sábado, 18 de fevereiro de 2012

Porque nos deixamos monopolizar?




                   Monopólio 
  
Sócrates é um dos maiores filósofos de todos os tempos e conhecido em todo mundo por sua filosofia. Segundo o que se conta na história, Sócrates era de aparência um pouco fora dos padrões gregos que eram de corpos atléticos.

A Grécia, como a maioria das sociedades antigas, era governada por chefes ditadores, que governavam o povo com mão de ferro, tendo seu povo como escravo e justificando tal tipo de governo a determinação dos deuses.  Deste modo, para manter este governo centralizado, era necessário o controle das pessoas pela força e pelas ideologias implantadas na mente das pessoas para que acreditassem que tal sistema era o destino de todos, onde uns haviam nascido pra viverem em meio ao luxo e poder, enquanto outros estavam destinados a pobreza, ao castigo e a submissão. Quando isso não era possível pela força de uma ideologia, usava-se da força bruta, no caso o uso da espada e a tortura.

Sócrates apareceu em meio a esta realidade. Este, por sua vez, passou atuar em meio a esta sociedade acostumada a viver sobre as ameaças dos deuses, que durante séculos, vinha sendo implantadas na mentes dos gregos. O filósofo começa a discursar na Praça de Atenas, conhecida como Ágora. Em seus discursos tinha como ouvintes jovens, que atentos ficavam admirados. Sócrates despertava nos ouvintes a curiosidade de entender as razões para viverem da forma que viviam. Sócrates levava esses ouvintes a desafiar seus deuses. Como para os gregos tudo que ocorria era culpa dos deuses, então eles tinham receio de se revoltarem contra aqueles deuses, pois poderiam ser castigados. Mas sendo instigados por Sócrates ousaram desconfiar das ordens dos lideres religiosos e dos governantes e passaram a pensar sobre tudo o que Sócrates dizia. Sócrates dizia que tudo era uma questão de visão, de como eles viam as coisas ao seu redor e aceitavam como era e pronto, sem fazerem nenhuma reflexão.

Não demorou muito para que os discursos de Sócrates passasse a incomodar os chefes e governantes. Desde então, era chamado de subversivo e, portanto, visto como ameaça. Por este motivo foi condenado e morto por envenenamento.

Quem pensa e leva outros a pensar e a usarem a razão, sempre é visto como inimigo por aqueles que querem impedir as pessoas de serem livres, pois quando um indivíduo passa a usar  sua força de vontade ele não permite que os outros o manipulem.

Os poderosos sempre quiseram impedir as pessoas do povo simples, as massas tivessem acesso ao conhecimento, pois estes poderiam tornar-se uma ameaça aos seus privilégios. Os dominadores preferiam mantê-los mergulhados num mar de mentiras e crenças que justificassem sua vida de privilégios em detrimento de uma multidão que morria de fome e de doenças causadas pelo sistema de escravidão.

O homem quando tem a possibilidade de conhecer e a usar a razão, é como se ele despertasse de um sono, é como se abrisse os olhos a tanto fechado pela obscuridade da falta de conhecimento. O medo que os poderosos têm é porque quando o povo tem conhecimento eles são capazes de fazer uma revolução e enfrentar os poderes constituídos. Quando o povo passa a ser dono de sua razão e tem certeza de que outros estão zombando deles ai eles não deixam barato e tentam resolver. Muitas revoluções sangrentas foram necessárias para que as monarquias caíssem por terra e que os privilégios caíssem por terra ou pelo menos diminuíssem, embora, também muitos tenham pagado com a própria vida.  

Entretanto, não sejamos tontos. Apesar de todas estas conquistas e de nos proclamarmos livres, não somos tão livres assim. Ainda hoje quando alguém ousa expor os imperadores de hoje, os corruptos, a cambada de gente que tenta manter-se usufruindo dos bens do povo e  são denunciados e criticados, revoltam-se e tentam aniquilar aquele que tenta derrubar este sistema maldito, o criticador passa a ser visto como perigo. Isso que significa dizer que a luta não termina, devemos continuar lutar por aquilo que queremos.

