sábado, 25 de janeiro de 2014

Francisco incentiva maior participação da mulher na Igreja

Contribuição feminina 

SÁBADO, 25 DE JANEIRO DE 2014, 12H09


Destacando o papel importante da mulher na Igreja, o Papa Francisco incentivou uma presença eclesial feminina ainda mais ativa
Da redação, com Rádio Vaticano
O Papa Francisco recebeu, no final da manhã deste sábado, 25, na Sala Clementina, cerca de 300 participantes no Congresso Nacional do Centro Feminino Italiano. O evento, que acontece em Roma, teve início nesta sexta-feira, 24 e segue até amanhã, com o tema: “Aquele passo a mais: regenerar a vida, cultivar a esperança”.
O objetivo desta Associação feminina é trabalhar para a construção civil, social e cultural de uma democracia unida e a convivência, baseada no respeito dos direitos humanos e da dignidade da pessoa, segundo o espírito e os princípios cristãos.
Em seu discurso aos presentes, o Santo Padre recordou os quase 70 anos de atividades do Centro feminino Italiano, em prol da formação e da promoção humana, além do testemunho sobre o papel da mulher na sociedade e na comunidade eclesial.
Ao citar o documento do Beato João Paulo II “Mulieris dignitatem”, sobre a dignidade e a vocação da mulher, o Papa disse:
“Eu também quero destacar a indispensável contribuição da mulher na sociedade, de modo particular a sua sensibilidade e intuição em relação ao próximo, ao fraco e indefeso. Alegro-me ao ver o grande número de mulheres, que compartilha de algumas responsabilidades pastorais, mediante o acompanhamento de pessoas, famílias e grupos e a reflexão teológica”.
Neste sentido, o Bispo de Roma fez votos de que “tais espaços possam se ampliar e contar com uma maior e incisiva participação da presença feminina no seio da Igreja”. Estes espaços novos e responsabilidades – recomendou – devem expandir-se, não apenas na esfera eclesial, mas também na esfera pública, civil, profissional e familiar.
“A presença da mulher, no âmbito familiar, se revela ainda mais necessário na transmissão dos sólidos princípios morais às gerações futuras, como também na transmissão da própria fé. Isto só é possível com o discernimento e a reflexão sobre a realidade da mulher na sociedade, que pressupõe uma oração assídua e perseverante”, destacou Francisco.
Com efeito, segundo o Papa, é no diálogo com Deus, iluminado pela sua Palavra e irrigado pela graça dos Sacramentos, que a mulher cristã procura sempre responder ao chamado de Deus, sustentado pela presença materna de Maria. “Que Ela possa indicar o caminho para descobrir e aprofundar o significado e o papel da mulher na sociedade, na Igreja e sua missão no mundo”, concluiu.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/francisco-incentiva-maior-participacao-da-mulher-na-igreja/

