corrupção: o mal público

Valter Orsi

 “Quem aceita o mal sem protestar, coopera realmente com ele”, disse certa vez Martin 
Luther King. 
 Com o mal da corrupção, não é diferente. Todo mundo sabe: ela é um câncer que corrói 
os governos, causando prejuízos financeiros e sociais, e mandando no final a conta para o 
trabalhador honesto pagar. Porém, em época de campanha eleitoral, a corrupção “desaparece”. 
Todos os políticos, de repente, viram defensores da moralidade. Será que é mágica? 
 Em meio a tantos candidatos fazendo o mesmo discurso, seria o caso de perguntar: “Se 
a honestidade é geral, de onde vem a corrupção?” 
 A conclusão é simples, meu amigo: discurso só não adianta. Se todos os candidatos 
dizem que são honestos, a gente precisa encontrar outro jeito para separar o joio do trigo, 
escolhendo candidatos dispostos, de verdade, a combater o mal da roubalheira. 
 A Transparência Brasil e a ONG Pé Vermelho, Mãos Limpas participam da campanha 
Voto Limpo 2002. A idéia da campanha é ajudar o eleitor a escolher, independente de partidos 
ou ideologias, aqueles candidatos que realmente vão lutar contra a corrupção desde o primeiro 
minuto de seus mandatos. Preocupada em garantir um voto limpo para um país melhor, a 
Transparência Brasil já enviou aos quatro presidenciáveis uma lista de oito propostas para criar 
uma jornada nacional de combate à corrupção. 
 Algumas dicas podem ajudar você a descobrir quem realmente é inimigo da corrupção, 
ou quem só é da boca pra fora. Veja só: 
 -- Exija que o candidato abra as contas de campanha. Ele deve dizer quanto gastou, 
como gastou e quem financiou a sua propaganda eleitoral. Quanto mais um candidato aparece 
na rua, mais ele gastou. Se você perceber que as contas estão muito pequenas para o tamanho da 
campanha, não vote nele! 
 -- Campanhas grandes são campanhas caras. O financiamento de campanhas milionárias 
freqüentemente é uma das maiores fontes da corrupção. 
 -- Candidato que vive dizendo que fez, fez, fez, pode estar querendo dizer outra coisa: 
que roubou, mas fez. Muito cuidado com esse tipo de candidato. Ele costuma mentir na hora de 
dizer o que fez e -- é claro! -- omitir na hora de dizer outras coisas... 
 -- Pergunte ao seu candidato se ele tem alguma proposta concreta para combater a 
corrupção. Se ele não tiver nenhuma, há mais chances de crescer o nariz de Pinóquio... 
 -- Candidato que compra voto -- com dinheiro, cesta básica, material de construção ou 
promessas irrealizáveis -- não hesitará um segundo em vender a própria alma. Risque esse 
candidato do seu caderninho! 
                                                
-- Recapitule o passado dos candidatos. Consultar os jornais -- ou as ações do Ministério 
Público -- dos anos anteriores pode ser uma excelente forma de separar os honestos de fato e os 
honestos da boca pra fora. 
 Vamos acabar juntos com o mal público da corrupção! 
1
  Publicado originalmente na Folha de Londrina. 
2
  Empresário em Londrina (PR), conselheiro da Transparência Brasil e membro da ONG Pé Vermelho, 
Mãos Limpas. 

Preocupação

Acho que existe alguma coisa errada nas estatísticas de nossa blog. No blog do Raimundo Moura tinha um a contagem de mais de mil votantes, repente cai pra menos de mil. O meu que é um de visitas moderadas, tinha um total de quase 100 votates, de repente desceu pra 52. Acho que tem alguma coisas errada. Há outra informação que o blog de Régis Gato teve de um dia para o outro 5 mil acessos. Será que tem erros nessa contagem? Gostaria de saber se alguém pode me dizer alguma coisa sobre isso.

