quarta-feira, 17 de junho de 2015

MEC vai criar fórum para acompanhar piso salarial dos professores

Criado em 17/06/15 07h18 
Por Mariana Tokarnia - Enviada Especial* Edição:Graça Adjuto Fonte:Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) vai publicar no próximo dia 24 duas portarias que avançam no cumprimento do Plano Nacional de Educação (PNE). A data marca um ano de vigência do plano e o fim do primeiro prazo estipulado na lei. As portarias criam o fórum de acompanhamento do piso salarial dos professores e uma comissão, com representantes de estados, municípios e da União, para tratar das metas do plano. O anúncio foi feito no 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, pelo secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino do MEC, Binho Marques.
O PNE foi sancionado na íntegra pela presidenta Dilma Rousseff após quase quatro anos de tramitação no Congresso Nacional. A lei estabelece metas e estratégias para melhorar a educação nos próximos dez anos. Entre elas, estão a erradicação do analfabetismo e a universalização do atendimento escolar dos 4 aos 17 anos. Está também o investimento de pelo menos 10% do Produto Interno Bruto até o fim da vigência.
O fórum de acompanhamento do piso vai ser formado pelo MEC, pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) - que representam os estados -, e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Por lei, o piso salarial dos professores é ajustado anualmente. Atualmente está em R$ 1.917,78.
"Se você quiser saber hoje quem paga o piso, ninguém sabe. Porque nós não temos um acordo nem sobre os conceitos. Como é a hora-atividade, como funciona? Ninguém sabe", diz Marques. Segundo ele, a intenção é que seja criado um portal onde se possa consultar dados de todo o país de cumprimento ou não do piso salarial. "A gente vai ter reuniões regulares para atualizar a informação de quem paga e quem não paga e para discutir assuntos relacionados ao piso. Por exemplo, ninguém concorda com o modelo atual [de cálculo do reajuste], mas não temos consenso quanto a um modelo", acrescenta.

A criação do fórum está prevista no PNE e o prazo para que isso seja feito é de um ano. Perguntado se o governo deixou para a última hora, o secretário diz que a questão está sendo discutida há mais tempo.

Além do fórum, será criada uma instância para discutir o PNE com estados, municípios e a União. "Como somos uma federação, sem um sistema nacional, todo mundo tem muita autonomia, mas é uma autonomia que beira a soberania e isso não é bom porque a gente não consegue trabalhar de maneira articulada. Todo sistema nacional que se preze tem uma comissão tripartite. É uma instância de pactuação entre governo estadual, municipal e federal", diz. A instância servirá de base para a criação de um Sistema Nacional de Educação, articulando os três entes, que também é previsto no PNE e deve ser criado até meados do ano que vem.
As portarias, segundo o secretário, serão publicadas no dia 24, quando o PNE completa um ano de vigência. "É um ato de comemoração do primeiro ano do plano, que para nós é uma grande vitória", diz.
Outros pontos deverão avançar. Também no dia 24, o governo, segundo Marques, vai fazer uma audiência para discutir uma política de formação de professores. Pelo PNE, no dia, termina o prazo para garantir a política de formação docente. Em seis meses deve começar a ser discutido o Custo Aluno Qualidade Inicial (CAQi), mecanismo criado pela Campanha Nacional de Direito à Educação para medir quanto é necessário por aluno para garantir a qualidade na educação básica. Pela lei, o CAQi deve ser implementado até o ano que vem, com dois anos de vigência do plano.
Para o coordenador da campanha, rede que envolve mais de 200 grupos e entidade no país, Daniel Cara, o governo não trabalhou com seriedade no plano e pouco se avançou em direção ao cumprimento. "Esse é o aspecto que fica evidente. O governo tinha que ter chamado a sociedade, inclusive, porque esse é um princípio do plano, há um ano atrás, para discutir o planejamento para cumprir cada uma das metas. Isso não foi feito. Agora lança uma série de medidas e diz que está cumprindo com algo que para ser sério deveria ter sido feito muito antes".
O 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação começou ontem (16) e vai até sexta-feira (19), no município Mata de São João (BA). Paricipam 1.687 representantes de 1.067 muncípios.

