sábado, 11 de junho de 2011

Ola!
Boa Noite a todos!
Hoje, sábado, não foi possível levar ao ar o programa a voz do SINDSEP por motivos de força maior. Quero agradecer as manifestações de carinho de todos pelo programa. Estive acometido durante uma semana de uma crise de garganta que não me possibilitou ir ao programa. Além disso, minha filha teve que ser internada com uma leve pneumonia. Porém, tudo já está ocorrendo dentro da normalidade. 
Ouvi de várias pessoas que sentiram saudade do programa. Como representante do Sindicato dos servidores públicos de Penteocste, digo que também sinto muito quando não posso ir fazer o programa. É um momento onde as pessoas aguardam para ficarem sabendo sobre os acontecimentos da cidade, as notícias e tantos outros assuntos dos quais nós tratamos durante o programa. Mas creio que a maior contribuição que esse programa trás para a comunidade de Pentecoste é a compreensão do processo de cidadania que vai se construindo no decorrer do tempo.
Quero agradecer imensamente em nome do SINDSEP, o apoio de todos aqueles que escutam e não só, mas que ajudam a divulgar a mensagem que é proferida durante as audições dos programas. Não posso deixar de agradecer também a cada internauta que acompanha esse blog, pois aqui também se escuta o programa A VOZ do SINDSEP. Além de ouvirem, também podem ler várias matérias postadas que tenho certeza que você aprecia. Tento fazer o melhor para me comunicar com você e poder contribuir com seu crescimento pessoal, intelectual e espiritual, já que tudo isso podem caminhar justos.
Muitíssimo grato!
Professor Valdeni Cruz 

IMPORTANTE!

PREFEITURA DE PENTECOSTE] E-mails importantes

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O site da Prefeitura Municipal de Pentecoste disponibilizou a lista dos e-mails’s oficiais de todas as secretarias administrativas. Nosso blog repassa aos leitores a lista completa:

*Gabinete do Prefeito:
E-mail: gabinete@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Finanças:
E-mail: prefeitura@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Saude:
E-mail - saude@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Obras:
E-mail : seinfra@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Cultura e Turismo:
E-mail : secult@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Ação Social:
E-mail : sas@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Agricultura:
E-mail : agricultura@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Educação:
E-mail: seduc@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria do Meio Ambiente:
E-mail : anbiente@pentecoste.ce.gov.br

*Secretaria de Esporte e Juventude:
E-mail: sejupen@pentecoste.ce.gov.br

*Setor de Convênios:
E-mail: convênios@pentecoste.ce.gov.br

*Setor de Licitações:
E-mail: licitacao@pentecoste.ce.gov.br

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Racismo, você tem?


Nesses dias estou escrevendo sobre temas mais profundos. Ontem, por exemplo, tratei da questão dos charlatões. Hoje vou tratar da questão do racismo, que é uma realidade cruel que ainda existe no Brasil.

Primeiro saiba o que é racismo segundo o dicionário. Racismo: Sistema que afirma a superioridade de um grupo racial sobre os outros, preconizando, particularmente, a separação destes dentro de um país (segregação racial) ou mesmo visando o extermínio de uma minoria (racismo anti-semita! dos nazistas).
Assistindo ao sbt reporter, com Roberto Cabrine, fiquei impressionado como o Brasil ainda vive de forma descarada essa prática. Eu me pergunto pra mim mesmo se tenho algum tipo de racismo ou preconceito e também pergunto a você, será que você tem algum tipo de racismo, preconceitos ou discriminação? 
Preciso dizer que se nos alisarmos bem vamos descobrir que sim. Talvez não seja aquele preconceito de rejeitar ou desfazer de um negro, mas quantos de nós não temos um certo receio se uma pessoa  chegar perto de nós e nos olhar de certo modo pra ver se não vamos desconfiar dele, e se ele estiver mal vestido e principalmente se ele for negro ai a coisa piora. Talvez você já tenha passado por essa situação ou se não já viu alguém sendo grosseiro com uma pessoa  de cor. Já observou que temos poucos negros médicos, gerentes, professores e outros cargos de alto nível? Pois isso demonstra de forma clara a nossa insensateis em sermos racista sem perceber. Isso é uma história antiga. E não pensem, caros leitores, que isso é coisa rara não porque ela está bem presente em nossa sociedade, manchada pela hipocrisia que nós continuamos a construir. Mas gostaria de ser mais incisivo. No caso do Brasil, o preconceito também pode ter outro lado, é o chamado interesse. Se uma pessoa negra se apresenta com boa pinta e principalmente em posse de um carro ou uma moto, ah! Esse com certeza passa a ser visto sem cor, ou seja, o interesse fala mais alto e quem sofre o preconceito nessas horas talvez seja o branco que aparenta ser o sem nada para oferecer. Percebeu agora onde se encontra o problema? O Brasil também sofre de um mau chamado hipocrisia. Eu não quero realmente saber de fato quem é a pessoa e sim o que ela tem nos bolsos, na conta bancária, não importando, portanto, se essa pessoa é um bandido ou um homem de bem. 
Eita racinha humana nojenta. É meus caros leitores e, não fiquemos pesando quem são essas criaturas que ainda agem desse jeito que você vai ficar apavorado, com a verdade que você vai descobrir, pois esse cara ou essa cara é você, sou eu, somos todos nós. No fundo todos temos nossos preconceitos e acharemos algumas razões para dizer o porque de nossas atitudes. O que nós precisamos entender na realidade, é que de fato temos esse problema e que precisamos mudar. Nada nos diferencia dos demais seres humanos, sejam eles brancos, negros, amarelos, todos nascemos, crescemos, viveremos e morreremos do mesmo jeito, recebendo a vida e devolvendo para aquele que nos cedeu, por mais ou menos tempo. Embora alguns tenham, durante sua existência, condições mais favoráveis que outros, todos estão sujeitos as mesmas intempéries da vida: doenças, catástrofes, perdas etc. Só uma coisa eu tenho certeza: todos são da mesma matéria: carne humana, que se decompõem do mesmo jeito. 
Portanto, devemos ter cada vez mais consciência de que somos somente o que somos, independente do que fizermos, só restará uma coisa: Tudo o que construímos de bom: a amizade, a alegria e o bem que fizermos. O resto tudo passa como o vento que sopra, ora forte, ora fraco, mas como sempre, passa. Assim também nós. Agora estamos vivos e podendo fazer alguma coisa. Chegará a hora em que tudo passa e ai...