Professor Valdeni Cruz

terça-feira, 17 de maio de 2011

OLIMPÍADAS ESCOLARES DE PENTECOSTE

Professor Kosmo Alves
Na noite dessa terça-feira deu-se início às Olimpíadas Escolares do Município de Pentecoste. Tendo a frente desse evento tão importante para Pentecoste, o Professor Kosmo Alves que, atualmente ocupa a pasta de Secretário dos Esportes do Município.
O evento tem a participação de 316 atletas, contando ainda com 12 técnicos e 12 dirigentes. Totalizando 340 que pessoas direta e indiretamente estão envolvidas na organização do evento como um todo.
A abertura do evento foi feita ao som da Banda de Música do Município que se seguia ao desfile das escolas participantes nas Olimpíadas. Enquanto os atletas iam adentrando ao Ginásio Poli-esportivo Carneirão, seguia-se os aplausos dos presentes nas arquibancadas.
As competições acontecerão durante esses dias. Ao final das competições haverá a entrega de troféu para a escola de fizer mais pontos em todas as modalidade e a entrega de 100 medalhas doadas pelo Prefeito João Bosco.
Essas Olimpíadas servira de classificação para selecionar participantes para uma competição estadual que ocorrerá em breve.
Banda de música do município

Imagem aberta dos atletas

Diretora da Esc. Vicente Feijó ao centro, D. Margarida

Na abertura do evento estavam presentes diversos Diretores da escolas que participarão das competições.

As modalidade são as seguintes: Futsal masculino e feminino, handebool masculino e feminino.
Técnicos, diretores e alunos(Vic Feijó) 
De uma coisa tenho certeza: o esporte é uma ferramenta poderosa para melhorar a vida dos nossos jovens. Uma vez que uma criança, um adolescente ou um jovem está engajado no esporte, ele tem grandes chances de ficar longe das drogas, da bebida e de tantas outras coisas que pode atrapalhar o progresso dele. Eles ficam empolgados com a prática do esporte. Eles gostam de jogar. Faz parte da natureza das crianças brincar, correr, nadar... Porém, isso não é tão possível visto que não há espaço adequado para que esses crianças possam desenvolver suas habilidades e nem a coordenação motora adequadamente. Há pouco incentivo. Seria uma porta eficaz para melhorar os rendimentos desses meninos nas escolas, já que a maioria deles tem baixo rendimento na aprendizagem. Talvez seja a hora de se pensar em mais investimentos nessa área ainda carente para atender a demanda de espaços para que esses meninos e meninas possam ocupar o seu tempo. Como todos sabemos, em nossa cidade ainda é muito restrito os locais adequados a prática do esporte. Se essas crianças e jovens estiverem ocupando seu tempo com praticas saudáveis de esporte, leitura, música, dança, teatro, entre outras, com certeza não vamos ver tantos jovens, que hoje crianças, transitando por ai sob o efeito de drogas e destruindo a própria vida e a vida da família.
Visão Geral dos atletas
Tomara que acontecimento como esses não seja uma raridade, mas torne-se uma constante em nossa cidade. Se fizermos isso, não vai demorar muito tempo para termos jovens empolgados pela vida. Pois uma coisa puxa a outra.
Por essas atitudes, está de parabéns o Professor Kosmo Alves que, tenho certeza, está muito feliz com essa realização, mas com certeza ele está tendo muitas dificuldade a que realização desse evento possa ser um sucesso.
Não preciso ir muito longe quanto a crítica que faço. Por incrível que pareça, não havia uma autoridade presente para apoiar o professor Kosmo. Ainda bem que ele tem determinação. Não havia  nenhum representante da Secretaria de educação presente, como também não havia nenhuma autoridade para prestigiar o mesmo. Mas, talvez no final da competição apareçam alguns com a cara de tacho para fazer média e dar a impressão para a opinião pública de que apóia o esporte. Não adianta querer tapar o sol com a peneira. A realidade é que pouco se faz por esportes ou por cultura em nossa cidade.
Com certeza vai aparecer alguém dizendo que deu todo apoio, cedendo transporte, logística etc. Isso é fácil. Mas estou falando de apoio total; estou falando de apoio em todos os sentidos. Incentivo com premiações mais significativas, esse tipo de apoio.   




Redação e imagens, Professor Valdeni Cruz

segunda-feira, 16 de maio de 2011

DISCUSSÃO SOBRE O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTFADO DO CEARÁ



16.05.2011
Deputados destacam importância do PNE na 1ª reunião para discutir o plano

A Assembleia Legislativa realizou, na manhã desta segunda-feira (16/05), seminário para discutir o projeto de lei do Plano Nacional de Educação (PNE) 2011-2020 , em tramitação no Congresso Nacional. A atividade atendeu a requerimento da presidente da Comissão de Educação da Casa, deputada Rachel Marques (PT), e foi realizada em parceria com a Câmara Federal e Universidade Federal do Ceará (UFC).