Para tanto o conhecimento se faz necessário. É uma ferramenta para que não sejamos tidos como fantoches e nem sejamos os maria vai com as outras, mas nos torna determinados para corrermos atrás de nosso sonhos e objetivos. 
    
O homem livre torna-se responsável pelos seus atos. 

Artigo escrito pelo Professor Valdeni Cruz        

Professores se revoltam com pressão de governadores para reduzir reajuste salarial


professores
Governadores do Rio, Sérgio Cabral, de Minas, Anastasia, do Espírito Santo, Casagrande, do Ceará, Cid Gomes e da Bahia, Jaques Wagner, mobilizam-se para diminuir o reajuste para os professores
14/2/2012 20:38,  Por Redação - do Rio de Janeiro e Brasília
A pressão dos governadores Sérgio Cabral (RJ), Antonio Anastasia (MG), , Renato Casagrande (ES), Cid Gomes (CE) e Jaques Wagner (BA) para que o presidente da Câmara, Marco Maia, determine o regime de urgência na votação do projeto de Lei que reduz o reajuste do piso nacional dos professores dos atuais 22%, este ano, para 6%, é um motivo a mais para que os trabalhadores da Educação parem, por tempo indeterminado, a partir da greve geral marcada entre os dias 14 e 16 de março. Maia confirmou a conversa com os cinco executivos estaduais, na véspera, durante a posse da presidenta da Petrobras, Maria das Graças Foster, mas adiantou que “uma coisa é a pressão dos governadores, outra é a matéria entrar na pauta do Plenário”, disse, por meio de sua assessoria.
Ao tomar conhecimento da ação dos governadores junto ao Legislativo, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, repudiou a atitude e avisou que “a greve nacional será o momento em que os professores irão enfrentar estes cinco inimigos da Educação”. O professor da Rede Oficial de Ensino de São Paulo acrescenta que a intenção dos dirigentes estaduais é “de romper um acordo feito no Senado”, que mantinha o reajuste da categoria nas bases definidas pela Lei 11.738, de 2008, assinada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Educação, à época, Fernando Haddad, hoje candidato a prefeito do Município de São Paulo.
Segundo Leão, os senadores mantiveram o parágrafo único do Artigo 5º, que prevê o reajuste dos professores segundo “o mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano, definido nacionalmente”, segundo os critérios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). Por este critério, o piso nacional seria reajustado em 22%, mas os governadores fluminense, mineiro, capixaba, cearense e baiano pressionam para que, na Câmara, este fator seja substituído pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o que reduziria a 6% a correção dos salários dos mais de 2 milhões de profissionais que atuam apenas no Ensino Básico.
– Lamento profundamente que estes governadores se posicionem contra a valorização do Magistério. Eles se colocam no mesmo nível daqueles que interpuseram um recurso contra a legislação que visa reduzir injustiças históricas contra os professores. Mais lamentável, ainda, é a participação nesse grupo do governador da Bahia, Jaques Wagner, que acaba de enfrentar uma greve das forças de segurança. Ele contradiz tudo aquilo porque o Partido dos Trabalhadores sempre lutou. O mínimo que deveria fazer é se desligar desta legenda e procurar um partido neoliberal – afirmou Leão.
Procurado pelo Correio do Brasil, Wagner não desmentiu ou aquiesceu o que seu vizinho mineiro, Antonio Anastasia, admitiu com ressalvas. Por meio de seus assessores, o Palácio da Liberdade confirmou a conversa com o deputado Maia, durante a solenidade em que esteve presente, no Rio, mas fez questão de frisar que “o problema foi gerado durante o governo do presidente Lula”, disse um porta-voz do governador tucano. Anastasia está na mira dos dirigentes sindicais “desde que o Tribunal de Contas da União constatou que o Estado não aplica nas escolas o que manda a Constituição”, lembrou o presidente do CNTE.
– É importante lembrar, também, que o governador cearense, Cid Gomes, botou a polícia na rua contra os professores – acrescentou Leão.
O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, disse estar em uma solenidade e não poderia responder ao CdB e o do Rio, Cabral, negou até mesmo haver participado do grupo que pressionou o presidente da Câmara, embora sua presença tenha sido confirmada tanto por Maia quanto pelo colega mineiro, Anastasia.