Professor valdeni cruz

Aqui es para los lectores de outras nacciones 

     En estos días estoy escribiendo sobre temas más profundos. Ayer, por ejemplo, se refirió al tema de los charlatanes. Hoy me referiré a la cuestión del racismo, que es una cruel realidad que aún existe en Brasil. 


En primer lugar saber qué es el racismo de acuerdo con el diccionario. Racismo: Un sistema que afirma la superioridad de un grupo racial sobre los demás, los defensores, en particular la separación de estos dentro de un país (segregación) o incluso que buscan el exterminio de una minoría (racista antisemita Los nazis!). 

Viendo el reportero sbt, Roberto Cabrini, me impresionó como Brasil todavía vive tan evidente que la práctica. Me pregunto a mí mismo si tengo ningún tipo de racismo o prejuicio, y también pido que, ¿tiene algún tipo de racismo, prejuicio o discriminación? 
¿Hace falta decir que vamos a averiguar y lo alisó. Tal vez que no es el sesgo de rechazar o descartar el negro, pero ¿cuántos de nosotros no tienen un cierto temor de que si una persona se acerca a nosotros y se ve de cierta manera y no vamos a desconfiar de él si es desaliñado y especialmente si estás negro? Ya hemos pasado por esta situación o no ha visto a nadie ser grosero con una persona de color. Ya hemos señalado que son pocos los médicos negro, los administradores, maestros y otros puestos de alto rango? Porque demuestra claramente nuestro necio en ser racista sin darse cuenta. Eso es historia antigua. Y, queridos lectores, no creo que no es raro porque ella está muy presente en nuestra sociedad, corrompida por la hipocresía y seguimos construyendo. Pero me gustaría ser más incisivo. En Brasil, el sesgo también puede tener otro lado, se llama interés. Si un negro se presenta con buena apariencia y en su mayoría en posesión de un coche o una bicicleta, ¡ah! Esto sin duda se ve sin color, es decir, el interés está por encima de todo y que sufren el prejuicio de que puede ser la hora que aparece en blanco, sin nada que ofrecer.Ahora se dio cuenta de dónde reside el problema. Brasil también sufre de una hipocresía llamado mal. Yo realmente no quiero saber quién es en realidad, de hecho, la propia gente, pero lo que tiene en sus bolsillos, cuentas bancarias, no importa qué, así que si esa persona es un villano o un buen hombre. 
Por Dios racinha humanos repugnante. Es mis queridos lectores, y no se que sopesar estas criaturas que siguen actuando de esa manera se le aterrorizada con el hecho de que usted encontrará, porque este hombre o un chico que es yo, todos nosotros. En el fondo todos tenemos nuestros prejuicios encontrará alguna razón para decirlo porque de nuestras actitudes. Lo que tenemos que entender la realidad es que tenemos este problema y tenemos que cambiar. Nada nos diferencia de otros seres humanos, ya sean blancos, negro, amarillo, todos nacen, crecen, viven y mueren de la misma manera: conseguir vida y regresar a aquel que nos dio, por más o menos tiempo. Aunque algunos tienen, durante su existencia, condiciones más favorables que otros, todos enfrentamos las mismas tormentas de la vida: las enfermedades, los desastres, las pérdidas, etc. Lo único que estoy seguro, son todos lo mismo: la carne humana, que se descomponen de todos modos. 
Por lo tanto, debemos dejarnos cada vez más conscientes de que somos sólo lo que somos, todo lo que hagamos, habrá una sola cosa: Todo lo que construir buenas: la amistad, la alegría y así lo hacemos, todo lo demás es como viento que sopla fuerte horas, tiempo de pobres, pero como siempre, pase. Así también nosotros. Ahora estamos vivos y podemos hacer algo. Llegará el tiempo en el que todo se va y no ... 