O Ceará foi escolhido como sede do primeiro de mais de 50 encontros. A bancada federal cearense repassou ao relator da Comissão Especial do PNE na Câmara, deputado federal Ângelo Vanhoni (PT-PR), uma série de emendas à proposta inicial do Plano. 

O presidente da Assembléia, deputado Roberto Cláudio (PSB), abriu os debates. Segundo ele, tanto as metas quanto as estratégias do PNE premiam iniciativas para todos os níveis, modalidades e etapas educacionais. “Além disto, há estratégias específicas para a inclusão de minorias, como alunos com deficiência, indígenas, quilombolas, estudantes do campo e alunos em regime de liberdade assistida”, destacou. 

Deputado federal Gastão Vieira (PMDB-MA), presidente da Comissão Especial, pediu união dos legislativos estaduais com o Legislativo Federal na mobilização pró-PNE. “Estamos preocupados em fazer um diagnóstico da educação brasileira num relatório que consolide os pontos contidos na proposta do Governo”, citou.

Para Raquel Marques, o Ceará é exemplo de mobilização. A Comissão presidida pela petista levará a discussão do PNE a outros sete municípios do Estado. A parlamentar defendeu a implementação do piso salarial nacional dos educadores, aprovado no fim de 2009 e ainda descumprido por algumas administrações. Ela também reivindicou a criação de um programa nacional para garantir um patamar mínimo da qualidade de ensino. “O Plano é um marco legal que pode responder às demandas históricas da nossa educação pública”, disse.

Suplente da Comissão Especial do PNE, o deputado Chico Lopes (PCdoB-CE) classificou o debate como oportunidade de pressionar o Governo por mais investimentos no setor. O comunista reivindicou a aplicação de 10% do PIB brasileiro na educação. É o dobro do índice atual. “Seria cegueira não admitir que já se avançou. Mas não sabemos quem vem pela frente e o quê pensa sobre educação”, disse, referindo-se ao presidente da República na próxima discussão do PNE. No caso, em 2020.

Membro efetivo da Comissão Especial, o deputado federal Artur Bruno (PT-CE) se disse preocupado com a necessidade do aumento de investimentos, melhoria da infraestrutura, aumento de escolas em tempo integral, melhores remunerações e condições de trabalho, e garantia do piso salarial com o vencimento-base dos educadores. “Temos que assegurar a gestão democrática da escola, com a direção eleita pela comunidade e por critérios técnicos. E temos que criar um sistema de avaliação da escola básica, como o de avaliação do ensino superior”, sublinhou.
BC/CG


Debate do PNE destaca valorização do professor e recursos para educação 

Na audiência pública realizada nesta segunda-feira (16/05), na Assembleia Legislativa, para discutir a proposta do Plano Nacional de Educação (PNE), o relator do projeto na Câmara Federal, deputado federal Angelo Vanhoni (PT-PR), afirmou que grande parte da população brasileira não tem acesso a educação. Para o parlamentar, uma sociedade soberana e democrática só se consegue por meio do conhecimento e valorização do professor. “Podemos ter a melhor escola, mas se não tivermos um professor motivado com um salário digno, não vamos conquistar a educação que queremos para o nosso País”, pontuou.

O coordenador de discussão do PNE no Ceará, Professor Idevaldo Bodião, protestou contra a falta de prioridade para a educação no Brasil. “Eu falo em nome de milhões de brasileiros, muitas das propostas (do PNE) não custarão nada para o Governo”, afirmou.

Bodião ressaltou a importância das exigências serem olhadas de maneiras “alargadas e cuidadosas”. O educador defendeu o aumento dos recursos para o setor. “Pedimos que os deputados deem uma olhada razoavelmente cuidadosa. Nós queremos pelo menos 10% do PIB. Está mais do que na hora do Brasil trabalhar naquilo que é necessário”, disse.

O deputado federal José Linhares (PP-CE) destacou a necessidade de se valorizar os profissionais da educação. “Nenhum de nós estaríamos aqui se não fossem os nossos professores. Queremos ouvir a voz do povo e esse é um momento riquíssimo para a história do Ceará”, afirmou.

A representante da Secretaria de Educação do Estado, Cristiane Holanda, frisou a possibilidade de ver algumas das metas realizadas. “A Secult está apoiando o PNE e torcendo para que, com a vontade política séria e o investimento público necessário, possamos conseguir um futuro melhor”, ressaltou.