OLHA A FICHA LIMPA EM AÇÃO NO CEARÁ

Com a aprovação do STJ nesta quinta-feira, pela Constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, uma cambada de gente sem futuro nenhum para o país, que se consideram políticos para enriquecer ilicitamente,  destes alguns destes não poderão se candidatar nesse ano de 2012. Este é pequeno avanço do muito que precisa acontecer neste Brasil de meu Deus.   






 Vejam a lista de nomes só ceará dos que agente sabe


Assembléia Legislativa/CE 


Ana Paula Cruz (PMDB/CE) 
Antônio Granja (PSB/CE)
Carlomano Marques (PMDB/CE)
Cirilo Pimenta (PSDB/CE)
Dedé Teixeira (PT/CE)
Júlio César (PSDB/CE)
Nenen Coelho (PSDB/CE)
Neto Nunes (PMDB/CE)
Rachel Marques (PT/CE)
Rogério Aguiar (PSDB/CE)
Ronaldo Martins (PMDB/CE)
Sérgio Aguiar (PSB/CE)
Sineval Roque (PSB/CE)
Vanderley Pedrosa (PTB/CE)
Vasques Landim (PSDB/CE)
Weber Araújo (PSL/CE)

Brasileiros comemoram salários recorde e índice de desemprego de 5,5%


Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR 
18/02/2012 | 09h30 | Oportunidades

Com emprego garantido e salário em alta, os brasileiros começaram 2012 com o pé direito. O rendimento médio dos trabalhadores bateu recorde para meses de janeiro, alcançando R$ 1.672,20, segundo dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 


A alta foi de 0,7% em relação a dezembro e de 2,7% ante janeiro de 2010. A taxa de desemprego, por sua vez, ficou em 5,5% no primeiro mês do ano. Embora seja maior do que o índice verificada em dezembro último, de 4,7%, também é a menor da série histórica iniciada em 2002 para janeiro.



Segundo o IBGE, que faz a Pesquisa Mensal de Emprego nas seis maiores regiões metropolitanas do país, a elevação dos salários foi generalizada. A exceção foi o Rio de Janeiro, onde o rendimento caiu 1,6% no mês. Em contrapartida, houve alta expressiva em Recife, de 7,3%, puxada por aumentos de até 23,4% no setor de serviços, que inclui hospedagem, recreação e alimentação, além de 11,5% na indústria.



A região metropolitana de Recife tem peso de 12% na fórmula de cálculo do rendimento médio do trabalhador. Em São Paulo, com maior participação na mostra, os salários variaram apenas 0,1%. Em Salvador, subiram 3%; em Belo Horizonte, 1,7%; e em Porto Alegre, 4%.



O gerente da coordenação de trabalho e rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, disse que Recife pode ser um ponto fora da curva. No seu entender, a amostra que o instituto toma como base para a pesquisa é sempre rotativa e pode ter pegado em Recife justamente os trabalhadores de rendimento mais alto, o que afetou o resultado final. “Aumentos fora do padrão podem ser por causa da amostra e podem ser corrigidos ao longo do tempo”, explicou.

Do Correioweb

Sábado, 18 de Janeiro de 2012

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 2Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um lugar à parte sobre uma alta montanha. E transfigurou-se diante deles. 3Suas roupas ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar.
4Apareceram-lhe Elias e Moisés, e estavam conversando com Jesus. 5Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”.
6Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. 7Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!”
8E, de repente, olhando em volta, não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus com eles. 9Ao descerem da montanha, Jesus ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem tivesse ressuscitado dos mortos.
10Eles observaram esta ordem, mas comentavam entre si o que queria dizer “ressuscitar dos mortos. 11Os três discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da Lei dizem que antes deve vir Elias?” 12Jesus respondeu: “De fato, antes vem Elias, para pôr tudo em ordem. Mas, como dizem as Escrituras, que o Filho do Homem deve sofrer muito e ser rejeitado?
13Eu, porém, vos digo: Elias já veio, e fizeram com ele tudo o que quiseram, exatamente como as Escrituras falaram a respeito dele”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.