*A repórter viajou a convite da Undime
Editor Graça Adjuto




Fonte:   http://www.ebc.com.br/

terça-feira, 16 de junho de 2015

EDUCAÇÃO - INTERDISCIPLINARIDADE

Por Emanuelle Oliveira


interdisciplinaridadeA interdisciplinaridade começou a ser abordada no Brasil a partir da Lei de Diretrizes e Bases Nº 5.692/71. Desde então, sua presença no cenário educacional brasileiro tem se tornado mais presente e, recentemente, mais ainda, com a nova LDB Nº 9.394/96 e com os Parâmetros. Além da sua grande influência na legislação e nas propostas curriculares, a interdisciplinaridade tornou-se cada vez mais presente no discurso e na prática de professores.
A utilização da interdisciplinaridade como forma de desenvolver um trabalho de integração dos conteúdos de uma disciplina com outras áreas de conhecimento é uma das propostas apresentadas pelos PCN`s que  contribui para o aprendizado do aluno.  Apesar disso, estudos têm revelado que a interdisciplinaridade ainda é pouco conhecida.
É possível a interação entre disciplinas aparentemente distintas. Esta interação é uma maneira complementar ou suplementar que possibilita a formulação de um saber crítico-reflexivo, saber esse que deve ser valorizado cada vez no processo de ensino-aprendizado. É através dessa perspectiva que ela surge como uma forma de superar a fragmentação entre as disciplinas. Proporcionando um diálogo entre estas, relacionando-as entre si para a compreensão da realidade. A interdisciplinaridade busca relacionar as disciplinas no momento de enfrentar temas de estudo.
Segundo Libâneo (1994), o processo de ensino se caracteriza pela combinação de atividades do professor e dos alunos, ou seja, o professor dirige o estudo das matérias e assim, os alunos atingem progressivamente o desenvolvimento de suas capacidades mentais. É importante ressaltar que o direcionamento do processo de ensino necessita do conhecimento dos princípios e diretrizes, métodos, procedimentos e outras formas organizativas.
Ela implica na articulação de ações disciplinarares que buscam um interesse em comum. Dessa forma, a interdisciplinaridade só será eficaz se for uma maneira eficiente de se atingir metas educacionais previamente estabelecidas e compartilhadas pelos atores da unidade escolar.
A interdisciplinaridade oferece uma nova postura diante do conhecimento, uma mudança de atitude em busca do contexto do conhecimento, em busca do ser como pessoa integral. A interdisciplinaridade visa garantir a construção de um conhecimento globalizante, rompendo com os limites das disciplinas.
Trabalhar nessa perspectiva exige uma postura do professor que vai além do que está descrito nos PCNS, pois é necessário que ele assuma uma atitude endógena e que faço uso de metodologias didáticas adequadas para essa perspectiva. É através do ensino interdisciplinar, dentro do aspecto histórico-crítico, que os professores possibilitarão aos seus alunos uma aprendizagem eficaz na compreensão da realidade em sua complexidade.

Referências bibliográficas:

CARLOS, Jairo Gonçalves. Interdisciplinaridade no Ensino Médio: desafios e potencialidades. Disponível em: <http://vsites.unb.br/ppgec/dissertacoes/proposicoes/proposicao_jairocarlos.pdf>. acesso em: 22/04/10.
MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 1997.

Ilustração: http://profzanon.blogspot.com.br/2013/01/interdisciplinaridade-derrubando-os.html