Cardeal Hummes fala sobre a formação dos seminaristas


SEXTA-FEIRA, 24 DE JANEIRO DE 2014, 14H13MODIFICADO: SEXTA-FEIRA, 24 DE JANEIRO DE 2014, 16H54




A formação dos seminaristas, os futuros padres da Igreja, é tema de palestra de Dom Cláudio Hummes, em Aparecida (SP)
CNBB
Cardeal Hummes fala sobre a formação dos seminaristas
Dom Cláudio Hummes fala sobre a formação dos novos padres, durante encontro nacional de formadores. (FOTO: CNBB)
O presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB, cardeal Cláudio Hummes, foi o conferencista do terceiro dia do 2º Seminário sobre a Formação Presbiteral, que é realizado em Aparecida (SP).
Em sua fala, o cardeal recordou as palavras do Papa Francisco dirigidas aos bispos brasileiros durante a JMJ Rio 2013 e também destacou a sua simplicidade como pastor da Igreja.  “Tudo isso são grandes interpelações para a formação de nossos seminaristas. O Papa ensina a sermos pastores. Ensina com seu exemplo e sua palavra”, disse dom Cláudio.
Citando o discurso de Francisco, o cardeal lembrou que é preciso rever a formação dos padres. “O Papa faz um apelo a nós quando disse que ‘se não formarmos ministros capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de dialogar com as suas ilusões e desilusões, de recompor as suas desintegrações, o que poderemos esperar para o caminho presente e futuro?’’.
Igreja missionária
Sobre a escassez de padres, dom Cláudio observou que o crescimento dos sacerdotes não está acompanhando o número dos católicos e da população. Para ele é necessário reformular a articulação pastoral no contexto atual de forma que a Igreja esteja mais próxima do povo, em estado permanente de missão.
O Papa quer uma Igreja que saia “em busca dos desvalidos e dos mergulhados na miséria, na fome, no descaso, no abandono, na noite da desesperança seja material, seja espiritual. Portanto, uma Igreja misericordiosa e missionária, uma Igreja próxima, capaz de aquecer os corações, como Jesus aqueceu os corações dos discípulos desesperançados de Emaús”, destacou dom Cláudio.
Ao final de sua fala, o cardeal deixou um questionamento para ser refletido pelos participantes do Seminário Nacional: “Como formar o seminarista para que não aspire a uma vida cômoda, tranquila, na futura casa paroquial, não busque o dinheiro, a boa comida, o luxo, não queira ter o melhor carro, não veja os paramentos como enfeite do padre, mas como símbolo religioso e por isso evite paramentos esplendorosos, cheios de bijuterias, de brilhos, de rendas?”
O 2º Seminário sobre a Formação Presbiteral acontece deste a última segunda-feira, 20, e segue até este sábado, 25, sob o tema “Corramos com esperança, com os olhos fixos em Jesus” (Hb 12, 1-2).
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/cardeal-hummes-fala-sobre-a-formacao-dos-seminaristas/