Profesor de la Cruz Valdeni



quinta-feira, 9 de junho de 2011

Videntes! Leia matéria

As pessoas são enganadas de todo jeito. Essa prática de adivinhação, curandeirismo, práticas de ocultismo, ocorrem desde muito milênios atrás. O povo sempre procurou no que se agarrar para justificarem sua fé suas práticas religiosas em deuses ou entidades ditas espirituais. Como todos sabem, o homem é por natureza um ser religioso. Por esse motivo tem necessidades de viver experiências religiosas. O problema é que as pessoas fracas, por causas das adversidade da vida, ou com sentimentos de ganância, de querer ficar ricas, acabam buscando outras práticas um pouco ou muito mais fantasiosas do que costumeiramente se percebem nas religiões oficiais. Embora em todas elas existam os charlatões que também enganem as pessoas em benéficos próprios.
Mas falando de  forma mais restrita, quero mencionar os chamados videntes de esquinas, aqueles que oferecem serviços tais como, posso trazer seu amor de volta, você vai conseguir um amor, ou então é preciso fazer uma macumba por tanto, pode ir atrás que é charlatanismo puro. Prova disso é esse vídeo feito por um cinegrafista de TV que para tirar a prova da prática de estelionatário, provou a safadeza desse pessoal. 
Pobres criaturas desesperadas da vida, em vez de procurar Deus de verdade ou um a uma pessoa séria que possa dar um conselho, vai atrás de charlatões. Esses desgraçados cobram fortunas e pra nada servem, quando na verdade Deus daria um direcionamento certo e não custaria nada. Deus que falo aqui é o Deus de Abraão, Isaac E Jacó. O Deus de Jesus, que veio exatamente para livrar as pessoas desses fardos dos falsos deuses.
É muita falta do uso da razão, quando uma pessoa dotada da capacidade de pensar sai de sua casa para ir ao encontro de cachimbeiras, pois na realidade é o que esses falsos videntes são. Com aquele ar de pessoa que sabe tudo, usando sempre com um ar de mistério, em posse de cigarros, com aspecto de sujeira ou ar de assustador, enganam aos pobres desprovidos da razão e da fé naquele que liberta dessas amarras enganosas. Digo isso por que já vi de perto. Não estou levantando falso não, eu vi. Quando ainda jovem, um tio meu acometido de doenças reumáticas, era levado para essas tal de curandeiras ou, como gosto de chamar, cachimbeira. Normalmente retirava da pessoa pedaços de ossos e pregos com a boca fazia uns mungangos e presepadas e assim dizia que o pobre homem engando se sentisse acreditado em tal fantasia. Ilusão pura, porque nada acontecia. Se não fosse os médicos, que são aceitos por Deus para fazerem pesquisas e poderem desse modo, ajudar a ser humano a se recuperar de suas enfermidades, esses não salvariam a ninguém, nem a si próprios. 
É preciso sermos mais racionais e termos uma fé pura. Fé pura e crer num Deus único. Crer no Deus verdadeiro é ter somente o Senhor Jesus como Senhor e não fazer misturas. Como por exemplo: Eu sou católico, mas vou num terreiro e acendo uma vela pro Santo, que não sei la qual. Gosto de ir a missa mais também acredito em duendes, que almas aparecem, na reencanção... Essas coisas atrapalham a fé das pessoas e por isso mesmo tornam-se confusas ai ta feito a bagunça. Firma-te na verdade. A verdade é única. Podem aparecer milhões de pessoas com suas verdade mas ela supera tudo. A verdade que falo aqui é a palavra de Deus, próprio Deus que se revelou ao homem de maneira natural, humana, sobrenatural e divina. Nunca apavorou ao homem e sempre se manifestou em favor do homem, dizendo ser o próprio homem o motivo de sua morte. Jesus concretizou o sonho de Deus para com o homem, fazê-lo de fato semelhante a ele. E fê-lo de maneira extraordinária, entregando-se num madeiro para que o preço da vida de todos fosse pago de uma só vez. O preço foi realmente muito caro: Todo o sangue de um justo, que entregando-se a morte sofre todo o flagelo pelo vida de todos os homens e por isso nada cobrou a não ser que nos voltássemos para ele de corpo e alma. Esse sim é um Deus de verdade. Todos os outros são falsos e podem procurar razões para justificar sua crença neles. Quando esgotarem-se as teorias sobre eles, Esse Deus que estou falando, se tornará ainda superior pois não foi criados por teorias humanas a todos ele é um DEUS absoluto e único. Por isso mesmo ele é Deus, pois só se entende quando se apequena para vislumbrar a sua grandeza.
Poderia continuar falando e escrevendo sobre esse Deus, mas acho que nesse contexto é o suficiente para que você pense e reflita sobre isso. Quantas bobagens o homem tem inventado para colocar no lugar de Deus e só tem se decepcionado. Será que não é muita tolice? Penso que você, sendo inteligente como é, não deveria se dar ao luxo de viver atrás desses charlatões que engam e fazem o mal.  
Professor Valdeni Cruz               


EVANGELHO DO DIA

Evangelho (João 17,20-26)

Quinta-Feira, 9 de Junho de 2011
Bv. José de Anchieta

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

COMETÁRIO
Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo:
20“Pai santo, eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra; 21para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste.
22Eu dei-lhes a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um:23eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste a mim. 24Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. 25Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci, e estes também conheceram que tu me enviaste.
26Eu lhes fiz conhecer o teu nome, e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu mesmo esteja neles”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Estamos diante da continuação do discurso da Ceia e Jesus está intercedendo por todos, tanto por Seus discípulos quanto por aqueles que, mais tarde, acreditariam na Sua mensagem.
Jesus intercede num mundo onde pessoas se afundam na lama do vício e do pecado, em meio ao desespero e tentando levantar a mão pedindo socorro, angustiadas. Jesus intercede onde esposos se agridem, caminhando para a separação e o divórcio. Ele intercede onde pais são maltratados por seus filhos e onde os filhos são torturados por seus próprios pais. Que tristeza!
O Filho de Deus intercede onde a unidade desejada por Ele e por Seu Pai é ferida pelo maior escândalo no mundo, que consiste na divisão entre pobres e ricos.
Os ricos apropriam-se dos meios que sustentam a vida e relegam os pobres à privação e à morte. Grandes barreiras e muros são construídos excluindo e eliminando os povos empobrecidos. O que dizer? Estamos diante de um quadro de terrível violência, vingança e ódio no mundo em que vivemos.
Mas, graças a Deus, este não é o nosso fim. Aquele que – desde o início – pensou em nós, está atento a tudo e Ele mesmo decidiu vir até nós para nos consagrar na unidade. Embora vivendo ainda no mundo, Jesus atrai-nos para as realidades do Céu: “Pai, quero que, onde eu estiver, aqueles que me deste estejam comigo a fim de que vejam a minha natureza divina”.
Ele reza por nós a Deus, Seu Pai, e por isso também nosso Pai, para que Ele nos guarde na unidade e – uma vez assim guardados – sejamos um no amor, o que significa unidade no gozo da vida de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
Pai, fazei-me continuador da missão de Jesus, que consiste em manter a unidade da Sua Igreja, para que – embora vivendo ainda no mundo – possamos saborear já aqui na terra aquilo que seremos no Céu. Amém.
Padre Bantu Mendonça