Sindicato APEOC exige aprovação do reajuste salarial dos professores


salario.dinheiroA falta de uma explicação da Assembleia Legislativa, que possa justificar razão maior da não inclusão, em pauta, para discussão e aprovação do projeto de lei que determina reajuste complementar de 6,15%, para os professores da educação básica do estado, decepciona as lideranças do Sindicato APEOC. O mencionado projeto chegou ao Poder Legislativo e foi entregue pessoalmente pelo governador Camilo Santana, em 28 de maio. E, mesmo com pedido de urgência para tramitação ainda não chegou ao plenário para início do processo de discussão e aprovação. Inexplicavelmente, tramitou lentamente nas comissões técnicas do Poder Legislativo, como se melhoria salarial dos profissionais da educação básica fosse ação isolada e ainda de menosprezado significado no contexto do processo educacional.
Pagamento de salário digno aos profissionais da educação básica na rede pública de ensino ainda está distante da capacidade de perceber dos gestores públicos brasileiros, apesar dos seus reiterados compromissos assumidos em campanha eleitoral, prometendo luta por uma educação de qualidade social e com profissionais financeiramente valorizados. Reprisar esse lembrete é necessário à mente dos nossos deputados estaduais, pois o Sindicato APEOC não luta, neste momento, por salário digno. De há muitos anos, o professor já deveria estar recebendo, próximo ou semelhante ao que percebe um professor no Canadá ou na Finlândia, em torno de R$ 15 mil/mês. Luta o Sindicato APEOC, obstinadamente, pelo pagamento de um salário mínimo ou piso nacional de salário preestabelecido por lei federal, inclusive também com data de vigência a partir de 1º de janeiro de 2015.
Senhores deputados e gestores públicos, sem educação, sem valorização dos profissionais educadores e sem estímulo à dignidade do ser, não há cidadania nem país desenvolvido, e, nem muito menos com bem estar social. Os professores da educação básica da rede pública cearense merecem esse mínimo de estimulo à dignidade. Aprovar, em regime de urgência, essa insignificante complementação salarial de 6,56%, proposta em projeto de lei do Poder Executivo, tramitando na Assembleia Legislativa, não afeta um milésimo da merecida remuneração de cada parlamentar.
Senhores deputados, o educador mercê um pouco de atenção!
Editorial do Programa Educação em Debate –
Coordenação Sindicato – APEOC.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Livros didáticos novos são encontrados em Ribeirão das Neves - são encontrados no lixo

Cerca de mil unidades estavam em terrenos, na Região Metropolina.
Material seria destinado a escolas públicas, para alunos do Ensino Médio.

G1
Após denúncia feita à Polícia Militar (PM), mais de mil livros didáticos novos, alguns deles ainda embalados, foram encontrados em um lote vago no bairro Santinho e às margens de uma estrada, na zona rural de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, neste domingo (14). A informação é da Polícia Militar (PM).
Ainda de acordo com os militares, o material deveria ser entregue à escolas públicas da Grande BH. São livros de diversas disciplinas, como química e geografia.
Livros didáticos são encontrados em Ribeirão das Neves (Foto: Polícia Militar / Divulgação)Livros didáticos são encontrados em Ribeirão das
Neves (Foto: Polícia Militar / Divulgação)
Junto do material, havia um papel que, aparentemente, é um documento do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), datado de outubro de 2014. O ofício informava que os livros são do Programa Nacional do Livro Didático - PNLD 2015, destinados ao Ensino Médio. Os pacotes fariam parte de uma distribuição prevista para ocorrer até fevereiro de 2015.
Por se tratar de material reutilizável, a orientação do FNDE no documento era de aproveitamento do material por três anos. O documento apontava, também, a necessidade de guardar os livros em local apropriado, até que fossem repassados a alunos e professores.
Segundo informou a Secretaria de Estado da Educação (SEE), os livros didáticos adquiridos pelo PNLD são distribuídos pelo Ministério da Educação (MEC) diretamente para as escolas. Com relação ao material encontrado, o órgão afirmou que vai acompanhar o caso e que trabalha para que nenhum aluno fique prejudicado por alguma eventual falta de material didático. O MEC informou que vai apurar como os livros foram abandonados.
Os volumes foram encaminhados para a Polícia Civil, que vai investigar o motivo do descarte.
Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2015/06/livros-didaticos-novos-sao-encontrados-em-ribeirao-das-neves.html

Comissão elabora 20 metas para o Plano Estadual de Educação do CE


Plenária com entidades civis e do governo ocorreu nesse fim de semana.
Texto vai passar por revisão e segue para Assembleia Legislativa.

G1

Representantes de entidades educacionais, movimentos sociais e de órgãos do Governo do Cearáelaboraram em plenária neste fim de semana 20 metas para aprovação do Plano Estadual de Educação (PEE). Entre os objetivos listados, estão a universalização da educação básica, melhorias salariais para profissionais da educação, elevação da taxa de alfabetização, entre outros. (Veja abaixo a lista completa com as metas.)