O SINAL DA VITÓRIA DE CRISTO




A transfiguração de Jesus se encontra também em Mateus (17,1-8) e Lucas (9,28-36), mas cada um deles trabalhou, a seu modo, a narrativa dentro de seus objetivos específicos. Marcos a inseriu no início da segunda parte de seu Evangelho. A partir de 8,31 temos um novo início; daí para frente, Jesus vai dedicar a maior parte do Seu tempo ensinando aos discípulos o sentido profundo de Seu messianismo. Responde-se, assim, a pergunta fundamental de Marcos: “Quem é Jesus?”. Nesta interrogação também se responde a uma outra pergunta, não menos importante que a primeira: “Quem é o discípulo de Jesus?”. Todavia, o retrato dos discípulos é lamentável aqui.
Na primeira parte do Evangelho de Marcos, Jesus é incompreendido pelos “de fora”, acusado de blasfemar, de ser um possesso, louco e impuro. Mas os discípulos, o que pensam d’Ele? Pedro, representando todos os que pretendem se unir ao Mestre, afirma que Jesus é o Messias. Mas o Senhor proíbe, severamente, os discípulos de falar alguma coisa a respeito d’Ele. Marcos insere aqui o primeiro anúncio da Paixão. Pedro, representando mais uma vez os discípulos, torna-se “satanás”, porque pretende que o messianismo de Jesus se baseie nos moldes tradicionais.
E agora? A proposta messiânica de Jesus irá vencer? A Transfiguração responde afirmativamente que o Senhor irá vencer. Contudo, vale a pena recordar que a Transfiguração olha mais para nós do que para Jesus. Em outras palavras, nós precisamos dela mais do que Ele. Ela nos garante que, em Jesus, o projeto de Deus será vitorioso, porque é garantido pelo Pai. A Transfiguração é, portanto, o sinal da vitória de Jesus e de Seu projeto.
Jesus Cristo sobe  uma alta montanha com Pedro, Tiago e João, três dos quatro primeiros escolhidos. A cena recorda Êxodo 24, quando Moisés é convidado a subir a montanha de Deus em companhia de Aarão, Nadab, Abiú e setenta anciãos. Somente Moisés se aproximou de Deus e, ao descer do monte, contou ao povo tudo o que o Senhor lhe havia dito. A resposta do povo é uma só: “Faremos tudo o que Deus disse” (cf. Ex 24,1-3).
Marcos afirma que “as roupas de Jesus ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar”. Essa transformação aponta para a realidade da ressurreição de Jesus. Ninguém, nem mesmo a morte, poderá deter o projeto do Reino, pois o Mestre vai ressuscitar depois de três dias.
Moisés e Elias conversam com Jesus. Eles representam, respectivamente, a lei e os profetas, isto é, todo o Antigo Testamento. Moisés é o líder da libertação do Egito. O comparecimento deles vem dar testemunho de Jesus, o Libertador definitivo, prometido e prefigurado nos líderes do passado. Elias é o restaurador do Javismo no Reino do Norte, no tempo do rei Acab; ele é o profeta que libertou o povo da idolatria que gera opressão. O Antigo Testamento testemunha que Jesus veio para nos libertar mediante a entrega total de Sua vida.
Nuvem, esplendor, personagens e, sobretudo, a voz que sai da nuvem são modos de indicar a presença de Deus no acontecimento. O próprio Pai garante que Jesus é Seu Filho amado, a quem é preciso dar adesão. Nesse versículo, temos um dos pontos altos do Evangelho de Marcos. Desde o início, afirma-se que Jesus é Filho de Deus (1,1) e, ao ser batizado, o Pai diz: “Tu és o meu Filho amado, em ti encontro o meu agrado” (1,11). O termo “filho” recorda o Salmo 2,7, no qual um rei é declarado filho de Deus. Jesus é esse Rei, mas Seu messianismo passa pela entrega da vida.
Pedro representa todos nós quando pretendemos viver a alegria da ressurreição sem passar pela entrega e pela morte. O julgamento que Marcos faz de Pedro e de todos os seguidores de Jesus é muito severo: “Ele não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo”. No fim de tudo, os discípulos se perguntam o que queria dizer “ressuscitar dos mortos”. O tema da ignorância dos discípulos é muito forte no Evangelho de Marcos. É impossível saber quem é Jesus sem ir com Ele até a cruz, sem passar pela morte, sem voltar à Galileia para anunciar, por meio de uma prática libertadora, que o Mestre está vivo.
Pedro – e todos nós com ele – sofremos de ignorância crônica sobre quem é Jesus. Por isso“escutar o que Ele diz” significa ir com Ele até o fim. Mas não nos assustemos, pois é preciso que com Marcos confessemos que “Jesus é o Filho de Deus” e O sigamos. E, assim como os discípulos viram Moisés e Elias falando com Jesus, também nós O veremos cheio de esplendor e glória. Ele é a única autoridade credenciada pelo Pai e está conosco para sempre.
Padre Bantu Mendonça