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

SEM RESPEITO AOS PROFESSORES, EDUCAÇÃO DE PENTECOSTE TENDE A PIORAR

Professor Valdeni Cruz

Imagem do Google
Preciso dizer que começo o ano letivo de 2014 com profunda indignação e tristeza. Estava meio triste hoje e não sabia por quê. Perguntei-me sobre essa dança do crioulo doido que acontece na educação desde sempre. Mas me refiro ao momento atual. Vivemos uma crise em todas as áreas da sociedade, onde se vive uma onde violência, de corrupção, da falta de valores e uma das únicas possibilidades de mudarmos estas realidades seria a educação. Seria, pois com os modelos de educação que temos hoje não podemos acreditar que isso mude. A falta de compromisso, de respeito e de valorização pelos profissionais da educação, leva a educação para o fundo do poço e não adianta virem os salvadores da pátria com outro discurso que não adianta. É apenas mais um engano.
Imagem do Google
Vou me dirigir de forma direita ao nosso município de maneira especial, pois é a realidade que conheço há pelo menos 12 anos. Durante todo este período tenho ouvido discursos e mais discursos sobre a melhoria da educação deste município e esta não sai do canto. Sempre que esta dá algum passo pra frente, é porque houve um grande esforço por parte de quem administra, mas quando esta dá passos para trás, ai a culpa e toda dos oprimidos e sofredores professores que não morreram dentro da sala de aula para mudar esta realidade.
 Nosso município desde sempre não priorizou e não prioriza nem professor nem educação, pelo contrário, cada ano que passa tenta colocar uma carga de trabalho sobre os profissionais da educação que muitos não aguentam o fardo e acaba indo parar em psicólogos, fonoaudiólogos, psiquiatras... Outros chegam a ter AVC dentro de aula. O que recebe como recompensa são ameaças de que se não voltar para sala para decretar sua morte, vai perder seu mísero salário.  
Desde o ano de 2002, que foi quando entrei para o quadro da educação de Pentecoste, os profissionais da educação não tem um tempo para planejar suas aulas. Os profissionais da educação tem que trabalhar exaustivamente em sala e, como não tem tempo na escola para planejar, tem que trabalhar em casa outra jornada. Como sabemos, além dos planos de aula, diários, ainda tem os inúmeros projetos que chegam num dia e no outros já é pra executar, tem que estar o tempo todo sobre pressão para dar resultados nas avaliações exteriores.
Estes professores, mal assessorados, mal remunerados, mal formados, pois não são dadas condições favoráveis para que estes tenham uma formação sólida, ainda são cobrados para que a todo custo, façam os alunos aprenderem a ler,  tem que fazer papel de pai e de mãe, de psicólogo, pois muitos deles vivem em lares completamente desestruturados. Esta é a realidade pela qual passa nossos professores e a realidade na qual vive a educação de Pentecoste.
A pesar de todos estes sofrimentos, no ano de 2008 foi criada a Lei Nacional do Piso salarial para Professores. Com esta lei também foi aprovado à lei de 1/3 para planejamento das atividades. Este 1/3 representa 33% da carga horária para as atividades do professor fora da sala de aula. Mesmo sendo lei, nosso município não cumpre.
O Sindsep Pentecoste, no ano de 2013, em reunião com a Senhora Prefeita, chegaram a um entendimento que se deveria cumprir a Lei do Piso e implantar esse direito no município. Chegou-se a um acordo e em Agosto do ano em questão começou o processo da implantação do 1/3. No período ficou acordo que como era uma situação nova seria muito complicada a implantação de forma geral. Em assembléia, os professores ouviram toda a situação e aceitaram a ideia, mas isso seria com a intenção de que neste ano de 2014 tudo fosse resolvido e que todos os professores da rede de ensino, desde o maternal até os anos finais do Ensino Fundamental, seriam contemplados. Lembrando que foi enviada para a Câmara de Vereadora a mensagem para que fosse aprovada e assim pudesse ser efetivada. Porém, passa-se por cima de uma lei que nem foi cumprida na sua integra e já é descumprida assim do nada.
Com expectativa de que tudo já estivesse resolvido, tivemos a triste noticia de que este terço de planejamento não está sendo  respeitado para este ano de 2014. Percebemos, portanto, que a Senhora Prefeita não honrou com sua palavra aos servidores da educação.
Diante dos fatos, quero dizer como professor, que me sinto profundamente desrespeitado, injustiçado e afrontado pela administração. Considero isso como uma afronta a toda a categoria de professores, uma falta compromisso com a educação, uma vez que sabe que este é um direito garantido na Lei do Piso e que veio para melhorar o trabalho docente. Direito não se tira, se intensifica, se garante.
Quero dizer que isso caracteriza uma previsão para falta de qualidade na educação, baixos índices nos resultados e outros problemas.
Preciso dizer que os professores não ficarão de braços cruzados. Haverá uma assembléia no dia 31 de janeiro. Nesta, contaremos com a presença maciça de todos os profissionais da educação para deliberarmos uma grande ação contra esta afronta que se faz para conosco.

Precisamos dar um basta neste desrespeito e não podemos permitir que nos tratem como fantoches que se deixa manobrar por quem quer que seja. 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O ENTENDIMENTO DO PROFESSOR VALDENI CRUZ, DIRETOR SINDICAL, A RESPEITO DA DECISÃO DO SUPREMO SOBRE O SALÁRIO MÍNIMO EM PENTECOSTE

Professor Valdeny Cruz

O advogado do Sindsep Pentecoste, Valdecy Alves Alves, entrou com um processo na justiça contra o município para que os servidores deste município de Pentecoste passassem receber um salário mínimo independente da carga horária, ou seja, estes que fizeram um concurso em 2003 para 20 horas. Como é do conhecimento de muitos, a Constituição Federal diz que ninguém pode receber menos do que um salário mínimo. Foi um concurso ilegal. Acontece que, em Pentecoste os gestores sempre agiram como se fossem os donos da verdade e superiores as leis deste país. Antes, porém, de entrarmos na justiça, fomos algumas vezes dialogar com o então prefeito da época para que este regularizasse a situação das pessoas, ou seja, que estes trabalhassem 8 horas diárias e recebessem o salário mínimo. Isso era visto como uma afronta e que se fizesse isso estaria beneficiando o sindicato. Acontece que para tentar derrubar a decisão da justiça foram gastos dezenas de milhares de reais só para prejudicar os servidores. Por fim, o sindicato entrou com a ação na justiça. Isso aconteceu em 2005. Foram 7 anos de vai e vem: primeira, segunda, terceira e um recurso para Brasília pra tentar derrubar a decisão. E, por último, o processo estava aqui a um ano parado no fórum de Pentecoste. Em novembro, portanto, a Juíza da Comarca de Pentecoste, Dr. Cíntia, mandou executar, ou seja, cumprir a ordem do Supremo Tribunal Federal, assinada por Joaquim Barbosa. A Senhora Juíza disse que em não se cumprindo a sentença, o município estaria sujeito a multas diárias.  