De acordo com o coordenador da Comissão Estadual Representativa da Sociedade Civil para Elaboração do PEE, Lucas Fernandes, o plano tem validade de 10 anos para cumprir todas as metas. O documento foi discutido ao longo do último com a participação direta de cerca de 1.500 a 2.000 pessoas em sete regiões do estado.
"Se compararmos o Ceará com o Brasil, temos algumas metas inclusive mais ousadas do que o Plano Nacional de Educação. Isso tem a ver também com o Ceará ter melhorado mais que o Brasil nos últimos anos em diversos indicadores", afirma o coordenador.
Texto segue para aprovação
Após a elaboração, o texto segue para revisão da comissão e depois para o Conselho Estadual da Educação e Assembleia Legislativa, que podem propor emendas e alterações antes de enviar para sanção do governador Camilo Santana. A plenária desse fim de semana teve como objetivo atender à Lei 13.005/2014, do Plano Nacional de Educação, que estabelece como prazo final o dia 24/06/2015 para estados e municípios aprovarem seus planos de educação.

Planos municipais atrasados no Ceará
Apenas 50 dos 184 municípios cearenses já sancionaram os Planos Municipais de Educação, segundo a Secretaria de Educação do Ceará. Segundo o Plano Nacional de Educação aprovado pelo Congresso em 2014, o prazo para que todos os municípios cheguem ao fim dessa tarefa termina em 24 de junho.

Veja as 20 metas definidas pela Comissão Estadual Representativa da Sociedade Civil para Elaboração do PEE,  sujeitas à revisão para o documento final:
1. Apoiar os municípios para, até 2016, universalizar a Educação Infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos de idade e ampliar a oferta de Educação Infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de 0 a 3 anos de idade até 2024.
2. Universalizar, em regime de colaboração com a União e municípios, o Ensino Fundamental de 9 anos para toda a pouplação de 6 a 14 anos e fortalecer estratégias de colaboração com municípios para que, pelo menos, 95% dos(as) alunos(as) concluam essa etapa na idade recomendada, até 2024.
3. Universalizar o atendimento escolar para toda a população de 15 a 17 anos e elevar, até 2024, a taxa líquida de matrículas no ensino médio para 75%.
4. Universalizar, até 2024, em regime de colaboração, para a população de quatro a dezessete anos, o atendimento escolar aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, preferencialmente na rede regular de ensino, garantindo o atendimento educacional especializado em salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou comunitários, nas formas complementar e suplementar, em escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados.
5. Apoiar os municípios para alfabetizar todas as crianças, no máximo, ao final do 2º ano do ensino fundamental.
6. Oferecer, até 2024, em regime de colaboração, Educação em Tempo Integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, de forma a atender a um percentual nãoinferior a 25% dos(as) estudantes da educação básica.
7. Fomentar a qualidade da educação básica em todas as etapas e modalidades, com melhoria do fluxo escolar e da aprendizagem, de modo a melhorar as médias do ENEM, IDEB e o PISA, garantindo a execução das metas estabelecidas pelo PNE.
8. Elevar, até 2024, em regime de colaboração, a escolaridade média da população de 18 a 29 anos, de modo a alcançar no mínimo 12 anos de estudo no último ano, para a população LGBT, as populações do campo, os povos tradicionais e os 25% mais pobres, e igualar a escolaridade média entre negros e não negros declarados à Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
9. Elevar a taxa de alfabetização da população com 15 anos ou mais para 93,5% , erradicar o analfabetismo absoluto e reduzir em 50% a taxa de analfabetismo funcional, até 2024.
10. Oferecer, em regime de colaboração, no mínimo, 25% das matrículas de educação de jovens e adultos na forma integrada à educação profissional, progressivamente, até 2024.
11. Assegurar 30% das matrículas de Ensino Médio articuladas à Educação Profissional e Técnica até o final da vigência do Plano.
12. Elevar, até 2024, em regime de colaboração entre a união, estado e municípios, a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurada a qualidade da oferta e expansão para, pelo menos, 60% das novas matrículas, no segmento público.
13. Elevar, até 2024, em regime de colaboração, a qualidade da Educação Superior assegurando que a proporção de mestres e doutores do corpo docente em efetivo exercício no conjunto do sistema de Educação Superior seja de 75%, sendo, do total, no mínimo, 35% doutores, buscando aumentar a equidade entre as instituições e cursos da Educação Superior.
14. Elevar, em regime de colaboração, gradualmente o número de matrículas na pós-graduação stricto sensu, de modo a atingir a titulação anual de 1700 mestres e 650 doutores até 2024.
15. Apoiar a criação da política nacional de formação dos profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei nº 9.394/ 96, a ser criada em 1 ano de aprovação da Lei 13.005/2014 e garantir, em regime de colaboração, para que todos os professores e as professoras da educação básica possuam formação específica de nível superior, gradualmente aumentando o número dos profissionais com curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam.
16. Formar, em nível de pós-graduação stricto sensu, no mínimo, 60% (sessenta por cento) dos professores de educação básica, ate o ultimo ano de vigência deste PEE, e garantir a todos(as) os(as) profissionais da educação básica formação continuada em sua área de atuação, considerando as necessidades, demandas e contextualizações dos sistemas de ensino.
17. Valorizar os (as) profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei nº 9.394/ 96 da rede estadual de educação de forma a equiparar seu salário base ao dos (as) demais profissionais com escolaridade equivalente no Brasil, até o final do quinto ano da vigência deste plano.
18. Assegurar plano de carreira atrativo para os profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei nº 9.394/ 96 da rede estadual, no prazo de dois anos de vigência deste plano e sua atualização até o ano de 2024 e em regime de colaboração, fomentar a criação e atualização dos planos de carreira para os profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei nº 9.394/ 96 nos municípios, tomando como referência o piso salarial nacional profissional, definido em lei federal, nos termos do inciso VIII do art. 206 da Constituição Federal.
19. Assegurar condições, no prazo de um ano, para a efetivação da gestão democrática da educação, associada a critérios técnicos de mérito e desempenho e à consulta pública à comunidade escolar.
20. Colaborar para a ampliação do investimento público em Educação pública de forma a atingir, no mínimo, o patamar de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) do País até o 5º ano de vigência desta Lei e, no mínimo, o equivalente a 10% do PIB ao final do decênio.
Fonte: http://g1.globo.com/ceara/noticia/2015/06/comissao-elabora-20-metas-para-o-plano-estadual-de-educacao-do-ce.html

