sábado, 24 de fevereiro de 2018

Entenda o que muda com a nova Base Nacional Comum Curricular - Educação básica



A ser implantado a partir de 2019, documento vale para todo o País e vai aproximar ensino das escolas públicas e privadas de ensino infantil e fundamental em todas as regiões do Brasil

por Planalto publicado: 20/12/2017 20h02 última modificação: 21/12/2017 19h30

Homologada nesta quarta-feira (20) pelo Governo do Brasil, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vai tornar mais igualitária a educação básica brasileira. Com a Base, crianças de todas as escolas terão o direito de aprender conteúdos e desenvolver habilidades ao mesmo tempo, não importa se a escola é pública ou privada. O documento também procura reduzir disparidades encontradas entre os currículos dos estados e das regiões do País.


Atualmente, os currículos e os projetos pedagógicos das escolas seguem os parâmetros curriculares nacionais. Quando a BNCC for implantada, o que deve ocorrer a partir de 2019, ela será o guia para o que acontece nas salas de aula de Norte a Sul do Brasil. Um total de 60% do conteúdo deverá se basear na BNCC. O restante será definido pelas redes e escolas.

A Base traz, de forma mais detalhada, o que deve ser abordado nas classes em cada ano das educações infantil e fundamental. O documento não propõe, no entanto, um currículo unificado, pois a autonomia dos estados e municípios, a diversidade cultural e as desigualdades sociais demandam, de acordo com o texto da Base, currículos diferenciados e adequados a cada sistema, rede e instituição escolar.

Em vez disso, a BNCC apresenta um novo conceito: as competências, que os alunos deverão dominar no curso dos anos escolares.

As competências gerais da Base incluem, entre outros itens: valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre os mundos físico, social e cultural para entender e explicar a realidade; exercitar a curiosidade intelectual; desenvolver o senso estético para valorizar e participar de diversas manifestações artísticas e culturais; utilizar tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica; valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais; exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação. Além disso, há competências específicas para cada disciplina.

Alfabetização e disciplinas

Na educação infantil, as escolas deverão focar no desenvolvimento da oralidade e da escrita. Nesta etapa, “as crianças estão se apropriando da língua oral e, por meio de variadas situações nas quais podem falar e ouvir, vão ampliando e enriquecendo seus recursos de expressão e de compreensão, seu vocabulário”, explica o documento.
Já no 1º ano (crianças por volta dos 6 anos de idade), conhecimentos em matemática, álgebra, como geometria, probabilidade e estatística, serão mais explorados.
A alfabetização deverá ocorrer nos dois primeiros anos do ensino fundamental. Atualmente as crianças devem saber ler e escrever até o fim do 3º ano do ensino fundamental.
Já o ensino de história deverá ser organizado de acordo com a ordem cronológica dos eventos, e o inglês será idioma estrangeiro obrigatório, a ser implementado a partir do sexto ano do ensino fundamental. Na versão anterior da BNCC, a escolha da língua era de responsabilidade das redes de ensino.

Fonte: Planalto, com informações da Base Nacional Comum Curricular

Fisioterapeuta pontua doenças típicas de profissionais de Serviços Gerais


 

22 DE JANEIRO DIA DOS AUXILIARES DE SERVIÇOS GERAIS

tn_Rosilene-Costa---Fisioterap
Na data em que se comemora o Dia do Auxiliar de Serviços Gerais, especialista sugere ações em prol da melhoria da qualidade de vida