Fonte: Canção Nova

Papa nomeia 22 novos cardeais


18/02/2012 09h53 - Atualizado em 18/02/2012 10h51


Brasileiro João Braz de Aviz, de 64 anos, está entre eles.
Cerimônia ocorreu na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Do G1, com agências internacionais


O papa Bento XVI celebrou neste sábado (18), na Basílica de São Pedro,o quarto consistório de seu Pontificado e nomeou 22 novos cardeais, entre eles o brasileiro João Braz de Aviz, de 64 anos.
Milhares de pessoas estiveram presentes na cerimônia no Vaticano, muitas delas provenientes das nações de origem dos cardeais.
Dos 22 novos cardeais, 18 têm menos de 80 anos, e por isso poderão participar de um eventual conclave para escolher o futuro papa.
Os outros quatros são octogenários, e segundo a norma da Santa Sé, não podem entrar na Capela Sistina - lugar dos conclaves - para escolher o pontífice, mas podem ser escolhidos.
Cardeais reunidos no consistório deste sábado (18) na Basílica de São Pedro, no Vaticano (Foto: Reuters)Cardeais reunidos no consistório deste sábado (18) na Basílica de São Pedro, no Vaticano (Foto: Reuters)
Dos 18 eleitores, 12 são europeus, um é latino-americano, três norte-americanos e dois asiáticos.
Dos 12 europeus eleitores, sete são italianos, o que coloca a Itália como a primeira no número de cardeais com um total de 52, 30 deles eleitores.
O agora cardeal João Braz de Aviz após encontro com o Papa Bento XVI na sexta-feira (17) no Vaticano (Foto: Reuters)O agora cardeal João Braz de Aviz após encontro
com o Papa Bento XVI na sexta-feira (17)
no Vaticano (Foto: Reuters)
Após a Itália, os Estados Unidos possuem 19 cardeais (12 eleitores), seguidos pela Espanha com 10 (cinco eleitores), Brasil também com 10 (seis eleitores) e França com 9 (quatro eleitores).
Com os novos cardeais, a igreja europeia amplia seu peso no Colégio Cardinalício, onde passa a ter 119 membros.
A América Latina continua sendo a segunda colocada, agora com 32 cardeais, seguida pela América do Norte, com 22, Ásia com 20, África com 17 e Oceania com quatro.
Com estas nomeações, o Colégio Cardinalício fica formado por 214 cardeais, dos quais 125 podem participar da escolha do próximo.
Os 89 restantes são octogenários, não poderão participar dos conclaves para designar o pontífice, mas poderão ser escolhidos.
No domingo, Bento XVI realizará uma missa solene com os novos cardeais

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Ficha Limpa deixa Cássio inelegível até 2014



Ficha Limpa deixa Cássio inelegível até 2014
Ficha Limpa deixa Cássio inelegível até a eleição de 2014, mas tucano não corre risco de perder mandato no Senado

A Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) foi considerada constitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira, 16, mas as dúvidas sobre as novas regras de inelegibilidade não acabaram. Uma mostra de que a ficha limpa provoca diferentes entendimentos é o placar final na mais alta corte do país. Sete dos 11 ministros votaram pela validade da regra, aprovada e sancionada em 2010. Quatro foram contrários a ela.