Já o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Francisco Elísio, lembrou que o PNE define metas de qualidade que implicam no aumento de despesas. “Defendemos desde já 7% do PIB em educação para que nos anos seguintes possamos ter 10% para a causa”, pontuou. Para Elísio, é preciso pensar uma política de salários e um plano de cargos.

A audiência contou ainda com a participação de representantes de entidades e sindicatos ligados à educação.
GM/CG



Fonte:Agência de Noticias da Assembleia Legislativa







Daqui de Pentecoste fomos eu, a professora Nete, e o Professor José Milton. 
Na ocasião estavam presentes todos os representantes de sindicatos fazendo manifestações através de Cartazes e gritos de guerra contra a Prefeita Luiziane e o Governador Cid Gomes.
A assembléia estava lotada. Lembrando que os professores de fortaleza estao em greve por tempo indeterminado. Eles exigem o cumprimento do piso como salário base, o que prefeita tem se negado a fazê-lo.

Professor Valdeni Cruz  

domingo, 15 de maio de 2011

Vamos as notícias

O ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, teve seu patrimônio multiplicado por 20 em quatro anos, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo. 

Pouco antes de assumir o cargo no governo Dilma Rousseff, Palocci adquiriu por meio da empresa Projeto Administração de Imóveis, da qual ele possui 99,9% do capital, apartamento de luxo em São Paulo por R$ 6,6 milhões. A mesma empresa já havia adquirido um ano antes um escritório também em São Paulo por R$ 882 mil. 

Depois de se eleger deputado federal em 2006, Palocci declarou à Justiça patrimônio estimado em R$ 375 mil. Em quatro anos como deputado, Palocci recebeu em salários R$ 974 mil, brutos. 

Palocci disse à Folha que o avanço do patrimônio ocorreu com rendimento de consultoria e que os bens foram comunicados à Comissão de Ética da Presidência. Em nota divulgada ontem, ele voltou a afirmar que obteve renda prestando "serviços de consultoria econômico-financeira". PSDB, DEM e PPS disseram que irão à Justiça caso Palocci não explique a origem do dinheiro.

Evangelho do dia

Evangelho: Lucas (Lc 24, 46-53)  O perdão dos pecados a todas as nações

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 46"Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47e no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso. 49Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto". 50Então Jesus levou-­os para fora, até perto de Betânia. Ali ergueu as mãos e abençoou-os. 51Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu. 52Eles o adoraram. Em seguida voltaram para Jerusalém, com grande alegria. 53E estavam sempre no templo, bendizendo a Deus. Palavra da Salvação!
O céu é Alguém

Afirmar que a humanidade, na pessoa do Cristo, já esta no céu, significa contestar as imagens espontâneas de um céu "espacial" (lá em cima, para além das estrelas) e a de uma felicidade eterna que começaria repentinamente, depois desta vida no tempo. Para Jesus, o céu é a participação plena na vida de Deus, de um homem verdadeiro, possuindo a mesma matéria e a mesma história de todos nós; uma relação nova entre o Criador e a criatura numa total transparência, livre dos limites e das dificuldades da condição terrena. Para nós será assim um dia (excetuando o caráter único da relação entre o Pai e o Filho), quando se manifestar abertamente aquilo que já somos; quando, pelo conhecimento e o amor, o corpo não for mais obstáculo, mas perfeito meio de comunicação.

Um céu assim não é simplesmente a "recompensa" de uma vida justa e boa, porque "os sofrimentos do momento presente não são comparáveis com a glória futura que será revelada em nós" (Rm 8,18). Nem é tampouco um narcótico para pessoas passivas e resignadas, um álibi para o compromisso de trabalhar neste mundo pela realização (mesmo que imperfeita) daqueles valores de liberdade, justiça, paz, fraternidade, comunhão, vida, amor, alegria, que constituem a bem-aventurança do homem completo segundo o plano de Deus. Uma comunidade dos que creem e caminham nesta direção - isto é, aberta ao mundo, a serviço de todos - torna-se testemunha da nova humanidade realizada em Cristo Jesus.

Realidade terrestre e engajamento dos que creem

A reflexão conciliar sobre a relação Igreja-mundo expressou-se na Constituição Gaudium et Spes com alguns textos fundamentais, que é bom reler: Reação a uma apresentação alienante da religião: "Entre as formas do ateísmo hodierno não deve ser esquecida aquela que espera a libertação do homem principalmente da sua libertação econômica e social. Sustenta que a religião, por sua natureza, impede esta libertação, à medida que, estimulando a esperança do homem numa quimérica vida futura, o afastaria da construção da cidade terrestre".