quarta-feira, 8 de junho de 2011

SUPERANDO AS ADVERSIDADES

Quer queiramos ou não, a adversidade faz parte da vida. Superar as adversidades é um dos maiores obstáculos que enfrentamos. Os problemas, sejam grandes ou pequenos apresentam-se a nós durante toda a nossa existência. Independentemente de quão animado, inteligente, ou contente estejamos no momento, independentemente de a vida nos correr às mil maravilhas, inesperadamente todos nós algumas vezes somos confrontados com problemas, lutas, desafios, dificuldades. É como se fossemos postos à prova, para vermos de que fibra somos feitos, como é que conseguimos enfrentar algumas situações catastróficas e angustiantes. Não pretendo passar a mensagem que quanto mais adversidade melhor, nem sou apologista de que o sofrimento é algo de bom. Não, o sofrimento incapacitante não é benéfico. Ainda assim, não invalida que pensamos nele como uma realidade que acontece na vida de cada um de nós, certamente em número e intensidade diferentes de pessoa para pessoa. Quando acontece, aceitá-lo é uma parte da estratégia para nos livrarmos de mais sofrimento. Aceitá-lo pode constituir uma forma de nos reestruturarmos e seguirmos em frente.
Conforme Havelock Ellis escreveu: “A dor e a morte são parte da vida. Rejeitá-las é rejeitar a própria vida.”
Na verdade, graças a Deus pela adversidade! Aprender a lidar e superar as adversidades, é o que nos faz ser quem somos. Cada desafio, a cada dificuldade que enfrentamos com êxito na vida serve para fortalecer a nossa força de vontade, confiança e capacidade de vencer os obstáculos futuros.

Heródoto, filósofo grego, disse: “A adversidade tem o efeito de atrair a força e as qualidades de um homem que as teria adormecido na sua ausência.”
Quando você responder de forma positiva e construtiva aos seus maiores desafios, as qualidades as forças e virtudes como, coragem, caráter, combatividade, esperança e perseverança emergem lá de dentro. É claro que, dado que somos humanos, é muito fácil cairmos na auto-piedade, na injustiça da vida, ou na armadilha do “porquê eu?”. Quando fazemos isso, deixamos de reconhecer as oportunidades de sabedoria e de crescimento que acompanham a adversidade. No entanto, assim que conseguimos ou nos permitimos pensar mais claramente, que somos capazes de deixar a vitimização auto-destrutiva e pensamentos improdutivos, também ficamos mais capacitados  para lidar com o que está diante de nós.

DICAS PARA SUPERAR A ADVERSIDADE

1. Esteja atento, e aceite que a adversidade é inevitável na vida. Como já foi referido, a adversidade faz parte da vida. Uma vez que nos aconteça algum infortúnio, não o aceitar ou resistir-lhe só vai fazer com que persista. Não quero dizer com isto, que sejamos passivos ou complacentes com a adversidade e que ao aceitá-la nada façamos para minimizar ou recuperar dela. Não é nada disso, o que quero dizer é que aceitar é um caminho para se desprender e reestruturar-se. É uma forma viável de procurar caminhos alternativos e seguir em frente.  Onde quer que possamos ir existe certamente alguma forma de adversidade, mesmo que não seja a nossa. Há inundações, tsunamis, guerras e calamidades de todos os tipos. Mesmo dentro do seu próprio círculo de familiares e amigos há perda, morte e tragédia. Embora a dor seja inevitável, o sofrimento exacerbado é opcional. Tal, como por contraste a felicidade é possível mas é opcional.  Então o que podemos fazer?
2. Construa os seus recursos internos. Antes que a  adversidade o atinja, deve propor-se a trabalhar no seu equilíbrio emocional, deve fortalecer a sua musculatura emocional, coragem e disciplina. Quando você se torna consciente de que algumas dificuldades são inevitáveis, você pode preparar-se mentalmente para enfrentar as adversidades de cabeça erguida. Não será muito diferente do sentimento de um soldado que vai para a guerra. Ele (ou ela) prepara-se física e mentalmente para qualquer possibilidade. O militar sabe que pode ser desastroso, assustador, e esgotante, mas ele sente-se preparado e equipado com um conjunto de estratégias que lhe permitem enfrentar a situação com coragem. Na maioria das vezes, quando você está preparado para o pior, o pior nunca acontece, ou é muito menos grave do que o previsto.
Atenção, não estou dizendo que nos devemos movimentar na vida sempre em alerta, a ver onde está o perigo ou com o sentimento de que estamos na eminência de nos acontecer algo de ruim. Não, isso não é benéfico, pelo contrário, pode ser contraproducente. Mas tal como um médico, enfermeiro, bombeiro, ou paramédico, ou você mesmo se prepara com um curso de primeiros socorros para agir em consonância quando for necessário salvar um vida em aflição eminente, assim deveremos fazer nós. A preparação para reagir, para agir e saber como atuar em situações difíceis, é como um Kit de Primeiros Socorros  para quando o “azar” nos bater à porta. Se tivermos e soubermos usar, certamente evitaremos danos maiores.
Outro recurso valioso é a auto-confiança. A Confiança  que tudo vai dar certo, a esperança que sempre há uma luz no fim do túnel, e esperança que “este infortúnio também passará.” Tudo na vida tem o seu lugar e propósito, cabe-nos a nós fazer essa gestão.
3. Construa os seus recursos externos. Construa um sistema de apoio baseado na família e nos amigos. Quando as coisas ficam difíceis, todos nós precisamos de encorajamento e apoio. Precisamos de alguém com quem conversar, alguém para ajudar a aliviar o fardo. Você ficaria surpreso ao descobrir quantas vezes um amigo teve uma experiência semelhante e pode ajudar a guiá-lo no momento difícil. O facto de saber que um amigo está lá quando você precisa dele, pode ser muito reconfortante. Se a sua condição perante a adversidade não for ultrapassada e gerar problemas psicológicos como a depressão ou ansiedade, não hesite em procurar ajuda profissional, seja através de uma consulta de psicologia ou de um grupo de suporte específico, como por exemplo determinados grupos de ajuda.
4. Aquilo que não mata nem sempre faz você mais forte. Desculpe Nietzsche, mas não posso concordar integralmente na  afirmação, “o que não nos mata torna-nos mais fortes“, ela não é completamente realista. Por exemplo, se você não tiver construído e desenvolvido determinados tipo de resistência ou experiência suficientes para lidar com a dificuldade, a adversidade pode esmagá-lo. Por outro lado, se você tem resistência suficiente, se desenvolveu e trabalhou determinadas forças, então na verdade isso vai fazer você ficar mais forte. Como assim, você pergunta? A Resiliência como qualquer músculo no nosso corpo é construída gradualmente e exponencialmente com a exposição repetida aos obstáculos e às forças externas. Não necessariamente,  se você não tem prática no enfrentamento dos obstáculos (como quando você escolhe evitá-los), se você decidir ainda assim propor-se ao desafio de tentar, a coisa certamente correrá mal, um evento traumático pode derrubá-lo. Como tudo na vida, a preparação é amiga da eficácia e do sucesso. Sem preparação o fracasso é uma possibilidade muito forte.
Para sublinhar este ponto, as pesquisas de desenvolvimento tem mostrado que crianças traumatizadas são mais, e não menos, prováveis de virem a sofrer novamente de algum tipo de trauma ou consequência negativa. Da mesma forma, aqueles que crescem em bairros difíceis têm uma propensão para o desequilíbrio emocional,  tornam mais susceptíveis perante a adversidade, não se tornam mais resilientes, e são mais propensos a debater-se na vida.
5. Inspire-se e aprenda com os outros que têm que lidar com o sucesso e com a adversidade.Há muitas histórias inspiradoras de pessoas que superaram obstáculos aparentemente intransponíveis. Eles triunfaram sobre as suas adversidades para viver uma vida produtiva e bem-sucedida, em vez de se renderem a elas. Para aprofundar este tema, leia: Porque razão desistimos dos nossos objetivos.
Não quero com isto dizer que ao ver, ler ou assistir aos feitos dos outros os seus problemas ficam resolvidos, ou que isso diminuirá a dor ou o sentimento que tem. Provavelmente não, e essa não é a minha intenção. No entanto, ao tomar consciência das estratégias e formas que essas pessoas accionaram e/ou utilizaram para fazer face aos seus problemas ou para ir ao encontro dos seus sonhos e objetivos, pode promover e estimular em si uma mudança de perspetiva face à sua situação. Este mudança de perspetiva pode ser promotora para descobrir novos caminhos para a resolução da situação difícil em que se encontra.