Na cabeça dos eleitores, porém, dúvidas podem aparecer. Por conta disso, o Portal Congresso em Foco selecionou exemplos de políticos que passaram por problemas recentes na Justiça. No caso de alguns, a inelegibilidade vai existir para as próximas eleições. Para outros, a possibilidade de serem barrados já passou, e eles estão livres para disputar as eleições.  

É preciso lembrar, porém, que a candidatura de alguns desses políticos não está barrada automaticamente. Qualquer um dos políticos alcançados pela lei pode, em tese, apresentar sua candidatura. Caberá à Justiça Eleitoral, com base na lei que o STF considerou agora constitucional, impugnar a candidatura.  

Dono da maior votação ao Senado pela Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) teve o registro de candidatura indeferido por conta de uma condenação sofrida no TSE por abuso de poder econômico e político. A denúncia feita pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) apontou, na época, que Cunha Lima teria distribuído cheques para cidadãos de seu estado, por meio de um programa assistencial mantido pela Fundação Ação Comunitária (FAC), instituição ligada ao governo do estado.  

No julgamento realizado na época, os advogados do tucano argumentaram que ele não poderia ser cassado por causa do programa social. Ele foi enquadrado na alínea “D” da lei, que prevê oito anos de inelegibilidade para quem for condenado pela Justiça Eleitoral em processos de abuso de poder.  

De acordo com a ficha limpa, ele está inelegível até 2014. Cunha Lima, no entanto, permanece no Senado, já que as regras de inelegibilidade não valeram para a eleição passada.  

Congresso em Foco 

TRADICIONAL CARNAVAL DA ESCOLA VICENTE FEIJÓ DE MELO



Na manhã desta sexta-feira a Escola Vicente Feijó de Melo realizou o seu tradicional Carnaval. Intitulado como o Carnaval da Alegria, todas as salas de aula montaram seus blocos e fizeram seus desfiles. Cada bloco escolheu sai música para o desfile. Numa atmosfera de muita alegria ao som das antigas marchinhas, foi uma verdadeira festa. Direção e professores se empenharam e foi um sucesso.





UM POUCO DA HISTÓRIA DO CARNAVAL 


O que é

O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior a quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval.

História do Carnaval 

O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem européia.
No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos, tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.
No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.
A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.
Carnaval de Recife - Bonecos Gigantes Bonecos gigantes em Recife


O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem as ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e do maracatu. 
Os desfiles de bonecos gigantes, em Recife, são uma das principais atrações desta cidade durante o carnaval.
Na cidade de Salvador, existem os trios elétricos, embalados por músicas dançantes de cantores e grupos típicos da região. Na cidade destacam-se também os blocos negros como o Olodum e o Ileyaê, além dos blocos de rua e do Afoxé Filhos de Gandhi.

EDUCAÇÃO



 FORMAÇÃO PARA PROFESSORES DIRETORES DE TURMA

Auditoria da E.E.P Alan Pinho Tabosa
A crede 2 de Itapipoca realizou no dia de hoje, na cidade de Pentecoste, um dia de encontro para Professores Diretores de Turma. Tivemos a presença de formadores da própria CREDE que ministraram a formação. O encontro foi realizado na Escola Profissionalizante, Alan Pinho Tabosa. Durante o encontro uma professora deu um depoimento de seu trabalho realizado em sua cidade. Ela relatou as conquistas obtidas durante esse período em que ela vem trabalhando no projeto. Conquistas estas que vem sendo utilizados como modelo para outras localidades do Estado.  