Um novo equilíbrio a ser encontrado: "Somos advertidos, com efeito de que não adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se vier a perder a si mesmo (cf Lc 9,25). Contudo, a esperança de uma nova terra, longe de atenuar, antes deve estimular a solicitude pelo aperfeiçoamento desta terra. Nela cresce o Corpo da nova família humana que já podeapresentar algum esboço do novo século. Por isso, ainda que o progresso terreno deva ser cuidadosamente distinguido do aumento do Reino de Cristo, contudo é de grande interesse para o Reino de Deus, na medida que pode contribuir para Organizar a sociedade humana”. [Missal Dominical ©Paulus, 1995]



RELIGIÃO - CONHECIMENTO

Nesse domingo de hoje tivemos uma cadeira de teologia na faculdade que estou cursando em Croata. Tivemos como professor, Périto Leite. A cadeira que estudamos hoje foi Doutrina IV, Graça. 
Durante a aula o professor foi expondo o assunto sobre o tema, no caso GRAÇA.
conheça um pouco sobre o assunto.

GRAÇA


 O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm. No começo do século XX, costumava-se dizer: "qual é a sua graça?" para perguntar "como você se chama?". Este costume, que ainda hoje se mantem em alguns lugares, vinha da cerimônia de batismo dos católicos, na qual o indivíduo se torna cristão e, segundo a doutrina católica, recebe a graça de Deus e, junto com a graça, o nome. A palavra graça provém também de grátis, derivado do latim gratiis (pelas graças, gratuitamente) e gratificar, que desde o século XV equivalia a agradecer.

Turma de teologia e história 
Graça é um conceito teológico fortemente enraizado no Judaísmo e no Cristianismo, definido como um dom gratuito e sobrenatural dado por Deus para conceder à humanidade todos os bens necessários à sua existência e à sua salvação. Esta dádiva é motivada unicamente pela misericórdia e amor de Deus à humanidade, logo, movida por Sua iniciativa própria, ainda que seja em resposta a algum pedido a Ele dirigido. E também por esta razão, a Graça é um favor imerecido pelo Homem, mas sim fruto da misericórdia e amor divinos.
Professor Périto
Dependendo das correntes teológicas cristãs, existem aqueles que defendem que a graça é irresistível; outros que a graça é somente para algumas pessoas escolhidas e totalmente predestinadas por Deus; e há ainda aqueles que acreditam que a graça é universal (ou seja, predestinada para toda a humanidade), mas que pode ser recusada livremente pelo Homem.

