quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

É COM NÓ NA GARGANTA QUE ESCREVO SOBRE A SITUAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO NESTE MOMENTO


Caros servidores!

É com tremenda decepção e constrangimento que escrevemos nestes termos. Os servidores de Pentecoste desde sempre estiveram sob o julgo dos carrascos. Sempre temos a ligeira ilusão de que veremos tempos de alegria e dignidade. Porém, os tempos se vão passando e nossas esperanças vão definhando. Creio que deveríamos ter compreendido que tudo o que escutamos não passa apenas de ilusão e sombras que ao se apresentarem diante da realidade se tornam nada. Assim tem sido o tratamento dado por todos os gestores dessa cidade sem exceção. Uns deixaram de pagar salários, outros fizeram concursos ilegais; outros humilharam os servidores quando os manteve sem aumento de salários ou quando negou a maioria de seus direitos; outros mantém o mesmo castigo e mesmo julgo sobre os tão sofridos trabalhadores. E pior, quando estes sofridos servidores ganham na justiça o direito de receber um mísero salário mínimo, ai a tão ilibada e aplicada gestão resolve se sobrepor ao que JUSTIÇA MÁXIMA DETERMINOU.

Olha a lista do desrespeito contra os Servidores de Pentecoste

Trecho retirado do Blog do Sindsep


1.       Não dá reajuste salarial aos servidores;
2.      Não paga insalubridade;
3.      Não paga periculosidade;
4.      Não paga adicional noturno;
5.      Não respeita o (1/3)  terço de planejamento para a educação infantil e profissionais da zona rural;
6.      Não respeita o PCCR do magistério;
7.      Não valoriza os profissionais do magistério;
8.      Não utiliza o percentual dos 40% para incentivo à formação;
9.      Não dá condições básicas para um bom desenho na sala de aula;
10.  Não dá condições de trabalho para os demais servidores da educação;
11.  Retira o direito ao incentivo deslocamento garantido no PCCR do magistério;
12.  Não permite a progressão funcional dos professores;
13.  Não paga qüinqüênio, pó de giz ( garantido na lei orgânica);
14.  Não valoriza secretários escolares;
15.  Não valoriza auxiliares, vigias, agentes........;
16.  Não paga o piso dos agentes de endemias;
17.  Não valoriza os servidores da saúde;
18.  Não permite  a criação do PCCR da saúde;
19.  Não paga diárias aos motoristas da saúde ( garantidos em lei municipal);
20.  Não paga o direito a (1/3)  um terço de férias;
21.  Desvaloriza os motoristas efetivos quando retira dos mesmos o direito ao mesmo salário base dos contratados;
22.  E outros desrespeitos que se falado aqui teremos uma quilometragem até a região do Cariri.
Agora esta mesma prefeita:
1.      Comete abuso de poder;
2.      Seus assessores e gestores da administração cometem assédio moral;
3.      Ameaçam servidores;
4.      Desrespeita o Supremo Tribunal Federal;
5.      Desrespeita o Ministério Público;
6.      Desrespeita o Tribunal de Justiça do Ceará;
7.      Retira da população de Pentecoste o direito à saúde, quando a mesma envia para a UPA todos os atendimentos médicos e de emergência, lembrando que a UPA não tem médicos...................
Visualizando o site da prefeitura que só serve para propagar  o ”impropagável”, visualizei: (Trecho escrito por Claudia Melo - Retirado - http://pentecostesindsep.blogspot.com.br)

Pra falar a verdade é nessas horas que volto minha angústia de decepção para Deus que não abandona os pequenos e não deixará de fazer justiça aos opressores. Porém, ainda sim confiamos que é a mesma justiça que muitas vezes desacreditamos que deve dar o parecer de suas próprias decisões. Como diz Dr. Valdecy Alves, nós somos a parte frágil, sem poder, sem dinheiro. Eles são o poder, os que acham que podem tudo contra todos, que podem barganhar e levar com a barriga, descumprir leis... Digo aos servidores que sinto um nó na garganta para escrever este artigo, pois sei o que estão passando pela falta do que já pouco em sua conta. Mas também Dr. Valdecy diz que é exatamente assim que todos tentam agir, pois sabe que a parte mais fraca é a nossa nesse momento. A nossa força estaria na nossa capacidade de fazer cair os poderes por meio da luta, da repugnância a este tipo de arbitrariedade, mas a maioria de nós não tem coragem de lutar, correr atrás do que é nosso. O pior é ver que tem companheiros que ficam derrubando os outros e querendo ver a desgraça de seus semelhantes. Falta a unidade de forças de todos os trabalhadores, pois muitos só lutam quando sente na pele a situação. Estamos ainda montado no egoísmo e só conseguimos ver o nosso problema.