PONTOS A RETER:

  • Os tempos difíceis que acontecem na nossa vida, podem ajudar-nos a compreender e a apreciar os momentos em que as coisas nos correm bem.
  • Olhe para as oportunidades de aprendizagem que todas as situações adversas contêm.
  • Decida se você vai permitir que a sua experiência o deite a baixo. Dependendo da forma como você interpreta a situação, acha que a poderia olhar de uma outra forma, de preferência mais capacitadora.
  • Esteja preparado para aceitar o pior, quando ele ocorrer. Quando se prepara mentalmente para o pior, isso raramente acontece, e se isso acontecer, parece menos catastrófico, porque você está melhor equipado para lidar com isso.
  • Cultive a coragem, auto-confiança e superação. Quanto mais dessas qualidades você conseguir reunir, menor será o impacto da adversidade.
  • Lembre-se que a adversidade faz parte da vida. Aceitar as adversidades, ajuda a superá-las.
Superar as adversidades é um dos nossos principais desafios na vida. Quando resolvemos enfrentar e superar, tornamo-nos especialistas em lidar com ela e, consequentemente, promovemos o triunfo sobre as nossas lutas do dia-a-dia.
Abraço

http://www.escolapsicologia.com

Decadência da moral

Entende-se por moralidade o conjunto de normas e princípios de conduta. Na atualidade, a moral é o princípio de conduta que decai com o passar dos dias. Quem é que nunca se deparou com alguém ou até consigo mesmo menosprezando valores passados pela família ou pela religião para fazer o que lhe bem aprouver?

A sociedade tem se mostrado cada vez mais desprendida de condutas morais que em anos atrás se fazia valer. Segundo Lázaro Curvêlo Chaves (bacharel e licenciado em ciências sociais pela UFF), nas décadas de 50 a 70 não havia a modernidade de hoje, mas em contrapartida as pessoas viviam com mais segurança e com mais dignidade, já que os salários eram compatíveis com a realidade social (apesar de existir a pobreza, era em menor número em comparação aos dias atuais).

Os meios de comunicação que antigamente eram utilizados com a finalidade de realmente fazer a comunicação de assuntos importantes entre pessoas hoje são utilizados como meios de alienação. Hoje, os meios de comunicação são utilizados para derrubar toda e qualquer moralidade partindo da defesa do individualismo e do direito de fazer o que tiver vontade.

A decadência da moralidade está estampada nas fraudes políticas, nas leis que defendem o individualismo, nas pessoas que não se preocupam com o próximo, nas propagandas que estimulam a sexualidade e ainda na sociedade que se deixa influenciar. O desvirtuamento dos valores morais traz conseqüências graves às pessoas, pois estimula adolescentes a iniciarem a vida sexual de forma precoce, estimula as pessoas a se desligarem do coletivismo e o preconceito contra os menos favorecidos.