Na concepção católica

Alunos atentos à aula
Segundo a doutrina da Igreja Católica, a graça é um dom universal e "socorro gratuito que Deus nos dá" para sermos "capazes de agir por amor d’Ele", para satisfazermos as nossas justas necessidades espirituais ou materiais e também para tornar-nos filhos de Deus e "participantes da natureza divina, da Vida Eterna[1]. Aliás, "a própria preparação do homem para acolher" livremente a graça divina "já é obra da graça" e da predestinação (não-absoluta) de Deus. Existem vários tipos de graça, como por exemplo:
  • a graça habitual ou santificante (considerada também a graça primeira): é a origem, o início e a responsável pela justificação, conversão e santificação dos homens e por isso "nos foi merecida pela paixão de Cristo e nos foi dada no Baptismo". Por outras palavras, é o princípio e a estrutura da vida sobrenatural, que nos faz participantes da natureza divina, templos do Espírito Santo, filhos adoptivos de Deus, irmãos de Jesus Cristo, justos e agradáveis a Deus e capazes de merecer sobrenaturalmente e de penetrar na intimidade do próprio Deus [2]. Com esta graça, são concedidas ao Homem as capacidades de operar sobrenaturalmente, a saber: as virtudes infusas ou sobrenaturais e os dons do Espírito Santo. O seu exercício, impulsionado pelas graças actuais, faz parte dos principais meios de santificação. O progresso neste exercício leva aos frutos do Espírito Santo e às bem-aventuranças. A graça santificante perde-se pelo pecado mortal, mas não pelo pecado venial ou pelas penas temporais devidas ao pecado.
  • as graças actuais: são "dons circunstanciais" atribuídos especialmente ao Espírito Santo ou "intervenções divinas na vida do homem", para que ele possa continuar a acolher e colaborar com a graça e prosseguir o seu caminho de santificação. A graça actual leva o pecador à conversão e a pessoa em estado de graça à procura e ao exercício dos meios de santificação. Esta graça pode ser “eficiente” se uma vez acolhida produz o seu efeito, mas é “suficiente” quando, recusada ou não aproveitada, fica sem produzir efeito.
  • as graças sacramentais: são dons que o cristão recebe por meio dos sete sacramentos da Igreja e que pode ajudá-lo "a colaborar na salvação dos outros homens, bem como com o crescimento da Igreja, Corpo de Cristo";
  • as graças especiais ou carismas: são concedidos especialmente pelo Espírito Santo para servir "o bem comum da Igreja", sendo exemplos disso o dom de línguas e "as graças de estado, que acompanham o exercício dos ministérios eclesiais e das responsabilidades da vida" de cada cristão [3].
Igreja Católica defende que a justificação (acção misericordiosa e gratuita de Deus de conceder a salvação à humanidade), e, portanto, também a graça, podem ser recusados livremente pelo Homem porque "Deus age de forma livre, concedendo a graça, e a resposta do homem também deve ser livre, pois «a alma só pode entrar livremente na comunhão do amor»[4]. Por isso, pode-se dizer que "a concretização da salvação de cada pessoa depende também da sua adesão de  e caridade ao Salvador", estabelecendo-se assim uma colaboração indissociável entre a graça e o livre-arbítrio do Homem de escolher entre a redenção e a perdição. Daí o facto de existirem pessoas que, depois de morrerrem, vão para o Inferno, em vez de alcançarem a plena santidade, que é o desejo e a vontade de Deus para todo o género humano [5]

Estado de graça

Uma pessoa que está em estado de graça vive na amizade e amor de Deus e, se nela morrer, vai para o Céu, pela graça santificante. Por outras palavras, é aquele que não está manchado pelo pecado mortale, portanto, é considerado santo já na Terra, até que ele caia novamente no pecado. Mas, estar neste estado não quer dizer que não tenha pecados veniais ou penas temporais devidas ao pecado para serem purificadas, necessitando por isso das indulgências e, após a morte, da purificação no PurgatórioWikipédia.

Comentário, Professor Valdeni
Gostaria de dizer que o nosso professor, Périto Leite, é um excelente profissional. Transmite bem o conteúdo sobre o tema, levando os alunos a vários questionamentos sobre a fé, as religiões, comportamento religioso e tantos outros assuntos que dizem respeitos a religião.
Durante a aula, fomos aprendendo muito sobre a questão da graça e num determinado momento, perguntei ao professor o que significa ser deísta. Isso você pode ler logo abaixo. Ele respondeu resumidamente. Então perguntei: professor como se sente ao ministrar uma aula dessas se você tem que falar de graça, fé, amor, misericordia, entre outras atribuições dadas a Deus, já você não vivencia mais uma fé.
Ele, o professor, não tem religião. Ele estudou para ser padre mas desistiu e estudou para ser pastor e o foi por um bom tempo. Depois entrou em conflito com a fé cristã e portanto, abandonou a fé cristã. A partir desse momento ele trilhou por utilizar esse termo deísta.
Sobre a pergunta que lhe fiz, me respondeu o seguinte: na realidade não acredito mas em nada disso que estou transmitindo a vocês, estou simplesmente atuando como profissional, ou seja, não vivencio nada disso.
O quero quero dizer com isso? Ora, dizer que podemos aprender muito nessa vida com pessoas diferentes, que pensam diferente da gente. O professor é gente boa. Cara  que sabe dar uma boa aula, que entende o que estar dizendo, que defende suas idéias, que respeita suas opiniões.  Alguém pode dizer assim: não é perigoso perder a fé, tendo contato com pessoas que não tem fé? Digo pra você que não. Agente perde a fé quando a gente não sabe o que gente quer. Fosse assim quem está nas igrejas por ai a fora não vivia indiferente a isso. São pessoas intransigentes, que não respeitam a fé do outro; que acha que só ele está certo ou que só ele tem salvação. Esse tipo de gente e que atrapalha a fé dos simples, que escandalizam... Sinceramente, gostei da postura do professor. Deus nos deu a liberdade para viver nossa fé, escolher o que queremos para nós. Precisamos nos encontrar conosco mesmo, com nossa razão, nos interiorizar, buscar nosso caminho dentro desse processo de fé e tenho certeza que aquele que busca conhecer a luz da fé, olhando para jesus como aquele que esta disposto a dar razões claras de nossa fé, não deixará sem entender. Abrirá os nossos olhos e nosso entendimento e nos fará cristãos melhores, sensatos, tolerantes. Isso tem faltado a muitos cristãos.
Compreenda um pouco o que é o deísmo.
Eu não deísta. Estou querendo apenas que você leitor vela que existem outras diferentes de nós; que acreditam diferentes, mas nem por isso devemos ser indifentes a essa pessoas.Pode ter certeza, Jesus não seria. Pode até ser que dissesse que as pessoas estavam erradas, mas não tomava atitude de um carrasco, jogando o pobre ser sem entendimento numa coivara de fogo.       