Caros companheiros, preciso dizer que não é fácil nem pra vocês nem pra nós que estamos na frente desta instituição sindical. A artilharia está apontada para nós tanto pela gestão, que quer ver o nosso fim quanto por alguns colegas que passa pela mesma situação dos servidores atingidos, que não tendo caridade com seus companheiros também acabam apontando o dedo para criticar e denegrir a instituição, quando na verdade deveriam assumir uma postura de combatente em favor de seus amigos, pois um dia desses o problema pode ser com você.

É difícil pedir que os servidores agüentem firmes nesta hora, mas é esta a mensagem: manter-se firme trabalhando às 4 horas. Entendemos também que muitos já não agüentam o julgo e o chicote apontado para os seus lombos caso descumpram a ordem dos senhores feudais, pois o que estes servidores ganharam na justiça foi o direito de trabalharem 20 horas e receberem o salário mínimo.
Esperamos o pronunciamento do Promotor de Justiça até sexta-feira que é o prazo que ele pediu para analisar o que STJ determinou. Disse ainda que precisa analisar mais fundamente o Processo que ainda desconhece, visto que ele está à bem pouco tempo nesta comarca de Pentecoste.

Finalmente, pedimos aos servidores de modo geral que nos juntemos para medir forças não só para esta causa para todas as outras afrontas que recebemos todos os dias com os descumprimentos de todos os outros direitos dos servidores.

Cumprimentos cordiais

Professo Valdeni Cruz


Um comentário:

Cicero Laureano disse...

Bom Dia!
Tenho respeito e carinho pela excelentíssima senhora prefeita da minha querida e amada cidade de Pentecoste.É duro ter que ver atitudes dessa natureza contra os profissionais da educação ou mesmo de outros setores de nossa sociedade.A excelentíssima prefeita comete um equívoco ao reduzir,cortar salários dos servidores alegando carga horária,todos sabem que na área de educação 20 horas semanais recebem no mínimo o salário mínimo,além do mais, não fica bem um gestor ficar marcado na sua biografia que reduziu salário de trabalhadores,além disso,está indo contra o que a presidenta Dilma e o seu partido pregam,que é combater a extrema pobreza e outros males da sociedade.O IBGE acaba de devulgar que temos ainda 7,2 milhões de brasileiros que passam fome no nosso país e que 52 milhões de pessoas vivem em insegurança alimentar.O nordeste é onde têm o maior números de famintos e quando a senhora executa este ato contribui bastante para que estes números só venha a aumentar.Conheci a senhora em meado dos anos de 1970,era uma jovem meiga e uma mente e um coração mais humano,mas infelizmente mudou e mudou muito,principalmente no que tangi a solidariedade humana,atitudes como essa demostra que a sua gestão não têm a ciência de que as pessoas são o maior patrimônio de uma organização e que não busca a melhoria da qualidade de vida de seus servidores. Na conferência de Estocolmo,a ex.primeira ministra da Índia Indira Ghandi disse que A POBREZA É A MAIOR DAS POLUIÇÕES,como ver a fome é uma das tragédia que afligem os povos dos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento e quem mais sofre são as crianças.a partir do momento que se reduz salários,se reduz também a qualidade de vida das pessoas.por fim,cito as palavras de Mahatma Ghandi:O MAIS ATROZ DAS COISAS MÁS DAS PESSOAS MÁS É O SILÊNCIO DAS PESSOAS BOAS.Cícero Lauriano,graduado em ciências sociais e gestão ambiental.

JUIZ DE PENTECOSTE DETERMINA AO MUNICÍPIO DE PENTECOSTE A CUMPRIR EXECUÇÃO DE SENTENÇA QUE GARANTE SALÁRIO MÍNIMO AOS SERVIDORES DE PENTECOSTE MESMO COM CARGA HORARIA REDUZIDA

Caríssimos companheiros e companheiras, boa tarde! É com imensa satisfação que o SINDSEP (Sindicato dos Servidores Municipais ...