O município ao receber a notificação judicial acatou a decisão e cumpriu de fato a decisão. Mas de que forma? Cumpriu a decisão em relação aos servidores que até o mês de novembro continuavam recebendo apenas meio salário mínimo. Estes não estavam trabalhando às 40 horas, somente 20 ou 4 horas diárias. Isso porque todos os outros que são do concurso de 2003 já estavam recebendo o salário mínimo. Lembrando que estes receberam uma ampliação de mais 20 horas para poderem receber o salário, ou seja, aquilo que o sindicato defendia lá no início.
Sobre esta tese, tenta os juristas do município nos fazer crer que a decisão só vale para os que não recebiam ainda o salário mínimo. Querem que aceitemos que o processo, quando diz em seus autos que se cumpra o salário mínimo independente da carga horária, tenha validade somente para os que ainda recebiam meio salário. Por outro lado, nosso advogado, Dr. Valdecy, um dos maiores advogados do Ceará diz: a decisão da justiça, como afirma o próprio: Assim, quem fez concurso para 20 horas semanais, que corresponde a 04 horas por dia, se tiver trabalhando dobrado, volte a trabalhar só 04 horas por dia, pois assim está no edital do concurso, assim manda a decisão judicial. (Dr. VALDECY ALVEZ).

Ele diz que esta decisão se baseia no concurso. Não importa, portanto, quem trabalha 4 ou menos horas, a questão é que não se pode ganhar meio salário mínimo. Se os servidores estavam recebendo mais meio salário por mais 20 horas, ai é que o ato está ilegal, pois deveria trabalhar somente as 4 horas e receber o salário integral. Por isso mesmo o advogado vai entrar na justiça pedindo o retroativo de todo este tempo desde o ingresso no cargo. E o fato dos funcionários terem assinado algum documento, não tem validade legal, pois era apenas uma ampliação e não um projeto ou emenda que tenha sido votada na câmara e se tornado lei. Esta era nossa intenção quando queríamos regularizar a situação foi negada.

Quem está afirmando é o jurista que acompanha este processo desde o início. Portanto, ninguém mais do que ele pode ter certeza do que está dizendo.


Escrevo para esclarecer como é o nosso entendimento enquanto sindicato, pois assim declara nosso advogado e assim determina o decisão do Supremo Tribunal Federal.



Megaprojeto industrial e habitacional no Pecém



O Village Viva Pecém já possui estudos ambientais concluídos e foi apresentado em audiência pública

O município de São Gonçalo do Amarante deverá receber um megaprojeto imobiliário, incluindo, além de habitação, áreas para serviços e um distrito industrial. Com vistas ao crescimento econômico e populacional do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), a Euroamérica Construtora, Incorporadora e Imobiliária planeja fazer, até o fim do ano, o lançamento do Village Viva Pecém, que já possui estudos ambientais concluídos e os teve apresentados, na semana passada, em audiência pública no município. O empreendimento está em processo de aquisição da Licença Prévia (LP) pela Superintendência Estadual do Meio 
Ambiente (Semace) e, depois desta etapa da audiência, será levado para avaliação e possível aprovação no Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema). De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, é provável que o empreendimento seja levado à reunião do Coema, a ocorrer em fevereiro, com data ainda a ser agendada.

Com uma área de 468,14 hectares , o loteamento prevê localização no distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante Foto: José Leomar

Investimento não definido

Projetando uma área de 468,14 hectares (ha), o loteamento prevê localização no distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante, a 18 quilômetros do centro da cidade. 