Professores Diretores de Turma
O Projeto vem sendo desenvolvido no Estado do Ceará desde 2007. Tendo sido iniciado nas escolas profissionalizante e depois sendo estendido as escolas de ensino regular.
O que fica claro é que o projeto é realmente uma oportunidade de mudança na vida da escola. As pessoas percebem que as salas em que o projeto é implantado e nas quais os alunos se identificam com o professor, a coisa tem dado certo e resultados positivos. Claro, como tudo nesta vida nada é 100%. Entretanto, com a implantação do projeto os alunos passam a ter uma maior interação, passam a serem mais valorizados, alguns paradigmas são quebrados e assim os meninos melhoram seus rendimentos. Também há um fato muito marcante, é que a formação cidadã em si trabalha as questões humanas, ajudando os alunos a se entenderem como pessoas e como protagonistas de sua própria história. Portanto, o projeto apesar de ter seus problemas de adaptação e aceitação por parte de alguns educadores, tem feito a diferença nas salas de aula.
No encontro feito toda uma explanação sobre as mudanças que irão ocorrer na montagem do DOSSIÊ. Durante esses anos de implantação do Projeto, foram sendo percebidas  necessidades de mudanças e de adaptação as nossas realidades.

Professor Valdeni Cruz
  
  

Medida liminar proíbe demissão de agentes da AMC que aderiram à greve da categoria



Os agentes municipais de trânsito exonerados por terem aderido à greve da categoria conseguiram, na Justiça, medida liminar que anula a decisão anunciada na quinta-feira, 16, pela Prefeitura de Fortaleza. Na tarde de ontem, 10 servidores que estavam em estágio probatório foram demitidos após participarem de manifestações grevistas. 

De acordo com o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), a liminar expedida hoje determina que as autoridades estão proibidas de demitirem qualquer funcionário, sem o devido processo administrativo.

Ainda segundo a liminar, se houver qualquer ato punitivo decorrente de adesão ao movimento grevista, o Município estará sujeito a multa diária no valor de R$10 mil para cada ato cometido a cada servidor da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC). 

Em contato com O POVO, o titular da Procuradoria Geral do Município (PGM), Martônio Mont'Alverne, disse que a Prefeitura não foi informada pela Justiça sobre a medida liminar. O POVO apurou que a gestão pretende recorrer da decisão.

Na tarde de ontem, o procurador afirmou que os servidores demitidos teriam entrado na AMC há pouco mais de um mês e já teriam participado ativamente das manifestações dos grevistas. Segundo Mont’Alverne, os funcionários praticaram vandalismo conta as viaturas do órgão e deterioraram a estrutura da sede da autarquia, na avenida Aguanambi.
Redação O POVO Online, com informações do repórter Bruno de Castro