É necessário que a sociedade acorde para a real situação e revolucione o comportamento da nação e isso com responsabilidade e consciência. Existem valores éticos que são fundamentais para que a sociedade viva em harmonia.

Evangelho (João 17,11b-19)

Quarta-Feira, 8 de Junho de 2011
7ª Semana da Páscoa


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo:
11b“Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. 12Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu os guardei e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura.
13Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. 14Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. 16Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo.
17Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. 18Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. 19Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Jesus não poupa Seus discípulos das tribulações que o mundo lhes prepara. Melhor dizendo, o Mestre não lhes reserva um lugar especial, geograficamente separado, onde estejam imunes às tentações: “Não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do maligno”.Aliás, é pelo fogo que se prova o ouro. A prova de sua fé acontece no confronto com o maligno. É então que podem dar mostras da solidez ou da fragilidade de sua adesão ao Senhor.
E diante do futuro confronto com o príncipe deste mundo, Jesus se coloca em oração – já aqui na terra – por eles e os consagra a Deus: “Pai santo, pelo poder do teu nome, o nome que me deste, guarda-os para que sejam um, assim como tu e eu somos um”. No colóquio com o Pai, Cristo alude ao fato da deserção de um discípulo, seduzido pelo maligno:“Nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição”.
Jesus Cristo pede a graça da unidade para os Seus discípulos. Ele é um com o Pai. E veio ao mundo para revelar aos homens o Pai, para que estes comunguem na própria vida do Pai, junto de quem Ele é representante. A unidade é, por isso, a comunhão de vida existente entre o Pai e o Filho, e que, pelo Filho, vem até aos homens. Os que chegarem ao conhecimento do Pai pela palavra do Filho entrarão na unidade com Deus Pai se se deixarem consagrar por essa Palavra da verdade que o Filho lhes revela.
Todo o Seu ministério foi marcado por uma dedicação exemplar àqueles que o Pai lhe confiara. Guardava-os, com desvelo, para não se desviarem do caminho. Falava-lhes do Pai, revelando-lhes a Sua face amorosa. Consagrou-os na verdade e os enviou para serem continuadores de Sua missão.
A vida do Espírito Santo sobre os discípulos enviados para a missão é a segurança esperada por eles de Deus, que os consagra no amor e na alegria. Assim, como Deus consagrou o Seu Filho, assim também Jesus os consagra a Deus – Seu Pai – e os envia em missão, ao mundo, para darem testemunho e serem testemunhas da Verdade, que é a realização da vontade de Deus: justiça, paz e vida sobre a terra.
Padre Bantu Mendonça


PALOCCI CAI

Hoje o Brasil acorda com sabendo da queda do Ministro Palocci, o já caiu tarde. Não pode admitir que agente político seja maior do a soberania do povo brasileiro.
Parece um castigo. Até quando vamos ter que conviver com essa realidade ou herança maldita?
É realmente  lamentável termos que ver todos os dias notícias como essas que aparecem na tv sobre casos de corrupção e vermos quase nada ser feito. Desse modo, forma-se a idéia que ir pra política é entrar no covil de cobras, ladrões e outros termos semelhantes.
Aguardamos o dia em que tenhamos políticos mais sérios e comprometidos com a coisa pública.

Professor Valdeni Cruz  

Dilma, a primeira baixa


Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL

A saída do ministro Antonio Palocci é um alívio. Tanto para o governo quanto para ele próprio que, sem ônus nem bônus da função pública, poderá, como cidadão, defender-se das acusações e, dando a volta por cima, ter o direito de cobrar reparação de seus acusadores e, até, voltar fortalecido ao governo. A volta desagravadora não é novidade na administração pública brasileira. Em novembro de 1993, Henrique Hargreaves, também ministro da Casa Civil, no governo Itamar Franco, deixou o cargo sob a acusação de ter desviado verbas do governo federal. Em fevereiro do ano seguinte, depois de inocentado, voltou ao posto com mais força que antes e hoje faz parte da equipe de Itamar no Senado. Mais recentemente a pasta vivenciou o mensalão, que derrubou e cassou o mandato de deputado de José Dirceu, e o tráfico de influência, determinante da queda de Erenice Guerra, sucessora de Dilma no ministério.
            A Casa Civil, que tantos problemas sofreu, deu ao PT a presidente Dilma Rousseff que, na queda de José Dirceu, foi pinçada no Ministério das Minas e Energia. Tornou-se a mulher forte do governo Lula e foi feita sucessora do presidente. Agora, a exemplo do que fez Itamar em relação a Hargreaves, Dilma aceitou a demissão de Palocci, até então importante colaborador tanto de sua campanha quanto do governo. É o cortar da própria carne, que Lula titubeou fazer em relação a Dirceu e Erenice.
            Saindo, Palocci evita constrangimento ao governo. Evita ser o “quisto”, em que Itamar temeu transformar-se Hargreaves se não o afastasse na época das acusações. Dilma poderá continuar o governo com absoluta tranqüilidade a partir de agora e, se o ex-ministro safar-se dos problemas, reconduzi-lo oportunamente ao mesmo posto ou a outra posição de governo, podendo desfrutar integralmente de sua capacidade e força de trabalho, hoje combalidas pelas denúncias. Ficará aberto, inclusive, o caminho político para ele pleitear o governo de São Paulo, conforme já se especulava antes da crise.
            Caímos invariavelmente na figura da mulher do imperador romano que, além de honesta, tem de parecer honesta. Palocci, até o momento, não tem contra si uma prova de desonestidade – tanto que o procurador-geral da República não o denunciou -, mas a sua evolução patrimonial dificulta a aparência honesta, tão necessária desde a antiguidade. Muito provavelmente, será capaz de demonstrar lisura e legalidade em suas ações. Já tomou antecipadamente uma medida concreta que é declarar à Receita Federal e pagar impostos sobre sua elevada renda de consultor.
            O governo e a nação são maiores do que qualquer agente público ou ação que possa desaboná-lo. A saída de Palocci dá uma importante indicação e sugestão para o bom andamento dos governos, tanto o federal quando os estaduais e os municipais. Assim como a presidente, governadores e prefeitos têm o dever de afastar seus auxiliares sob suspeita. Quem apresentar problemas tem de sair, mesmo que seja para voltar depois de resolvidas as dúvidas. O governo jamais poderá conviver e muito menos compactuar com a dúvida e a falta de transparência. Importante: para voltar não deve bastar a absolvição do acusado por falta de provas. Tem de haver a certeza do não cometimento do ilícito...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Comentário político