O projeto é assinado pelo arquiteto e urbanista Fausto Nilo. O valor do investimento ainda não está definido, segundo explica o diretor comercial da Euroamérica Construtora, Henrique Torres de Melo. 

“Ainda estamos fazendo o orçamento, mas acreditamos que teremos um valor geral de vendas grandioso”, afirma. O empreendimento espera a geração de seis mil empregos, através das indústrias, comércios, serviços e escritórios. “Nesse momento, estamos tratando mais do conceito, que é pensado no que vem sendo feito em urbanismo a nível mundial. A ideia é que os moradores precisem se deslocar o mínimo possível, com trabalho e lazer integrado”.

Áreas

De toda a área compreendida, 46 hectares constituirão Área de Proteção Ambiental, conforme o Novo Código Florestal, e 232,63 hectares serão para o parcelamento do solo. 

O Relatório de Impacto Ambiental (Rima) do empreendimento, produzindo pela Ambiental Consultoria e Projetos, explica que o loteamento será composto por quatro vizinhanças com populações diversificadas, podendo abrigar até 35 mil habitantes. 

Haverá áreas para uso empresarial de escritórios e de residências, sendo estas do modelo típico de habitações populares, passando por residências duplex, triplex, apartamentos e até mansões, cada tipo em vizinhanças distintas.

Previsão para 2015

Conforme Melo, espera-se que as primeiras unidades, da primeira vizinhança, já possam ser entregues em meados de 2015, podendo trazer vagas para oito mil habitantes. As vizinhanças serão construídas conforme for crescendo a demanda na região. “Acreditamos que já temos demanda para essa primeira vizinhança, com os empreendimentos já em curso no complexo, como a siderúrgica, a Vale Pecém, as laminadoras”, aponta. 
Além destas áreas, haverá um distrito industrial de 32 hectares, com vias de dimensões e traçado adequados para circulação e manobra de caminhões de carga em todos os seus padrões. 

Indústrias e serviços

O diretor comercial da Euroamérica informa que a construtora trabalha com a possibilidade de incluir indústrias em três setores: metal-mecânica, por conta do desenvolvimento do setor na região; de Tecnologia de Informação (TI), podendo agregar empresas de call center, que são grandes empregadoras de mão de obra; e logística, por conta da interface que o loteamento possui com a futura Ferrovia Transnordestina, que passará por perto do empreendimento. Reuniões com os sindicatos destes setores já vêm sendo realizadas.

Shopping center

Está incluído ainda no conjunto de urbanização um shopping center de alcance regional, um posto de serviço e uma estação de intercâmbio de transportes públicos regionais. O terreno do Village Viva Pecém já pertence à incorporadora desde 2004. “O Pecém hoje é uma realidade, não mais uma promessa. Estávamos esperando que as oportunidades amadurecessem, mas não esperávamos que estas aconteceriam nessa velocidade”.

Sérgio de Sousa
Repórter

Modelo é inédito no País, diz Nilo

Pensado com base na interação entre vizinhanças e na fácil acessibilidade a lazer e trabalho, o Village Viva Pecém, de acordo com seu idealizador, o arquiteto Fausto Nilo, apresenta um modelo ainda inexistente no Brasil, mas com base em um conceito urbanístico que vem se aplicando no mundo há cerca de pelo menos 30 anos. 

“No fundo, é um povoado”, define Fausto Nilo ao falar do projeto, acrescentando que não se trata de um loteamento foto: rodrigo carvalho

“No fundo, é um povoado”, define, acrescentando que o empreendimento não pode ser entendido como um loteamento. “Sua forma atual é fruto de um redesenho criterioso de atualização \[das experiências já existentes no mundo\] com vistas à boa convivência dos habitantes atuais com as novas escalas das metrópoles e suas consequências indesejáveis. Assim, ele apenas restaura a forma urbana que todos desejamos, ou seja um lugar onde tem tudo que é necessário para se viver em vizinhança e isto de forma acessível e com baixa dependência de transporte motorizado”, explica o arquiteto.
Entre tais consequência indesejáveis, aponta, estão o isolamento, a quebra de valores sociais, que colaboram com a agressividade urbana, o incremento do custo da vida urbana e o alto consumo energético.