Ficha Limpa: políticos de renome ficam inelegíveis


Jornal do Brasil
A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) a favor da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, e sobre sua validade já nas eleições municipais deste ano, torna inelegíveis alguns políticos de grande expressão no cenário nacional, e precipita o diagnóstico de como será a votação do mensalão. Entre os barrados estão, por exemplo, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), o deputado-federal Natan Donadon (PMDB-RO), o ex-vice-governador do Distrito Federal Paulo Octávio, o ex-presidente da Câmara e atual prefeito de João Alfredo, Severino Cavalcanti (PP-PE), e o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC).
A decisão do STF sobre o mensalão poderá atingir os políticos envolvidos no suposto esquema do PT em 2005, como José Genoíno, José Rodrigues Borba, Anderson Adauto e João Paulo Cunha, caso sejam condenados. Este último, que levanta como bandeira de campanha justamente a aprovação da Ficha Limpa, pode entrar na leva dos que se tornarão inelegíveis. Cunha era presidente da Câmara quando foi acusado de participação no esquema. Na época, foi descoberto um saque em nome de sua esposa no valor de R$ 50 mil no Banco Rural. Ele foi absolvido e escapou do processo de cassação, mas é réu por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato.
João Paulo Cunha defende a Lei da Ficha Limpa, mas pode se tornar inelegível
João Paulo Cunha defende a Lei da Ficha Limpa, mas pode se tornar inelegível
Entre os políticos que não poderão se candidatar estão também pelo menos três envolvidos com o esquema de propina revelado pela Operação Caixa de Pandora, em 2009. É o caso do ex-vice-governador Paulo Octávio e dos ex-deputados distritais Junior Brunelli (DEM) e Leonardo Prudente (DEM). Eles renunciaram aos cargos para evitar processos de cassação. Flagrado em vídeo colocando dinheiro de propina nas meias, Prudente enfrentou processo por quebra de decoro parlamentar e deixou a presidência da Câmara do Distrito Federal.
Situação definida
Acusado de chefiar um esquema de desvio de verbas públicas do Banco Regional de Brasília (BRB), Roriz renunciou ao cargo de senador após a abertura de um  processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Deste modo, de acordo com o texto aprovado nesta quinta-feira, fica impedido de concorrer até o fim do mandato ao qual renunciou, em 2015, e nos oito anos seguintes. Roriz só poderia ser eleito em 2023, quando já terá 86 anos. Em nota, ele protestou: “Infelizmente, o Supremo Tribunal Federal lhes tirou o direito de, soberanamente, escolher o melhor nome para governá-los em 2014”.
Severino Cavalcanti já presidiu a Cãmara
Severino Cavalcanti já presidiu a Cãmara
Assim como Roriz, Severino Cavalcanti abriu mão de seu mandato para não ser cassado. Ele foi acusado de cobrar R$ 10 mil em propina do empresário Sebastião Buati para não tirar-lhe o direito de administrar um restaurante na Câmara. Severino também foi alvo de ação do MP por ter supostamente recebido cerca de R$ 2 milhões para facilitar um negócio do dono da Gol Linhas Aéreas, Nenê Constantino. Ele só poderá se candidatar em 2015.
O deputado federal Natan Donadon, por sua vez, ficará de fora das próximas eleições por ter sido condenado a 13 anos e quatro meses de prisão pelo em regime fechado pelos crimes de peculato e formação de quadrilha. Ele teria desviado dinheiro da Assembleia Legislativa de Rondônia através de fraudes em licitações. Apesar de condenado, ele não cumpre a pena nem perde o mandato já que ainda pode recorrer da sentença.
Já o ex-governador tucano da Paraíba, Cássio Cunha Lima está inelegível até 2014, enquadrado na alínea D da Ficha Limpa por abuso de poder econômico e político. Ele foi condenado no TSE por uma denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) dava conta de que ele teria distribuído cheques para cidadãos do estados por meio de um programa assistencial. Apesar disso, Cunha Lima permanece no Senado, já que as regras de inelegibilidade não valeram para a eleição passada.
Escaparam
Jader Barbalho (PMDB-PA)
Jader voltou ao Senado um ano após receber 1,8 milhão de votos dos eleitores paraenses. Em 2001, renunciou ao mandato no Senado após ser alvo de uma série de denúncias, em meio a uma queda de braço com o então senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Na época, por conta da disputa, ele acabou renunciando ao mandato em 2001. Ele ficaria no cargo até 2003. Como os ministros decidiram que a Lei da Ficha Limpa vale para condenações e renúncias ocorridas antes de 2010, conta-se o prazo de oito anos. 
Apesar de estar envolvido em denúncias de corrupção, Jader Barbalho não está inelegível
Apesar de estar envolvido em denúncias de corrupção, Jader Barbalho não está inelegível
José Roberto Arruda (sem partido-DF)
Apontado pelo Ministério Público como líder de um esquema de propina envolvendo membros do Executivo e do Legislativo da capital federal, Arruda ficou preso por dois meses por ordem do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) cassou o mandato do então governador por infidelidade partidária. Para evitar a expulsão do partido, Arruda saiu do DEM. O partido, então, entrou na Justiça contra ele. Apesar de ter sido preso e da cassação por infidelidade partidária, ele não está inelegível. Assim como o peemedebista Jader Barbalho, ele renunciou ao mandato de senador em 2001, ficando sem os direitos políticos até 31 de janeiro de 2011. 

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...