Plenária do Plano Estadual de Educação acontecerá nos próximos dias 13 e 14


Nos próximos dias 13 e 14 de junho, na Escola de Saúde Pública, em Fortaleza, será realizada a Plenária para aprovação do Plano Estadual de Educação (PEE). A ação é promovida pela Comissão Estadual Representativa da Sociedade na Elaboração do Plano. A entidade é constituída por movimentos sociais, órgãos públicos, entidades e instituições educacionais. No sábado (13), o evento acontecerá das 8h às 18h, e no  domingo (14), das 8h às 15h. 

O encontro reunirá delegados de todo o estado para deliberar o documento que será trabalhado pela Comissão de elaboração do PEE para envio ao Conselho Estadual de Educação e Assembleia Legislativa. A ação visa atender à Lei 13.005/2014, do Plano Nacional de Educação, que estabelece como prazo final o dia 24/06/2015 para estados e municípios aprovarem seus planos de educação. 

Antes desse momento, foram realizadas pré-plenárias em sete regiões do Estado,  abertas ao público, de modo a permitir que cada cidadão cearense contribuísse na melhoria da Educação do Estado do Ceará. Nesses encontros, houve a eleição dos delegados que estarão na Plenária Estadual para construir o documento que será encaminhado à Comissão Estadual, propondo Metas e Estratégias para o Plano. 

Comissão Estadual Representativa: 

- Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Educação do Ceará, do Conselho Estadual de Educação e da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior 
- Assembleia Legislativa do Estado do Ceará 
- Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza 
- FEE – Fórum Estadual de Educação 
- UNDIME/CE - União dos Dirigentes Municipais de Educação  do Ceará 
- APRECE - Associação do Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará 
- CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação 
- APEOC - Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais Ceara 
- UNCME - União dos Conselhos Municipais de Educação 
- ASSEEC -   Associação dos Servidores da Secretaria de Educação do Estado do Ceará 


Serviço: Plenária para Aprovação do Plano Estadual de Educação 
Local: Escola de Saúde Pública – Av Antônio Justa, 3161 - Meireles
Data: 13 e 14 de junho de 2015
Horário: Sábado (13)  8h às 18h e Domingo (14)  8h às 15h


10.06.2015
Assessoria de Comunicação da Seduc
imprensa@seduc.ce.gov.br



Pré-plenárias do Plano Estadual de Educação seguem até 31 de maio
Até o próximo dia 31, serão realizadas as pré-plenárias que terão como objetivo contribuir para a construção do Plano Estadual de Educação do Ceará. A ação é promovida pela Comissão Estadual Representativa da Sociedade na Elaboração do Plano, constituída por movimentos sociais, órgãos públicos, entidades e instituições educacionais. 