Vida compartilhada

De acordo com Nilo, os loteamentos, diferentemente o que projeta o Village Viva Pecém, não planejam “a forma de vida compartilhada, as economias locais, as acessibilidades ao trabalho, os espaços de lazer, consumo e educação de forma integrada”. Conforme ele, este padrão ainda não existe, de forma completa, no Brasil. 

Exemplos

“Existem alguns exemplares em Santa Catarina, em Vitória e São Paulo que se aproximam desta composição, mas creio que o nosso exemplar dará um largo passo para esta concretização exemplar”. Nilo defende que este tipo de modelo funciona para dosar o controle da qualidade do crescimento urbano no complexo industrial e portuário.

Acessibilidade

“No caso da região do Pecém, poderia se imaginar isto tudo sempre relacionado às acessibilidades a distritos industriais nucleares, com intervalos de natureza, e com alcance por terra plana a partir do uso de bicicleta em percursos de oito quilômetros, ou seja em 20 minutos de viagem”, comenta. 
Destaca que “esta é a maneira concreta de calibrar as relações entre as bases naturais, as construções com seus usos e ao mesmo tempo favorecer às acessibilidades com significativa redução do consumo energético e da poluição aérea”. (SS)

Desenvolver área depende de planejar imóveis

O desenvolvimento do Complexo do Pecém não pode ser feito sem planejamento imobiliário para as pessoas que lá vão trabalhar, segundo o arquiteto e urbanista Fausto Nilo. Isso evitará o estímulo à habitação distante e “as infernais viagens metropolitanas”, aponta. 

“Nós percebemos hoje a gradativa mudança da compreensão local para estas oportunidades em substituição do hábito de somente pensar o desenvolvimento industrial de forma isolada e dependente de longos percursos por transporte urbano, sempre inviável. 

Então para organizar e qualificar o processo de desenvolvimento urbano para aquela região, é inevitável tratá-la a partir da implantação gradativa de unidades de crescimento urbano em conveniência especial com os centros de emprego, de educação, de serviços e de consumo”, conclui Nilo. (SS)

SAIBA MAIS

468,14 hectares é o tamanho da área do empreendimento
46 hectares, do total, serão destinados para uma Área de Proteção Ambiental
223,63 hectares, do restante, serão para o parcelamento do solo
32 hectares vão compor um distrito industrial
35 mil pessoas, aproximadamente, são esperadas para morar no loteamento
6 mil empregos devem ser gerados com o empreendimento
18 quilômetros será a distância da área do projeto para o centro de São Gonçalo do Amarante 

Fonte: Diário do Nordeste

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

REPASSES FUNDEB 2014 - MUNICÍPIOS DO CEARÁ

CONFIRA A PREVISÃO DE VALORES PARA OS MUNICÍPIOS DO CEARÁ – DEMAIS MUNICÍPIOS E ESTADOS DO BRASIL PEÇA POR E MAIL E TEMOS COMO ENVIAR!

Servidores Municipais do Ceará em Marcha pela Ruas de Fortaleza
Em defesa do Piso e da Carreira Decentes
Foto: Valdecy Alves

Saiu a previsão dos repasses do FUNDEB do ano de 2014 para municípios e estados do Brasil, de acordo com o Portaria nº 019/2013, de 27/12/2013. DINHEIRO É O QUE NÃO FALTA PARA PAGAR O PISO LEGAL, PARA IMPLEMENTAR A CARREIRA DECENTE. Lembrando que o piso legal para 2014 é R$ 1.851,26, POIS A LEI É O QUE DEVE PREVALECER NUM PAÍS QUE SE DECLARA NO PREÂMBULO DE SUA CONSTITUIÇÃO COMO  "ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO". Uma lei não pode ser preterida por uma decisão administrativa do MEC que venha criar mais uma vez piso pirata. A LUTA TODOS PELO PISO LEGAL. NAS CAMPANHAS SALARIAL QUE SEJA REIVINDICADO O PISO LEGAL. ATÉ PORQUE A LEI DO PISO FOI JULGADA INTEIRAMENTE CONSTITUCIONAL PELO STF.