Pouco lembrada no país, o dia 22 de fevereiro é o Dia do Auxiliar de Serviços Gerais, grupo de profissionais que diariamente prepara todos os ambientes de trabalho para ser possível iniciar as atividades diárias de todos os outros profissionais.
Caso esse profissional não existisse, não seria possível, nenhum outro profissional, realizar suas atividades diárias, pois, ninguém, quer trabalhar em um lugar que não esteja limpo, cheiroso e agradável. 
De forma geral o indivíduo que trabalha como Auxiliar de Serviços Gerais tem como funções serviços de rotina de limpeza, manutenção e conservação de espaços interiores e exteriores, tais como pátios, jardins, dependências, patrimônios, vias e bens imóveis, de forma a atender as necessidades de limpeza, manutenção e conservação destes espaços. 
O que se percebe é que esse profissional é vital para o pleno funcionamento das empresas, sejam elas pequenas, médias ou de grande porte. Mas em muitos momentos, empresários e contratantes não percebem que as demandas físicas desses profissionais são demasiadamente maiores que da maioria dos demais funcionários. 
De acordo com a Dr.ª Rosi CostaFisioterapeuta que compõe o corpo clínico da Spa Life Fisioterapia, a ciência que estuda o movimento humano, utilizando recursos físicos no tratamento e na cura e que diagnostica, previne e trata distúrbios da biomecânica, há muito tempo vem demonstrando que os profissionais de Serviços Gerais precisam possuir uma dinâmica de trabalho que respeite as características do corpo de cada indivíduo, bem como das demandas do trabalho propriamente dita. 
Estatísticas comprovam que grande parte dos profissionais que ocupam o posto de Auxiliar de Serviços Gerais em algum momento da carreira vão ser diagnosticados com “Lesões por Esforços Repetitivos (LER)” ou “Distúrbios Osteo musculares Relacionados ao Trabalho (DORT)”, que são termos usados de uma maneira generalizada e que abrangem os distúrbios ou doenças do sistema músculo-esquelético-ligamentar. 
“As doenças enquadradas neste grupo compreendem uma heterogeneidade de distúrbios funcionais e/ou orgânicos, que manifestam em seu portador sintomas comuns, muitas vezes inespecíficos como: Fadiga Muscular, Dor Parestesia, Sensação de peso, Mal estar, Processos inflamatórios em tendões, ligamentos e bursas sinoviais, Contraturas musculares, dentre outros”, pontua a especialista. 
Atitudes simples podem ampliar a qualidade de vida dos trabalhadores como a inclusão de pelo menos duas breves pausas de 15 minutos por dia de trabalho para a realização de alongamentos. “O alongamento é um grande aliado para diminuir riscos de doenças relacionadas à má postura e atividades repetitivas e deve ser visto como um instrumento de prevenção”, pontua a especialista. 
De acordo com a Fisioterapeuta o ideal é iniciar alongando o pescoço, depois é necessário alongar os braços, ombros e pulsos, após isso é a vez de alongar o tronco e por último as pernas e os pés. 
Outra sugestão da fisioterapeuta é a criação de um plano de Ginástica Laboral, que nada mais é do que uma série de exercícios que são realizados pelos funcionários, no local de trabalho, com acompanhamento e orientação de um profissional e tem com o objetivo proporcionar boas condições físicas e mentais à equipe. No geral, os exercícios são baseados em técnicas de alongamento, respiração, reeducação postural, controle e percepção corporal e compensação dos músculos. 
“A técnica é bastante antiga e tem sido cada vez mais aplicada em grandes empresas, já que os inúmeros benefícios refletem diretamente na produtividade dos funcionários. Importante nesse caso é incluir os profissionais de Serviços Gerais com os demais funcionários da empresa”, finaliza. 
Mais informações sobre o procedimento podem ser obtidas na Spa Life Fisioterapia que fica localizada na Rua 16 março, 39 – sobreloja 109 – Centro – Petrópolis/ RJ, através dos telefones (24) 2242-7342/ (24) 98815-6146 ou ainda através da Fanpage https://www.facebook.com/SpaLifeFisioterapiaEEstetica/.

SERVIÇO
Spa Life Fisioterapia
Diretora Técnica: Dr.ª Rosilene Costa – Fisioterapeuta Funcional
Rua 16 março, 39 – sobreloja 109
Centro – Petrópolis/ RJ
(24) 2242-7342/ (24) 98815-6146

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação

Bom caríssimos!. Toda quinta-feira, temos a alegria de em nossa cidade termos Adoração ao Santíssimo Sacramento exposto.  De 8 ...