Os encontros estão programados para acontecer em diferentes regiões do Estado. A iniciativa visa atender à Lei 13.005/2014, do Plano Nacional de Educação, que estabelece como prazo final o dia 24/06/2015 para estados e municípios aprovarem seus planos de educação.

As consultas serão abertas ao público de modo a permitir que cada cidadão cearense possa contribuir na melhoria da Educação do Estado do Ceará. Nos encontros, serão eleitos delegados para a Plenária Estadual, em que será deliberado um documento para a Comissão Estadual, propondo Metas e Estratégias para o Plano Estadual de Educação. 

As inscrições podem ser feitas através de http://plenaria-peece.seduc.ce.gov.br

Confira as datas e municípios em que ocorrem as Pré-Plenárias:

Crateús - CE
Dias 16 e 17 de maio de 2015
Horário: 16/05 das 08h às 17h e 17/05 das 08h às 13h
Local: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Campus Crateús 
Endereço: Rua Lopes Vieira, S/N 
Bairro: Venâncios

Quixeramobim – CE
Dias 16 e 17 de maio de 2015
Horário: 16/05 das 08h às 17h e 17/05 das 08h às 13h
Local: EEFM Cel. Humberto Bezerra
Endereço: Rodovia do Algodão, s/n
Bairro: Monteiro de Moraes

Sobral - CE
Dias 23 e 24 de Maio de 2015
Horário: 23/05 das 08h às 17h e 24/05 das 08h às 13h
Local: Centro de Educação à Distância - CED
Endereço: Rua Iolanda Barreiro, s/n
Bairro: Derby Club

Juazeiro do Norte – CE
Dias 23 e 24 de Maio de 2015
Horário: 23/05 das 08h às 17h e 24/05 das 08h às 13h
Local: EEEP Raimundo Saraiva Coelho
Endereço: Avenida Paulo Maia, s/n
Bairro: São José

Jaguaruana - CE
Dias 30 e 31 de Maio de 2015
Horário: 30/05 das 08h às 17h e 31/05 das 08h às 13h
Local: EEEP Francisca Rocha Silva
Endereço: Rua João Celedônio Sobrinho, s/n

Fortaleza - CE
Dias 30 e 31 de Maio de 2015
Horário: 30/05 das 08h às 17h e 31/05 das 08h às 14h
Local: Romanos Hotéis e Eventos 
Endereço: Rua: Padre Pedro de Alencar, 2230 - Messejana


Trairí - CE
Dias 30 e 31 de Maio de 2015
Horário: 30/05 das 08h às 17h e 31/05 das 08h às 13h
Local: EEEP José Ribeiro Damasceno
Endereço: CE 85, S/N – próximo a subestação da Coelce


Compõem a Comissão Estadual Representativa as seguintes instituições:

 - Governo do Estado do Ceará - por meio da Secretaria da Educação do Ceará, do Conselho  Estadual de Educação e da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior;
- Assembleia Legislativa do Estado do Ceará;
-Forum Estadual da Educação
- Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza;
- UNDIME/CE - União dos Dirigentes Municipais de Educação  do Ceará;
- APRECE - Associação do Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará;
- CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação;
- APEOC - Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais Ceara;
- UNCME - União dos Conselhos Municipais de Educação;
- ASSEEC -   Associação dos Servidores da Secretaria de Educação do Estado do Ceará.



:: Mais informações: 
Lucas Fernandes Hoogerbrugge 
Coordenador de Planejamento e Políticas Educacionais - Secretaria da Educação do Ceará 
Fixo: (85) 31013901 | Cel:  (85) 9759-1775 | Skype: lucashoogerbrugge 

13.05.2015
Assessoria de Comunicação da Seduc
imprensa@seduc.ce.gov.br

INFORMAÇÕES DO TCE - MUNICÍPIO DE PENTECOSTE

PARA OS QUE GOSTAM DE FICAR INFORMADOS E SABER DE DADOS VERDADEIROS, DISPONHAM LEIA TUDO E SE INFORME. ESSES SÃO DADOS OFICIAIS. NÃO ES...