Abaixo tabela com A PREVISÃO DE REPASSES DO FUNDEB PARA O ANO DE 2014 dos municípios cearenses - Outros municípios e estados do Brasil podem pedir por e mail que teremos o prazer de enviar (valdecyc_alves@yahoo.com.br) 

FONTE: http://valdecyalves.blogspot.com.br/2014/01/repasses-fundeb-2014-confira-previsao.html


MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ
PREVISÃO REPASSE FUNDEB 2014 R$
ABAIARA
4.342.466,01
ACARAPE
6.483.700,94
ACARAU
30.616.790,98
ACOPIARA
25.076.572,75
AIUABA
8.494.315,61
ALCANTARAS
6.694.887,48
ALTANEIRA
4.342.351,74
ALTO SANTO
7.510.378,34
AMONTADA
24.871.100,14
ANTONINA DO NORTE
4.191.732,77
APUIARES
7.020.923,83
AQUIRAZ
36.041.245,16
ARACATI
29.856.496,59
ARACOIABA
14.518.960,10
ARARENDA
6.112.067,49
ARARIPE
15.132.520,99
ARATUBA
7.949.893,18
ARNEIROZ
4.829.292,12
ASSARE
10.947.302,09
AURORA
10.374.652,88
BAIXIO
2.807.935,27
BANABUIU
10.061.301,43
BARBALHA
25.832.524,56
BARREIRA
11.583.147,27
BARRO
9.454.482,97
BARROQUINHA
9.565.561,61
BATURITE
13.588.390,86
BEBERIBE
28.655.773,14
BELA CRUZ
15.029.898,96
BOA VIAGEM
28.163.004,56
BREJO SANTO
27.744.745,51
CAMOCIM
31.662.324,32
CAMPOS SALES
13.139.848,03
CANINDE
39.711.525,46
CAPISTRANO
10.885.820,29
CARIDADE
9.331.176,55
CARIRE
9.059.536,72
CARIRIACU
15.657.173,25
CARIUS
7.198.855,35
CARNAUBAL
8.769.269,52
CASCAVEL
32.697.458,34
CATARINA
5.928.879,17
CATUNDA
6.952.699,61
CAUCAIA
148.184.724,39
CEDRO
10.405.393,78
CHAVAL
7.522.491,86
CHORO
7.954.807,15
CHOROZINHO
11.209.342,53
COREAU
13.024.769,65
CRATEUS
29.762.559,72
CRATO
44.345.630,03
CROATA
10.253.174,91
CRUZ
13.447.142,72
DEP. IRAPUAN PINHEIRO
4.487.599,62
ERERE
4.107.509,57
EUSEBIO
30.552.337,95
FARIAS BRITO
9.548.876,96
FORQUILHA
10.372.253,04
FORTALEZA
440.105.885,31
FORTIM
7.912.181,30
FRECHEIRINHA
7.803.388,24
GENERAL SAMPAIO
4.856.147,55
GRACA
9.906.225,60
GRANJA
33.217.539,47
GRANJEIRO
3.412.696,72
GROAIRAS
5.341.830,88
GUAIUBA
13.708.840,32
GUARACIABA DO NORTE
22.933.166,54
GUARAMIRANGA
3.198.996,06
HIDROLANDIA
10.217.520,05
HORIZONTE
31.056.191,54
IBARETAMA
7.287.535,41
IBIAPINA
12.202.307,80
IBICUITINGA
7.272.336,38
ICAPUI
10.452.133,66
ICO
34.471.288,11
IGUATU
32.865.676,18
INDEPENDENCIA
11.189.115,25
IPAPORANGA
6.533.640,61
IPAUMIRIM
5.234.409,15
IPU
20.743.591,84
IPUEIRAS
21.320.469,35
IRACEMA
6.697.744,44
IRAUCUBA
13.690.098,66
ITAICABA
3.003.465,66
ITAITINGA
20.331.160,99
ITAPAJE
23.788.312,02
ITAPIPOCA
64.678.048,09
ITAPIUNA
9.313.006,28