Estamos numa corrida contra tempo para as eleições de 2012. Aqui em Pentecoste, nas esquinas da vida, vez por outra já estão sendo acaloradas as discussões a respeito de quem pode vir a ser o candidato ou os possíveis candidatos a prefeito de Pentecoste.
É bom ficarmos atentos, as opções. Existem os que já foram, mas que na realidade é como se não tivessem sido. Pentecoste não lucrou em nada, pelo contrário, só perdeu. Outros demonstram estar do lado da população só no período das eleições. Outros só aparecem em tempo de eleição. Temos que ficar atentos com aqueles que não perdem a oportunidade só para faturar.
Acho que está na hora do novo. Quando digo novo, falo de candidatos que fogem a regra de tudo que já vivemos em Pentecoste. Outra coisa, deixar de fora do novo projeto pessoas que possam vir a sujar essa nova estrutura política. Já sabemos que alguns mas atrapalham do que ajudam a qualquer candidato.
Pentecoste de fato precisa do novo, de uma nova história. História essa que será construída com um projeto sério. Não será construída pelos que tem segunda intenções.
Pencoste não pode se dar ao desprezo de continuar rastejando com uma política medíocre, baseada na compra de voto e na troca de favores, etc.
pentecoste é hora de aprendermos com os erros. Não da mais para com esses descasos e desmandos que vem  ocorrendo e permitir que ainda continue pelos anos a fora.
Acho que estamos preparados para fazermos diferente. Havia um tempo em que as pessoas iam para as urnas votar com um cabresto na cabeça, orientado pelo Coronel, dono do curral eleitoral. Do contrario, o encabrestado seria punido de alguma forma. Hoje a tristeza é ainda maior, visto que as pessoas não estão mais em currais fechado com os capatazes pastoreando, mas estão indo para o curral de livre e espontânea vontade. Creio que é pior ainda, pois as porteiras dos currais estão já foram abertas e não precisam ficar dentro deles. Porém, alguns fazem questão de não quererem ser livre e se submetem a esse tipo liberdade que não podem dizer nem fazer o pensa pois pode acorrer do dono do curral aberto vir ficar chateado. Afinal, mesmo o curral estando aberto as pessoas continuam sendo vigiadas para não procurarem outro curral ou melhor que corram por ai livremente pensando e opinando do jeito que tiver vontade.

Professor Valdeni Cruz       
         

segunda-feira, 6 de junho de 2011

O CONCEITO DE POLÍTICA EM ARISTÓTELES


Aristóteles começou a escrever suas teorias políticas quando foi preceptor de Alexandre, “O Grande”. Para Aristóteles a Política é a ciência mais suprema, a qual as outras ciências estão subordinadas e da qual todas as demais se servem numa cidade. A tarefa da Política é investigar qual a melhor forma de governo e instituições capazes de garantir a felicidade coletiva. Segundo Aristóteles, a pouca experiência da vida torna o estudo da Política supérfluo para os jovens, por regras imprudentes, que só seguem suas paixões. Embora não tenha proposto um modelo de Estado como seu mestre Platão, Aristóteles foi o primeiro grande sistematizador das coisas públicas. Diferentemente de Platão, Aristóteles faz uma filosofia prática e não ideal e de especulação como seu mestre. O Estado, para Aristóteles, constitui a expressão mais feliz da comunidade em seu vínculo com a natureza. Segundo Aristóteles, assim como é impossível conceber a mão sem o corpo, é impossível conceber o indivíduo sem o Estado. O homem é um animal social e político por natureza. E, se o homem é um animal político, significa que tem necessidade natural de conviver em sociedade, de promover o bem comum e a felicidade. A pólis grega encarnada na figura do Estado é uma necessidade humana. O homem que não necessita de viver em sociedade, ou é um Deus ou uma Besta. Para Aristóteles, toda cidade é uma forma de associação e toda associação se estabelece tendo como finalidade algum bem. A comunidade política forma-se de forma natural pela própria tendência que as pessoas têm de se agruparem. E ninguém pode ter garantido seu próprio bem sem a família e sem alguma forma de governo. Para Aristóteles os indivíduos não se associam somente para viver, mas para viver bem. Dos agrupamentos das famílias formam-se as aldeias, do agrupamento das aldeias forma a cidade, cuja finalidade é a virtude dos seus cidadãos para o bem comum. A cidade aristotélica deve ser composta por diversas classes, mas quem entrará na categoria de cidadãos livres que podem ser virtuosos são somente três classes superiores: os guerreiros, os magistrados e os sacerdotes. Aristóteles aceita a escravidão e considera a mesma desejável para os que são escravos por natureza. Estes são os incapazes de governar a si mesmo, e, portanto, devem ser governados. Segundo Aristóteles, um cidadão é alguém politicamente ativo e participante da coisa pública. Segundo Aristóteles, sem um mínimo de ócio não se pode ser cidadão. Assim, o escravo ou um artesão não se encontra suficientemente livre e com tempo para exercer a cidadania e alcançar a virtude, a qual é incompatível com uma vida mecânica. E os escravos devem trabalhar para o sustento dos cidadãos livres e virtuosos. Aristóteles contesta o comunismo de bens, mulheres e crianças proposto por Platão. Segundo ele, quanto mais comum for uma coisa menos se cuida dela.