O DEÍSMO

As origens do Deísmo

Durante o século XVII o protestantismo desenvolveu um sistema ortodoxo de doutrina para ser aceito intelectualmente. Gerando assim um novo escolasticismo, particularmente entre os luteranos da Alemanha, os quais estavam mais interessados na teologia do que na prática da vida cristã.
O racionalismo aparece então, e se desenvolve nos séculos XVII e XVIII, se expressando através do deísmo como resposta a este escolasticismo. O deísmo criou um sistema de fé num Deus transcendente que abandonou sua criação ao governo das leis naturais descobertas pela razão. Deus se torna ausente. Para o deísmo Deus está acima e além da Sua criação.

Seus Ensinos

O deísmo parecia estabelecer uma religião ao mesmo tempo natural e científica. Uma religião sem revelação escrita, enfatiza o céu como uma realidade totalmente distinta da terra com a lei moral. Os deístas ensinavam que as leis naturais da religião eram encontráveis pela razão - era a crença num Deus transcendente entendido como Causa Primeira de uma criação marcada pelas seqüências de um plano. Eles criam que Deus deixou sua criação reger-se por leis naturais; assim, não havia lugar para milagres, nem para a Bíblia como revelação de Deus, nem para providência ou para Cristo como um Deus-homem. Somente Deus deveria ser cultuado pois Cristo era simplesmente um mestre. A piedade e a virtude eram o culto mais importante que se podia prestar a Deus, cujas leis éticas estão na Bíblia. O homem tinha que arrepender-se do erro e viver conforme as leis éticas, pois a alma é imortal e está sujeita a recompensa ou ao castigo depois da morte.

Líderes do movimento

Edward Herbert, Lord de Cherbury (1583-1648), apresentou os pontos básicos que pode ser resumido na seguinte frase: Deus existe, e pode ser cultuado pelo arrependimento e por uma vida de tal modo digna, que a alma imortal possa receber a recompensa eterna em vez do castigo. Charles Bloynt (1654-1693) foi outro deísta influente. John Tolarndt (1670-1722), Lorde Shaftesbury (1671-1713) e outros pregaram que o cristianismo não era um mistério e poderia ter sua autenticidade verificada pela razão. E tudo que não pudesse ser provado pela razão deveria ser recusado.

Difusão do deísmo

No século XVIII difundiu-se na França, pois encontrou nos filósofos deste século um ambiente propício. Alguns deístas ingleses., como Herbert e Shaftesbury, foram à França e tiveram seus livros traduzidos e publicados amplamente; e também alguns deístas franceses, entre os quais Rousseau e Voltaire, também foram à Inglaterra. O deísmo de Rousseau foi desenvolvido no Emile e o de Voltaire está em todos os seus escritos contra a Igreja e a favor da tolerância.
A imigração de deístas ingleses, a divulgação dos escritos deístas e a presença de oficiais deístas do Exército Inglês nos Estados Unidos durante a guerra de 1756-.1763, ajudaram a introduzir o deísmo nas colônias. “A Idade de Razão”, de Paine, (1795), contribuiu para popularizar essas idéias deístas.
O deísmo fracassou, pois o mesmo foi muito criticado, dezenas de livros foram escritos nos quais se discutiam suas teses. Porém, o que por último fez com que o deísmo perdesse o ímpeto foram os ataques do filósofo escocês David Hume.

Augusto Bello de Souza Filho
Bacharel em Teologia

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO

Política    É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que esta...