ITAREMA
23.760.313,81
ITATIRA
14.256.919,67
JAGUARETAMA
8.467.117,35
JAGUARIBARA
5.680.437,86
JAGUARIBE
17.991.995,84
JAGUARUANA
13.865.401,77
JARDIM
17.630.076,05
JATI
3.998.145,11
JIJOCA DE JERICOACOARA
9.700.638,71
JUAZEIRO DO NORTE
85.125.087,41
JUCAS
10.449.619,53
LAVRAS DA MANGABEIRA
14.503.532,51
LIMOEIRO DO NORTE
21.361.495,31
MADALENA
10.577.382,81
MARACANAU
96.944.219,63
MARANGUAPE
43.037.827,69
MARCO
17.477.171,51
MARTINOPOLE
7.069.606,44
MASSAPE
20.241.566,71
MAURITI
24.115.491,16
MERUOCA
7.588.544,79
MILAGRES
12.013.748,39
MILHA
6.490.100,53
MIRAIMA
8.718.187,06
MISSAO VELHA
17.842.748,21
MOMBACA
19.936.671,86
MONSENHOR TABOSA
9.158.044,73
MORADA NOVA
31.626.326,62
MORAUJO
4.674.673,41
MORRINHOS
11.308.421,92
MUCAMBO
8.141.880,94
MULUNGU
4.799.465,46
NOVA OLINDA
7.146.515,83
NOVA RUSSAS
14.203.323,08
NOVO ORIENTE
15.222.572,39
OCARA
12.962.145,07
OROS
10.460.361,71
PACAJUS
31.994.531,72
PACATUBA
26.173.074,28
PACOTI
6.043.843,26
PACUJA
3.273.619,87
PALHANO
4.178.590,75
PALMACIA
5.184.012,36
PARACURU
18.327.517,30
PARAIPABA
16.342.729,55
PARAMBU
18.189.468,96
PARAMOTI
7.902.581,91
PEDRA BRANCA
23.106.869,75
PENAFORTE
5.056.591,92
PENTECOSTE
18.744.633,57
PEREIRO
10.003.590,83
PINDORETAMA
10.645.492,76
PIQUET CARNEIRO
6.314.568,86
PIRES FERREIRA
5.957.905,89
PORANGA
7.549.118,73
PORTEIRAS
9.523.507,14
POTENGI
5.335.202,73
POTIRETAMA
3.495.091,47
QUITERIANOPOLIS
9.887.141,11
QUIXADA
34.185.477,76
QUIXELO
8.331.011,74
QUIXERAMOBIM
40.881.736,57
QUIXERE
9.000.111,94
REDENCAO
14.724.089,89
RERIUTABA
10.325.513,16
RUSSAS
32.822.478,93
SABOEIRO
8.913.831,73
SALITRE
12.595.654,15
SANTA QUITERIA
24.043.381,48
SANTANA DO ACARAU
16.704.763,61
SANTANA DO CARIRI
10.526.643,19
SAO BENEDITO
24.143.146,54
SAO GONCALO DO AMARANTE
23.817.453,02
SAO JOAO DO JAGUARIBE
3.233.850,98
SAO LUIS DO CURU
6.437.646,73
SENADOR POMPEU
10.399.222,75
SENADOR SA
4.303.039,96
SOBRAL
82.866.945,66
SOLONOPOLE
7.319.190,53
TABULEIRO DO NORTE
11.053.695,31
TAMBORIL
13.896.371,23
TARRAFAS
4.873.517,88
TAUA
35.710.294,83
TEJUCUOCA
11.757.307,59
TIANGUA
41.096.922,85
TRAIRI
26.737.723,99
TURURU
9.089.363,40
UBAJARA
17.414.089,82
UMARI
3.714.506,05
UMIRIM
10.359.910,97
URUBURETAMA
12.268.132,17
URUOCA
8.052.515,21
VARJOTA
10.125.183,07
VARZEA ALEGRE
17.252.385,84
VICOSA DO CEARA
36.615.265,71
Fonte: FNDE 
Digitação: Khayyam Perseu
Elaboração da Tabela
Dr. Valdecy Alves

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...