 COMENTÁRIOS DE VALDENI CRUZ

Analisando esse conceito de política, segundo a visão de Aristóteles, se torna uma utopia, quando percebemos qual é a política da nossa realidade. Nossos políticos se comportam completamente ao contrário desse conceito aristotélico.  
O que estamos vendo agora e pelo que sabemos da história, recente e antiga, é que dos que se decidem a seguir a carreira política, poucos foram os que realmente foram exemplos honrados de homens públicos. A maioria deles permanecia no poder a vida toda mantendo seus súditos sob seus domínios, o que para isso usavam da força para forçá-los a obediência.Geralmente esses governantes se aproveitavam do poder a eles conferidos para explorarem os trabalhadores em benefícios próprio, através da corrupção e aberração de toda desordem.
Voltando-nos para uma realidade mais próxima de nós, o próprio Brasil, é um exemplo claro das atrocidades políticas cometidas no decorrer de sua história, seja ela do Período Imperial ou no Período Republicano.
É triste lermos na história relatos de pessoas que eram enforcadas, esquartejadas e jogadas nas praças públicas para amedrontar a toda população de uma cidade, província ou no país como um todo, só para que fosse demonstrada a força de um determinado governante.
Sem me estender muito nesses fatos que estão registrados na história de nosso país, quero dizer que essa realidade continua nos nossos dias atuais. Todos os dias nós assistimos a noticiários de casos que nos causam repugnância. São escândalos de toda ordem. Homens públicos que deveriam preservar a ordem publica, o bem comum, que é a máxima, digamos assim, da política, aproveitando – se daquilo que é gerado pelo próprio povo, que são os impostos, para fins pessoais em detrimentos de uma maioria que fica jogada a própria sorte.
Conversando com um amigo meu, ele disse que mesmo aqueles que agente pensa que tem boas intenções, estão sempre com segundas intenções, tentando aproveitar-se de alguma situação para beneficiar-se.
Isso fica provado quando percebemos que governadores, prefeitos, deputados, entre outros, fazem desvios de verbas utilizando-se de falcatruas, através de licitações fraudulentas, onde se juntam a cambada de espertalhões e aproveitadores dos benefícios públicos para construírem seu patrimônio individual.
Por trás de toda essa safadeza tem sempre os que fazem papel de trouxa. São os chamados laranja, que se oferecem para prestar esse papel deplorável. O mais incrível de tudo isso é que querem causar sempre a impressão de que estão sim fazendo o melhor pela Cidade, Estado, ou outras instâncias.
É vergonhoso termos que conviver com essa realidade constantemente de desvios de verbas publicas, que seriam usadas para educação, construção de casas para quem não tem moradia, gerar empregos, matar a fome das pessoas, irem para as contas de alguns charlatães, que estando assumindo um cargo que foi conferido pelo povo, não dão minha para essa realidade. É revoltante e o mais doloroso é ver que existem pessoas com sã consciência concordando com tal realidade sem nenhum constrangimento.
Essa é de fato uma realidade amarga que nos faz pensar seriamente sobre...
Fico particularmente inquieto com tudo isso. Ver esses nossos representantes políticos contra o seu próprio povo. Mas ao mesmo tempo consigo detectar a terrível idéia e que isso é na verdade características do homem. É o desejo de ser, poder. Não importa o que eu tenha que fazer para chegar aonde quer. O que importa são os objetivos que quero alcançar. Embora que para isso tenha que perder a vergonha, o senso da ética. Mando tudo embora para poder corresponder com minha ansiedade de ter. Se não consigo sendo uma pessoa normal, usando os meus dons naturais do trabalho da honestidade, que mesmo eu sabendo que é um caminho seguro, prefiro ir por vias intermediárias para chegar mais rápido. Isso requer de mim uma capacidade de sufocar meus princípios em nome do poder, da fama, da glória... Pergunto, será que tudo isso é valido?
É dentro desse chiqueiro de porcos que vejo que anda a política brasileira. As reportagens de televisão nos são a dimensão do descaramento desses nossos políticos. Devoram o dinheiro publico em benefícios próprios, usando de uma safadeza chamada marketing para despistar a opinião pública da realidade em que se encontram. Desprovidas de uma capacidade de discernimento, a própria população continua sendo refém desse sistema de coronelismo disfarçado.
Hoje não se usa mais o chamado voto de cabresto como antigamente, mas talvez hoje seja pior, pois são enganadas de uma só vez através da mídia. É de doer, mas é essa a nossa verdade. Talvez levem anos, décadas ou até mais para aprendermos em que mundo estamos vivendo.
Quando me perguntam se serei candidato em 2012, fico meio perturbado com a idéia. Não tenho como meta ser político de partido, exatamente por estar cercado por essa realidade negativa. Mas ao mesmo tempo penso: será que todo mundo que entra na política tem que ser mesmo corrupto? E o que não faltam são pessoas que me digam que não é. Fico pensando: será que todo político tem realmente perder o caráter, se submetendo a corrupção e a desonestidade para se dar bem na vida? Não acredito nessa realidade, mas a coisa e tão cruel que ficamos na dúvida se o que dizem não é realmente verdade.  Alguns dizem: Bobagem todo mundo que entra pra política só entra pra roubar; só pensa em se dar bem, o resto que se lasque. Isso é uma prova E, se pensam dessa forma, como é que pensam que essa realidade vai mudar?    

Professor VALDENI CRUZ  

OS REPRESENTANTES DA CORRUPÇÃO

Política    É triste escrever um artigo com este título, mas não seria verdade se não fosse assim. É  desse modo que esta...